Serraria (Paraíba)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Wikitext.svg
Este artigo ou seção precisa ser wikificado (desde Fevereiro de 2008).
Por favor ajude a formatar este artigo de acordo com as diretrizes estabelecidas no livro de estilo.
Município de Serraria
"Princesa do brejo, Suíça paraibana, cidade dos engenhos, cidade mais verde do nordeste"
Bandeira desconhecida
Brasão de Serraria
Bandeira desconhecida Brasão
Hino
Aniversário 13 de outubro
Fundação 1897
Gentílico serrariense
Prefeito(a) Severino Ferreira da Silva (Brizola) (PSDB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Serraria
Localização de Serraria na Paraíba
Serraria está localizado em: Brasil
Serraria
Localização de Serraria no Brasil
06° 49' 12" S 35° 37' 58" O06° 49' 12" S 35° 37' 58" O
Unidade federativa  Paraíba
Mesorregião Agreste Paraibano IBGE/2008[1]
Microrregião Brejo Paraibano IBGE/2008[1]
Região metropolitana Guarabira/Solânea Região metropolitana de Areia
Municípios limítrofes Arara, Areia, Borborema, Solânea, Pilões e Pilõezinhos.
Distância até a capital 89 km km
Características geográficas
Área 75,397 km² [2]
População 6 185 hab. (PB: 127º) –  estimativa populacional - IBGE/2014[3]
Densidade 82,03 hab./km²
Altitude 612 m
Clima Tropical chuvoso com verão seco As'
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,563 (PB: 159º) – baixo PNUD/2000[4]
PIB R$ 28 762 mil (PB: 114º) – IBGE/2009[5]
PIB per capita R$ 4 230,88 IBGE/2009[5]
Página oficial

Serraria é um município brasileiro localizado na microrregião do brejo paraibano, estado da Paraíba. Sua população em 2012 foi estimada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) em 6.185 habitantes,[3] distribuídos em 75 km² de área.

História[editar | editar código-fonte]

Os primórdios da cidade estão relacionados com a instalação de uma antiguíssima tenda de ofícios de serraria no lugar que deu origem a um povoado e, posteriormente, a existência da vila que teve o nome de Serraria. O lugar é o mesmo onde está erguida a Igreja-Matriz do Sagrado Coração de Jesus. Antes de ser, propriamente, uma igreja, foi uma humilde capela no interior da qual existia um altar em louvor a Nossa Senhora da Boa Morte.

No interior dessa capela, celebrava missas o vigário-doutor José Antônio Maria Ibiapina.

Segundo apontamentos de Coriolano de Medeiros nas Páginas do Dicionário Corográfico da Paraíba, os primeiros colonos que se estabeleceram nos terrenos do atual município de Serraria vieram, desde Mamanguape para a formação da antiga Missão de Santo Antônio da Boa Vista, no começo do Século XVIII. Antes de ocuparem as terras de Serraria, esses colonos fundaram a Vila de Pilões, a qual recebeu o benefício da implantação de fazendas de gado e engenhos para a fabricação de rapaduras. Em 1851 - relata Coriolano de Medeiros, - tornou-se habitual a retirada de matas para a fabricação de tábuas e utensílios domésticos. No topo de uma serra instalou-se uma serraria, nos terrenos que pertenciam a um desbravador de nome Manoel Birindiba. Naquele local, longe da freguesia de Pilões teve início um povoado que ficou conhecido como Serraria. A primeira casa do lugar pertenceu a Faustino do Rosário e foi construída em 1860. Naquele tempo era intensa a exploração das matas para a obtenção de madeiras. Serraria, simples povoado, cresceu e superou a Vila de Pilões da qual transformou-se em sede, através da Lei nº 80 de 13 de Outubro de 1897 num decreto assinado pelo então presidente da Província da Paraíba, Antônio Alfredo da Gama e Melo.

A população da atual cidade de Serraria considera o dia 13 de outubro a sua data histórica de emancipação política, muito embora a verdadeira datação para a existência do município seja o dia 31 de Dezembro de 1943, de acordo com a Lei Estadual nº 420.

O confronto dessas datas gerou polêmica, principalmente pela interpretação de que a independência política de Serraria começou, de fato, no dia 13 de Outubro de 1897 -quando foi criado no "Termo de Serraria, a vara de juiz Municipal letrado, ou seja, bacharel em Direito", segundo entendimento do historiador Sebastião de Azevedo Bastos.

Turismo[editar | editar código-fonte]

Serraria é famosa pela sua paisagem serrana e seu clima agradável. Antigamente, a região teve muitas florestas de palmeiras. Vales verdejantes adornam velhos engenhos onde se formou um tipo de aristocracia rural, de nomes ilustres, como os Fabrício, Duarte e os Santos Lima.

Serraria tem muitos pontos turísticos, como, a igreja matriz, os casarões antigos da praça central, o portal da Glória, os engenhos Baixa Verde, Laranjeiras e Martiniano, a cachoeira do funil, a pedra da furna, a pedra do urubu, a mata do grilo e a cachoeira da Glória, são os principais pontos turísticos da cidade.

O Engenho Baixa Verde tem arquitetura imponente e guarda o seu aspecto original, com capela, casa curada, casa grande e portentoso gradis que guarnecem um pátio que servia, no passado, para a secagem do café.

Uma visita ao Baixa Verde favorece a visão do grande engenho senhorial de antigamente. O local é propriedade privada da família Spínola. Os visitantes serão bem-vindos mas devem comunicar, previamente.

Próximo ao Engenho Baixa Verde está uma floresta conhecida como Mata do Grilo. O local tem preservação ecológica e guarda uma atração especial: -a Pedra da Furna, antiga residência de Índios. Para visita-la o turista deve ter espírito aventureiro pois as trilhas são precárias e faz-se necessária o acompanhamento de guias experientes.

No ambiente do Engenho Baixa Verde foram realizadas as filmagens "de época" para um documentário sobre o histórico passado de Serraria.

No Engenho Pousada Laranjeiras, instalado num ambiente caracteristicamente rural, os visitantes podem desfrutar dos confortos e serviços de um hotel turístico. A pousada oferece excelentes opções de cardápio, banhos de bica e piscina, passeios a cavalo e bons apartamentos.

No engenho Martiniano próximo a uma reserva florestal onde guarda a cachoeira do funil, encontramos algumas casas com a arquitetura antiga, a casa grande é um dos pontos mais importantes do lugar, temos também a capela, onde estão os restos mortais do fundadores da cidade.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Serraria está. situada na Zona Fisiográfica do Brejo Paraibano, tendo como municípios limítrofes: Pilões, Pilõezinhos, Areia, Borborema, Arara, Solânea e Bananeiras. Dista, em linha reta, da capital do estado, 88 quilômetros. A distância rodoviária altera a medição para 123 quilômetros. A área do município é de 177 quilômetros quadrados.

O sítio urbano onde está assentada a cidade ocupa a parte mais alta da cordilheira oriental da Borborema, numa a1titude de 526 metros em relação ao nível do mar.

Saúde[editar | editar código-fonte]

Os serviços da assistência à saúde, em Serraria estão concentrados no Hospital e Maternidade Ovídio Duarte, em ampliação e reformas. 0 hospital dispõe de 16 leitos para internamentos e para o tratamento de patologias simples. Seis médicos, três odontólogos e uma enfermeira-chefe são contratados para atendimentos públicos, em geral. Casos mais graves de enfermidade são transferidos para Guarabira, Campina Grande e João Pessoa.

Até 1997, a cidade de Serraria ainda não havia implantado o programa dos Agentes Comunitários de Saúde. As campanhas de vacinação são feitas periodicamente, por agregação e programas da Secretaria de Saúde do Estado da Paraíba.

As estruturas do serviço público da saúde são completamentados pelo Centro de Saúde Maria Antonieta e por quatro postos localizados na zona rural.

Cultura[editar | editar código-fonte]

A população de Serraria é predominantemente Católica. Dos 6.238 residentes durante o Censo 2010 do IBGE, 5.820 pessoas (ou 93,3%) se declararam de religião Católica Apostólica Romana; os demais declararam ser evangélicos (346 pessoas ou 5,5%) e 72 (1,15%) eram sem religião.[6]

A principal festa religiosa é promovida no dia 31 de dezembro, data consagrada ao Sagrado Coração de Jesus. O aniversário de emancipação política do município é comemorado em 13 de outubro.

São muitos os clubes de futebol da cidade e da zona rural. As equipes mais conhecidas são: Colorado, Avenida, Floresta, Serra-Mirim, Princesa e Gambá. Até pouco tempo existiu o Botafogo.

Nos folguedos populares, Serraria é destaque pela promoção de Cavalhadas, conhecidas ali pelo nome de Corrida das Argolinhas.

Serraria manteve, até pouco tempo, o Grêmio Literário Castro Pinto. Peças de teatro, sem calendário prévio, podem ser montadas no Salão Social da Prefeitura Municipal de Serraria. As festas dançantes são realizadas no ambiente do Clube Recreativo Serrariense, cuja sede foi construída num dos pontos mais elevados de Serraria. Nas noites de festa ninguém sente calor, muito pelo contrário, todos procuram espantar o frio nas danças e quadrilhas bem animadas.

Educação[editar | editar código-fonte]

Serraria dispõe de trinta e uma escolas públicas. Desse total, vinte nove pertencem à rede municipal e duas à rede estadual. No ano de 1997, foram matriculados 1.723 alunos, incluindo-se aqueles das zonas rurais.

Através de convênio firmado entre a Prefeitura Municipal de Serraria e a Secretaria de Educação e Cultura do Governo do Estado da Paraíba, os professores da rede municipal de Serraria recebem treinamento e reciclagem na vizinha cidade de Picuí. O Programa Vídeo-Escola funciona, apenas, nas escolas da rede estadual. O município fornece transporte gratuito para estudantes, tanto da zona rural para a cidade como para Guarabira. Serraria dispõe de trinta e uma escolas públicas. Desse total, vinte nove pertencem à rede municipal e duas à rede estadual. No ano de 1997, foram matriculados 1.723 alunos, incluindo-se aqueles das zonas rurais. Através de convênio firmado entre a Prefeitura Municipal de Serraria e a Secretaria de Educação e Cultura do Governo do Estado da Paraíba, os professores da rede municipal de Serraria recebem treinamento e reciclagem na vizinha cidade de Picuí.

O Programa Vídeo-Escola funciona, apenas, nas escolas da rede estadual. O município fornece transporte gratuito para estudantes, tanto da zona rural para a cidade como para Guarabira.

Economia[editar | editar código-fonte]

Em três ciclos distintos que se sobrepuseram através dos tempos, foi a agricultura a principal atividade econômica de Serraria. O primeiro ciclo foi o das fazendas de café e dos engenhos de cana de açúcar. A produção dos canaviais fez desaparecer a atividade cafeeira abrindo fronteiras agrícolas para o predomínio, quase absoluto, dos engenhos que fabricavam rapaduras, açúcar mascavo, aguardentes e caxixis. O município teve 47 dessas unidades de produção, todas elas contribuindo para que a população rural fosse maior que a dos moradores da zona urbana.

Com o aparecimento das grandes usinas, os engenhos foram paralisando suas moendas. Seus proprietários transformaram-se em meros fornecedores de cana para a grande indústria sucro-alcoleira. Com a falência da Usina Santa Maria, de Areia, que era a principal compradora da cana, aconteceu a grande crise que abalou profundamente a economia agrícola de Serraria. Engenhos tradicionais como o Paulo Afonso, o Baixa Verde e o Laranjeiras apagaram o fogo dos seus bueiros e passaram a usar suas terras para o plantio intensivo de bananeiras e, também, para o criatório de gado.

A cultura da banana transformou-se, portanto, nos últimos anos, na principal atividade econômica de Serraria. O município não tem indústrias mas pretende, pelas suas classes produtoras, transforma-se na sede de empreendimento agro-industrial para a fabricação de doces e farinha de banana, para exportação.

As terras de Serraria são boas para a fruticultura. Pequenas áreas estão plantadas com laranjais.

Outra atividade permanente na agricultura de Serraria é a produção da mandioca, quantidade suficiente para manter diversas Casas-de-farinha em constante operação.

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Visitado em 5 dez. 2010.
  3. a b Estimativa Populacional 2014 Estimativa Populacional 2014 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (09 de setembro de 2014). Visitado em 09 de setembro de 2014.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2005-2009 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Visitado em 05 de dezembro de 2012.
  6. SIDRA - Tabela 1489 - População residente, por cor ou raça, segundo o sexo e a religião - Resultados Gerais da Amostra Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Visitado em 9 de setembro de 2014.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]