Mundo Livre

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O Mundo Livre é um termo da Era da Guerra Fria muitas vezes usado para descrever os Estados que não estavam sob o dominío da União Soviética, seus aliados do Leste Europeu, China, Vietnã, Cuba e outras nações comunistas. O termo geralmente se refere aos Estados Unidos, Canadá, Europa Ocidental, como Reino Unido, França e Alemanha Ocidental (todos membros da OTAN). Além disso, foram incluidos Estados anti-comunistas da Commonwealth britânica, Japão, Israel, Índia e Estados antidemocráticos e anti-comunistas como a Espanha sob o governo de Francisco Franco, África do Sul sob o Apartheid, a Grécia sob uma junta militar entre 1967-1974, o Chile sob o governo de Pinochet, o Brasil sob regime militar e Taiwan sob o regime de Chiang Kai-Shek. Mas em muitas vezes se refere aos países do Primeiro Mundo.

"Líder do Mundo Livre"[editar | editar código-fonte]

O Líder do Mundo Livre é um coloquialismo, originalmente usado durante a Guerra Fria, para descrever tanto os Estados Unidos quanto seu presidente. O termo implica que os Estados Unidos são a principal superpotência democrática da época, e seu presidente por extensão é o líder de todos os Estados democráticos do mundo, ou seja, do "mundo livre". Essa ideia começou entre 1947 e 1950. Foi muito usado na política externa dos Estados Unidos até a dissolução da União Soviética em 1991.[1]

Durante a Segunda Guerra Mundial, os Estados Unidos realmente se viam como líder de fato dos Aliados. Depois da guerra, os Estados Unidos, conceberam o termo implicitamente apenas aos grandes países capitalistas, particularmente nações livres anti-comunistas. As pessoas em algumas nações não alinhadas com os Estados Unidos viram esta afirmação de liderança como grandiosa e ilegítima.[2]

Embora tenha origem na Guerra Fria, a frase ainda é por vezes utilizada para descrever o presidente dos EUA hoje.[3] A frase também é usada por aqueles que não aprovam a política externa dos Estados Unidos, especificamente como uma crítica ao imperialismo americano.

Outros usos ocidentais[editar | editar código-fonte]

"Mundo Livre" é muitas vezes o nome dado aos grupos envolvidos com o crime, através dos Estados Unidos e do Reino Unido. Foi iniciado pelos seguidores do artista rapper Eminem, e seu filme 8 Mile, que mostrava um grupo apelidado de "Free World" (Mundo Livre), como os antagonistas principais.

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. John Fousek. To lead the free world. [S.l.]: UNC Press Books, 2000. p. 130.
  2. Wills, Garry. (Março-Abril de 1999). "Bully of the free world". Foreign Affairs 78 (2): 50–59.
  3. "It's time", The Economist, 2008-10-30. Página visitada em 17-12-2011. “America should take a chance and make Barack Obama the next leader of the free world”

Ver também[editar | editar código-fonte]