Stargate (filme)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Stargate
Stargate (BR)
 Estados Unidos/ França
1994 • 121 min 
Direção Roland Emmerich
Roteiro Dean Devlin
Elenco Kurt Russell
James Spader
Alexis Cruz
Mili Avital
Género fantasia, ação, aventura
Idioma inglês
Página no IMDb (em inglês)

Stargate (br: Stargate A Chave Para o Futuro da Humanidade) é um filme estadunidense de 1994, do gênero ficção científica, dirigido por Roland Emmerich, que também escreveu o roteiro em conjunto com Dean Devlin. A trilha sonora é de David Arnold.

Inspirou as telesséries Stargate SG-1 e Stargate Atlantis, bem como uma série de animação chamada Stargate Infinity.

Elenco Principal[editar | editar código-fonte]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

O filme começa em 1928 em Guizé ou Gizé, Egito, onde uma tumba gigantesca é descoberta. A filha do arqueólogo-chefe da expedição pega para ela um amuleto com inscrições e o simbolo do deus Ra, que estava no local das escavações.

Ao passar para os dias atuais, é mostrado o egiptologista Daniel Jackson participando de um simpósio, onde defende suas teorias sobre a Grande Pirâmide de Queóps ou Kufu, de que a mesma não poderia ter sido construída na Quarta dinastia dos faraós egípcios, que é a versão aceita oficialmente. Ridicularizado e posto de lado pelos seus colegas cientistas, e deixado para trás no meio de sua apresentação, ele se retira desconsolado. No entanto, uma mulher idosa usando um colar de Ra, que havia assistido parte de sua palestra, o procura, e o convida a participar das traduções de antigos hieroglifos.

Jackson volta a encontrar a mulher e o amuleto numa instalação militar dos Estados Unidos da América, nas montanhas Creek no Colorado. A mulher se apresenta então como Catherine Langford, a menina do início do filme. Jackson traduz (na verdade, corrige a tradução) do amuleto que fala estar o deus-sol Rá no céu distante e que há um portal para as estrelas (Stargate). O coronel aposentado da Força Aérea, Jonathan “Jack” O'Neil então chega e declara essa informação como secreta, impedindo que Jackson a divulgue. Os militares passam a informar Jackson sobre o Stargate, o círculo de pedra encontrado nas escavações de Gizé. Jackson então traduz os símbolos constantes no "Stargate", como constelações e que uma delas é o ponto de origem, provavelmente um planeta. O planeta então é chamado de Abydos, na Galáxia Kalium. Jackson convence os militares a formar uma equipe para usar o portal, pois ele quer ver os prováveis símbolos do outro portal, o do planeta Abydos. O'Neil então liderará a equipe que vai usar o portal.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Sequências[editar | editar código-fonte]

Dean Devlin e Roland Emmerich afirmaram que Stargate seria a primeira parte de uma trilogia, mas as outras duas nunca foram produzidas. 12 anos após o filme (2006), Dean Devlin confirmou que estava discutindo com os executivos da MGM a possivel finalização dessa trilogia, realizando os dois filmes faltantes[1]

Segundo Devlin, no segundo filme Daniel Jackson volta para a Terra 2 anos depois de sua partida, e descobre um novo portal. Esse portal estaria incluso em uma mitologia diferente da egípcia. O terceiro filme traria a revelação de que todas as mitologias são convergentes "[2]

A história proposta para a trilogia não foi desenvolvida na série de TV Stargate SG-1.

Trilogia[editar | editar código-fonte]

Stargate foi lançado em 28/10/1994, mas as sequências originais propostas pelos diretores não foram filmadas. Em 2008, passados 14 anos, foram lançados dois filmes para completar a história da série televisiva Stargate SG-1: em 16 de abril chegou ao Brasil Stargate - The Ark of Truth (no Brasil: "Stargate - A Arca da Verdade") e em 20 de agosto chegou Stargate - Continuum (no Brasil: "Stargate - Linha do Tempo"). Estes filmes, portanto, não seguem a história do original de 1994.

Reboot[editar | editar código-fonte]

Durante uma entrevista ao site Digital Spy, Roland Emmerich revelou que um reboot do filme de 1994 está por vir junto às duas sequências. A ideia é que desta vez, junto ao filme, seja criadas duas sequências como planejado originalmente para Stargate na década de 90, sendo os mesmos substituídos por séries televisivas.

Segundo Emmerich, a ideia é criar uma trilogia a partir da nova versão: "Logo mais vamos contratar um roteirista e começar", conta.

O reboot ainda não tem data para iniciar as gravações e lançamento.

A tradução dos hieróglifos[editar | editar código-fonte]

Daniel Jackson não segue a tradução original, dizendo que houve erros de Ernest Wallis Budge.

D21
N35
Q3
M4 X1
Z1 Z1 Z1
I8
V20
D21
N29
D58 V28 G43 W15 N1
N25
Q3 G43 D21
D36
C1 G17 M17 X1
N35
N8


tempos atrás um milhão de anos no céu está o deus Ra, rei do sol

G17 Aa1 G17 X1 S20 O32 N35
I9
N29
D21
S29 T19 A24 Q6
A55
I9
N35
I10
X1
N16
D21
G21 V28 V28 N5
N23


selado + fechado túmulo por toda eternidade para o tempo

S29 N14 D58 O32 N35
Z2
S29 D58 G1 N14
N5
Z2
I9

porta para o paraíso portal para as estrelas

Sequências literárias[editar | editar código-fonte]

Usando algumas notas de Roland Emmerich, Bill McCay escreveu uma série de cinco novelas, continuando a história original, inclusive falando dos sucessores de Rá.

Trilha Sonora[editar | editar código-fonte]

A trilha sonora foi composta por David Arnold e interpretada pela Sinfônica de Londres[3] sob a regência de Nicholas Dodd. Foi o segundo filme que Arnold trabalhou.

Temas musicais da trilha sonora:

  1. Stargate Overture
  2. Giza
  3. Unstable
  4. The Coverstones
  5. Orion
  6. The Stargate Opens
  7. You're On The Team
  8. Entering The Stargate
  9. The Other Side
  10. Mastadge Drag
  11. The Mining Pit
  12. King Of The Slaves
  13. Caravan To Nagada
  14. Daniel and Sha'uri
  15. Symbol Discovery
  16. Sarcophagus Opens
  17. Daniel's Mastadge
  18. Leaving Nagada
  19. Ra - The Sun God
  20. The Destruction of Nagada
  21. Myth, Faith, Belief
  22. Procession
  23. Slave Rebellion
  24. The Seventh Symbol
  25. Quartz Shipment
  26. Battle At The Pyramid
  27. We Don't Want To Die
  28. The Surrender
  29. Kasuf Returns
  30. Going Home

Duração: 65 minutos.

Em outubro de 2006 a trilha foi relançada em uma edição Deluxe, com a inclusão de sete novos temas que aumentaram o tempo de duração para 73 minutos.

Os novos temas são:

  1. Wild Abduction - Tema 02
  2. Bomb Assembly - Tema 11
  3. Eye of Ra - Tema 16
  4. Execution - Tema 28
  5. Against the Gods - Tema 30
  6. Transporter Horror - Tema 34
  7. Closing Titles (Introdução) - Tema 37

Referências[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um filme é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Applications-multimedia.svg A Wikipédia possui o