Temporada de furacões no Pacífico de 2008

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Temporada de furacões no Pacífico de 2008
2008 Pacific hurricane season map.png
Primeiro sistema1 formado: Alma em 29 de Maio de 2008
Sistemas ativos1: Temporada encerrada
Total de tempestades nomeadas: 18
Total de furacões: 7
Grandes furacões (Cat. 3+): 2
Tempestade mais forte: Norbert - 215 km/h, 945 mbar
Número de sistemas1 que atingiram terras emersas: 5
Danos totais: $774.8 milhões de dólares (valores em 2009)
ECA Total:
Fatalidades confirmadas: 15 diretos e 8 indireto
1Inclui depressões tropicais e depressões subtropicais

A temporada de furacões no Pacífico de 2008 foi um evento no ciclo anual de formação de ciclones tropicais. A temporada começou oficialmente em 15 de Maio de 2008 no Oceano Pacífico nordeste e começou em 1º de Junho de 2008 no Oceano Pacífico centro-norte. Para ambas as regiões, a temporada terminou em 30 de Novembro de 2008. Estas datas delimitam convencionalmente o período de cada ano quando a maioria dos ciclones tende a se formar no hemisfério norte.

A tempestade tropical Alma foi o primeiro ciclone tropical a se formar durante a temporada, durante o final de maio. Foi a primeira vez que foi observado a formação de ciclones tropicais durante um mês de maio em dois anos consecutivos no Pacífico nordeste. Além disso, Alma foi o primeiro ciclone tropical a atingir a costa oeste da Nicarágua em toda a história e causou a morte de 9 pessoas. Somente em agosto se formou o primeiro furacão "maior" da temporada, quando o furacão Hernan se formou a oeste da costa pacífica do México. A tempestade tropical Kika foi o primeiro ciclone tropical a se formar no Pacífico centro-norte desde o furacão Ioke, em 2006. A tempestade tropical Julio provocou fortes chuvas no estado mexicano de Baja California Sur, causando duas fatalidades. O furacão Norbert foi o mais intenso ciclone tropical a atingir a costa oeste da península da Baixa Califórnia quando atingiu a região com ventos de até 165 km/h. Norbert também causou 8 fatalidades no estado mexicano de Sonora.

Com 18 sistemas tropicais dotados de nome, a atividade da temporada de 2008 esteve perto da regularidade. No entanto, a temporada teve menos furacões e furacões "maiores". Levando-se em consideração a energia ciclônica acumulada (ECA), uma medida que relaciona a intensidade dos ciclones tropicais com o seu período de existência, o nível de atividade da temporada ficou em apenas 75% da média.

Previsões para a temporada[editar | editar código-fonte]

Previsões para a atividade tropical na Temporada de furacões
no Pacífico de 2008 (porção leste)
Fonte Data Tempestades
nomeadas
Furacões Grandes
furacões
NOAA Média[1] 15,3 8,8 4,2
NOAA[2] 22 de maio 2007 11–16 5–8 1–3
Atividade atual 18 7 2

Em 22 de maio de 2008, a NOAA liberou suas previsões para as temporadas de furacões no Pacífico leste e central. Eles previram uma atividade ciclônica abaixo do normal no Pacífico leste, com 11 a 16 tempestades nomeadas, sendo que 5 a 8 destes se tornariam furacões e destes 1 a 3 se tornariam furacões "maiores".[2]

A bacia do Pacífico central também teria uma atividade ciclônica abaixo do normal, com apenas três ou quatro ciclones tropicais se formariam ou passariam pela região.[3]

Tempestades[editar | editar código-fonte]

Tempestade tropical Alma[editar | editar código-fonte]

Tempestade tropical Alma
Tempestade tropical  (EFSS)
{{{image}}} Alma 2008 track.png
Duração 29 de Maio de 200830 de Maio de 2008
Intensidade 55 nós (102 km/h, 63 mph) 1 min, 994 hPa (mbar)

Uma área de convecção associada à zona de convergência intertropical apresentou indícios de formação de ciclone tropical em 27 de Maio a oeste da Costa Rica.[4] O Centro Nacional de Furacões (NHC) então começou a monitorar o sistema como uma perturbação tropical.[4] O sistema consolidou-se nos dias seguintes e no começo da madrugada de 29 de Maio, o NHC emitiu seu primeiro aviso sobre a depressão tropical 01E, o primeiro sistema tropical significativo da temporada de 2008 de furacões no Pacífico.[5] Mais tarde, o sistema tornou-se uma tempestade tropical e o NHC lhe atribuiu o nome Alma.[6]

Alma fez landfall por volta das 21:00 (UTC) em Leon, com ventos máximos sustentados de 100 km/h, durante seu pico de intensidade.[7] Logo após, o NHC desclassificou Alma para uma depressão[8] e emitiu seu último aviso sobre o sistema às 15:00 (UTC) de 30 de Maio.[9]

A cidade de León foi a cidade mais atingida pela tempestade. Pelo menos sete pessoas morreram indiretamente como consequência da passagem da tempestade.[10] [11]

Furacão Boris[editar | editar código-fonte]

Furacão Boris
Categoria 1  (EFSS)
{{{image}}} Boris 2008 track.png
Duração 27 de Junho de 20084 de Julho de 2008
Intensidade 70 nós (130 km/h, 81 mph) 1 min, 985 hPa (mbar)

Uma área de convecção formou-se a sudeste da costa pacífica do México em 23 de Junho.[12] O sistema, seguindo para oeste-noroeste sob a influência de uma alta subtropical, intensificou-se gradualmente e durante a manhã (UTC) de 27 de Junho, o Centro Nacional de Furacões (NHC) classificou o sistema como a depressão tropical Dois-E.[12] Mais tarde naquele dia, com a contínua intensificação do sistema, o NHC classificou-o para uma tempestade tropical e atribuiu-lhe o nome Boris. [13]

O sistema continuou a se fortalecer gradualmente e em 1 de Julho, Boris tornou-se um furacão, o primeiro da temporada.[14] Logo em seguida, Boris começou a encontrar condições desfavoráveis e se enfraqueceu para uma tempestade tropical,[15] mas no dia seguinte, voltou a se fortalecer para um furacão, mostrando um olho bem definido no interior das áreas de convecção.[16] No entanto, Boris voltou a ser uma tempestade tropical em 2 de Julho.[17] A tendência de enfraquecimento continuou e o NHC desclassificou Boris para uma depressão tropical no começo da madrugada (UTC) de 4 de Julho.[18] Horas depois, Boris degenerou-se para uma área de baixa pressão remanescente e o NHC emitiu seu último aviso sobre o sistema.[19]

Tempestade tropical Cristina[editar | editar código-fonte]

Tempestade tropical Cristina
Tempestade tropical  (EFSS)
{{{image}}} Cristina 2008 track.png
Duração 27 de Junho de 20081 de Julho de 2008
Intensidade 45 nós (83 km/h, 52 mph) 1 min, 999 hPa (mbar)

Uma área de convecção surgiu em 25 de Junho ao sul do extremo sul da Península da Baixa Califórnia em associação a uma onda tropical que adentrou no Oceano Pacífico em 22 de Junho.[20] O sistema intensificou-se gradualmente e o Centro Nacional de Furacões classificou o sistema para a depressão tropical Três-E durante a noite (UTC) de 27 de Junho, a apenas algumas centenas de quilômetros a oeste da tempestade tropical Boris.[21] Durante a tarde de 28 de Junho, a depressão fortaleceu-se para a tempestade tropical Cristina.[22]

Cristina atingiu o pico de intensidade em 29 de Junho com ventos máximos sustentados de 85 km/h antes de começar a encontrar condições desfavoráveis, como cisalhamento do vento e baixa temperatura da superfície do mar, e se enfraquecer.[23] Cristina enfraqueceu-se para uma depressão tropical no dia seguinte.[24] A tendência de enfraquecimento continuou e Cristina degenerou-se numa área de baixa pressão remanescente em 1 de Julho e o NHC emitiu seu último aviso sobre o sistema.[25]

Tempestade tropical Douglas[editar | editar código-fonte]

Tempestade tropical Douglas
Tempestade tropical  (EFSS)
{{{image}}} Douglas 2008 track.png
Duração 2 de Julho de 20084 de Julho de 2008
Intensidade 35 nós (65 km/h, 40 mph) 1 min, 1003 hPa (mbar)

Uma área de convecção formou-se a sudoeste da costa pacífica do México em 30 de Junho. O sistema intensificou-se gradualmente e em 2 de Julho, o NHC classificou o sistema como uma depressão tropical.[26] Mais tarde naquele dia, o NHC classificou o sistema como uma tempestade tropical, atribuindo-lhe o nome Douglas.[27]

No entanto, o sistema, seguindo para noroeste, encontrou águas frias e se enfraqueceu para uma depressão tropical em 3 de Julho.[28] A tendência de enfraquecimento continuou e Douglas degenerou-se para uma área de baixa pressão remanescente no começo da madrugada de 4 de Julho e o NHC emitiu seu aviso final sobre o sistema.[29]

Depressão tropical Cinco-E[editar | editar código-fonte]

Depressão tropical Cinco-E
Depressão tropical  (EFSS)
{{{image}}} Five-E 2008 track.png
Duração 5 de Julho de 20087 de Julho de 2008
Intensidade 30 nós (56 km/h, 35 mph) 1 min, 1005 hPa (mbar)

O Centro Nacional de Furacões (NHC) classificou uma área de distúrbios meteorológicos como uma depressão tropical durante a noite (UTC) de 5 de Julho.[30] Imediatamente, o governo do México emitiu um alerta de tempestade tropical para a costa pacífica do país, entre Acapulco e Zihuatanejo.[30] Horas depois, os alertas e avisos foram sendo emitidos e substituídos com o progresso da depressão. Durante o começo da madrugada (UTC) de 7 de Junho, a depressão fez landfall perto de Lázaro Cárdenas, no estado mexicano de Michoacán, com ventos de até 55 km/h.[31] Logo em seguida, o NHC emitiu seu aviso final sobre o sistema.[32]

A depressão provocou chuvas torrenciais para a região de Lázaro Cárdenas. No entanto, nenhum dano ou vítima foi relatado em associação à passagem do sistema sobre a região.[33]

Furacão Elida[editar | editar código-fonte]

Furacão Elida
Categoria 2  (EFSS)
{{{image}}} Elida 2008 track.png
Duração 12 de Julho de 200819 de Julho de 2008
Intensidade 90 nós (167 km/h, 104 mph) 1 min, 970 hPa (mbar)

Uma área de convecção que se formou em em 9 de Julho adquiriu suficiente organização e intensidade para ser declarado pelo Centro Nacional de Furacões (NHC) como uma depressão durante a madrugada (UTC) de 12 de Julho ao sul do Golfo de Tehuantepec, México.[34] Horas mais tarde, sob condições meteorológicas favoráveis, a depressão tornou-se uma tempestade tropical e o NHC atribuiu-lhe o nome Elida.[35] Elida continuou a se intensificar rapidamente e na manhã do dia seguinte, Elida tornou-se um furacão.[36]

Após atingir o seu pico de intensidade, Elida começou a se enfraquecer rapidamente assim que encontrou águas mais frias e em 18 de Julho, enfraqueceu-se para uma tempestade tropical[37] e no dia seguinte, enfraqueceu-se para uma depressão tropical.[38] Horas depois, o NHC emitiu seu aviso final sobre Elida assim que o sistema degenerou-se numa área de baixa pressão remanescente.[39]

Furacão Fausto[editar | editar código-fonte]

Furacão Fausto
Categoria 1  (EFSS)
{{{image}}} Fausto 2008 track.png
Duração 16 de Julho de 200822 de Julho de 2008
Intensidade 80 nós (148 km/h, 92 mph) 1 min, 977 hPa (mbar)

Em 16 de Julho, uma onda tropical ficou mais bem organizada e se tornou a depressão tropical Sete-E.[40] Seguindo gradualmente para noroeste, a depressão se fortaleceu para a tempestade tropical Fausto mais tarde naquele dia.[41] O sistema continuou a se fortalecer gradualmente e em 17 de Julho, Fausto tornou-se o terceiro furacão da temporada.[42] A tendência de intensificação gradual continuou e em 19 de Julho, Fausto atingiu seu primeiro pico de intensidade com ventos máximos sustentados de 150 km/h.[43] Logo em seguida, Fausto se desorganizou brevemente, voltando a se intensificar e a atingir novamente seu pico de intensidade com ventos máximos sustentados de 150 km/h em 21 de Julho.[44] A partir de então, o ciclone tropical começou a se enfraquecer rapidamente após começar a seguir sobre águas mais frias. Fausto tornou-se uma tempestade tropical ainda naquele dia,[44] e posteriormente uma depressão tropical em 22 de Julho,[45] dissipando-se completamente dois dias mais tarde.[46]

Apesar de ter afetado as ilhas mexicanas de Socorro e Clarion com ventos equivalentes a uma tempestade tropical, nenhum dano ou impacto foi relatado como consequência de Fausto.[47]

Furacão Genevieve[editar | editar código-fonte]

Furacão Genevieve
Categoria 1  (EFSS)
{{{image}}} Genevieve 2008 track.png
Duração 21 de Julho de 200827 de Julho de 2008
Intensidade 65 nós (120 km/h, 75 mph) 1 min, 987 hPa (mbar)

Uma onda tropical ficou mais bem organizada em 21 de Julho e se tornou a depressão tropical Oito-E a algumas centenas de quilômetros da costa pacífica do México.[48] Mais tarde naquele dia, a depressão se tornou a tempestade tropical Genevieve.[49] Seguindo para oeste praticamente todo o seu período de existência, Genevieve continuou a se fortalecer lentamente, embora não de forma gradual. Finalmente, em 25 de Julho, Genevieve tornou-se o quarto furacão da temporada assim que alcançou seu pico de intensidade com ventos máximos sustentados de 120 km/h.[50]

No entanto, o aumento do cisalhamento do vento e águas mais frias causaram o rápido enfraquecimento do sistema, que se tornou novamente uma tempestade tropical ainda naquele dia,[51] e uma depressão tropical no dia seguinte.[52] Em 27 de Julho, o NHC emitiu seu último aviso sobre o sistema assim que Genevieve não pôde mais ser considerado um ciclone tropical.[53] A área de baixa pressão remanescente do sistema continuou a seguir para oeste, dissipando-se completamente em 31 de Julho assim que adentrava a bacia do Pacífico centro-norte.[46]

Por se manter distante da costa durante todo o seu período de existência, Genevieve não causou danos ou impactos.

Furacão Hernan[editar | editar código-fonte]

Furacão Hernan
Categoria 3  (EFSS)
{{{image}}} Hernan 2008 track.png
Duração 6 de Agosto de 200813 de Agosto de 2008
Intensidade 105 nós (194 km/h, 121 mph) 1 min, 956 hPa (mbar)

Em 6 de Agosto, uma área de distúrbios tropicais associada a uma onda tropical ficou mais bem organizada e tornou-se a depressão tropical Nove-E a algumas centenas de quilômetros da costa pacífica do México.[54] Com condições meteorológicas favoráveis, a depressão se tornou a tempestade tropical Hernan mais tarde naquele dia.[55] O sistema continuou a se intensificar gradualmente, se tornando um furacão em 8 de Agosto.[56] A partir de então, Hernan começou a sofrer rápida intensificação, alcançando o pico de intensidade com ventos máximos sustentados de 195 km/h, intensidade equivalente a um furacão de categoria 3, em 9 de Agosto.[57] Com isso, Hernan se tornou o primeiro furacão "maior" da temporada de 2008.

A partir de então, Hernan começou a se enfraquecer lentamente, deixando se ser um furacão em 10 de Agosto.[58] A tendência de enfraquecimento se acentuou quando Hernan começou a seguir sobre águas mais frias. O sistema se enfraqueceu para uma depressão tropical em 12 de Agosto, e com isso, o NHC emitiu seu aviso final sobre o sistema, notando que Hernan rapidamente estava se degenerando para uma área de baixa pressão remanescente.[59] Por se manter distante da costa durante todo o seu período de existência, Hernan não causou danos ou impactos.

Tempestade tropical Kika[editar | editar código-fonte]

Tempestade tropical Kika
Tempestade tropical  (EFSS)
{{{image}}} Kika 2008 track.png
Duração 7 de Agosto de 200812 de Agosto de 2008
Intensidade 35 nós (65 km/h, 40 mph) 1 min, 1007 hPa (mbar)

Uma área de distúrbios meteorológicos a sudeste do arquipélago do Havaí mostrou sinais de organização em 6 de Agosto.[60] O sistema continuou a se organizar gradualmente e o Centro de Furacões do Pacífico Central (CPHC) classificou o pequeno sistema como a depressão tropical Um-C em 7 de Agosto, o primeiro ciclone tropical a se formar na bacia do Pacífico centro-norte desde a temporada de 2006.[61] Seguindo continuamente para oeste devido à influência de uma alta subtropical[61] a depressão ficou mais bem organizada e o CPHC a classificou como a tempestade tropical Kika mais tarde naquele dia.[62] Kika foi o primeiro ciclone tropical dotado de nome na bacia do Pacífico centro-norte desde o furacão Ioke em 2006. No entanto, Kika não continuou a sua tendência de intensificação devido ao cisalhamento do vento moderado.[63] Em 8 de Agosto, Kika perdeu organização enquanto se reformava ao sul de sua trajetória inicial, e se enfraqueceu para uma depressão tropical.[64]

No entanto, em 9 de Agosto, as áreas de convecção associadas a Kika voltaram a se organizar e o sistema voltou a ser uma tempestade tropical.[65] Mais uma vez a tempestade não continuou a sua tendência de intensificação, se mantendo como uma tempestade tropical mínima até 11 de Agosto, quando suas áreas de convecção voltaram a se desorganizar.[66] No dia seguinte, o CPHC emitiu seu aviso final sobre Kika assim que o sistema já não mais apresentava áreas associadas de convecção.[66] A área de baixa pressão remanescente de Kika continuou a seguir para oeste até se degenerar num cavado aberto de baixa pressão em 14 de Agosto pouco antes de cruzar a linha internacional de data.[67]

Tempestade tropical Iselle[editar | editar código-fonte]

Tempestade tropical Iselle
Tempestade tropical  (EFSS)
{{{image}}} Iselle 2008 track.png
Duração 13 de Agosto de 200816 de Agosto de 2008
Intensidade 45 nós (83 km/h, 52 mph) 1 min, 999 hPa (mbar)

Uma área de distúrbios meteorológicos associados a uma onda tropical ficou mais bem organizada em 13 de Agosto e se tornou uma depressão tropical ao largo da costa sudoeste do México.[68] Horas depois, a depressão se intensificou para a tempestade tropical Iselle.[69] Devido ao cisalhamento do vento moderado a forte, a tempestade não foi capaz de se intensificar rapidamente e atingiu seu pico de intensidade com ventos máximos sustentados de 85 km/h em 15 de agosto.[70]

No entanto, águas frias e cisalhamento do vento enfraqueceram o sistema e Iselle se enfraqueceu uma depressão tropical em 16 de Agosto.[71] Continuando a se enfraquecer, Iselle se degenerou para uma área de baixa pressão remanescente durante as primeiras horas da madrugada (UTC) do dia seguinte.[72] Por ter atuado longe de qualquer área costeira, nenhum impacto foi relacionado à tempestade.[73]

Tempestade tropical Julio[editar | editar código-fonte]

Tempestade tropical Julio
Tempestade tropical  (EFSS)
{{{image}}} Julio 2008 track.png
Duração 23 de Julho de 200826 de Julho de 2008
Intensidade 45 nós (83 km/h, 52 mph) 1 min, 998 hPa (mbar)

Uma área de distúrbios meteorológicos ficou mais bem organizada em 23 de Agosto e o Centro Nacional de Furacões (NHC) classificou o sistema como a depressão tropical Onze-E ainda naquele dia.[74] Mais tarde naquele dia, o NHC classificou a depressão para a tempestade tropical Julio.[75] Seguindo para norte-noroeste, Julio se intensificou gradualmente, atingindo o pico de intensidade em 24 de agosto, com ventos máximos sustentados de 85 km/h.[76]

Durante aquela noite (UTC), Julio fez landfall no extremo sul da península da Baixa Califórnia ainda durante deu pico de intensidade.[77] A partir de então, Julio começou a se enfraquecer gradualmente sob os efeitos da interação com terra e com o aumento no cisalhamento do vento.[78] Assim que Julio seguiu sobre o golfo da Califórnia, o NHC desclassificou o sistema para uma depressão tropical[79] e emitiu seu aviso final sobre o sistema em 26 de Agosto.[80]

Julio causou chuvas fortes sobre a península da Baixa Califórnia, causando severas enchentes, que isolaram dezenas de comunidades no estado mexicano de Baja California Sur. Pelo menos duas pessoas morreram como consequência dos impactos de Julio na região.[81]

Tempestade tropical Karina[editar | editar código-fonte]

Tempestade tropical Karina
Tempestade tropical  (EFSS)
{{{image}}} Karina 2008 track.png
Duração 2 de Setembro de 20083 de Setembro de 2008
Intensidade 35 nós (65 km/h, 40 mph) 1 min, 1000 hPa (mbar)

Uma área de distúrbios meteorológicos a oeste da costa pacífica do México ficou mais bem organizada e se tornou uma depressão tropical em 2 de setembro,[82] e a tempestade tropical Karina mais tarde naquele dia.[83]

No entanto, o cisalhamento do vento e águas mais frias causaram o enfraquecimento da tempestade, que se tornou uma depressão tropical em 3 de Setembro.[84] Mais tarde naquele dia, Karina degenerou-se numa área de baixa pressão remanescente e o Centro Nacional de Furacões (NHC) emitiu seu aviso final sobre o sistema.[85] Por ter atuado longe de qualquer área costeira, nenhum impacto foi relacionado à tempestade.[82]

Tempestade tropical Lowell[editar | editar código-fonte]

Tempestade tropical Lowell
Tempestade tropical  (EFSS)
{{{image}}} Lowell 2008 track.png
Duração 6 de Setembro de 200812 de Setembro de 2008
Intensidade 45 nós (83 km/h, 52 mph) 1 min, 998 hPa (mbar)

Em 6 de Setembro, o Centro Nacional de Furacões (NHC) classificou uma área de distúrbios meteorológicos como uma depressão tropical.[86] O sistema continuou a se organizar e se intensificou para a tempestade tropical Lowell durante as primeiras horas de 7 de setembro.[86] A tempestade continuou a se intensificar lentamente assim que seguia para noroeste, alcançando o pico de intensidade mais tarde naquele dia, com ventos de até 85 km/h,[87] antes de começar a ser afetada por cisalhamento do vento.[88] No final da noite (UTC) de 9 de Setembro, Lowell começou a seguir para norte-nordeste como resposta a formação de uma brecha na alta subtropical ao seu norte.[86]

Lowell continuou a se enfraquecer em 10 de Setembro e se tornou uma depressão tropical[89] enquanto seguia rumo à península da Baixa Califórnia, onde fez landfall no dia seguinte nesta intensidade.[90] Sobre a península, Lowell se degenerou para uma área de baixa pressão remanescente e o NHC emitiu seu aviso final sobre o sistema.[86]

O sistema remanescente de Lowell causou fortes chuvas sobre os estados mexicanos de Sinaloa[91] e Sonora.[92] As severas enchentes associadas deixaram mais de 26.500 pessoas desabrigadas.[86] As cidades de Navajoa, Benito Juárez, Huatabampo e Etchujoa foram as mais afetadas.[86] O governo do estado de Sonora disse que os prejuízos econômicos causados por Lowell no estado ultrapassaram 15,5 milhões de dólares.[93] O sistema remanescente de Lowell agregou-se a um sistema frontal, que causou chuvas torrenciais nos Estados Unidos, principalmente nos estados de Kansas, Illinois e Indiana. Em Wichita, Kansas, a precipitação acumulada em 24 horas registrada em 12 de setembro foi de 250 mm, ultrapassando em 100 mm o recorde anterior, que perdurava desde 1911.[86]

Furacão Marie[editar | editar código-fonte]

Furacão Marie
Categoria 1  (EFSS)
{{{image}}} Marie 2008 track.png
Duração 1 de Outubro de 20086 de Outubro de 2008
Intensidade 70 nós (130 km/h, 81 mph) 1 min, 984 hPa (mbar)

Uma área de distúrbios meteorológicos associada a uma onda tropical começou a ficar mais bem organizada a sudeste do extremo sul da península da Baixa Califórnia em 30 de Setembro e, no dia seguinte, o sistema se tornou uma depressão tropical.[94] Com condições meteorológicas favoráveis, a depressão rapidamente se fortaleceu para a tempestade tropical Marie.[95] Seguindo lentamente para oeste sob a influência de uma alta subtropical, Marie se intensificou gradualmente, se tornando o sexto furacão da temporada durante a noite (UTC) de 3 de Outubro.[96] Mais tarde naquele dia, Marie atingiu seu pico de intensidade, com ventos de até 130 km/h.[97]

No entanto, em 8 de outubro, Marie começou a se enfraquecer devido às águas mais frias e se enfraqueceu para uma tempestade tropical em 6 de outubro,[98] e para uma depressão tropical mais tarde naquele dia.[99] Continuando a se enfraquecer rapidamente, Marie perdeu todas as suas áreas de convecção profunda associadas e, com isso, o NHC emitiu seu aviso final sobre o sistema. Por ter atuado longe de qualquer área costeira, nenhum impacto foi relacionado à tempestade.[97]

Furacão Norbert[editar | editar código-fonte]

Furacão Norbert
Categoria 4  (EFSS)
{{{image}}} Norbert 2008 track.png
Duração 4 de Outubro de 200812 de Outubro de 2008
Intensidade 115 nós (213 km/h, 132 mph) 1 min, 945 hPa (mbar)

Uma grande área de baixa pressão próxima à costa pacífica sudeste do México ficou mais bem organizada em 4 de Outubro e o Centro Nacional de Furacões classificou o sistema como uma depressão tropical ainda naquele dia.[100] No dia seguinte, a depressão se fortaleceu e se tornou a tempestade tropical Norbert.[101] Norbert continuou a se fortalecer e se tornou o sétimo furacão da temporada em 7 de Outubro.[102] A partir de então, Norbert começou a se fortalecer rapidamente, se tornando no dia seguinte o segundo furacão "maior" da temporada.[103]

Após ter atingido seu pico de intensidade, com ventos de até 215 km/h em 8 de Outubro,[104] Norbert começou a se enfraquecer devido a um ciclo de substituição da parede do olho.[105] A intensidade de Norbert se estabilizou assim que começou a seguir para o norte.[106] A partir de então, o furacão voltou a se intensificar, voltando a ser um furacão de categoria 3 na escala de furacões de Saffir-Simpson em 11 de outubro, a poucos quilômetros da costa da península da Baixa Califórnia.[103]

Durante aquela noite, Norbert atingiu a península da Baixa Califórnia, perto de Puerto Charley, com ventos de até 165 km/h, se tornando o mais intenso ciclone tropical do Pacífico a atingir aquela região em toda a história.[107] Continuando a seguir para nordeste, Norbert cruzou em poucas horas a península e seguiu para o golfo da Califórnia, se enfraquecendo gradualmente devido à interação com terra e ao aumento do cisalhamento do vento.[108] Após cruzar o golfo, Norbert atingiu a costa continental noroeste do México, no extremo sul do estado do estado de Sonora, com ventos de até 140 km/h.[109] Após seguir sobre as altas montanhas do noroeste do México, Norbert começou a se enfraquecer rapidamente,[109] se tornando uma simples depressão tropical em 12 de Outubro. A tendência de enfraquecimento continuou e o NHC emitiu seu aviso final sobre o sistema ainda naquele dia.[110]

Fortes chuvas e ventos associados ao furacão atingiram os estado mexicanos de Baja California Sur,[111] Sonora[112] e Sinaloa.[113] As severas enchentes danificaram mais de 5.000 residência, e deixou outras 20.000 sem o fornecimento de eletricidade.[114] Pelo menos 8 pessoas morreram em Los Alamos, Sonora, devido às fortes enxurradas causadas pelo furacão.[115]

Tempestade tropical Odile[editar | editar código-fonte]

Tempestade tropical Odile
Tempestade tropical  (EFSS)
{{{image}}} Odile 2008 track.png
Duração 8 de Outubro de 200812 de Outubro de 2008
Intensidade 50 nós (93 km/h, 58 mph) 1 min, 997 hPa (mbar)

Uma área de distúrbios meteorológicos associado a uma onda tropical ao sul de El Salvador começou a mostrar sinais de organização em 8 de Outubro.[116] Mais tarde naquele dia, o Centro Nacional de Furacões (NHC) classificou o sistema para uma depressão tropical.[117] Continuando a mostrar sinais de organização, a depressão se intensificou e se tornou a tempestade tropical Odile no dia seguinte.[118] Assim que alcançou o golfo de Tehuantepec, Odile atingiu seu pico de intensidade por volta do meio-dia (UTC) de 10 de outubro.[119]

Odile manteve esta intensidade por cerca de 24 horas antes de se enfraquecer devido ao aumento do cisalhamento do vento e pela interação com terra.[120] Movendo-se ao largo da costa sudoeste do México, Odile trouxe ventos equivalentes a uma tempestade tropical para a região, que inclui Acapulco.[116] A tempestade não resistiu às condições meteorológicas desfavoráveis e se enfraqueceu para uma depressão tropical em 12 de Outubro.[116] Mais tarde naquele dia, o NHC emitiu seu aviso final sobre o sistema assim que Odile se degenerou para uma área de baixa pressão remanescente.[121]

Odile provocou fortes chuvas em Acapulco, que provocou severas enchentes por toda a cidade. Pelo menos 2 casas foram totalmente destruídas e outras 10 foram danificadas por causa das enxurradas. As enxurradas também derrubaram árvores, e os ventos fortes destelharam outras 10 residências.[122] No município vizinho de Atoyac, outras 100 residências foram fechadas. Os portos de Acapulco, de Zihuatanejo e de Lázaro Cárdenas foram fechados para embarcações pequenas.[123]

Depressão tropical Dezessete-E[editar | editar código-fonte]

Depressão tropical Dezessete-E
Depressão tropical  (EFSS)
{{{image}}} 17-E 2008 track.png
Duração 23 de Outubro de 200824 de Outubro de 2008
Intensidade 30 nós (56 km/h, 35 mph) 1 min, 1008 hPa (mbar)

Uma área de distúrbios meteorológicos ao sul de Manzanillo, costa pacífica do México, mostrou sinais de organização e se tornou uma depressão tropical em 23 de Outubro.[124]

No entanto, forte cisalhamento do vento inibiu a intensificação da depressão, que se degenerou para uma área de baixa pressão remanescente no dia seguinte.[125] Com isso, o NHC emitiu seu aviso final sobre o sistema ainda naquele dia. Por ter atuado longe de qualquer área costeira, nenhum impacto foi relacionado à tempestade.[126]

Tempestade tropical Polo[editar | editar código-fonte]

Tempestade tropical Polo
Tempestade tropical  (EFSS)
{{{image}}} Polo 2008 track.png
Duração 2 de Novembro de 20085 de Novembro de 2008
Intensidade 40 nós (74 km/h, 46 mph) 1 min, 1003 hPa (mbar)

Uma área de distúrbios meteorológicos associada à zona de convergência intertropical mostrou sinais de organização em 2 de Novembro e o Centro Nacional de Furacões (NHC) classificou o sistema para uma depressão tropical naquele dia.[127] Continuando a mostrar sinais de organização, a depressão se intensificou para a tempestade tropical Polo no dia seguinte.[128] Logo depois, a tempestade atingiu seu pico de intensidade, com ventos de 75 km/h.[129]

Sendo um sistema pequeno, a tempestade não conseguiu se fortalecer devido ao cisalhamento do vento e se enfraqueceu para uma depressão durante a madrugada de 5 de Novembro. Com isso, o NHC emitiu seu aviso final sobre o sistema.[130] Por ter atuado longe de qualquer área costeira, nenhum impacto foi relacionado à tempestade.[129]

Nomes das tempestades[editar | editar código-fonte]

Os nomes seguintes foram usados para dar nomes aos sistemas que se formam no Oceano Pacífico nordeste no ano de 2008. Este lista é a mesma que foi usado na temporada de 2002 exceto Karina, que substituiu Kenna.[131]

  • Rachel (sem usar)
  • Simon (sem usar)
  • Trudy (sem usar)
  • Vance (sem usar)
  • Winnie (sem usar)
  • Xavier (sem usar)
  • Yolanda (sem usar)
  • Zeke (sem usar)

Para o Pacífico centro-norte, são usados quatro listas consecutivas. Os nomes são usados sequencialmente até a lista acabar. É usado esta forma de nomear tempestade por causa do número baixo de sistemas que se formam naquela região. Apenas um nome foi usado na temporada, que está listado abaixo:[131]

  • Kika

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Climate Prediction Center, NOAA (2006-05-22). Background Information: East Pacific Hurricane Season National Oceanic and Atmospheric Administration. Visitado em 2007-05-22.
  2. a b Climate Prediction Center, National Oceanic and Atmospheric Administration (22 de Maio de 2008). NOAA: 2007 Tropical Eastern North Pacific Hurricane Outlook National Oceanic and Atmospheric Administration. Visitado em 22-05-2008.
  3. Central Pacific Hurricane Center, National Oceanic and Atmospheric Administration (22 de Maio de 2008). NOAA expects slightly below average central pacific hurricane season National Oceanic and Atmospheric Administration.
  4. a b Franklin/Landsea (2008). May 27 Tropical Weather Outlook (em inglês) National Hurricane Center. Visitado em 2008-05-28.
  5. Franklin/Rhome (2008). Tropical Depression One-E Discussion One (em inglês) National Hurricane Center. Visitado em 2008-05-28.
  6. Avila/Roberts (2008). Tropical Storm Alma Discussion Three (em inglês) National Hurricane Center. Visitado em 2008-05-29.
  7. Avila/Roberts (2008). Tropical Storm Alma Public Advisory Five (em inglês) National Hurricane Center. Visitado em 2008-05-29.
  8. Beven (2008). Tropical Depression Alma Discussion Seven (em inglês) National Hurricane Center. Visitado em 2008-05-30.
  9. Avila (2008). Tropical Depression Alma Discussion Eight (em inglês) National Hurricane Center. Visitado em 2008-05-30.
  10. Agence France-Presse (2008-05-29). Un muerto y daños por paso de tormenta "Alma" (em espanhol). Visitado em 2008-05-30.
  11. Boston Globe (2008-05-30). Tropical Storm Alma dies out over Central America (em inglês). Visitado em 2008-05-31.
  12. a b Pasch/Landsea/Franklin/Blake (01/07/2008). Sumário de tempo tropical (em inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 05/07/2008.
  13. Avila (27/06/2008). Depressão tropical Dois-E discussão 1 (em inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 05/07/2008.
  14. Blake (01/07/2008). Furacão Boris discussão 18 (em inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 05/07/2008.
  15. Knabb (01/07/2008). Tempestade tropical Boris discussão 20 (em inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 05/07/2008.
  16. Blake (02/07/2008). Furacão Boris discussão 22 (em inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 05/07/2008.
  17. Franklin (02/07/2008). Tempestade tropical Boris discussão 24 (em inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 05/07/2008.
  18. Beven (04/07/2008). Depressão tropical Boris discussão 29 (em inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 05/07/2008.
  19. Landsea/Knabb (04/07/2008). Depressão tropical Boris discussão 30 (em inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 05/07/2008.
  20. Pasch/Landsea/Franklin/Blake (1/07/2008). Tropical Weather Summary (em inglês) Centro Nacional de Furacões (NHC). Visitado em 03/07/2008.
  21. Roberts/Beven (27/06/2008). Tropical Storm CRISTINA (em inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 03/07/2008.
  22. Roberts/Beven (28/06/2008). Tropical Storm CRISTINA (em inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 03/07/2008.
  23. Roberts/Beven (29/06/2008). Tropical Storm CRISTINA (em inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 03/07/2008.
  24. Roberts/Beven (29/06/2008). Tropical Storm CRISTINA (em inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 03/07/2008.
  25. Roberts/Beven (30/06/2008). Tropical Storm CRISTINA (em inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 03/07/2008.
  26. Beven (02/07/2008). Depressão tropical 04E discussão 01 (em inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 06/07/2008.
  27. Brown (02/07/2008). Tempestade tropical Douglas discussão 03 (em inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 06/07/2008.
  28. Avila (03/07/2008). Depressão tropical Douglas discussão 07 (em inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 06/07/2008.
  29. Beven (04/07/2008). Depressão tropical Douglas discussão 09 (em inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 06/07/2008.
  30. a b Avila (05/07/2008). Depressão tropical 05-E discussão 01 (em inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 07/07/2008.
  31. Rhome (07/07/2008). Depressão tropical 05-E discussão 06 (em inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 07/07/2008.
  32. Landsea/Knabb (07/07/2008). Depressão tropical 05-E discussão 07 (em inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 07/07/2008.
  33. García, Raul (07/07/2008). En alerta en la capital del Estado ante peligro de deslave de cerros (em Espanhol) El Sol de Zacateas. Visitado em 08/07/2008.
  34. Roberts/Knabb. Tropical Depression Six-E discussion 001 Centro Nacional de Furacões. Visitado em 22/07/2008.
  35. Roberts/Beven. Tropical Storm Elida discussion 002 Centro Nacional de Furacões. Visitado em 22/07/2008.
  36. Rhome. Hurricane Elida discussion 010 Centro Nacional de Furacões. Visitado em 22/07/2008.
  37. Roberts/Avila. Tropical Storm Elida discussion 026 Centro Nacional de Furacões. Visitado em 22/07/2008.
  38. Rhome. Tropical Depression Elida discussion 030 Centro Nacional de Furacões. Visitado em 22/07/2008.
  39. Knabb. Tropical Depression Elida discussion 032 Centro Nacional de Furacões. Visitado em 22/07/2008.
  40. Franklin (16/07/2008). Tropical Depression Seven-E (em inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 21/08/2008.
  41. Franklin (16/07/2008). Tropical Storm Fausto (em inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 21/08/2008.
  42. Knabb (18/07/2008). Hurricane Fausto (em inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 23/08/2008.
  43. Roberts/Knabb (19/07/2008). Hurricane Fausto (em inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 23/08/2008.
  44. a b Roberts/Pasch (21/07/2008). Hurricane Fausto (em inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 23/08/2008.
  45. Landsea/Blake (22/07/2008). Tropical Depression Fausto (em inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 25/08/2008.
  46. a b Avila/Beven/Blake/Franklin/Knabb/Pasch (1/08/2008). Tropical Weather Summary (em inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 21/08/2008.
  47. Landsea/Knabb (20/07/2008). Hurricane Fausto (em inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 25/08/2008.
  48. Centro Nacional de Furacões. Tropical Depression Eight-E (em inglês). Visitado em 01/09/2008.
  49. Centro Nacional de Furacões. Tropical Storm Genevieve (em inglês). Visitado em 01/09/2008.
  50. Centro Nacional de Furacões. Hurricane Genevieve (em inglês). Visitado em 01/09/2008.
  51. Centro Nacional de Furacões. Tropical Storm Genevieve (em inglês). Visitado em 01/09/2008.
  52. Centro Nacional de Furacões. Tropical Depression Genevieve (em inglês). Visitado em 01/09/2008.
  53. Centro Nacional de Furacões. Tropical Depression Genevieve (em inglês). Visitado em 01/09/2008.
  54. Centro Nacional de Furacões (NHC). Tropical Depression Nine-E (em inglês). Visitado em 03/09/2008.
  55. Centro Nacional de Furacões (NHC). Tropical Storm Hernan (em inglês). Visitado em 03/09/2008.
  56. Centro Nacional de Furacões (NHC). Hurricane Hernan (em inglês). Visitado em 05/09/2008.
  57. Centro Nacional de Furacões (NHC). Hurricane Hernan (em inglês). Visitado em 05/09/2008.
  58. Centro Nacional de Furacões (NHC). Tropical Storm Hernan (em inglês). Visitado em 05/09/2008.
  59. Centro Nacional de Furacões (NHC). Tropical Depression Hernan (em inglês). Visitado em 05/09/2008.
  60. Joint Typhoon Warning Center (JTWC). TCFA (em inglês). Visitado em 08/09/2008. Arquivado do WebCite
  61. a b Centro de Furacões do Pacífico Central (CPHC). Tropical Depression One-C (em inglês). Visitado em 08/09/2008.
  62. Centro de Furacões do Pacífico Central (CPHC). Tropical Storm Kika (em inglês). Visitado em 08/09/2008.
  63. Centro de Furacões do Pacífico Central (CPHC). Tropical Storm Kika (em inglês). Visitado em 11/09/2008.
  64. Centro de Furacões do Pacífico Central (CPHC). Tropical Storm Kika (em inglês). Visitado em 11/09/2008.
  65. Centro de Furacões do Pacífico Central (CPHC). Tropical Storm Kika (em inglês). Visitado em 11/09/2008.
  66. a b Centro de Furacões do Pacífico Central (CPHC). Tropical Storm Kika (em inglês). Visitado em 11/09/2008.
  67. National Oceanic and Atmospheric Administration (NOAA). Kika's running best track (em inglês). Visitado em 11/09/2008.
  68. Stewart/Brown (13/08/2008). Tropical Depression Ten-E Discussion 01 (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 22/01/2008.
  69. Stewart/Franklin (13/08/2008). Tropical Storm Iselle Discussion 02 (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 22/01/2008.
  70. Stewart/Beven (14/08/2008). Tropical Storm Iselle Discussion 05 (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 22/01/2008.
  71. Roberts/Avila (15/08/2008). Tropical Depression Iselle Discussion 02 (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 22/01/2008.
  72. Roberts/Avila (15/08/2008). Tropical Depression Iselle Discussion 15 (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 22/01/2008.
  73. Eric S. Blake (05/12/2008). Tropical Cyclone Report Tropical Storm Iselle (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 22/01/2008.
  74. Roberts/Avila (23/08/2008). Tropical Depression Eleven-E Discussion 01 (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 22/01/2009.
  75. Blake/Avila (23/08/2008). Tropical Storm Julio Update (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 22/01/2009.
  76. Brown/Franklin (23/08/2008). Tropical Storm Julio Discussion 05 (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 22/01/2009.
  77. James Franklin (2008-08-25). Tropical Storm Julio Discussion Seven (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 2008-08-26.
  78. Jack Beven (2008-08-25). Tropical Storm Julio Discussion Eight (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 2008-08-26.
  79. Stewart/Rhome (2008-08-26). Tropical Depression Julio Discussion Eleven (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 2008-08-26.
  80. Richard Pasch (2008-08-26). Tropical Depression Julio Discussion Thirteen (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 2008-08-26.
  81. Gladys Rodríguez, Marcelo Beyliss e Horacio Jiménez (2008-08-27). ‘Julio’ deja 2 muertos en BCS y Sonora (em Espanhol) El Universal. Visitado em 2008-08-27.
  82. a b Lixion A. Avila (07/10/2008). Tropical Cyclone Report Tropical Storm Karina (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 23/01/2009.
  83. Franklin (02/09/2008). Tropical Storm Karina Discussion 01 (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 23/01/2009.
  84. Franklin (03/09/2008). Tropical Depression Karina Discussion 03 (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 23/01/2009.
  85. Franklin (03/09/2008). Tropical Depression Karina Discussion 05 (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 23/01/2009.
  86. a b c d e f g Robbie Berg (02/12/2008). Tropical Cyclone Report Tropical Storm Lowell (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 23/01/2009.
  87. Blake (07/09/2008). Tropical Storm Lowell Discussion 04 (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 23/01/2009.
  88. Beven (08/09/2008). Tropical Storm Lowell Discussion 07 (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 23/01/2009.
  89. Brown (10/09/2008). Tropical Depression Lowell Discussion 14 (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 23/01/2009.
  90. Brown (11/09/2008). Tropical Depression Lowell Discussion 18 (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 23/01/2009.
  91. Afecta a 80 localidades de Sinaloa la tormenta Lowell (em Espanhol) Tabasco Hoy (12/09/2008). Visitado em 23/01/2009.
  92. Francisco Aurelio Garcia Preciado (15/09/2008). Tormenta Lowell deja incomunicado el sur de Sonora (em Espanhol) Ciudad Obregon. Visitado em 23/01/2009.
  93. Deja Lowell en Sonora pérdidas por 200 mdp (em Espanhol) Terra Networks (México) (22/09/2008). Visitado em 23/01/2009.
  94. Beven (01/10/2008). Tropical Depression Fourteen-E (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 19/01/2009.
  95. Roberts/Franklin (01/10/2008). Tropical Storm Marie (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 19/01/2009.
  96. Blake (03/10/2008). Hurricane Marie (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 19/01/2009.
  97. a b Stewart, Stacy R. (16/11/2008). Hurricane Marie (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 19/01/2009.
  98. Blake (04/10/2008). Tropical Storm Marie (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 19/01/2009.
  99. Pasch (06/10/2008). Tropical Depression Marie (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 19/01/2009.
  100. Stewart (03/01/2009). Tropical Depression Fifteen-E Discussion 01 (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 20/01/2009.
  101. Stewart (04/01/2009). Tropical Storm Norbert Discussion 05 (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 20/01/2009.
  102. Brown (07/01/2009). Hurricane Norbert Discussion 14 (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 20/01/2009.
  103. a b Stewart (11/10/2008). Hurricane Norbert Discussion 30 (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 21/01/2009.
  104. Brown (08/01/2009). Hurricane Norbert Discussion 20 (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 20/01/2009.
  105. Avila (09/01/2009). Hurricane Norbert Discussion 22 (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 20/01/2009.
  106. Franklin, James L. (07/01/2009). Tropical Cyclone Report Hurricane Norbert (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 20/01/2009.
  107. Brown/Avila (11/10/2008). Hurricane Norbert Discussion 32 (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 21/01/2009.
  108. Blake/Beven (11/10/2008). Hurricane Norbert Discussion 33 (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 21/01/2009.
  109. a b Pasch (12/10/2008). Tropical Storm Norbert Discussion 34 (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 21/01/2009.
  110. Blake/Beven (11/10/2008). Tropical Depression Norbert Discussion 35 (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 21/01/2009.
  111. Huracán Norbert deja un desaparecido en México (em Espanhol) El Heraldo (11/10/2008). Visitado em 24/01/2009.
  112. Cuatro muertos y un desaparecido por huracán 'Norbert' en México (em Espanhol) Terra Networks (México) (13/10/2008). Visitado em 24/01/2009.
  113. Azota Norbert BCS, Sonora y Sinaloa (em Espanhol) La Jornada (12/10/2008). Visitado em 24/01/2009.
  114. Huracán Norbert destruye casas y causa cortes de luz en noroeste de México (em Espanhol) Eco Diario (11/10/2008). Visitado em 24/01/2009.
  115. Hurricane Norbert Slams Mexico Twice, 8 Dead (em Inglês) The Log.com (16/10/2008). Visitado em 24/01/2009.
  116. a b c John L. Beven II (19/11/2008). Tropical Cyclone Report Tropical Storm Odile (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 24/01/2008.
  117. Pasch (08/10/2008). Tropical Depression Sixteen-E Discussion 01 (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 24/01/2008.
  118. Roberts/Avila (09/10/2008). Tropical Storm Odile Discussion 03 (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 24/01/2008.
  119. Stewart (10/10/2008). Tropical Storm Odile Discussion 07 (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 24/01/2008.
  120. Avila (11/10/2008). Tropical Storm Odile Discussion 13 (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 24/01/2008.
  121. Avila/Franklin (12/10/2008). Tropical Depression Odile Discussion 17 (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 24/01/2008.
  122. Tormenta 'Odile' deja daños materiales en Acapulco (em Espanhol) Televisa (11/10/2008). Visitado em 24/01/2008.
  123. ‘Odile’ causa daños en casas y carreteras (em Espanhol) El Mañana (12/10/2008). Visitado em 24/01/2008.
  124. Brennan/Beven (23/10/2008). Tropical Depression Seventeen-E Discussion 01 (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 24/01/2009.
  125. Brennan/Franklin (23/10/2008). Tropical Depression Seventeen-E Discussion 06 (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 24/01/2009.
  126. Michael J. Brennan (23/11/2008). Tropical Cyclone Report Tropical Depression Seventeen-E (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 24/01/2009.
  127. Pasch (02/11/2008). Tropical Depression Eighteen-E Discussion 01 (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 24/01/2009.
  128. Brennan/Franklin (02/11/2008). Tropical Storm Polo Discussion 02 (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 24/01/2009.
  129. a b Robbie Berg (09/12/2008). Tropical Cyclone Report Tropical Storm Polo (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 24/01/2009.
  130. Franklin (04/11/2008). Tropical Depression Polo Discussion 10 (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 24/01/2009.
  131. a b Worldwide Tropical Cyclone Names (em inglês) NHC. Visitado em 12 de Janeiro de 2008.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]




Ciclones tropicais da Temporada de furacões no Pacífico de 2008
Escala de Furacões de Saffir-Simpson
DT TS TT 1 2 3 4 5



* - Pacífico centro-norte