Radeon

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde setembro de 2010).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Processadores gráficos 3D AMD
2D: Mach

Direct3D 1–6: AMD RageRage 128

Direct3D 7.x: Radeon R100

Direct3D 8.x: Radeon R200

Direct3D 9.x: Radeon R300R420R520

Direct3D 10: Radeon R600R700

Outras tecnologias AMD
Placas-mães: IGP3xx9000/9100 IGPXpress

Para GPUs: AMRCrossFireHyperMemory

Workstations: FireGLFireMVFireStream

Software: CatalystAVIVO

Dispositivos portáteis: ImageonXilleon

Consoles de jogos: GameCubeXbox 360WiiPlayStation 4Xbox One

Radeon é a marca de aceleradores gráficos 3D criada pela ATI Technologies em 2000 e sucessora da sua família Rage. Podem ser separados em quatro diferentes grupos, que podem ser diferenciados pela versão Direct3D que implementam. Distinções mais específicas podem ser feitas quanto aos recursos, quantidade de memória, e freqüência de processamento e memória.

Gerações[editar | editar código-fonte]

Direct3D 7.0[editar | editar código-fonte]

  • R100: foi o primeiro processador gráfico da ATI com suporte total a Direct3D 7, lançada em 2000. A série R100 trouxe ganhos em eficiência por meio de sua tecnologia de otimização de processamento HyperZ (que evita renderizar objetos não visíveis na tela).

Direct3D 8.0[editar | editar código-fonte]

  • R200: a segunda geração Radeon, a primeira com suporte a tecnologia de shaders, na versão 1.4 para pixel shader.

Direct3D 9.0[editar | editar código-fonte]

  • R300: série da ATI que interrompeu a hegemonia da NVIDIA, foi lançada em 2002 e fez da ATI a líder em tecnologia por alguns anos, devido a erros de desenvolvimento da família GeForce FX.
  • R420: série que acrescentou os recursos da API Direct3D 9.0b.
  • R520: a última geração Direct3D 9 (9.0c) da ATI, com suporte a shader model 3. Foi lançada em outubro de 2005, em meio a atrasos por falhas no processo de fabricação, trouxe melhorias na qualidade de renderização.

Direct3D 10[editar | editar código-fonte]

  • R600: primeira geração de processadores com suporte ao DirectX3D 10, e a segunda família com suporte a shaders unificados.
  • Radeon R700: a segunda geração de processadores gráficos com suporte ao DirectX3D 10.1, apresenta várias melhorias em relação a suas antecessoras, como menor consumo de energia, aumento na quantidade de StreamProcessors, memórias GDDR5, entre outros.

Direct3D 11[editar | editar código-fonte]

  • Radeon R800: a terceira geração de processadores com suporte ao DirectX3D 11, adiciona varias melhorias como a tecnologia tesselattion torna objetos mais realistas, menor consumo de energia, suporte a alta definição HDMI 1080P, suporte a Blu-Ray, maior processamento 256 bits, sistema de refrigeração melhorado nas placas HD 6870 e HD 6900 entre outros...

Drivers[editar | editar código-fonte]

Windows[editar | editar código-fonte]

Catalyst é o nome do pacote de drivers da ATI para Microsoft Windows. Foi criado após o lançamento do processador Radeon 8500 como uma estratégia de marketing para se equiparar ao pacote Detonator da rival NVIDIA. Prometeu atualizações regulares (mais tarde tornadas mensais) com melhorias de desempenho, correção de defeitos e novos recursos.

Parte da motivação por trás do lançamento do pacote Catalyst foi a péssima imagem da ATI frente aos consumidores com relação à qualidade de seus drivers para a família Rage, com uma série de problemas de renderização e compatibilidade e desempenho baixo (corrigido apenas nas últimas revisões), além dos problemas de compatibilidade da linha Rage MAXX.

Macintosh[editar | editar código-fonte]

Os drivers ATI para Mac OS X são fornecidos tanto pela ATI quanto pela Apple em seus pacotes de correção para o sistema operacional (operativo em Portugal). Um painel de configuração chamado ATI Displays é fornecido, mas não oferece o grau de funcionalidade do painel de controle Catalyst para Windows. Devido à inexistência da API Direct3D para Mac OS X, as placas usam apenas a API OpenGL.

Linux[editar | editar código-fonte]

Historicamente, a ATI não possui uma tradição de drivers para Linux, apenas fornecendo no passado documentação técnica para os desenvolvedores Linux. A partir de 2004 no entanto, a empresa passou a desenvolver internamente seus drivers (para XFree86 e X.Org), baseados nos drivers para a linha profissional FireGL, ao invés da família Radeon.

O ciclo de lançamentos foi acelerado, passando de indeterminado a freqüências bimestrais e, desde 2005, mensais, em sincronia com o pacote Catalyst para Windows.

Em agosto de 2006, seguindo a fusão da AMD com a ATI Technologies, os diretores da nova empresa expressaram o interesse em disponibilizar o código fonte dos drivers binários (ou pelo menos parte deles), medida que facilitaria o desenvolvimento dos drivers para Linux e outros sistemas operacionais.

BSD[editar | editar código-fonte]

Os sistemas BSD possuem o mesmo nível de suporte de código aberto que as distribuições Linux. A ATI, no entanto, não fornece drivers binários para BSD, o que limita a compatibilidade e o desempenho das placas Radeon no sistema. Postura oposta à da NVIDIA que lança periodicamente drivers binários para FreeBSD.

BeOS[editar | editar código-fonte]

Apesar da ATI não disponibilizar drivers para BeOS, fornece hardware e documentação técnica para o Projeto Haiku que oferece driveres com suporte a 2D e VIVO. É a única fabricante que ainda oferece ajuda de alguma forma ao BeOS.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre hardware é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.