Alagoinha (Paraíba)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Alagoinha
Bandeira desconhecida
Brasão desconhecido
Bandeira desconhecida Brasão desconhecido
Hino
Aniversário 3 de dezembro
Fundação 1953
Gentílico alagoinhense
Prefeito(a) Alcione Maracajá de Morais Beltrão (PHS)
(2013–2016)
Localização
Localização de Alagoinha
Localização de Alagoinha na Paraíba
Alagoinha está localizado em: Brasil
Alagoinha
Localização de Alagoinha no Brasil
06° 57' 00" S 35° 32' 42" O06° 57' 00" S 35° 32' 42" O
Unidade federativa  Paraíba
Mesorregião Agreste Paraibano IBGE/2008[1]
Microrregião Guarabira IBGE/2008[1]
Região metropolitana Guarabira
Municípios limítrofes Cuitegi, Alagoa Grande, Mulungu, Guarabira, Pilões e Areia.
Distância até a capital 89 km
Características geográficas
Área 85,060 km² [2]
População 13 740 hab. (PB: 63º) –  estimativa populacional - IBGE/2012[3]
Densidade 161,53 hab./km²
Altitude 317 m
Clima Tropical chuvoso com verão seco As'
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,573 baixo PNUD/2000[4]
PIB R$ 43 837,902 mil (PB: 76º) – IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 3 274,17 IBGE/2008[5]
Página oficial

Alagoinha é um município brasileiro localizado na Região Metropolitana de Guarabira, estado da Paraíba. Sua população em 2012 foi estimada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) em 13.740 habitantes,[3] distribuídos em 85 km² de área.

História[editar | editar código-fonte]

O local onde hoje se situa o município de Alagoinha foi ponto de passagem de contrabandistas franceses, que por volta do século XVI passavam pela região, a procura do ouro na Serra da Copaoba. Na época, a região era habitada por índios Potiguaras.

Os primórdios o povoamento são atribuídos à construção de uma casa, em 1864 às margens de uma lagoa. Destinava-se a hospedagem dos tropeiros que se dirigiam para a grande feira de Mamanguape.

Outra versão, apresentada pelo historiador Coriolano Medeiros, a povoação foi fundada em 1870 por Luiz Honorato, que construíra ali a primeira residência e um estabelecimento comercial. A ele se juntaram outros pioneiros como o Tenente José Joaquim de Moura, o Capitão Firmino Alves Pequeno, o Capitão Francisco da Costa de Paula Pereira e José Luiz Beltrão.

O distrito de Paz de Alagoinha foi criado em 25 de outubro de 1921 através da Lei nº 533. Na divisão administrativa do Brasil, realizada em 1936, Alagoinha se apresentou como um distrito de Guarabira. Manteve-se nestas condições nas divisões dos anos 1937 e 1938, bem como no qüinqüênio 1939-1943.

A povoação foi declarada vila em 30 de março de 1938, pelo Decreto-Lei nº 1010. Em 31 de dezembro de 1943 teve sua denominação mudada de Alagoinha para Tauatuba, que em linguagem indígena significa "abundância de barro vermelho". Cinco anos depois (1948), um Projeto de Lei do deputado Hiati Leal, restaurou-lhe a antiga denominação. Após o movimento que resultou no retorno do nome inicial, começou o processo em prol da emancipação política. Com grande apelo popular e participação do ilustre Sr. Manoel Martins, a emancipação ocorreu em 3 de dezembro de 1953, através da Lei nº 979. A instalação oficial se deu em 30 de dezembro de 1953, com a posse do primeiro prefeito Dr. Geraldo Gomes Beltrão.

Geografia[editar | editar código-fonte]

O município de Alagoinha está localizado na mesorregião do Agreste Paraibano situando-se, de forma mais precisa, na microrregião de Guarabira, distando a 89 km de João Pessoa.

Encontra-se entre os paralelos de 6º53’47” e 6º58’37” de latitude Sul e entre os meridianos de 35º28’06” e 35º32’39” de longitude oeste. Possui uma área de 87 km², limitando-se ao Norte com Cuitegi, ao Sul com Alagoa Grande e Mulungu, ao Leste com Mulungu e Guarabira e ao Oeste com Pilões, Areia e Alagoa Grande. A cidade é interligada aos municípios de Guarabira, Cuitegi e Alagoa Grande pela rodovia "Margarida Maria Alves" (PB 075) e a Mulungu por uma estrada vicinal (terra batida). O acesso a Pilões é feito via Cuitegi e a Areia, via Alagoa Grande.

O município localiza-se na unidade geoambiental do Planalto da Borborema, com relevo movimentado.

O clima é ameno, com temperaturas que chegam a 14 °C no inverno e, em dias quentes, a 33 °C.

O município está inserido nos domínios da bacia hidrográfica do Rio Mamanguape e tem como principais tributários são os riachos Mumbuca e Poções. Conta com a barragem do Tauá. Os principais cursos d’ água no município têm regime de escoamento intermitente.

Filhos ilustres[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  3. a b Estimativa Populacional 2012 Estimativa Populacional 2012. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (01 de julho de 2012). Página visitada em 12 de setembro de 2012.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios da Paraíba é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.