Sousa (Paraíba)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Sousa
"Cidade Sorriso"
Igreja Matriz de Nossa Senhora dos Remédios

Igreja Matriz de Nossa Senhora dos Remédios
Bandeira de Sousa
Brasão de Sousa
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 1766
Gentílico sousense
Lema Labore Invictum
Prefeito(a) André Gadelha (PMDB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Sousa
Localização de Sousa na Paraíba
Sousa está localizado em: Brasil
Sousa
Localização de Sousa no Brasil
06° 45' 39" S 38° 13' 51" O06° 45' 39" S 38° 13' 51" O
Unidade federativa  Paraíba
Mesorregião Sertão Paraibano IBGE/2008 [1]
Microrregião Sousa IBGE/2008 [1]
Região metropolitana Sousa
Municípios limítrofes Norte: Vieirópolis, Lastro e Santa Cruz;
Sul: Nazarezinho e São José da Lagoa Tapada;
Leste: São Francisco e Aparecida;
Oeste: Marizópolis e São João do Rio do Peixe.
Distância até a capital 427 km[2]
Características geográficas
Área 842,487 km² [3]
População 68 030 hab. (PB: 6º) –  IBGE/2010[4]
Densidade Erro de expressão: Número inesperado hab./km²
Altitude 220 m [5]
Clima semiárido
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,668 (PB: 9º) – médio PNUD/2010 [6]
PIB R$ 586 365,00 mil IBGE/2010[7]
PIB per capita R$ 8 910,38 IBGE/2010[7]
Página oficial
Outras informações
Ficha técnica
CEP 58800
Padroeiro Nossa Senhora dos Remédios
Vínculo diocesano Diocese de Cajazeiras
Vereadores 13
Comarca Comarca de Sousa
Eleitores 47.119 eleitores
País  Brasil
Macrorregião Nordeste
Índice Gini 0,49 (2003)
Potencial de consumo -
Trabalhadores 51.441[8]
Unidades locais 1.540
website Prefeitura de Sousa (em português)

Sousa é um município brasileiro localizado no interior do estado da Paraíba. Pertencente à Mesorregião do Sertão Paraibano e à Microrregião de Sousa, localiza-se a oeste da capital do estado, distante desta cerca de 427 km.[5] Ocupa uma área de 842,275 km², sendo o terceiro maior município do estado em extensão territorial. De toda a área, 3,0220 km² estão em perímetro urbano. Sua população recenseada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística em 2010 foi de 65 807 habitantes, sendo o sexto mais populoso do estado, o primeiro de sua microrregião e o segundo de sua mesorregião (ficando somente atrás de Patos). A cidade de Sousa polariza 7 municípios da 10ª Região Geoadministrativa da Paraíba: Lastro, Marizópolis, Nazarezinho, Santa Cruz, São Francisco, São José da Lagoa Tapada e Vieirópolis. É o principal pólo do Noroeste estadual, tal como o principal pólo de laticínios industrializados do oeste do estado e principal sítio zoo-arqueológico.

Seu Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) é de 0,658, considerando como médio pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento.

História[editar | editar código-fonte]

Durante o ciclo das entradas ao sertão, o território que forma o município de Sousa foi domínio da Casa da Torre da Bahia, de Teodósio e Francisco de Oliveira, donos dos vales constituídos pelos rios, Rio do Peixe e Piranhas.

Os Irmãos Oliveira foram os primeiros fazendeiros do município após a devastação da área em 1723. O município fica situado em terras onde eram o Jardim do Rio do Peixe, pertencente a Francisco Dias e posteriormente, a sua mãe, Inácia de Araújo, doadora da sesmaria que ainda hoje constitui o patrimônio de Nossa Senhora dos Remédios.

A fertilidade do terreno trouxe moradores que se interessaram no cultivo das terras. Assim, desenvolveu-se o povoado que, em 1730, já contava 1.468 habitantes, segundo informações do Cabido de Olinda.

Esse fato acabou levando Bento Freire de Sousa, residente na fazenda Jardim, a tomar a iniciativa de organizar um povoado que, entre 1730 e 1732, ergueu a primeira igreja, existente até hoje. Em homenagem ao fundador e primeiro administrador do município, a cidade passa assim a se chamar Sousa. Antes freguesia de nossa senhora dos remédios, posteriormente, jardins do rio do peixe, este último, faz jus a localização desta terra entre rios, a única mesopotâmia do sertão paraibano.

Subdivisões[editar | editar código-fonte]

Bairros da zona urbana[editar | editar código-fonte]

  • Alto Capanema
  • Alto do Cruzeiro
  • André Gadelha
  • Angelim
  • Areias
  • Assis Garrido
  • Augusto Braga
  • Bancários
  • Boa Vista
  • Centro
  • Dr. Zezé
  • Estação
  • Estreito
  • Frei Damião
  • Gato Preto
  • Guanabara
  • Jardim Bela Vista
  • Jardim Brasília
  • Jardim Iracema
  • Jardim Sant'ana
  • Jardim Sorrilândia I
  • Jardim Sorrilândia II
  • Jardim Sorrilândia III
  • Jardins
  • José Lins do Rêgo
  • Maria Rachel
  • Nossa Senhora de Fátima
  • Projeto Mariz
  • Várzea da Cruz
  • São José
  • Quilombo

Geografia[editar | editar código-fonte]

A área atual de Sousa é de 842,487 km², sendo o terceiro município mais extenso do estado da Paraíba, atrás apenas de Monteiro e Pombal. Toda essa área equivale a 1,4927% do território paraibano, 0,0542% da área da Região Nordeste do Brasil e 0,0099% de todo o território brasileiro.[9] Desse total, 3,0020 km² estão em perímetro urbano.[10] Sousa está situada a oeste de João Pessoa, capital do estado, distante desta 427 km.[5]

Seus municípios limítrofes são Vieirópolis, Lastro e Santa Cruz a norte, Nazarezinho e São José da Lagoa Tapada a sul, São Francisco e Aparecida a leste e Marizópolis e São João do Rio do Peixe a oeste.[5]

Relevo e hidrografia[editar | editar código-fonte]

O relevo do município de Sousa está incluído na chamada "Planície Sertaneja". Esta planície é constituída de elevações alongadas e e alinhadas residuais, com pediplanos arrasados. Com uma altitude de 220 metros acima do nível do mar,[5] o tipo de solo predominante é o podzolítico vermelho amarelo equivalente eutrófico, que tem uma fertilidade alta, texturas média e média cascalhenta, acentuadamente drenado, e relevo suave, latossolos, porções restritas e solos de aluvião, resultado da desagregação e da decomposição de rochas cristalinas do embasamento.[10]

Rio do Peixe em época de cheias

O município encontra-se com toda sua área territorial inserida da bacia hidrográfica do Rio Piranhas, na sub-bacia do Rio do Peixe. Seus principais rios são o Rio Piranhas e o Rio dos Peixes. O Rio Piranhas/Açu nasce próximo à divisa da Paraíba com o Ceará, na Serra do Bongá, em Bonito de Santa Fé, com 213 quilômetros de extensão, pecorrendo todo o sertão paraibano, saindo da Paraíba pelo município de Brejo do Cruz e entrando no Rio Grande do Norte pelo município de Jardim de Piranhas, percorrendo as regiões central e oeste do estado, até desaguar em Macau; pelo fato de nele estar localizada a Barragem Mãe d'Água (em Coremas), que irriga muitas terras próximas, o rio é de extrema importância para o estado da Paraíba. O outro rio que passa em Sousa é o Rio dos Peixes, que deságua no Rio Piranhas.[10]

Além dos rios, existe em Sousa é banhada por açudes e reservatórios secundários de água. O açude que abastece a população urbana e é o principal do município é o Açude São Gonçalo, com capacidade para 44,6 milhões de metros cúbicos de água. Outros açudes e fontes secundárias de água são os riachos Araras, da Serra, Cipó, etc.[10]

Vegetação e solos[editar | editar código-fonte]

A vegetação de Sousa é composta pela caatinga hiperxerófila, um tipo de vegetação de caráter mais seco, onde há a abundância de cactáceas e plantas de porte mais baixo e espalhadas.[10]

Quanto aos tipos de solos, os solos que podem ser encontrados no município são do tipo podzólico, litólico e planossolo e brunos não cálicos.[10] O podzólico, também chamado de argissolo, é um solo menos intemperizado, profundo e com texturas diferenciadas entre os horizontes A, com menos argila, e B, com mais argila, características que torna o solo muito permeável à erosão hídrica e com menor permeabilidade, além da média fertilidade e drenagem.[10] [11] O litólico é pouco desenvolvido e muito raso, encontrado principalmente em áreas montanhosas.[10] [11] O planossolo tem como características principais a média fertilidade e a má drenagem, além da quantidade excessiva de sódio.[10] [12] E, por último, vêm os solos brunos não cálcico, que são rasos e de alta fertilidade, além de não serem hidromórficos e com muita argila em sua composição.[10] [13] [14]

Clima[editar | editar código-fonte]

O clima sousense é tropical semiárido, que é característico de chuvas escassas e irregulares, baixa umidade e pouco volume pluviométrico. A estação das chuvas costuma ocorrer entre novembro e abril.[10]

É no município de Sousa, mais exatamente na região agrícola de São Gonçalo o sol mais brilha no Brasil, com uma média de 3.058 horas de radiação direta por ano[15] .

Dados climatológicos para Sousa, PB
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez
Temperatura máxima média (°C) 32 30,3 30,3 29,8 29,2 28,7 28,8 31,5 32,5 33,4 33,6 33,7
Temperatura mínima média (°C) 21,1 20,4 20,4 20,8 20,2 19,2 18,7 18,6 19,9 20,5 21,3 21,6
Precipitação (mm) 95,4 80,1 246,8 175,1 70,1 33,6 16 5,7 22,5 10,8 17,9 40,8
Fonte: Tempo Agora (período: 1961-1990)[16]

Esporte[editar | editar código-fonte]

Times de futebol[editar | editar código-fonte]

Sousa Esporte Clube

  • Fundado em 10 de julho de 1991 (mesmo dia de aniversário da cidade de Sousa), o Sousa Esporte Clube começou a competir profissionalmente na Série B estadual do mesmo ano, sagrando-se campeão do certame.
  • Ficou por 2 anos com participações razoáveis na Série A. Esteve prestes a não disputar o Campeonato Paraibano de Futebol de 94. Conseguiu se arrumar na última hora e foi recompensado com o título do ano, tornando-se a primeira equipe do sertão a conquistar o Paraibano, fora da ligação João Pessoa-Campina Grande. Em 1995, foi vice-campeão paraibano, perdendo para o Santa Cruz-PB da cidade de Santa Rita, na região metropolitana de JP, time esse que viria a se tornar bicampeão em 1996. O Sousa ainda disputou a Copa do Brasil de 1995, sendo eliminado (mas com dignidade) pelo Flamengo-RJ. Perdeu os dois jogos por 1 a 0.
  • Ainda conseguiu competir em pé de igualdade com times como Campinense, Treze e Auto Esporte, sendo vice-campeão do 1º turno do estadual de 2003, após enfrentar o Atlético-PB. Empatou por 0 x 0 em Cajazeiras e no jogo em casa, por mais incrível que possa parecer, perdeu por 2 x 0. O "Trovão Azul", alcunha do Atlético de Cajazeiras, veio a se sagrar campeão estadual alguns meses mais tarde.
  • Depois disso, o Sousa amargou disputas para fugir do rebaixamento. Na primeirona, o time chegou ao "fundo do poço" em 2005, quando venceu apenas 3 partidas de 14 disputadas. No ano seguinte melhorou um pouco: venceu 5 partidas de 16 disputadas.
  • A partir de 2007 o Sousa fez as pazes com as grandes campanhas, chegando à final do 1º turno e à semifinal do 2º, garantindo o 3º lugar.

Em 2008 disputou a Copa do Brasil, sendo eliminado pelo Vitória pelo placar de 4 a 1 em casa.

  • Ficou em terceiro mais uma vez no estadual, chegando às finais dos dois turnos e perdendo para Treze e Campinense. Venceu os dois clássicos contra o Atlético de Cajazeiras: 3 a 1 em Cajazeiras e 1 a 0 em Sousa. Fez um primeiro turno impecável, com 8 vitórias, 4 empates e apenas 1 derrota. No segundo turno, apareceram 2 derrotas, mas nada que impedisse o avanço da equipe. Na somatória geral, foram 26 partidas, com 15 vitórias, 6 empates e 5 derrotas.
  • Em 2009, a equipe finalmente chegou ao bicampeonato, vencendo o Treze na final, garantindo assim uma vaga na Série D do Campeonato Brasileiro do mesmo ano, torneio este que preferiu não participar, cedendo assim sua vaga ao Treze Futebol Clube. Com o título, conquistou ainda a vaga na Copa do Brasil de 2010 onde enfrentou o Vasco da Gama na primeira fase, tendo de mandar seu jogo, mais uma vez, no estádio "O Almeidão", em João Pessoa onde saiu derrotado por 2x1, depois de estar vencendo, com gol do meia "Ribinha", garantindo assim o jogo de volta em São Januário, jogo este que terminou empatado por 0x0.

Economia[editar | editar código-fonte]

Fábrica de iogurte da Isis
Visão de alguns edifícios do bairro Gato Preto.
Crescimento do PIB de Sousa
Ano PIB
2002 174,113 mil
2003 194,133 mil
2004 227,623 mil
2005 232,783 mil
2006 285,489 mi
2007 333,016 mil
2008 467,909 mil
2009 531,249 mil
2010 586,365 mil

A economia da cidade é bastante diversificada, embora tenha o setor de serviços o maior responsável pela arrecadação de impostos no município. A cidade se destaca também na produção de coco,produz a melhor água de coco do Brasil.Mas a produção de coco da cidade contribui apenas em 1% da produção nacional gerando uma receita bruta de R$ 5.700.000,00 reais, o que situa Sousa na 15ª posição entre as regiões produtoras de coco do Brasil. Ainda no ramo agrícola, o projeto do Perímetro Irrigado das Várzeas de Sousa, conta com inovação produtiva no setor biodinâmico, em projetos de grande e pequeno porte. No Ramo industrial Sousa se destaca como uma das cidades mais industrializadas da Paraíba, com pouco mais de 164 indústrias.

Transportes[editar | editar código-fonte]

Frota de Veículos (IBGE - 2010)[editar | editar código-fonte]

Tipo de Veículo Quantidade
Automóvel 4766
Caminhão 606
Caminhão Trator 35
Caminhonete 948
Camioneta 155
Micro-ônibus 30
Motocicleta 9154
Motoneta 2287
Ônibus 50
Utilitário 51
Outros 115
TOTAL 18197

Cultura[editar | editar código-fonte]

Sousa conta com o Centro Cultural Banco do Nordeste, um grande equipamento financiado pelo Banco do Nordeste, que se compara ao dos grandes centros e conta com biblioteca, biblioteca virtual, teatro e cinema.

Vale dos Dinossauros[editar | editar código-fonte]

Localiza-se no Sítio Passagem das Pedras, a 6 Km do Centro da cidade, o mais importante registro de um dos mais importantes sítios paleontológicos existentes,o Vale dos Dinossauros, onde registra-se a maior incidência de pegadas de dinossauros do mundo. Abrangendo uma área de 1.730 km², em mais de 30 localidades no Alto Sertão Paraibano, encontram-se pegadas fossilizadas de mais de 80 espécies distintas de dinossauros,que variam entre 5 e 40 cm de comprimento, a maioria de dinossauros carnívoros.

Entrada do Vale dos Dinossauros

Feriados[editar | editar código-fonte]

Em Sousa há dois feriados municipais, além de oito feriados nacionais e três pontos facultativos. Os feriados municipais são o dia 10 de julho, data de aniversário do município, e o dia 8 de setembro, dia da padroeira.[17] De acordo com a lei federal n.º 9.093, aprovada em 12 de setembro de 1995, os municípios podem ter no máximo quatro feriados municipais, já incluída a Sexta-Feira Santa.[18] [19]

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. http://maps.google.com.br/maps?hl=pt-BR&tab=wl
  3. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  4. Censo Populacional 2010. Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  5. a b c d e Paraíba. Embrapa. Página visitada em 19 de julho de 2011.
  6. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  7. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 5 jan. 2013.
  8. IBGE. Sibra.
  9. Dados Gerais. Confederação Nacional de Municípios. Página visitada em 5 de agosto de 2011.
  10. a b c d e f g h i j k Ministério de Minas e Energia. DIAGNÓSTICO DO MUNICÍPIO DE SOUSA. CPRM. Página visitada em 15 de julho de 2011.
  11. a b Alessandra R. de Moraes, Aline Fernanda Campagna e Silvia Ap. Martins dos Santos. Recursos Naturais - Solos. Página visitada em 6 de agosto de 2011.
  12. PLANOSSOLOS. Página visitada em 6 de agosto de 2011.
  13. Classe de Solo: Brunos Não-Cálcicos. CIENTEC. Página visitada em 6 de agosto de 2011.
  14. João Paulo de Carvalho. Glossário pedológico. Página visitada em 6 de agosto de 2011.
  15. PARAÍBA. Sousa - Complexo. Disponível em [1]. Acesso em Fevereiro de 2014
  16. Instituto Nacional de Meteorologia (INMET). Climatologia para a cidade de Sousa - PB. Tempo Agora. Página visitada em 6 de agosto de 2011.
  17. Paraíba – Feriados Municipais. Calendários e feriados. Página visitada em 21 de maio de 2011.
  18. Sérgio Ferreira Pantaleão. Carnaval - é ou não feriado? folga automática pode gerar alteração contratual (em português). Guia Trabalhista. Página visitada em 21 de maio de 2011.
  19. Presidência da República. Lei n.º 9.093, de 12 de setembro de 1995. Página visitada em 21 de maio de 2011.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Baci-4s.jpg O município possui sítio arqueológico (arte rupestre brasileira) de interesse histórico e turístico!