Enix

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Enix Corporation
株式会社エニックス
Indústria Videojogos
Anime
Manga
Fundação 22 de Setembro de 1975
Fundador(es) Yasuhiro Fukushima
Encerramento 1 de Abril de 2003
Sede Japão Tóquio, Japão
Sucessora(s) Square Enix
Página oficial http://www.square-enix.com

A Enix Corporation (株式会社エニックス, Kabushiki-gaisha Enikkusu?) foi uma empresa japonesa que produziu videojogos, anime e manga. A empresa foi fundada por Yasuhiro Fukushima a 22 de Setembro de 1975 sob o nome de Eidansha Boshu Service Center (株式会社営団社募集サービスセンター, Kabushiki Gaisha Eidansha Boshū Sābisu Sentā?) e mais tarde renomeada para Enix em 1982.[1] O nome é jogo de palavras sobre a palavra inglesa phoenix, uma ave que renasce das suas próprias cinzas e ENIAC o computador digital electrónico.[2]

Enix é mais conhecida pelas séries Dragon Quest e Star Ocean. Em 2003, a empresa fundiu-se com a Square dando origem à Square Enix.

História[editar | editar código-fonte]

Enix começou a sua incursão no mercado dos videojogos em 1982 com um concurso de programação de jogos para computadores pessoais.[3] Um dos vencedores foi Love Match Tennis, criado por Yuji Horii. Tornar-se-ia um dos primeiros jogos a ser lançados pela empresa para PCs.[4] Um do outros vencedores foi o quebra-cabeças Door Door por Koichi Nakamura, que viria a tornar-se num dos jogos para computador mais conhecidos da Enix. Posteriormente, o jogo foi portado para a Nintendo NES, mas o jogo nunca viria a ser lançado fora do Japão. Nakamura ficaria como um dos programadores mais importantes da Enix.[3]

Ao longo dos próximos anos, a Enix publicou vários videojogos para várias consolas de videojogos japonesas. Em vez de produzir os seus próprios jogos, a Enix preferiu deixar o desenvolvimento destes a cargo de outros produtores concedendo royalties.[3] Enix é muito provavelmente mais conhecida como sendo a produtora da série Dragon Quest (conhecida na América do Norte como Dragon Warrior até 2005). Nesta altura, os programadores-chave da Enix eram o director Koicki Nomura, o argumentista Yuji Horii, o artista Akira Toriyama, e o compositor Koichi Sugiyama, entre outros. Dragon Warrior I foi lançado em 1986 e o primeiro RPG bem sucessido para a Famicom. O jogo acabaria por vender 1,5 milhões de cópias no Japão e daria começo ao franchise mais rentável da empresa.[4] [5]

En 1991, Enix registou-se junto de Japan Securities Dealers Association, actual JASDAQ, passando a estar cotada em bolsa.[1] Pouco depois, a Enix começou a publicar manga na sua revista mensal, Monthly Shōnen Gangan. Criou contactos com mais produtoras de videojogos e iria publicar mais jogos para consolas da quarta geração, quinta e sexta. Apesar do anúncio da rival de longa data da Enix, Square Co., Ltd., de que iria produzir jogos exclusivamente para a PlayStation da Sony, a Enix anuncio que iria produzir jogos tanto para as consolas da Sony como para as da Nintendo..[6] Como consequência, as acções da Enix e da Sony subiram na bolsa.[7] Em Novembro de 1999, a Enix estava listada na primeira secção da Bolsa de Valores de Tóquio, dando-lhe o estatuto de "empresa de peso".[1] [8]

Fusão com a Square[editar | editar código-fonte]

Em Junho de 2001, a Enix expressou interresse numa possível parceria entra a Square e a Namco nas suas incursões online, de modo a reduzir os crescentes custo de produção.[9] Nesse mesmo mês, a Enix investiou na empresa game Arts, adquirindo ¥99.2 mil milhões em acções e controlo majoritário com o intuito de vender a série Grandia sobre a marca da Enix.[10] Apesar da publicidade em torno de Dragon Warrior VII em 1999, o jogo sofreu sucessivos adiantamentos. As receitas do jogo foram, em última analise, boas, mas o seu sucesso não foi contabilizado no ano fiscal de 1999, cortando a razão entre lucro e receitas para metade em comparação com o ano anterior e reduzindo o valor das acções da Enix 40% em princípios de 2000.[3] [11] A Enix sofreu outro revés com o atraso do Dragon Warrior Monsters 2 no Japão em 2001, cortando os lucros do primeiro semestre do ano fiscal de 2001 em 89,71%.[12]

A rival da Enix, Square Co., também sofreu prejuízos financeiros em 2001, muito em parte devido ao fracasso do seu filme Final Fantasy: The Spirits Within. Isto hesitou a Enix em fundir-se com a Square.[13] Contudo, a 26 de Novembro de 2002, foi anunciada que as duas empresas iria-se fundir no ano seguinte num esforço de diminuir custos e competir com empresas estrangeiras.[14] A fusão veio mais tarde a 1 de Abril de 2003 sobre o nome Square Enix, a sucessora de ambas as empresas.[1]

Produtos[editar | editar código-fonte]

Videojogos[editar | editar código-fonte]

De 1983 a 1993, a Enix distribui os seus jogos no Japão para computadores, tais como NEC PC-8801, MSX, Sharp X68000, e FM-7. Ao entrar no mercado da Famicom, a Enix publicou o bem sucedido Dragon Quest, que, após a formaçao da Square Enix, já havia vendido 35 milhões de cópias por todo mundo.[15] Apesar dos primeiros títulos desta série terem sido produzidos pela Chunsoft, outras empresas também produziram títulos principais, spin-offs e remakes para esta série, tal como a Heartbeat, ArtePiazza, e TOSE. Outras séries aclamadas da Enix são Star Ocean e Valkyrie Profile, que continuriam a ser publicadas sob a marca da Square Enix. A empresa Quintet desenvolveu outros RPGs para a Enix tais como ActRaiser, Robotrek, Soul Blazer, Illusion of Gaia e Terranigma para a Super Nintendo.

Manga and toys[editar | editar código-fonte]

Desde 1991 que a Enix tem publicado manga na sua revista Gangan Comics, que inicialmente consistia na Monthly Shōnen Gangan, Monthly Gangan Wing e Monthly GFantasy.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d Square Enix. Square Enix History (timeline). Square-Enix.com.
  2. David Smith (16 de junho de 2005). Feature: What's in a Name?. 1UP.com. Página visitada em 2009-04-08.
  3. a b c d Fujii, Daiji (janeiro 2006). "Entrepreneurial choices of strategic options in Japan's RPG development" (pdf). Faculdade de Economia, Universidade de Okayama. Visitado em 2009-04-10.
  4. a b Rusel DeMaria, Johnny L. Wilson. High Score!: The Illustrated History of Electronic Games. 2nd edition ed. [S.l.]: McGraw-Hill Professional. 374 p. ISBN 0072231726 Página visitada em 31 de julho de 2008.
  5. Square Enix: February 2, 2004 - February 4, 2004 (pdf) pp. 27. Square Enix (2004-02-04). Página visitada em 2009-04-10.
  6. IGN staff (9 de janeiro de 1997). Enix To Develop Titles For The PlayStation. IGN.com. Página visitada em 2009-04-10.
  7. IGN staff (16 de janeiro de 1997). Enix/Sony Update. IGN.com. Página visitada em 2009-04-10.
  8. Transfers to 1st section. TSE.or.jp (March 2008). Página visitada em 2009-04-10.
  9. IGN staff (18 de junho de 2001). Square, Enix and Namco Reveal First Tie-up Details. IGN.com. Página visitada em 2009-04-14.
  10. Long, Andrew (4 de junho de 2001). Enix Acquires Share In Game Arts. RPGamer.com. Página visitada em 2009-04-14.
  11. IGN staff (28 de abril de 2000). Dragon Quest VII Sells Like Crazy. IGN.com. Página visitada em 2009-04-14.
  12. Long, Andrew (14 de novembro de 2001). Enix Announces Figures. RPGamer.com. Página visitada em 2009-04-14.
  13. Long, Andrew (2003). Square-Enix Gives Chrono Break Trademark Some Playmates. RPGamer.com. Página visitada em 2009-04-14.
  14. Anoop Gantayat (25 de novembro de 2002). Square and Enix Merge. IGN.com. Página visitada em 2009-04-14.
  15. (7 de julho de 2004). "IR Roadshow Document (June 28, 2004 - June 30, 2004)" (pdf). Square Enix. Visitado em 15 de abril de 2009.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]