Osso etmoide

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Osso etmoidal
Localização dentro do crânio
Gray151.png

Estrutura do etmóide (em inglês)
Latim os ethmoidale
Recursos externos
MeSH A02.835.232.781.292

Etmóide (do grego Ɛθmɔɪd significando "peneira"[1] ) é um osso único e mediano que, juntamente com o frontal, os parietais, os temporais, o occipital e o esfenóide, contribui para formar a cavidade craniana e a cavidade nasal. Fica no centro do crânio articulado com quinze ossos.[2]

Anatomia[editar | editar código-fonte]

O etmóide é um osso curto, leve e esponjoso. Sua altura, comprimento e largura se equivalem harmoniosamente, não havendo predomínio significativo de nenhuma destas dimensões. Este osso localiza-se na base do crânio, mais concretamente, na zona anterior medial.

Para o estudo anatômico o osso etmóide deve estar posicionado apresentando uma crista, que se assemelha a crista de um galo (crista etmoidal), voltada para cima e para diante.

Estrutura[editar | editar código-fonte]

O etmóide é constituído por uma lâmina horizontal, uma lâmina vertical e duas massas laterais.

A lâmina horizontal é também chamada lâmina crivosa devido aos crivos (orifícios) que possui. Em sua face superior, separada pela crista etmoidal, a lâmina horizontal apresenta dois canais olfativos, onde estão alojados os bulbos olfativos. Por sua vez, esses canais apresentam-se perfurados por diversos outros orifícios (daí o nome "lâmina crivosa"), chamados forames da lâmina cribriforme (ou crivosa). Dentro destes orifícios passam os filetes nervosos olfativos. A face inferior dessa lâmina horizontal contribui para formar a parede superior da fossa nasal.

Articulações[editar | editar código-fonte]

O etmóide articula-se com 15 ossos:

Detalhes

A lâmina vertical atravessa perpendicularmente a lâmina horizontal e, por isso é dividida para estudo em duas porções, sendo a que fica acima da lâmina horizontal a própria crista etmoidal e a que fica por baixo a lâmina perpendicular do etmóide. A crista etmoidal ou apófise da "crista gali" encontra-se na zona superior e está em contacto com o osso frontal, estando portanto na zona da cavidade craniana. A lâmina perpendicular encontra-se na zona inferior, apresentando duas faces laterais que contribuem para a formação da parede medial da cavidade nasal. Deste modo, a lâmina perpendicular vai separar a cavidade nasal em duas fossas nasais, e ao articular-se com os ossos nasais, a espinha nasal e a cartilagem origina o septo nasal, estrutura separadora das duas narinas.

As massas laterais apresentam uma forma cuboidal (seis faces), sendo a face superior articulada com o bordo da incisura etmoidal do frontal e apresentando semi-células, que juntamente com as semi-células do bordo da incisura etmoidal do frontal, formam as células etmoidais anteriores, sendo a maior e mais anterior denominada de infundíbulo, que, por sua vez, será o elo de ligação entre a fossa nasal e o seio frontal. A face inferior se articula com a parte média do bordo superior da maxila e apresenta um meato nasal médio. A face anterior se articula com a face posterior do osso lacrimal. A face posterior se articula com a face anterior do corpo do esfenóide. a face lateral ou lâmina orbital contribui para a formação da parede medial da cavidade orbital. A face medial, assim como a face superior, apresenta muitos acidentes anatômicos, sendo os mais importantes as conchas nasais média e superior, que por sua vez dão origem, em suas faces laterais, aos meatos nasal superior, que desemboca no seio esfenoidal, e médio que desemboca tanto no seio frontal, através do infundíbulo, como no seio maxilar.

Galeria[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. http://www.merriam-webster.com/dictionary/ethmoid
  2. Banks, Peter; Brown, Andrew E. (2000). Fractures of the facial skeleton. Oxford: Wright. ISBN 0723610347.