Tratado de paz Israel-Jordânia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes fiáveis e independentes. (desde outubro de 2011). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Aperto de mão entre Hussein I da Jordânia e Yitzhak Rabin, acompanhados por Bill Clinton, durante as negociações Israel-Jordânia, 26 de outubro de 1994.
Emblem of Israel.svg Estado de Israel Flag of Israel.svg
Geografia
História de Israel
Conflito Árabe-Israelense

Guerra Árabe-Israelense
Armísticio de 1949 · Guerra do Suez
Guerra dos Seis Dias · Guerra de Yom Kipur
Primeira Guerra do Líbano
Segunda Guerra do Líbano
Tratados de paz com: Egito, Jordânia

Conflito Palestino-Israelense

Cronologia · Processo de Paz
Primeira Intifada · Oslo · Segunda Intifada
Barreira · Plano unilateral

Economia
Demografia · Cultura

Judaísmo · Arábes israelenses · Kibutz
Música · Arqueologia · Universidades
Hebraico · Literatura · Israelenses

Leis · Política
Defesa de Israel

Portal:Israel

O Tratado de paz IsraelJordânia (título completo: Tratado de Paz entre o Estado de Israel e o Reino Hachemita da Jordânia) (em hebraico: הסכם השלום בין ישראל לירדן; transcrição: Heskem Ha-Shalom beyn Yisra'el Le-Yarden) (em árabe: معاهدة السلام الأردنية الإسرائيلية; transcrição: Mu'ahadat as-Salaam al-'Urdunniyah al-Isra'yliyah, por vezes referido como Tratado de Wadi Araba) é um tratado de paz assinado em 1994 entre os dois estados vizinhos. O tratado veio normalizar as relações entre os dois países e resolveu disputas territoriais entre si. A sua assinatura está fortemente ligada aos esforços do Processo de Paz Israel-Palestina entre Israel e a Organização de Libertação da Palestina representante da Autoridade Palestiniana.

Foi assinado em Arava, posto fronteiriço na fronteira Israel-Jordânia em 26 de Outubro de 1994, fazendo com que a Jordânia fosse o segundo país árabe a normalizar relações com Israel, seguindo-se ao Egito.

Este tratado compreende seis pontos principais: a demarcação da fronteira Israel-Jordânia, assuntos referentes aos recursos hídricos, a segurança, a liberdade de movimentos, os lugares de significado histórico e religioso e os refugiados e pessoas deslocadas.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]