Galícia Esporte Clube

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Galícia
Escudo-galícia-ba.jpg
Nome Galícia Esporte Clube
Alcunhas Azulino
Granadeiro
Demolidor de Campeões[1]
Torcedor/Adepto Galiciano
Fundação 1 de janeiro de 1933 (81 anos)
Estádio Parque Santiago
Capacidade 5 000
Localização Brasão de Salvador.jpg Salvador, Bahia BA,Brasil Brasil
Mando de jogo em Pituaçu
Capacidade (mando) 32 157
Presidente Brasil Dario Rego (2013-15)
Treinador Brasil Ricardo Silva
Patrocinador Brasil Centraltec
Brasil Vedacit
Brasil Nutristore
Brasil Caixa
Brasil Centro Espanhol
Material esportivo Brasil Super Bolla
Competição Bahia Campeonato Baiano - 1° divisão
Website galiciaec.com.br
Kit left arm thinwhiteborder.png Kit body galicia14h.png Kit right arm thinwhiteborder.png
Kit shorts galicia14h.png
Kit socks.png
Uniforme
titular
Kit left arm thinwhiteborder.png Kit body galicia14a.png Kit right arm thinwhiteborder.png
Kit shorts galicia14a.png
Kit socks.png
Uniforme
alternativo
Kit left arm thinyellowborder.png Kit body galicia14t.png Kit right arm thinyellowborder.png
Kit shorts galicia14t.png
Kit socks.png
Uniforme
alternativo
editar

O Galícia Esporte Clube é um clube esportivo brasileiro, com sede em Salvador, capital do estado da Bahia, fundado a 1° de janeiro de 1933. Seu atual presidente é Dario Rego.

Um dos mais tradicionais clubes baianos, historicamente ligado à colônia espanhola de Salvador, foi o primeiro tricampeão baiano de futebol, o que é ainda motivo de orgulho para o clube e os torcedores.[1]

História[editar | editar código-fonte]

O Galícia foi fundado em 1º de janeiro de 1933 por imigrantes espanhóis provenientes da região espanhola da Galiza (em castelhano Galicia), com que leva no seu escudo as cores e símbolos da região.[1] Seu primeiro presidente e um dos fundadores foi Eduardo Castro Iglesias.

O clube foi o primeiro tricampeão do Campeonato Baiano de Futebol e praticamente dominou o panorama futebolístico da Bahia durante seus dez primeiros anos de fundação, tendo sido campeão nos anos de 1937, 1941, 1942 e 1943 e vice-campeão em 1935, 1936, 1938, 1939 e 1940. Depois desse período áureo, voltou a ser campeão baiano somente em 1968, obtendo ainda quatro vice-campeonatos em 1967, 1980, 1982 e 1995.

No futebol masculino, seu melhor desempenho regional foi o vice-campeonato da Zona Nordeste do Torneio Norte-Nordeste de 1969. Nacionalmente, participou do Campeonato Brasileiro da Primeira Divisão em 1981 (25º lugar) e 1983 (43º lugar), além de disputar a Terceira Divisão entre 1995 e 1997.

Rebaixado para a Segunda Divisão do Campeonato Baiano em 1999, e após tentar, sem sucesso, retornar à Primeira Divisão nas duas temporadas seguintes, o clube licenciou-se de competições profissionais em 2002 e passou a disputar o Campeonato Baiano somente nas categorias inferiores.

Em 2006, um grupo de torcedores criou a Associação Torcedores e Amigos do Galícia (ATAG), que desde então trabalha em colaboração com a diretoria do clube com o objetivo de assessorar e dar apoio nas nas áreas patrimonial, administrativa e social.

Naquele mesmo ano, o clube voltou a participar do Campeonato Baiano profissional, após quatro temporadas licenciado. No retorno à Segunda Divisão, terminou apenas em terceiro lugar, insuficiente para conseguir o acesso, já que apenas o campeão era promovido. Em 2007, conquistou o vice-campeonato, perdendo a final para o Feirense. Em 2008 e 2009, em novas participações, conseguiu apenas o oitavo e o quinto lugar, respectivamente. Em 2010, 2011 e em 2012 mais fracassos: terminou o campeonato de 2010 na sexta posição, em 2011 na quinta posição e em 2012 terminou o campeonato novamente na quinta posição, jamais alcançando as semifinais do torneio.

Em 2013, ano do seu 80º aniversário, com uma nova diretoria, comandada por Dario Rego, o clube conseguiu, depois de 14 anos, a voltar à elite do futebol baiano, ao conquistar o título de campeão baiano da Segunda Divisão. No mesmo ano, o clube lançou seu terceiro uniforme para a próxima temporada, confeccionado em tons de vermelho e amarelo, como forma de homenagem à Seleção Espanhola, com a confirmação de uma partida da seleção na Arena Fonte Nova na primeira fase da Copa do Mundo.[2]

Feminino[editar | editar código-fonte]

No futebol feminino, o Galícia sagrou-se Campeão do Nordeste no ano 2000, com um time que revelou algumas boas jogadoras, entre elas Elaine Estrela Moura e Viola, que chegaram à Seleção Brasileira da categoria. Também participou do Campeonato Brasileiro de Futebol Feminino em 1999 e 2001, conseguindo o 13º e o 15º lugar, respectivamente.

Pouco depois, o time feminino do Galícia foi desativado, somente retornando em 2008, ano em que o clube voltou a participar do Campeonato Baiano da categoria, tendo terminado em 4º em 2008 e 2009 e 3º em 2010 e 2012 (não participou em 2011).

Galícia Rugby Clube[editar | editar código-fonte]

Em janeiro de 2009, o Galícia passou a contar com uma equipe de rugby, o Galícia Rugby Clube. Neste mesmo ano, o time realizou o primeiro amistoso internacional de rugby na Bahia, enfrentando a equipe amadora da Universidade de Harvard (EUA) e fez a sua primeira excursão internacional, quando jogou no Paraguai e Argentina.

No seu primeiro ano de existência, o Galícia Rugby Clube participou do Campeonato Nordestino de Rugby 2009, sagrando-se campeão de forma invicta. Para tanto venceu a primeira e a terceira etapas da competição.

Em 2010 aconteceu a 2ª Gira Internacional do GRC, visitando Buenos Aires-Argentina, jogando contra o Hindu Club (atual tetracampeão argentino), Liceo Militar e Alma Fuerte (primeira vitória do GRC em terras estrangeiras). O convívio com rugbiers de outros países foi um grande incentivo para a continuidade e evolução do grupo, além de um grande aprendizado para os participantes.

Ainda em 2010, os "Bufalitos", como são conhecidos os rugbiers galicianos, sagraram-se campeões da primeira etapa, realizada em Recife e seguiram em busca do bi-campeonato. No dia 31 de julho de 2010, os "Bufalitos" venceram a 2ª Etapa do Nordestão, realizada em seu estádio, após uma vitória nos últimos segundos sobre o Recife Rugby Clube (Tubarões). Uma vitória por 12 a 8 que foi bastante comemorada no Parque Santiago, garantindo o tricampeonato do Nordeste para os galicianos.

Estádio[editar | editar código-fonte]

Nos primeiros anos após a fundação, o Galícia mandava seus jogos no antigo Campo da Graça. Posteriormente, passou a ter o mando de campo na Fonte Nova, e, eventualmente, no Estádio de Pituaçu, até construir o seu próprio estádio, o Parque Santiago, que tem capacidade para cinco mil torcedores.

Na temporada de 2012, os azulinos tiveram seu mando de campo no interior do estado, no Estádio Junqueira Ayres em São Francisco do Conde. Em 2013, o clube voltou sediar seus jogos em Salvador, no Estádio de Pituaçu.

Símbolos[editar | editar código-fonte]

O Galícia é conhecido como "Demolidor de Campeões", "Granadeiro" ou "Azulino".

Seu escudo constitui-se de um brasão branco com uma faixa diagonal azul e a Cruz de Santiago em vermelho ao centro. O uniforme é composto por camisas azuis, calções e meias brancas. Em 2014 o Galícia lançou o seu 3º uniforme em homenagem a seleção espanhola, vermelho com lista diagonal amarela.

Hino[editar | editar código-fonte]

O hino foi composto por Francisco Icó da Silva, tendo sido gravado pelo Inema Trio (formado por Douglas e a dupla Tom e Dito, famosa por interpretar também a música "Tamanco Malandrinho").

Galícia, Galícia, Galícia,
Demolidor de Campeões
Granadeiro da Cruz de Santiago
Clube querido com muitas tradições

O Galícia tem nome na história,
No futebol tem títulos de glória
Salve, salve pendão galiciano
Alegria do futebol baiano

Um, dois, três...
Granadeiros tricampeões
Um, dois, três...
Azulino que domina corações.

O Galícia é um forte toureiro
Que toureia com muita valentia
Que domina qualquer touro, na arena
Lutando sempre com amor e galhardia

Os torcedores do Galícia são modestos
São ordeiros contudo animados
Para frente, Galícia, eles gritam
Levando o clube a conquistar bons resultados

Para frente, Galícia, mais um tento
Não desanime porque vitória é nossa
Para frente, queremos mais um título
Para frente, com você não há quem possa
Para frente, queremos mais um título
Para frente, com você não há quem possa

Um, dois, três...
Granadeiros tricampeões
Um, dois, três...
Azulino que domina corações.

O Galícia é um forte toureiro
Que toureia com muita valentia
Que domina qualquer touro, na arena
Lutando sempre com amor e galhardia

Elenco atual[editar | editar código-fonte]

atualizado em 5 de abril de 2014.

Goleiros
Jogador
- Brasil Tigre
- Brasil Ruan
- Brasil Nando
Defensores
Jogador Pos.
- Brasil Willian Alemão Z
- Brasil Igor Maranhão Z
- Brasil Luanderson Z
- Brasil Davi Luís Z
- Brasil Marcus Vinicius Z
- Brasil Fábio Santana L
- Brasil Jhone L
- Brasil Ramon L
Meio-campistas
Jogador Pos.
- Brasil Totinga V
- Brasil Teco V
- Brasil Antonio Carlos V
- Brasil Elenílson M
- Brasil Brendon M
- Brasil Davidson M
- Brasil Ancelmo M
- Brasil Rafael M
- Brasil Cristiano M
- Brasil Danilo Gomes M
Atacantes
Jogador
- Brasil Richard Falcão
- Brasil Francinha
- Brasil Teco Baiano
- Brasil Alex Acarajé
- Brasil Pedro Henrique
- Brasil Davidson
Comissão técnica
Nome Pos.
Brasil Ricardo Silva T

Títulos e principais participações[editar | editar código-fonte]

Estaduais[editar | editar código-fonte]

Competição Títulos Temporadas
WikiCup Trophy Gold.png Campeonato Baiano 5 1937, 1941, 1942, 1943 e 1968
WikiCup Trophy Gold.png Campeonato Baiano - 2ª Divisão 3 1985, 1988 e 2013
WikiCup Trophy Gold.png Torneio Início 9 1935, 1936, 1939, 1945, 1946, 1950, 1954, 1957 e 1960
WikiCup Trophy Gold.png Torneio Antônio Carlos Magalhães 1 1970

Feminino[editar | editar código-fonte]

Competição Títulos Temporadas
WikiCup Trophy Gold.png Campeonato Norte-Nordeste de Futebol Feminino 1 2000

Rugby Rugby union pictogram.svg[editar | editar código-fonte]

Competição Títulos Temporadas
WikiCup Trophy Gold.png Campeonato Nordestino de Rugby 3 2009, 2010 e 2011

Regionais[editar | editar código-fonte]

Nacionais[editar | editar código-fonte]

Feminino[editar | editar código-fonte]

Rugby Rugby union pictogram.svg[editar | editar código-fonte]

  • 1º Amistoso Internacional de Rugby em Salvador - 28 de Março de 2009
    • Galícia RC (e convidados) 12 X 0 Harvard University Rugby Team
  • 1ª Gira Internacional - 02/09/2009 até 12/09/2009
    • Galícia RC 12 X 22 Ciudad Del Este - PARAGUAI
    • Galícia RC 9 X 24 Cataratas RC - ARGENTINA
    • Galícia RC 0 X 20 Unibrasil Curitiba Rugby - BRASIL

Ídolos[editar | editar código-fonte]

Alguns jogadores de projeção nacional foram revelados no Galícia, tais como o zagueiro Dante do Bayern Munique, o lateral-direito Toninho, os atacantes Washington, Oséas e Servílio (ex-Corinthians), além de Vevé (ex-Flamengo), com diversas passagens pela Seleção Brasileira e Maneca, que brilhou no Vasco e disputou a Copa do Mundo de 1950 pela Seleção Brasileira.

Outros jogadores que se tornaram ídolos do clube foram Nelson Leal, Nelinho, Evilásio, Esquerdinha, Marinho Peres, campeão brasileiro de 1976 pelo Internacional e zagueiro titular da Seleção Brasileira na Copa da Alemanha - 1974, Lenilson (com passagem pelo São Paulo), Lula Mamão, Ferreira e Helinho (goleiros), Morais (ex-Cruzeiro), Pirulito, Valtinho, Robson, Rangel, Gláucio, Léo Mineiro e Moisés, dentre outros. Também jogou no Galícia o atacante Jacozinho, que se notabilizou na partida de retorno de Zico ao Maracanã, quando marcou um gol e foi um dos destaques do jogo.

Entre os grandes treinadores galicianos, como Jorge Vieira (1968), Danilo Alvim (1981), Abel Braga (1987), e Eládio Magalhães (1995), sobressaiu-se o campeão mundial de futebol Aymoré Moreira, treinador do Brasil no bicampeonato no Mundial do Chile. Com Aymoré, a equipe galiciana chegou ao vice-campeonato baiano em 1980.

Dados do clube[editar | editar código-fonte]

  • Temporadas na 1ª (Div. brasileira): 2
  • Temporadas na 2ª (Div. brasileira): 0
  • Temporadas na 3ª (Div. brasileira): 3
  • Maior goleada aplicada:
    • Em campeonatos nacionais: 3 a 1 no Botafogo (1981)
  • Melhor colocação na Primeira Divisão brasileira: 25º
  • Pior colocação na Primeira Divisão brasileira: 43º
  • Melhor colocação na Terceira Divisão brasileira: 21º
  • Melhor colocação na Primeira Divisão baiana: 1º

Rankings[editar | editar código-fonte]

Ranking da CBF[editar | editar código-fonte]

  • Posição (2008): 195º
  • Pontuação: 11 pontos

Ranking da Revista Placar[editar | editar código-fonte]

  • Posição (2001): 54ª
  • Pontuação: 15 pontos

Rivalidade[editar | editar código-fonte]

O maior rival do Galícia é o Ypiranga.

atualizado em " ".

Estatísticas
Jogos 140
Vitórias do Ypiranga 45
Empates 37
Vitórias do Galícia 58
Gols do Ypiranga 200
Gols do Galícia 216

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e Yahoo Esporte Interativo (2 de abril de 2014). Espanha pode fazer amistoso contra o Galícia, time baiano. Página visitada em 5 de abril de 2014.
  2. Globo Esporte (6 de dezembro de 2013). De volta à elite do Baiano, Galícia homenageia Espanha em uniforme. Página visitada em 5 de abril de 2014.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]