Sânzio de Azevedo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Rafael Sânzio de Azevedo (Fortaleza, 11 de fevereiro de 1938) é um professor, poeta, ficcionista, crítico literário e ensaísta brasileiro.

Sânzio de Azevedo

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho do poeta e pintor Otacílio de Azevedo, trabalhou inicialmente como desenhista de rótulos de aguardente.

Foi revisor do jornal O Estado de S. Paulo. Cursou Letras na Universidade Federal do Ceará (UFC), tornando-se professor do curso de Letras da mesma instituição. Seu doutorado foi efetuado na UFRJ tendo como orientador Afrânio Coutinho. A tese versava sobre a Padaria Espiritual e o Simbolismo no Ceará.

Desde 1973 é membro da cadeira número 1 da Academia Cearense de Letras cujo patrono é Adolfo Caminha.

Desempenha um papel preponderante como pesquisador, especialmente no que diz respeito às letras do Ceará, sendo referência no assunto.

Fez mais de vinte livros, a maioria composta de ensaios. Alguns trabalhos foram publicados na Colóquio/Letras de Lisboa e na Revista Brasileira da ABL.

É autor da antologia Parnasianismo, 2006, da editora Global. Também editou Alberto de Oliveira na série Melhores poemas.

Obras[editar | editar código-fonte]

  • A terra antes do homem. S. Paulo: Edart, 1962;
  • Literatura cearense. Fortaleza: ACL, 1975;
  • Aspectos da literatura cearense. Fortaleza: EUFC, 1982;
  • A Padaria Espiritual e o Simbolismo no Ceará. Fortaleza: Sec. de Cultura, 1983 (2ª ed.Fortaleza: UFC, 1996);
  • Dez ensaios de literatura cearense. Fortaleza: UFC, 1985;
  • Novos ensaios de literatura cearense. Fortaleza: UFC, 1992;
  • O Modernismo na poesia cearense. Fortaleza: Sec. de Cultura, 1995;
  • Para uma teoria do verso. Fortaleza: EUFC, 1997;
  • Adolfo Caminha (Vida e obra). Fortaleza: UFC, 1997; (2ª ed. Fortaleza: EUFC, 1999);
  • Cruz e Sousa e a Teoria do Verso, 1999;
  • O Parnasianismo na poesia brasileira, 2004;
  • Cantos da longa ausência. S. Paulo: Bentivegna, poesia, 1966;
  • Canto efêmero. Fortaleza, Sec. de Cultura, poesia, 1986;
  • Cantos da antevéspera, poesia, Fortaleza: UFC, 1999;
  • Lanternas cor de aurora, poesia, Fortaleza: Imprensa Universitária, 2006.