Eleitorado de Baden

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Kurfürstentum Baden
Eleitorado de Baden

Estado Vassalo membro do Sacro-Império Romano-Germânico

Coat of arms of Baden.svg
 
Wappen Kurpfalz.svg
1803 – 1806 Coat of arms of Baden.svg
Flag Brasão
Bandeira Brasão
Localização de Baden
Baden com território contíguo
Continente Europa
Região Europa Central
Capital Karlsruhe
Língua oficial Alemão alemânico
Religião Protestantismo
Governo Monarquia
Príncipe-eleitor
 • 1803 -1806 Carlos Frederico de Baden
História
 • 1803 Elevado a Eleitorado
 • 1806 Dissolução do Sacro Império Romano
Moeda Gulden de Baden

O Eleitorado de Baden ou, na sua forma portuguesa, de Bade[1] (em alemão: Kurfürstentum Baden) foi um estado do Sacro Império Romano-Germânico entre 1803 e 1806, que teve Carlos Frederico como príncipe-eleitor. Napoleão concedeu o cargo de príncipe-eleitor do Sacro Império em 1803; mas isso não durou, uma vez que o imperador Francisco II, alguns anos mais tarde, dissolveria império, em 1806. Para equilibrar isso, Carlos Frederico tornou-se "Grão-Duque". [2]

História[editar | editar código-fonte]

Com a erupção da Revolução francesa, a Marca de Baden foi unida sob Carlos Frederico, mas ele não detinha um território compacto. Sua área total foi de apenas cerca de 1 350 quilômetros quadrados. Composto por um número de distritos isolados, encontrando-se em várias localidades do Reno superior, Carlos Frederico comprometeu-se a adquirir as extensões intermediárias de terra e assim dar unidade territorial para seu Estado.

Sua oportunidade de engrandecimento territorial surgiu durante as Guerras Revolucionárias Francesas. Quando a guerra eclodiu entre a Primeira República Francesa e a Monarquia de Habsburgo, em 1792, a Marca de Baden lutou junto à Casa de Habsburgo. Consequentemente, seu país foi devastado e em 1796 o marquês foi obrigado a pagar uma indenização e a ceder seus territórios, na margem esquerda do Reno, para a primeira República francesa. A sorte, no entanto, logo retornaria ao seu lado.

Em 1803 com a Mediatização Alemã, em grande parte devido aos bons ofícios do czar Alexandre I da Rússia, ele recebeu a Diocese de Constança, parte do Eleitorado do Palatinado e outros distritos menores, juntamente com a dignidade de um príncipe-eleitor. Mudando de lado em 1805, ele lutou por Napoleão, com o resultado que pela Paz de Pressburg, naquele ano ele obteve Breisgau e outros territórios em detrimento do Império Austríaco.

Em 1806, os eleitores assinaram a Rheinbundakte, juntando-se à Confederação do Reno. Suportado pela dissolução do Sacro Império, ele declarou a soberania, tornando-se o Grão-Ducado de Baden e recebeu outras adições territoriais.

Território[editar | editar código-fonte]

O Eleitorado compreendia :

O Tratado de Pressburg adicionou Breisgau (com a exceção do litoral no Reino de Württemberg e, em parte, a leste de uma linha traçada desde o Schlegelberg até o Molbach e as cidades e territórios de Willingen e Brentigen e o Ortenaukreis, a cidade de Constança e a Comenda de Meinau.

Religião[editar | editar código-fonte]

Depois da Associação Católica da Marca de Baden-Baden com a luterana Marca de Baden-Durlach forma-se a Marca de Baden, em 1771, que foi regido pelo princípio Cuius regio, eius religio, recebeu o eleitorado recém formado através da incorporação do Palatinado um território distinto, reformada, apesar da religião do oficial ser protestante, a maioria da população era católica,. Assim, o príncipe-eleitor tinha três das principais denominações cristãs em seu território recém criado.

Referências

  1. Fernandes, Ivo Xavier. Topónimos e Gentílicos. Porto: Editora Educação Nacional, Lda., 1941. vol. I.
  2. Germany, the German Confederation Friesian.com. Visitado em 2013-02-24.