Mônica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Mônica (Mauricio de Sousa))
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde dezembro de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Mônica
Monica.png
Mônica e Sansão
Criado por Maurício de Sousa
Voz Marli Bortoletto
Priscila Concepción (jovem)
Primeira aparição 3 de Março, 1963 (Folha de S. Paulo)
Última aparição Presente
Editor(es) Editora Abril
Editora Globo
Panini Comics
Projecto Banda desenhada  · Portal da Banda desenhada

Mônica é uma personagem fictícia de histórias em quadrinhos brasileira, criada por Mauricio de Sousa em 1963 nas tiras de jornais de Cebolinha. Originalmente como coadjuvante, Mônica logo se tornou a principal personagem de Maurício junto com Cebolinha e passou a estrelar sua própria revista em 1970 publicada primeiro pela Editora Abril e atualmente pela Editora Panini. Os personagens de Mauricio de Sousa passaram a ser chamados de Turma da Mônica, tendo-lhe como protagonista na maioria das obras dos Estúdios Mauricio de Sousa.

Concepção e criação[editar | editar código-fonte]

Mônica apareceu pela primeira vez em uma tira do Cebolinha publicada no jornal Folha de S. Paulo em 3 de março de 1963.[1] [2] Antes da publicação de sua primeira tira, a primeira aparição da personagem foi publicada na primeira página do mesmo jornal em 11 de fevereiro de mesmo ano.[3] Um coelho de pelúcia também apareceu naquelas datas antes de ser chamado Sansão.

Mauricio de Sousa baseou-se em sua filha homônima para criá-la, fato que se repetiu com outras personagens surgidas posteriormente. Seu papel original era como coadjuvante para Cebolinha, o protagonista original entre os primeiros personagens de Mauricio. Porém, seu público, como o próprio relata, "passou a coroa" para ela. Mauricio atribui parte do sucesso de Mônica ao fato de ela ser a primeira personagem feminina com papel de destaque dentre suas criações, que eram em maioria meninos. Mônica ganhou tanto espaço que acabou tendo sua própria revista em 1970, a primeira publicação infantil colorida em terras brasileiras.

Enquanto sua filha brincava com as irmãs, Mauricio aproveitava para estudar o comportamento dela. Quando sua irmã mais velha, Mariângela, que por sua vez inspirou Maria Cebolinha, lhe cortou os cabelos, deixou diversos caminhos-de-rato em sua cabeça, usados pelo pai para conceber o cabelo em gomos da personagem, que lembram bananas. A menina era gorducha, dentuça e de baixa estatura, características que também foram transferidas para sua criação de forma caricata e exagerada, assim como sua personalidade forte e briguenta. Mauricio ainda observou que a filha utilizava roupas de cor vermelha com frequência e tinha muito apreço por um coelho de pelúcia. Ele fez com que sua personagem também apresentasse tais traços.

Com o passar dos anos, os traços de Mauricio evoluíram, mas Mônica manteve os dentes incisivos protuberantes e sempre usa vestidos de cor vermelha. Nas histórias, os personagens constantemente a ofendem com insultos relacionados à sua baixa estatura e ao seu excesso de peso, apesar de não apresentar diferenças visíveis com os outros personagens no estilo atual de desenho das publicações.

Em sua versão adolescente na publicação Turma da Mônica Jovem, a personagem aparece com peso e estatura normais, e seus dentes, apesar de ainda protuberantes, são menos caricatos do que em sua versão infantil. Ela também possui um indumentário mais extenso e que não se limita apenas ao vermelho.

Personagem e caracterização[editar | editar código-fonte]

Mônica é uma menina de sete anos que vive no Bairro do Limoeiro, local fictício que serve de cenário para a maioria das histórias que protagoniza. Ela vive com sua mãe Luísa Fernandes, uma dona de casa, e seu pai Sousa, que trabalha em uma companhia de negócios e tem sua aparência baseada no Mauricio de Sousa real. Quando foi criada, Mônica era irmã do personagem Zé Luis, mas na continuidade atual aboliu-se tal parentesco. Ela também tem um cachorro de estimação chamado Monicão, que divide diversas características físicas e comportamentais com sua dona. Monicão foi um presente de seus amigos Cebolinha e Cascão, numa tentativa frustrada de zombar da menina.

De gênio forte, Mônica não tem paciência para os apelidos que recebe das outras crianças por causa de sua aparência física e costuma responder a tais ações com sua extrema força bruta, muito superior à de uma menina de sua idade e até mesmo à de um ser humano comum. Mônica aplica tais "correções" em seus colegas com suas próprias mãos ou através de Sansão, um coelho azul de pelúcia que é muito querido por Mônica. Sansão é frequentemente roubado pelos meninos do bairro, que dão nós em suas orelhas para irritar a "dona da rua", título que ostenta e que é almejado por Cebolinha.

Apesar das provocações constantes que enfrenta, ela tem laços de amizade com a maioria das crianças do bairro, em especial com Magali, uma das poucas que não sofrem com o temperamento de Mônica. Normalmente geniosa, por vezes demonstra um comportamento mais dócil e feminino, e frequentemente se apaixona pelos meninos mais bonitos do bairro. Ela se mostra mais controlada e romântica quando adolescente em Turma da Mônica Jovem, mas em alguns momentos ainda deixa seu lado violento aflorar. Ela também nutre uma paixão correspondida por Cebola, com quem tanto brigava na infância.

Turma da Mônica Jovem[editar | editar código-fonte]

Nesta série Mônica agora é adolescente e possui 15 anos de idade. Diferente de antigamente Mônica não é mais incomodada pelos meninos por não ser mais baixinha e nem gorducha, mas continua com seus mesmos dentes grandes. Atualmente Mônica usa mais de uma roupa diferente de antes quando ela usava sempre as mesmas roupas, no entanto ela ainda possui sua super-força e seu coelhinho Sansão. Sua relação com Cebolinha (agora chamado de Cebola) consiste em mais namoros do que em brigas entre si.

Em uma edição descobre-se que Mônica descende de uma heroína portuguesa com o mesmo nome e aparência de sua mãe, que é uma encarnação passada da mesma e fazia parte da guarda pessoal de um imperador japonês da época.

Pais da Mônica[editar | editar código-fonte]

Dona Luisa[editar | editar código-fonte]

É a mãe da Mônica, Dona de Casa. É cuidadosa com os afazeres domésticos, deixando a casa sempre impecável. Está sempre discordando de sua filha, quando o assunto é de que Mônica está gorda, baixa e dentuça.Seu verdadeiro nome é Luisa Moreira de Sousa.

Seu Sousa[editar | editar código-fonte]

É o pai da Mônica, e se parece muito com Maurício de Sousa. É trabalhador, atencioso, compreensivo e carinhoso com sua família. Trabalha em uma companhia de negócios.Seu nome é Luis Rodolfo Castro de Sousa

Monicão[editar | editar código-fonte]

Monicão é o cachorrinho de estimação da Mônica. De cor marrom, divide diversas características físicas e comportamentais com sua dona. Monicão foi um presente de seus amigos Cebolinha e Cascão, numa tentativa frustrada de zombar da menina.

Sansão[editar | editar código-fonte]

Coelhinho azul e inseparável da Mônica, ela anda com ele pra cima e pra baixo. A maioria das histórias, Mônica o usa como "arma" para dar coelhada nos meninos da rua que implicam com ela, principalmente Cebolinha e Cascão (dai parte a polémica em algumas histórias). O nome foi dado em um concurso em 1983. Mais tarde, acaba ganhando uma namoradinha, uma coelhinha de pelúcia rosa de nome Dalila. Inicialmente ele era amarelo até ser revelado em uma história que ele se chamava Hércules.[4]

Nos Jogos Eletrônicos[editar | editar código-fonte]

Mônica também é a protagonista de seus jogos eletrônicos produzidos pela Tectoy na década de 90 para Master System e Mega Drive (todos adaptados da série Wonder Boy).

Na versão brasileira, Mônica usa seu Sansão como espadas e seus vestidinhos como armaduras sem contar que ela também pode carregar botas e escudos nas aventuras. Um fato curioso é que Mônica aparenta viver em outro mundo diferente dos apresentados nos quadrinhos, muito similar a uma época medieval, sem contar que seus pais nunca são apresentados nos jogos dando a impressão que ela é órfã pelo fato dela aparecer morando em uma casinha própria no começo do jogo Turma da Mônica na Terra dos Monstros.

É bem provável que a Mônica apresentada nestes jogos seja outra já que os jogos apesar de terem os mesmos personagens não possuem nenhuma ligação com os quadrinhos.

Recepção[editar | editar código-fonte]

Mônica é vista como uma das personagens mais importantes na história dos quadrinhos brasileiros em diversas mídias. Em 2007, a personagem recebeu o título de embaixadora da UNICEF por sua contribuição de quase 50 anos na transmissão de "valores como a amizade, a importância da educação, da convivência familiar e comunitária." A Representante do UNICEF no Brasil, Marie-Pierre Poirier, declarou que "Mônica ajudará o UNICEF a defender os direitos das crianças, usando uma linguagem que permitirá que as crianças entendam melhor seus direitos a educação, saúde, proteção e carinho".

2013 - O "Ano da Dentuça"[editar | editar código-fonte]

No dia 3 de Março de 2013, Mônica completa 50 Anos de existência. A partir desse ano é iniciado campanha Mônica 50 Anos que envolve vários projetos comemorativos como exposições, shows, publicações especiais, desenhos animados, etc. O ano de 2013 foi intitulado como o "Ano da Dentuça" em comemoração ao cinquentenário da Mônica (e consequentemente do Sansão).

A Edição nº 75 (Editora Panini) da Revista Mônica é especial em comemoração ao aniversário. Com 108 Páginas, a edição reexibe no final da revista, a primeira história publicada na edição nº 1 da Revista Mônica, intitulada "Mônica é Daltônica?".

Dubladoras[editar | editar código-fonte]

Maria Amélia Costa Manso Basile(1982)

Marli Bortoletto(1983-Presente)

Priscila Concepción(Jovem)

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]