Esperança (Paraíba)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Esperança
"Lírio verde da Borborema"
Praça da Cultura

Praça da Cultura
Bandeira de Esperança
Brasão de Esperança
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 1 de dezembro
Fundação 1925
Gentílico esperancense
Prefeito(a) Anderson Monteiro da Costa (PSC)
(2013–2016)
Localização
Localização de Esperança
Localização de Esperança na Paraíba
Esperança está localizado em: Brasil
Esperança
Localização de Esperança no Brasil
07° 01' 22" S 35° 51' 36" O07° 01' 22" S 35° 51' 36" O
Unidade federativa  Paraíba
Mesorregião Agreste Paraibano IBGE/2008[1]
Microrregião Esperança IBGE/2008[1]
Região metropolitana Esperança
Municípios limítrofes Algodão de Jandaíra, Remígio, Montadas, Areial, Alagoa Nova, São Sebastião de Lagoa de Roça e Pocinhos.
Distância até a capital 159 km
Características geográficas
Área 165,189 km² [2]
População 31 095 hab. (PB: 14º) –  IBGE/2010[3]
Densidade 188,24 hab./km²
Altitude 631 m
Clima tropical As
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,632 médio PNUD/2000[4]
PIB R$ 221 023 mil (PB: 15º) – IBGE/2009[5]
PIB per capita R$ 7 163,27 IBGE/2009[5]
Página oficial

Esperança é um município Brasileiro situado no estado da Paraíba. Sua população foi estimada em 31.095 habitantes pelo Censo brasileiro de 2010, e é integrante da Região Metropolitana de Esperança.

História[editar | editar código-fonte]

Os moradores nativos do território que atualmente constitui o município foram os índios Cariris, da tribo Banabuyê. Apesar da resistência, os portugueses conseguiram expulsá-los. O primeiro colono que tomou posse das terras de Esperança foi o português Marinheiro Barbosa. Sua casa foi construída perto de um reservatório de água (Tanque do Araçá), cuja localidade é hoje conhecida como "Beleza dos Campos", hoje oficialmente bairro.

Possivelmente Marinheiro Barbosa abandonou suas terras. Anos depois chegaram três irmãos, também portugueses: Antônio, Laureano e Francisco Diniz, cujas casas ficavam onde atualmente é a Avenida Manoel Rodrigues, a principal da cidade.

O primeiro nome do povoado foi Banabuyê, por conta da tribo Cariri, da sesmaria datada em 1713 e do nome da fazenda surgida em 1860. Ano em que foi construída a primeira capela, em cujo lugar atualmente se situa a igreja Matriz, pelo primeiro missionário católico a instalar-se na região, o Frei Venâncio. Há uma hipótese de que a construção da capela foi financiada por uma senhora, como voto para eliminar um surto de cólera-morbo. A igreja atual é a ampliação da antiga capela.

Outro nome que a cidade recebeu foi Boa Esperança, em 1872. Em 1908, foi criada a freguesia de Esperança.

Esperança foi emancipada em 1º de dezembro de 1925, desmembrando-se de Alagoa Nova. O primeiro prefeito, por nomeação, foi o senhor Manoel Rodrigues de Oliveira. Teotônio Thertuliano da Costa foi o seu vice-prefeito.

Dois antigos distritos do município se emanciparam politicamente: Areial (em 1961) e Montadas (em 1963). Atualmente, além da sede, Esperança é composta pelos distritos de Massabielle, São Miguel e Pintado, sendo esse último elevado a essa categoria através da Lei Municipal nº 1.271/2008, de 20 de maio de 2008.

Geografia[editar | editar código-fonte]

O município está incluído na área geográfica de abrangência do semiárido brasileiro, definida pelo Ministério da Integração Nacional em 2005.[6] Esta delimitação tem como critérios o índice pluviométrico, o índice de aridez e o risco de seca.

Transportes[editar | editar código-fonte]

Para se chegar a cidade de Esperança, tem-se transporte regular a partir de Campina Grande, oferecidos pela viação São José com partida das rodoviárias nova e velha daquela cidade. Existe também o transporte alternativo que realiza o mesmo trajeto da linha convencional.

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Visitado em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2010 Censo Populacional 2010 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Visitado em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2005-2009 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Visitado em 14 dez. 2011.
  6. Ministério da Integração Nacional, 2005. Nova delimitação do semiárido brasileiro.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios da Paraíba é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.