Mulher, Mulher, Mulher (Ideia Fixa)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
"Mulher, Mulher, Mulher (Ideia Fixa)"
Single de Neguinho da Beija-Flor
do álbum Tsunami IV (versão funk)/Guerreiro, Brasileiro e Sonhador (versão samba)
Lançamento Brasil Janeiro de 2010
Formato(s) Airplay e download digital gratuito pelo site do cantor
Gravação 2009 (versão funk), nos estúdios da Furacão 2000, Rio de Janeiro, RJ, Brasil
2009 (versão samba)
7 de fevereiro de 2010 (versão samba "limpa")
Gênero(s) Samba, Funk Carioca
Duração 4:03 (Versão Original Samba)
Composição Neguinho da Beija-Flor / M. Rayol
Cronologia de singles de Neguinho da Beija-Flor
Último
Último
"Brilhante ao Sol do Novo Mundo, Brasília..." (com GRES Beija-Flor de Nilópolis)
(2009)
"Nos Braços da Comunidade"
(2010)
Próximo
Próximo

"Mulher, Mulher, Mulher (Ideia Fixa)", conhecida por vezes como "Mulher, Mulher, Mulher" ou simplesmente "Mulher", é um single lançado pelo sambista brasileiro Neguinho da Beija-Flor em 2010. Foi considerado o hit do carnaval do Rio de Janeiro, sendo executada à exaustão em vários blocos e shows de samba. A canção tem versões em funk carioca, original, e outra em samba, preferida por Neguinho para o airplay, embora a versão funk seja a mais tocada.

Ficou famosa por repetir em seus cerca de quatro minutos 190 vezes a palavra "mulher",[1] até mesmo quando o termo deveria ser flexionado em número (plural) de acordo com a concordância nominal da língua portuguesa.

História[editar | editar código-fonte]

A canção foi composta por Neguinho e Murilo Rayol em 1974 como uma brincadeira, mas só foi retirada da gaveta em 2009.[carece de fontes?] Naquela época, os dois amigos estavam indo a um baile do Cordão do Bola Preta, um tradicional bloco carnavalesco do Rio de Janeiro, e perceberam que havia muito mais mulheres que homens na quadra, segundo suas estimativas, na proporção 10/1.[1] Desta maneira surgiu a canção, usada para brincar com aqueles que não gostavam dela, como se não quisessem ouvir a palavra "mulher" por serem supostamente homossexuais.[2]

A canção não era do gosto da esposa de Neguinho, que a apelidou de "Melô do Tarado".[1] Na época de seu lançamento oficial, foi apelidada, pejorativamente, de "Melô das Lésbicas", conforme conta o colunista Ancelmo Góis.[3]

"Mulher, Mulher, Mulher (Ideia Fixa)" é a segunda canção lançada por Neguinho desde sua recuperação do câncer, só depois do samba-enredo da escola de samba da qual é puxador, a GRES Beija-Flor de Nilópolis.

Versões Oficiais[editar | editar código-fonte]

Em 2009, Neguinho recebeu um convite de Rômulo Costa, líder da equipe de som Furacão 2000 para gravar uma canção que entraria no DVD Tsunami IV, a ser lançado naquele ano. Neguinho aceitou o convite e gravou "Mulher, Mulher, Mulher (Ideia Fixa)", engavetada há 35 anos.[4] Devido à repercussão da canção, Neguinho decidiu regravá-la em versão samba, disponibilizando-a gratuitamente em seu site para download digital. Atendendo a protestos feministas, porém, Neguinho regravou a canção mais uma vez, numa versão "limpa", que será a lançada em seu álbum planejado para ser lançado em março de 2010.[5]

  • Versão funk carioca – 4:03
  • Versão samba original – 4:03
  • Versão samba "limpa" (versão do álbum) – 4:08

Videoclipe[editar | editar código-fonte]

A canção tem dois videoclipes. Num deles, ele canta com a esposa, filha e a imagem da mãe falecida.[1] No outro, vê-se uma versão ao vivo cantada somente por Neguinho no palco da equipe Furacão 2000. Esta versão é a contida no DVD Tsunami IV e é a mais divulgada.

Crítica e Polêmica[editar | editar código-fonte]

Logo após seu lançamento, a canção sofreu com críticas e polêmicas. Críticos ignoraram-na, por ter letra pobre. Feministas protestaram contra a letra, dizendo ser machista e só depreciar as mulheres. Neguinho explica como aconteceu:[5]

Cquote1.svg

Fui procurado por um grupo de mulheres que estava no desfile. Elas me abordaram de forma gentil e disseram que a letra do samba estava indo de encontro com os ideais de luta das entidades que elas representam. Embora a minha intenção e a do meu parceiro não tenha sido a de depreciar as mulheres, já que no clipe da canção participam até minha mulher, minha filha e a Selminha Sorriso (porta-bandeira da Beija-Flor), decidi trocar a letra, a partir do momento que eu soube que tem gente encarando o samba como ofensivo, e a ideia não é essa. Se desagradei alguém, peço desculpas

Cquote2.svg
Neguinho da Beija-Flor
Cquote1.svg

Estão achando que estou vulgarizando as mulheres, mas não é isso. Estou valorizando. Tem que ser mil mulheres pra valer por uma. Tanto que fiz o clipe com a minha filha, esposa e uma imagem da minha falecida mãe

Cquote2.svg
Neguinho da Beija-Flor[1]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e Neguinho diz que 'a' mulher é tudo O Dia (8 de fevereiro de 2010). Página visitada em 11 de fevereiro de 2010.
  2. Louise Pierosan (13 de março de 2010). Show de carisma no Carnaval de Caxias Pioneiro. Página visitada em 11 de fevereiro de 2011.
  3. Tommy Beresford (16 de fevereiro de 2010). [GloboNews: Chico Pinheiro e o samba GloboNews: Chico Pinheiro e o samba] Televisão e Magia. Página visitada em 11 de fevereiro de 2011.
  4. Fernando Molica (5 de janeiro de 2010). As mulheres e as 'mil mulher' de Neguinho da Beija-Flor O Dia. Página visitada em 11 de fevereiro de 2010.
  5. a b Neguinho da Beija-Flor Neguinho da Beija-Flor (site oficial). Página visitada em 11 de fevereiro de 2011.