Primeira Intifada

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A Primeira Intifada, também chamada guerra das pedras, foi uma manifestação espontânea da população palestina contra a ocupação israelense, iniciada em 9 de dezembro de 1987. O termo surgiu após o levante espontâneo que rebentou em 1987, no campo de refugiados de Jabaliyah, no extremo norte da Faixa de Gaza, com a população civil palestina atirando paus e pedras contra os militares israelenses.

O movimento atingiu seu ápice em fevereiro do mesmo ano, quando um fotógrafo israelense publicou imagens que mostravam soldados israelenses "molestando violentamente" os palestinos, o que suscitou a indignação da opinião pública [1] . A revolta só terminou no final de 1993, por ocasião da assinatura dos Acordos de Oslo.

Intifada, em árabe, significa tremer ou calafrios de medo ou doença, também significa um despertar abrupto, ou súbito, de um sonho ou inconsciência. Politicamente, a palavra simboliza o levante palestino contra a ocupação de Israel.

"Palestina é a nossa casa

Nós nascemos aqui

Nós vivemos aqui

Nós amamos aqui

Não odiamos ninguém, mas desprezamos a injustiça

Na paz acreditamos, pela liberdade nós lutamos

Nós temos o direito de viver em paz em nossa Palestina. Por isso existe Intifada."

(cântico de guerra palestino)

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. RAZOUX, Pierre. Tsahal - Nouvelle histoire de l'armée israélienne. Paris: Perrin, 2006. ISBN 2-262-02328-X p.407]
Ícone de esboço Este artigo sobre a Palestina é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.