Queensrÿche

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde maio de 2014).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Queensrÿche
Queensrÿche, päälava, Sauna Open Air 2011, Tampere, 11.6.2011 (19).JPG
A banda em Tampere, Finlândia (2011)
Informação geral
Origem Seattle, Washington
País  Estados Unidos
Gênero(s) Metal progressivo
Heavy metal
Período em atividade 1981 – atualmente
Gravadora(s) EMI
Página oficial www.queensrycheofficial.com
Integrantes Eddie Jackson
Michael Wiltom
Mike Stone
Scott Rockenfield
Ex-integrantes Chris DeGarmo, Kelly Grey, Geoff Tate

O Queensrÿche é uma banda norte-americana de metal progressivo formada em 1981 em Seattle, Washington. Já lançaram onze álbuns na carreira, e continuam gravando e fazendo concertos.

História[editar | editar código-fonte]

Formação e primeiros trabalhos (1981-1983)[editar | editar código-fonte]

Chris DeGarmo e Michael Wilton se conheceram na escola e juntaram-se a Scott Rockenfield e Eddie Jackson formando uma banda chamada The Mob. Conheceram Geoff Tate (que era do Babylon) durante o festival Metalfest '81. Chris e os outros integrantes não tinham um vocalista e chamaram Geoff para cantar nesse festival. Apesar do resultado positivo, Geoff não permaneceu na banda após o evento.

No ano seguinte, a banda passou a se chamar Queensrÿche, nome tirado da canção "Queen of the Reiche" da própria banda. O empresário da banda levou uma demo à revista Kerrang! que rendeu a gravação do EP Queensrÿche (206 Records) que traz, entre outras, a canção "Queen of the Reich" e a voz de Geoff. Vendo isso, Geoff deixou o Myth (banda da qual fazia parte nessa época) e juntou-se ao Queensrÿche.

Em 1983, depois de uma rádio local de Washington tocar algumas canções do Queensrÿche, a banda assina um contrato com a EMI, que regrava seu primeiro EP (o EP original da 206 Records é atualmente um item de colecionador). Ainda no final desse ano, Chris DeGarmo e seus colegas fazem um concerto ao lado de bandas renomadas como Quiet Riot, Dio, e Twisted Sister.

Primeiros álbuns e chegada ao sucesso (1984-1997)[editar | editar código-fonte]

Em 1984 sai o primeiro álbum da banda, The Warning, gravado em Londres. Seguem-se turnês pelo Japão, Europa e Estados Unidos. Rage For Order sai no ano seguinte. Em 1986 a banda sai em turnê novamente, desta vez com AC/DC e Ozzy Osbourne. Em Outubro desse ano, despedem o empresário mas não cancelam os concertos, seguindo para a Europa com o Bon Jovi.

Em 1988, a banda lança o Operation: Mindcrime, produzido por Peter Collins, um álbum conceptual que conta a história de Nikki, um jovem com o vício e dependência das drogas que quer fazer alguma coisa para mudar a sociedade, mas que acaba por se ver envolvido num plano criminoso, elaborado pelo maléfico Dr. X, que se aproveita da sua toxicodependência para o controlar.

Em 1990, com o álbum Empire (também produzido por Collins), o Queensrÿche atinge a grande mídia. É desse álbum a faixa "Silent Lucidity" que rendeu um vídeo musical na MTV. O álbum lançou também outros singles e vídeos musicais. Com este disco a banda ganhou um dos prémios do MTV Video Music Awards, o de escolha da audiência. Nesta turnê, a banda visita o Brasil pela primeira vez, se apresentando no Rock in Rio II.

A turnê Building Empires durou dois anos e rendeu um álbum ao vivo e um vídeo reunidos em uma caixa, Operation: Livecrime. Em 1993 o Queensrÿche gravou a faixa "Real World" para a trilha sonora do filme Last Action Hero (O Último Grande Herói). Depois disso a banda tirou férias que duraram seis meses. Em 1994, sai Promised Land, que vira um jogo em CD-ROM dois anos mais tarde. Hear in the Now Frontier chega em 1997.

Saída de Chris DeGarmo (1998-2003)[editar | editar código-fonte]

Em 1998, Chris DeGarmo resolveu deixar a banda. No ano seguinte, o Queensrÿche lança Q2K, com o guitarrista Kelly Grey. Em 2001, o grupo decide lançar material ao vivo de qualidade e grava dois concertos em Seattle, cidade natal da banda. Foi lançado então o álbum duplo Live Evolution, trazendo todos os sucessos da banda desde a década de 1980.

No início de 2003 a banda anuncia a volta de DeGarmo, mas não definitivamente, e sim, apenas para gravar o novo disco e sair em turnê, como se fosse um músico contratado. A data de lançamento de Tribe foi adiada para 1 de Julho. Em Abril, Chris DeGarmo anuncia que não iria mais sair em turnê com a banda e que eles teriam que achar uma outra pessoa para a vaga dele durante os concertos, pois a sua agenda estava muito cheia e ele tinha seu projeto, Spy4Darwin, o qual não queria abandonar.

Scott Rockenfield foi à imprensa e disse que com ele ou não o Queensrÿche sairia em turnê, e agradeceu a ajuda do amigo durante esse período da banda no estúdio. Mais uma vez a data de lançamento do novo álbum foi adiada, desta vez para 22 de Julho. É lançado, então, Tribe, com a banda em turnê junto com o Dream Theater e o Fates Warning.

Com o guitarrista Mike Stone (que compôs e gravou a faixa "Losing Myself" do álbum Tribe) no lugar de DeGarmo, a banda lança o álbum e o vídeo The Art of Live, documentando a turnê que fizeram junto ao Dream Theater e Fates Warning para divulgar Tribe.

No formato de vídeo de Art Of Live, a banda recebe no palco o Dream Theater para tocar dois covers, "Comfortably Numb" do Pink Floyd e "Won't Get Fooled Again" do The Who. O novo lançamento ao vivo também chama a atenção pelo fato da lista de faixas ser totalmente diferente da apresentada no lançamento Live Evolution, tendo em comum apenas a faixa "Roads To Madness" do álbum Warning (1984).

Operation: Mindcrime II e outros trabalhos (2006-2009)[editar | editar código-fonte]

Em 2006, anunciam a sequência do álbum conceptual Operation:Mindcrime, Operation: Mindcrime II, sendo este o primeiro álbum inteiro com material inédito tendo Mike Stone como guitarrista efectivo da banda. Com todas as músicas creditadas ao vocalista Geoff Tate, o álbum conta com a participação especial de Ronnie James Dio na faixa "The Chase", com Dio personificando Dr X. Na sequência, lançam o DVD duplo Mindcrime at the Moore. Contendo os álbuns Operation:Mindcrime I e II na integra. No final de 2007 lançam o CD de covers chamado Take Cover(2007), com versões de músicas como "Innuendo" (Queen), "Red Rain" (Peter Gabriel) e outros.

2009 é seguido de outro álbum conceitual - American Soldier - que conta com diversas histórias de soldados americanos por inúmeras guerras. Na época, o Queensrÿche seguia como um quarteto, sem Mike Stone nas guitarras.

Brigas internas e saída de Geoff Tate (2011-atualmente)[editar | editar código-fonte]

Em 2011 é lançado o álbum semi-conceitual Dedicated to Chaos. No mesmo ano, a banda segue a turné em comemoração de seus 30 anos. No setlist, somente clássicos das décadas de 80 e 90 com a formação clássica do grupo. Em abril de 2012, a turnê passou pelo Brasil, com apresentação única em São Paulo. Como banda de abertura, o Queensrÿche trouxe o Fates Warning, com Mike Portnoy na bateria.

No dia 20 de junho de 2012, foi anunciado que Geoff Tate não mais fazia parte da banda e que seria substituído por Todd La Torre, que já substituia o falecido vocalista da banda Crimson Glory, conhecido como Midnight.

No segundo semestre de 2013, sai o álbum homônimo Queensrÿche com La Torre nos vocais. Neste mesmo semestre, por ainda legalmente poder usar o nome Queensrÿche, Geoff Tate lança o álbum Frequency Unknown com outra banda diferente da que ele havia deixado, mas com o mesmo nome.

Membros[editar | editar código-fonte]

Atuais[editar | editar código-fonte]

Antigos[editar | editar código-fonte]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]