Messejana (Fortaleza)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Messejana
—  Bairro do Brasil  —
Mapa de Fortaleza com destaque para o bairro Messejana.
Mapa de Fortaleza com destaque para o bairro Messejana.
Unidade federativa  Ceará
Região administrativa Messejana (Regional 6)[1]
Distrito Messejana
Município Fortaleza
População
 - Total 44 000 (2 009)[2]
Limites Norte: Cajazeiras, Parque Iracema e Cambeba
Sul: Ancuri, Paupina e Coaçu
Leste: José de Alencar, Curió e Guajerú
Oeste: Barroso e Jangurussu
Subprefeitura Secretaria Executiva Regional(SER) VI[3]
Fonte: Não disponível

Messejana é um distrito e bairro de classe média baixa localizado na zona sudeste do município de Fortaleza, no estado do Ceará, Brasil. [4] É um bairro rico em fatos históricos. Nele, nasceram o escritor José de Alencar[5] e o ex-presidente brasileiro Castelo Branco.[6]

Etimologia[editar | editar código-fonte]

Etimologicamente, o toponímio Messejana originou-se do árabe masjana, que significa "prisão" ou "cárcere".

História[editar | editar código-fonte]

Mapa do Ceará de 1629

Antes das chegada dos portugueses com as missões militares e religiosas, neste local habitavam os índios potiguaras, segundo o relato do navegador Jan Baptist Siyns, que, em 1600, foi recebido por estes índios.[7] Em 1607, os padres jesuítas Francisco Pinto e Luís Figueira, durante a jornada do Ceará rumo ao Maranhão, mantiveram contatos com os potiguaras que viviam entre o rio Cocó e o Mucuripe.

Apenas com a incursão de Martim Soares Moreno, a colonização portuguesa do Ceará começa a florescer efetivamente. Um dos fatores para esse processo foi a construção do Forte de São Sebastião na região conhecida hoje como Barra do Ceará, com o auxílio de Jacaúna e de sua tribo, vindos da região do Jaguaribe, o que gerou uma aglomeração junto à fortaleza. Tempos depois, essa aglomeração foi destacada para as terras do Mondubim, onde foi formado o Arraial do Bom Jesus da Parangaba por solicitação dos jesuítas. Apenas nos idos dos anos de 1690 é que é formada a aldeia de Paupina, povoada por parte da população que fazia parte da aldeia de Parangaba, criada por volta de 1662.

Os jesuítas foram responsáveis pela urbanização de Messejana. Por exemplo: eles construíram a primeira capela neste local, capela esta que, em 1° de outubro de 1871, foi elevada à categoria de paróquia. A base da atual Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição foi feita sobre a base da primeira fase (1760-1873).[8]

Em 1759, com a expulsão dos jesuítas do Brasil na era Pombalina, a vila passou a ser chamada "Vila Nova de Messejana da América"[8] . Nos séculos XVII, Messejana viveu de progresso e teve uma importante função econômica dentro do Ceará, pois serviu de via de seu escoamento de gado na época da carne de sol e charque. Deste período, ainda existem vestígios da Estrada Parangaba-Messejana (hoje "Paranjana") e a "Estrada do Fio".

Mais tarde, no século XIX, esta foi uma das vias de escoamento do algodão vindo das regiões Jaguaribana e Sertão do Central. O algodão era exportado pelo Porto de Fortaleza. Em 1836, foi inaugurado o Cemitério Público de Messejana, hoje o cemitério mais antigo de Fortaleza. Em 1921, Messejana sofreu uma transformação que tem repercussão até os dias de hoje: o então governador do Ceará, Justiniano de Serpa, rebaixou o município de Messejana à categoria de distrito anexado ao município de Fortaleza.

Messejana nos dias de hoje[editar | editar código-fonte]

Estátua de Iracema na Lagoa de Messejana

O bairro é conhecido também pela Lagoa da Messejana, onde há uma estátua representando a personagem Iracema, da obra de José de Alencar. Nas comemorações dos 278 anos de Fortaleza, e em comemoração dos 175 anos de José de Alencar, foi feito um concurso para eleger a musa do Ceará. Além do título, a vencedora teria o seu rosto esculpido na estátua de fibra de vidro criada dentro da lagoa.

A vencedora foi a então apresentadora da TV União e depois participante do programa de televisão Big Brother Brasil Natália Nara.[9] Outros lugares e instituições referenciais do bairro são: o Hospital de Messejana (construído em 1930 pelo arquiteto Emílio Hinko), que recebe pacientes de todo o Ceará;[10] o Hospital de Saúde Mental de Messejana; a Vila Olímpica de Messejana; o terminal integrado da Messejana; e a casa onde nasceu José de Alencar, transformada hoje em museu.

Messejana também é conhecida pela Feira de Messejana, uma das maiores feiras de Fortaleza, que acontece todos os domingos.[2] No meio da semana, ocorre uma pequena feirinha em torno do Mercado Central.


Referências

  1. Regional 6 (1 de janeiro de 2008). Página visitada em 24 de julho de 2010.
  2. a b CEVT visita o bairro Messejana TV Verdes Mares (25 de abril de 2009). Página visitada em 24 de julho de 2010.
  3. Regional VI, acesso em 10 de novembro de 2012
  4. Bairros de Fortaleza
  5. Lagoa de Messejana Guia da semana. Página visitada em 23 de julho de 2010.
  6. Castello Branco Presidência da República Federativa do Brasil. Página visitada em 23 de julho de 2010.
  7. Teensma, B. V. Roteiro de um Brasil desconhecido – João de Laert – Descrição das costas do Brasil. Petropólis. Kapa Editorial, 2007, pag. 134 - 146
  8. a b ASPECTOS HISTÓRICOS DA EXPANSÃO URBANA NO SUDESTE DO MUNICÍPIO DE FORTALEZA, CEARÁ - BRASIL CAMINHOS DE GEOGRAFIA. Página visitada em 23 de julho de 2010.
  9. Prefeito entrega estátua de Iracema na Lagoa de Messejana TV Verdes Mares (30 de abril de 2004). Página visitada em 23 de julho de 2010.
  10. BREVE HISTÓRIA DO HOSPITAL DE MESSEJANA Sociedade Brasileira da História de Medicina. Página visitada em 24 de julho de 2010.