Cubati

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Cubati
"Cidade do Supercross"
Bandeira desconhecida
Brasão desconhecido
Bandeira desconhecida Brasão desconhecido
Hino
Aniversário 6 de Julho
Fundação 1959
Gentílico cubatiense
Prefeito(a) Eduardo Ronielle Guimarães Martins Dantas[1] (PMDB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Cubati
Localização de Cubati na Paraíba
Cubati está localizado em: Brasil
Cubati
Localização de Cubati no Brasil
06° 52' 04" S 36° 21' 03" O06° 52' 04" S 36° 21' 03" O
Unidade federativa  Paraíba
Mesorregião Borborema IBGE/2008 [2]
Microrregião Seridó Oriental Paraibano IBGE/2008 [2]
Municípios limítrofes Norte: Pedra Lavrada; Oeste: Seridó (Paraíba); Sudeste: Olivedos; Nordeste: Sossêgo, e Barra de Santa Rosa.
Distância até a capital 200 km
Características geográficas
Área 136,965 km² [3]
População 6 868 hab. IBGE/2010[4]
Densidade 50,14 hab./km²
Altitude 475 m
Clima tropical chuvoso com verão seco[5]  As'
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,591 baixo PNUD/2000 [6]
PIB R$ 23 685,339 mil IBGE/2008[7]
PIB per capita R$ 3 623,27 IBGE/2008[7]
Página oficial

Cubati, município no estado da Paraíba (Brasil), localizado na região do Seridó Oriental Paraibano. De acordo com a estimativa censitária realizada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) no ano de 2009, sua população era de 6.546 habitantes. Área territorial de 137,2 km².

História[editar | editar código-fonte]

Cubati emancipou-se e estabeleceu-se como município no dia 7 de maio de 1959, quando deixou de ser distrito do município de Pícui. Porém, a sua colonização deu-se muito antes. Conta-se que as terras onde hoje situa-se a cidade de Cubati, incialmente perteceram ao escravo alforriado Manoel Maria de Barros, que havia recebido as terras como um presente do senhor Joaquim Gurinhém, junto com a carta de alforria.

Manoel Maria de Barros então aproveitando a localização geográfica privilegiada, ergueu, junto com alguns moradores da localidade, um pequeno mercado, onde os tropeiros pudessem livremente realizar trocas e negócios diversos, bem como descansarem antes de proseguir viagem. A feira prosperou, porém, a soberba e a cobiça dos fazendeiros da localidade Pedra Lavrada destruiram a feira de Manoel de Barros.

Décadas se passaram até que fosse construída uma capela em homenagem a São Severino Bispo, padroeiro do município, desde então o povoado voltou a crescer atingindo o status de vila, depois distrito e finalmente de cidade com a sua emancipação política em 1959.

Geografia[editar | editar código-fonte]

O município está incluído na área geográfica de abrangência do semiárido brasileiro, definida pelo Ministério da Integração Nacional em 2005[8] . Esta delimitação tem como critérios o índice pluviométrico, o índice de aridez e o risco de seca.

Referências

  1. FAMUP - Federação das Associações de Municípios da Paraíba. Listagem de Municípios - Prefeitos. Página visitada em 8 de janeiro de 2013.
  2. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  3. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  4. Censo Populacional 2010. Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  5. Ministério das Minas e Energia, 2005. Diagnóstico do Município de Cubati, Projeto Águas Subetrrâneas
  6. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  7. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.
  8. Ministério da Integração Nacional, 2005. Nova delimitação do semiárido brasileiro.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]