Bayeux (Paraíba)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Bayeux
Aeroporto Internacional Presidente Castro Pinto

Aeroporto Internacional Presidente Castro Pinto
Bandeira de Bayeux
Brasão de Bayeux
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 15 de dezembro de 1959 (54 anos)
Gentílico bayeense[1] [nota 1] (preferível), bayeusense[2] [3] , baienense[4] ou bayeuxense[5]
Padroeiro(a) São Sebastião
Prefeito(a) Expedito Pereira de Souza (PSB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Bayeux
Localização de Bayeux na Paraíba
Bayeux está localizado em: Brasil
Bayeux
Localização de Bayeux no Brasil
07° 07' 30" S 34° 55' 55" O07° 07' 30" S 34° 55' 55" O
Unidade federativa  Paraíba
Mesorregião Mata Paraibana IBGE/2008[6]
Microrregião João Pessoa IBGE/2008[6]
Região metropolitana João Pessoa
Municípios limítrofes Leste: João Pessoa
Oeste: Santa Rita
Distância até a capital 7 km[7]
Características geográficas
Área 31,973 km² [8]
População 102 789 hab. (PB: 5º) –  estimativa populacional - IBGE/2013[9]
Densidade 3 214,87 hab./km²
Altitude 11 m [10]
Clima Tropical quente e úmido
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,649 (PB: 10°) – médio PNUD/2010[11]
PIB R$ 604 882 mil (BR: 579º) – IBGE/2011[12]
PIB per capita R$ 7 003,12 IBGE/2013[13]
Página oficial
Prefeitura www.bayeux.pb.gov.br

Bayeux (pronuncia-se: baiê) é um município brasileiro do estado da Paraíba, localizado na Região Metropolitana de João Pessoa. Sua população em 2012 foi estimada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) em 100 543 habitantes,[14] distribuídos em 32 km² de área, dos quais 60% cobertos por manguesais e rios, restando cerca de 13 Km² de área habitável, o que a faz sair da 29ª posição nacional (considerando os seus 32 km² de área total) para a 9ª posição (considerando apenas os seus 13 km² de área habitada) no ranking das cidades com maior densidade demográfica do país, atrás apenas de: São João de Meriti, Diadema, Osasco, Taboão da Serra, Carapicuíba, Olinda, São Caetano do Sul e Nilópolis.

No município está localizado o Aeroporto Internacional Presidente Castro Pinto, que atende à demanda da Região Metropolitana de João Pessoa.

Aspectos naturais[editar | editar código-fonte]

Com 32 km², o município de Bayeux tem uma importante área representativa do ecossistema de manguezal, região que se mostra de grande importância para a preservação da fauna e da flora ameaçadas, mas ainda existentes no estuário do Rio Paraíba. Em torno de 60% do território municipal ainda são constituídos de manguezais e resquícios de Mata Atlântica, como a Unidade de Conservação Estadual da Mata do Xem-xem, com 181,22 hec.

Toda essa diversidade representa um relevante potencial para a geração de renda e empregos com a exploração do ecoturismo (ainda inexplorado pelo município),[15] o qual pode ser viabilizado em virtude da proximidade com João Pessoa, bem como pela facilidade de acesso à própria cidade de Bayeux, que conta com rodovias federais e estaduais, o Aeroporto Internacional Presidente Castro Pinto, o maior do estado, e quilômetros de rios navegáveis.

A Ilha do Eixo, ainda parcialmente coberta de manguezais, é parte integrante de seu território e se situa no estuário do Rio Paraíba.[16]

O município de Bayeux insere-se na unidade geoambiental dos Tabuleiros Costeiros. A vegetação que predomina é a Floresta Subperenifólia, com partes de Floresta Subcaducifólia e transição Cerrado/ Floresta.

Bayeux está situado nos domínios da bacia hidrográfica do rio Paraíba, região do Baixo Paraíba e tem como principais tributários os rios Paroeira, Manhaú e Marés, além do riacho do Meio, todos de regime perene. Como recursos hídricos conta ainda com os açudes Santo Amaro e Marés[carece de fontes?].

Subdivisões[editar | editar código-fonte]

Segundo o IBGE, Bayeux é formada por um único distrito, o distrito-sede, e consta 15 bairros em suas subdivisões[17] , são eles:

História[editar | editar código-fonte]

Índios potiguaras e tabajaras viviam ao norte do litoral paraibano, às margens do rio Paraíba e seus afluentes, o rio Sanhauá e o rio Paroeira, onde atualmente o município de Bayeux se situa. O início de sua colonização foi muito influenciada pela proximidade com a cidade de Filipeia de Nossa Senhora das Neves, como era então chamada João Pessoa.

A colonização do município de Bayeux está muito ligada às histórias de João Pessoa e Santa Rita. Em 1585 foi fundada a cidade de Filipeia de Nossa Senhora das Neves (hoje João Pessoa). Anos mais tarde foi iniciado o povoado de Santa Rita. Bayeux, no meio das duas localidades sofreu influência dessas colonizações. A povoação, distante quatro quilômetros de Filipéia, começou com o nome de Rua do Baralho. Depois, Boa Vista e, em 1634, Barreiros - nome em decorrência do engenho de Barreiros. O Decreto-Lei estadual nº 546, de 21 junho de 1944, sugestão do então jornalista Assis Chateaubriand ao interventor do estado na época, Rui Carneiro, modificou finalmente o nome para Bayeux em homenagem à primeira cidade francesa (de mesmo nome) a ser libertada do poder nazista pelos aliados durante a Segunda Guerra Mundial.[18]

A elevação à categoria de distrito ocorreu através da lei municipal no. 48, de 10 de dezembro de 1948. Bayeux pertenceu a Santa Rita até então, quando finalmente adquiriu o status de município pela Lei no. 2.148, de 28 de junho de 1959. A instalação oficial do município se deu no dia 15 de dezembro de 1959.

Sua principal artéria urbana é a Avenida Liberdade, cujo nome também remete a libertação da referida cidade francesa do poder nazista.

Cultura e culinária[editar | editar código-fonte]

Seu padroeiro é São Sebastião, cuja festa se realiza em 20 de Janeiro. O município ainda festeja o dia de São Pedro em 25 de julho, o dia de São Bento no mês de novembro e Nossa Senhora da Conceição em dezembro.

Suas manifestações culturais são representadas por quadrilhas juninas, grupos teatrais, Festival do Caranguejo, Carreata do Fusca, Corrida de Canoas, comidas típicas e artesanatos. Bayeux tem a maior produção de caranguejo do Estado da Paraíba. No ano de 1996, sua produção chegou a 114,7 toneladas, o que correspondeu a 24,62% da produção estadual. Contudo, com a exploração desenfreada desse crustáceo, a produção tende a cair, segundo estudos de impacto ambiental.

O caranguejo é um dos motivos que proporcionaram a realização do ‘’’I Caranga Fest - Festival do Caranguejo’’’, no ano de 1997. O festival é aberto com o Love ao Fusca, uma carreata que já se tornou tradicional e conta com a participação de aproximadamente 200 Fuscas de vários modelos e anos. É realizada sempre no dia 29 de agosto e uma grande variedade de pratos feitos à base de caranguejo são servidos nessa festa, como: "ensopado de caranguejo", "caranguejo ao coco", "patola de caranguejo", "casquinha de caranguejo" e "pirão de caranguejo".

A coleta ilegal indiscriminada, assim como a poluição dos manguezais,[19] têm tornado esse crustáceo cada vez mais raro na região, o que representa uma ameaça à culinária e às tradições locais. O Ibama tem se mostrado preocupado com a preservação das espécies estuarinas e com isso emitido portarias visando defendê-las.[20]

Demografia[editar | editar código-fonte]

Fonte: IBGE

Notas

  1. Preferível por ser a forma que se consagrou popularmente, assim como na mídia impressa e falada.

Referências

  1. Adm. do site e contribuintes (2010). Histórico – Bayeux (PB) IBGE – Cid@ades. Página visitada em 29/04/2013.
  2. Editores do Houaiss (1996). Bayeusense – acepções Dicionário Houaiss. Página visitada em 29/04/2013.
  3. Editores do VOLP (2009). Busca no vocabulário Academia Brasileira de Letras. Página visitada em 29/04/2013.
  4. Adm. do site (2010). Estudos e Pesquisas – Bayeux Biblioteca do IBGE. Página visitada em 29/04/2013.
  5. Editores do Aulete (2007). Verbete: Bayeuxense iDicionário Aulete. Página visitada em 29/04/2013.
  6. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  7. Diagnóstico do município de Cabedelo (PDF) Projeto Águas Subterrâneas. Ministério das Minas e Energia (2005). Página visitada em 8 de novembro de 2010.
  8. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 16 set. 2013.
  9. Estimativa Populacional 2012 Estimativa Populacional 2012. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (01 de julho de 2012). Página visitada em 07 de setembro de 2012.
  10. Embrapa Monitoramento por Satélite. Paraíba. Página visitada em 15 de julho de 2011.
  11. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  12. Posição ocupada pelos maiores municípios em relação ao Produto Interno Bruto Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (14 de dezembro de 2011).
  13. http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/economia/pibmunicipios/2005_2009/tabelas_pdf/tab01.pdf
  14. Erro de citação: Tag <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs chamadas IBGE_Pop_2012
  15. Adm. do site (2012). Bayeux – Meio Ambiente Prefeitura Municipal de Bayeux – site oficial.
  16. http://bayeux.pb.gov.br/sobrecidade.asp Prefeitura Municipal de Bayeux - A cidade (acessado em 19 de junho de 2012)
  17. IBGE. Listagem de bairros Disponível em <http://www.sidra.ibge.gov.br/bda/tabela/lisunit.asp?c=608&n=102&z=t&o=1&i=P> Acesso em Março de 2012
  18. [1]
  19. Comapanhia de Água e Esgotos da Paraíba - Cagepa
  20. Ibama - notícias ambientais

Ligações externas[editar | editar código-fonte]