Sport Club São Paulo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
São Paulo
Scsaopaulo.gif
Nome Sport Club São Paulo
Alcunhas Leão do Parque
Caturrita
Fundação 4 de outubro de 1908 (105 anos)
Estádio Aldo Dapuzzo
Capacidade 11.500 pessoas[1]
Presidente Brasil Domingos Escovar
Treinador Brasil Toquinho
Material esportivo Brasil Icone Sports
Competição Rio Grande do Sul Campeonato Gaúcho
Website www.saopaulors.com.br
Kit left arm thinredborder.png Kit body scsaopaulo1415a.png Kit right arm thinredborder.png
Kit shorts scsaopaulo14t.png
Kit socks.png
Uniforme
titular
Kit left arm thinredborder.png Kit body scsaopaulo15a.png Kit right arm thinredborder.png
Kit shorts.png
Kit socks.png
Uniforme
alternativo
Kit left arm.png Kit body scsaopaulo15h.png Kit right arm.png
Kit shorts.png
Kit socks.png
Uniforme
alternativo
Temporada atual
editar

O Sport Club São Paulo é um clube brasileiro de futebol, da cidade do Rio Grande, no estado do Rio Grande do Sul. Foi fundado em 4 de outubro de 1908. Disputará o Gauchão 2014.

História[editar | editar código-fonte]

O São Paulo foi fundado, oficialmente, no dia 4 de outubro de 1908.

Em um belo dia quatro rapazes chamados Adolpho Corrêa, José Sartori, José Bernardelli e Hermenegildo Bernardelli estavam sentados assistindo a novidade do football praticada pelos ingleses e alemães residentes em Rio Grande. Em um dos momentos do treino a bola escapuliu e foi parar nas mãos dos rapazes que logo trataram de escondê-la e a deram por perdida. Como as bolas eram raríssimas pois vinham da Inglaterra a um preço muito alto, aquela era uma oportunidade de ouro para começar a praticar o esporte. Um dos rapazes, Adolpho Corrêa, de ascendência portuguesa, foi entusiasta em fundar um clube popular de futebol que permitisse à vasta colônia portuguesa da cidade ter acesso ao esporte, pois era exclusivo dos alemães e ingleses que fundaram o Sport Club Rio Grande. Pouco tempo depois os destemidos precursores do Leão do Parque solicitaram ao Sport Club Rio Grande e a Compaigne Auxiliare de Chems de Fer Brésil que fosse cedido um espaço pequeno para fundar na cidade um clube com raízes lusas.[2]

Participação em campeonatos nacionais[editar | editar código-fonte]

O São Paulo participou de três campeonatos brasileiros: 1979, 1980 e 1982 da primeira divisão e de dois da segunda divisão.

No Campeonato Brasileiro de 1979, jogou 16 partidas, com cinco vitórias e cinco empates, 14 gols pró e sofreu 19, com destaque para confrontos gaúchos, contra Inter, Caxias e Brasil de Pelotas.

No Campeonato Brasileiro de 1980, jogou 9 partidas, com somente uma vitória e três empates, 6 gols pró e sofreu 15. Destaque para a derrota para o Santos na Vila Belmiro em 3 set. 1980 e para o empate sem gols no dia 23 mar. 1980, quando o Aldo Dapuzzo recebeu um dos maiores públicos de sua história, contra o Flamengo de Zico, Adílio e Júnior, além de outros jogadores que formariam a base do time que em 1981 seria Campeão do Mundo, em Tóquio. O Flamengo jogou com: Raul, Toninho, Rondineli, Marinho, Júnior, Andrade, Adilio, Zico, Reinaldo, Tita e Carlos Henrique (Júlio Cesar). A escalação do São Paulo neste jogo foi: Sérgio; Zé Augusto, Carlão, Tadeu e Cláudio Radar; Doraci, Paulo Cesar Tatu e Astronauta; Romário, Neia e Almir. O técnico rubro-verde era Ernesto Guedes.[3]

Em 1981, disputou a Taça de Prata. Eram 48 equipes, divididas, na primeira fase, em grupos de 8. O Sampa caiu no grupo do Palmeiras, time pelo qual foi derrotado em 14/01/1981, no Palestra Itália, por 3 x 1. Fez uma boa campanha, ficando a um ponto, apenas, do segundo classificado (Comercial-MS). Deste grupo (F), classificaram-se o Comercial-MS e o Palmeiras. O São Paulo ficou em 27º lugar, à frente de clubes como Criciúma e Atlético Goianiense.

Em 1982, iniciou na Taça de Prata. A 1ª fase foi dividida em 6 grupos de 6 clubes, onde classificavam-se os dois primeiros de cada grupo. O São Paulo foi o vice-campeão do Grupo F (o campeão foi o Atlético Paranaense. Na segunda fase, classificatória para a Taça de Ouro de 1982, os 12 clubes classificados foram divididos em 4 grupos de 3. O Leão caiu no grupo com Uberaba-MG e Vila Nova-GO. Com uma vitória no Aldo Dapuzzo contra o Uberaba por 2 x 0 e um empate no Estádio Serra Dourada contra o Vila Nova, o São Paulo sagrou-se campeão do Grupo I, e logrou para si uma das 4 vagas na elite do futebol nacional em 1982, juntamente com Corinthians, Atlético-PR e América-RJ.

Neste mesmo ano de 1982, após a disputa da Taça de Prata, o time participou da Taça de Ouro, foram seis jogos disputados (primeira fase), com uma vitória e dois empates, 4 gols pró e sofreu 12. Destaque para o empate sem gols no Aldo Dapuzzo contra o Santos, em 14 de março de 1982.[4]

Títulos regionais[editar | editar código-fonte]

Foi campeão gaúcho em 1933, ao vencer o Grêmio na final, pelo placar de 2 a 1. Naquela época, o São Paulo ainda não havia adotado o atual escudo, apesar de utilizar as cores da bandeira de Portugal no uniforme. O time campeão estava assim escalado: Odorico; Valentim, Fernandinho e Quico; Darcy, Riquinho, Arquimimo e Cardeal; Osquinha, Ballester, Scala (Vadi). O treinador do São Paulo era Leomar Mena.

Em 1985, o São Paulo conquistou a Copa Bento Gonçalves. Na primeira partida, dia 13 de julho, o São Paulo venceu o Internacional em pleno Estádio Beira-Rio pelo placar de 1 a 0, gol de Paulo Barroco. No jogo de volta, no Aldo Dapuzzo, um empate em 1 a 1 garantiu o título ao time rubro-verde. O gol do título foi marcado por Odir e o time campeão foi: Nando; Marco Antonio, Carlão e Zé Moraes; Paulo Barroco, Odir, Ernane, Evans e Isaias; Rodinaldo e Luisinho. O técnico era Jaime Schimidt.

Títulos[editar | editar código-fonte]

Estaduais[editar | editar código-fonte]

Outras conquistas[editar | editar código-fonte]

Torneios estaduais[editar | editar código-fonte]

Torneios municipais[editar | editar código-fonte]

Artilheiros[editar | editar código-fonte]

  1. Alberto Fossatti (Cardeal) - 1933.
  2. Darci Encarnação - 1933.
  1. Marcos Milhão - 2000 (12 gols)[6] .
  2. Édson - 1985 (11 gols).
  3. Rodinaldo - 1985 (11 gols).

Histórico em competições oficiais[editar | editar código-fonte]

Campeonato Brasileiro[editar | editar código-fonte]

Brasil

Taça de Ouro
Ano Posição
1979 42º
1980 41º
1982 31º
Taça de Prata
Ano Posição
1981 27º
1982

Campeonato Gaúcho série A[editar | editar código-fonte]

Rio Grande do Sul

Ano Posição Ano Posição Ano Posição Ano Posição Ano Posição
1919 1920 1927 1928 1929
1930 1931 1932 1933 1935
1943 1944 1945 1949 1952
1956 1960 1971 21º 1972 15º 1975 13º
1977 22º 1978 1979 1980 1981
1982 1983 1984 14º 1986 12º 1987
1988 11º 1989 14º 1991 14º 1992 15º 1993 11º
1994 23º 2001 10º 2002 16º 2014

Rankings[editar | editar código-fonte]

Ranking da CBF

  • Posição: 158º
  • Pontuação: 32 pontos

Ranking criado pela Confederação Brasileira de Futebol que pontua todos os times do Brasil.

Torcida[editar | editar código-fonte]

A torcida do Sport Club São Paulo é considerada uma das maiores do estado. Em 2008, foi o clube do interior do RS com maior média de público e renda de todas as divisões.[7]

  • Torcida Mancha Rubro Verde, ou pelo acrônimo MRV, é a torcida organizada em atividade do Sport Club São Paulo da cidade de Rio Grande, Rio Grande do Sul, Brasil. Foi Fundada 18 de Outubro de 1991, localizada no bairro Parque, em Rio Grande. Conhecida desde o inicio de sua fundação, como a "Terror da Zona Sul", começou com um grupo de jovens torcedores, até o fim da década de 1990 era a 4º maior Torcida organizada do clube, atrás de antigas torcidas; Leões da Fiel, Coração do Leão e Garra Jovem. Em 2010 após a renovação total de sua Diretória, reformou todo seu patrimônio, fortalecendo sua padronização (Branca), e vem crescendo e se destacando como uma das grandes torcidas do Interior do Estado. Em julho de 2012, integrantes da torcida aderiram à campanha de doação em prol do banco de sangue da Santa Casa de Rio Grande.[8]

Rivalidade[editar | editar código-fonte]

O São Paulo joga dois clássicos na sua cidade: um contra o Rio Grande (chamado Rio-Rita) e o outro contra o Footbal Club Rio-Grandense (chamado Catu-Rio ou Rio-Rita). Também joga o clássico regional contra o Brasil de Pelotas.

Elenco Atual[editar | editar código-fonte]

Soccer.Field Transparant.png

JÚLIO CÉSAR
MATHEUS
GUILHERME
MOLLER
UILIAN
NICOLETTI
VAVÁ
MÁRCIO REIS
MANCHA
DIEGO SAPATA
DUDU
MANDAI
TIAGO RODRIGUES
MANO GARCIA
Previsão do time titular.
Goleiros
Brasil Vágner
Brasil Júlio César
Brasil Gabriel
Laterais
Brasil Matheus
Brasil
Brasil
Brasil Jean
Brasil Vavá
Zagueiros
Brasil Léo
Brasil Fábio
Brasil Wendell
Brasil Douglas
Brasil Guilherme Moller
Brasil Uilian Nicoletti
Volantes
Brasil Mancha
Brasil Júlio
Brasil Lipe
Brasil Edno
Brasil
Meias
Brasil Diego Sapata
Brasil Dudu Mandai
Brasil Alex Fernandes
Atacantes
Brasil Mano Garcia
Brasil Tiago Rodrigues
Brasil Fred
Brasil
Brasil Paçoca
Brasil


Legenda

  • Capitão : Capitão
  • Suspenso. : Jogador suspenso.
  • Lesionado : Jogador contundido.
  • + : Jogador em fase final de recuperação.
  • Última atualização: 09 de agosto de 2014.


Comissão técnica[editar | editar código-fonte]

Nome Cargo
Toquinho Treinador
Roger Burkert Preparador Físico
Fárnei Coelho Gerente de Futebol
Betinho Preparador de goleiros
Timóteo Mordomo
Bruno Parada Fisioterapeuta
Cristopher Barbosa Massoterapeuta


Estádio[editar | editar código-fonte]


O São Paulo manda seus jogos no estádio próprio Aldo Dapuzzo, com capacidade atual para 11.000 pessoas (aprox.).

A lenda da taça serrada[editar | editar código-fonte]

  • Em 26 de dezembro de 1940, aconteceu a famosa partida, válida pela Taça Confraternização, em que São Paulo e Rio Grande teriam dividido a taça, após um longo empate e uma série de pênaltis.
  • Versão antiga: a versão contada pelos dois clubes afirma que São Paulo, Rio Grande e Riograndense, os três times da cidade, disputaram a Taça Confraternização. Na final, deu São Paulo e Rio Grande, o clássico Rio-Rita. Após sucessivos empates, as equipes decidiram serrar o troféu.
  • Nova versão: a pesquisa do jornalista Willy Cesar assegura que os empates sucessivos não aconteceram. Houve o Torneio Confraternização, com as três equipes, porém o São Paulo foi o campeão, com uma vitória e um empate no triangular. O clube resolveu cortar a taça e dar a metade ao Rio Grande em sinal de amizade ao co-irmão.[9]

Últimos presidentes[editar | editar código-fonte]

2007 - Sérgio Luiz Lopes
2008-2009 - Ivo Artigas
2010-2012 - Jair Rizzo
2013 - Paulo Costa
2013- - Domingos Escovar

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Publicações sobre o São Paulo[editar | editar código-fonte]

Livros
  • CÉSAR, Willy. Um Século de Futebol Popular – A história do Sport Club São Paulo. Porto Alegre: Editora da Corag, 2013, 408 p.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Grêmio
Campeão Gaúcho
1933
Sucedido por
Internacional