Pastor-belga

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Pastor-belga
Nome original Chien de berger belge
País de origem  Bélgica
Características
Classificação e padrões
Federação Cinológica Internacional
Grupo 1
Seção 1 - Cães de pastor e boadieiros (exceto boadieiros suíços) - de pastor
Estalão #15 13 de março de 2001

A pastor-belga[a][b] (em francês: chien de berger belge) é uma raça de cães que possui variedades de aparência bastante distintas entre si no que toca a pelagem e as cores. Apesar disso, a dificuldade de classificá-los reside no fato dos kennel clubs locais não entrarem em acordo sobre suas diferenças. Internacionalmente, o pastor belga é uma única raça dotada de quatro variações, bem como em vários outros países; Nacionalmente, em 1891 o professor Adolphe Reul, da Escola Veterinária de Cureghem, estudou todos os pastores e estabeleceu quatro diferentes raças; nos Estados Unidos, os laekenois não são reconhecidos, os groenendaels são os belgas e os outros dois são tidos como a mesma raça.[1] [2]

O malinois, de pelagem clara, mais alongada e com franjas, é nativo da região de Malines e tido como um dos mais raros entre seus parentes. De todos, é o mais próximo do pastor alemão e do holandês de pelo liso. Conhecido pelo vigor, foi o primeiro dos belgas a ser descrito. O groenendael, de pelagem negra, alongada, macia e abundante até as pernas, começou a ser criado por volta da década de 1890 quando Nicholas Rose, dono do Café du Groenedael, cruzou um filhote negro e obteve outro, considerados então base desta variedade. O mais raro, o laekenois, tem a aparência felpuda e rústica, de pelagem densa, sem a franja, e ondulada. Predileto da rainha Maria Henriqueta da Bélgica, possui o nome vindo do Castelo de Laeken. Fácil de adestrar, assim como os demais, é visto como excelente companheiro. O tervueren, majoritariamente classificado como raça separada, tornou-se popular quando usado como farejador de entorpecentes.[1]

Independente das diferenças, os belgas são considerados campeões na realização de várias atividades - provas de obediência, campeonatos de agility, pastoreio de ovelhas, flyball, exposições de beleza, cão de companhia e guarda - o que os tornaram populares em todo o mundo, apesar de abaixo das expectativas. Segundo estudos, nos belgas é vista a variedade de pelagens que remonta à época em que cães eram utilizados em funções.[1] Bem como o temperamento e as qualidades físicas, os belgas partilham os problemas da raça: podem desenvolver displasia, epilepsia, atrofia progressiva da retina e pannus.[3] Na cultura humana, um dos cães mais famosos é Tomy, o primeiro dos tervuerens.[4]

Visão geral das variedades[editar | editar código-fonte]

Abaixo estão listados as três outras variedades desta raça:

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c Fogle (2009), págs 192 e 193
  2. Pastor Belga: Groenandael - Tervueren - Malinois - Laekenois Saúde Animal. Página visitada em 30 de setembro de 2010.
  3. Pastor belga Dogtimes. Página visitada em 30 de setembro de 2010.
  4. Cão de pastor belga: quatro cães, uma raça (PDF) Casa Mont'Alves. Página visitada em 30 de setembro de 2010.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Pastor-belga


Ícone de esboço Este artigo sobre cães, integrado ao Projeto Cães é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.