Quasipartícula

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Em física, quasipartículas[1] ou quase-partículas (e as excitações coletivas) são fenômenos emergentes que ocorrem quando um sistema microscópico complicado, tal como um sólido, se comporta como se contivesse partículas fictícias fracamente interagente. Por exemplo, o elétron viajando através de um semicondutor tem seu movimento perturbado de um modo complexo pelas interações com todos os outros elétrons e núcleos; no entanto, ele aproximadamente se comporta como se fosse um elétrons de massa diferente, viajando através do espaço vazio. Esse "elétron" com massa diferente é chamado um "elétron quasipartícula".[2] Em um exemplo ainda mais surpreendente, o movimento total de elétrons na banda de valência de um semicondutor é tal como se o semicondutor possuísse quasipartículas carregadas positivamente: os chamados buracos ou lacunas. Outras quasipartículas ou excitações coletivas incluem os fônons, (partículas derivadas da vibrações dos átomos em sólidos), os plasmons (partículas derivadas da oscilações em plasma), entre outras.

Essas partículas fictícias são tipicamente chamada de "quasipartículas" se elas se comportam como férmions (tal como o elétron, e os buracos) e chamadas de "excitações coletivas" se elas se comportam como bósons (como os fônons e plasmons),[2] embora não exista uma distinção precisa utilizada universalmente.[3]

Quasiparticulas são particularmente importante em física da matéria condensada, visto que é um dos poucos modos de simplificar o problema quântico de muitos corpos nesses sistemas.

Referências

  1. QUASIPARTÍCULA. Dicionário Houaiss de Física. Rio de Janeiro: Editora Objetiva, 2005, p. 189
  2. a b E. Kaxiras, Atomic and Electronic Structure of Solids, ISBN 0521523397, pages 65-69.
  3. A guide to Feynman diagrams in the many-body problem, by Richard D. Mattuck, p10. "As we have seen, the quasi particle consists of the original real, individual particle, plus a cloud of disturbed neighbors. It behaves very much like an individual particle, except that it has an effective mass and a lifetime. But there also exist other kinds of fictitious particles in many-body systems, i.e. 'collective excitations'. These do not center around individual particles, but instead involve collective, wavelike motion of all the particles in the system simultaneously."

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • L. D. Landau, Soviet Phys. JETP. 3:920 (1957)
  • L. D. Landau, Soviet Phys. JETP. 5:101 (1957)
  • A. A. Abrikosov, L. P. Gorkov, and I. E. Dzyaloshinski, Methods of Quantum Field Theory in Statistical Physics (1963, 1975). Prentice-Hall, New Jersey; Dover Publications, New York.
  • D. Pines, and P. Nozières, The Theory of Quantum Liquids (1966). W.A. Benjamin, New York. Volume I: Normal Fermi Liquids (1999). Westview Press, Boulder.
  • J. W. Negele, and H. Orland, Quantum Many-Particle Systems (1998). Westview Press, Boulder

Ligações externas[editar | editar código-fonte]