Uxmal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes. (desde dezembro de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Pix.gif Cidade Pré-Hispânica de Uxmal *
Welterbe.svg
Património Mundial da UNESCO

Uxmal Pyramid of the Magician.jpg
A Pirâmide do Adivinho
País México
Critérios C (i) (ii) (iii)
Referência 791
Coordenadas 20° 21′ N 89° 46′ W
Histórico de inscrição
Inscrição 1996  (20ª sessão)
* Nome como inscrito na lista do Património Mundial.

Uxmal localiza-se na península de Yucatán, no México. Um dos mais conhecidos sítios arqueológicos maias, é considerada uma cidade típica de seu povo. Com uma população estimada de cerca de 25.000 pessoas, foi uma das maiores cidades do Yucatán. A disposição dos edificios, que datam entre 700 e 1000, revela conhecimento de astronomia.

Entre os seus tesouros encontram-se a Pirâmide do Adivinho, uma estrutura de quase 40 metros de altura, e o Quadrilátero das Freiras.

História[editar | editar código-fonte]

Panorama de Uxmal

Uxmal foi fundada por volta de 500 por Hun Uitzil Chac Tutul Xiu. Durante gerações Uxmal foi governada pela dinastia Xiu, era a cidade mais poderosa no oeste do Yucatán, e por pouco tempo em aliança com Chichén Itzá dominou toda a área norte maia. Algum tempo depois de 1200 mais nenhuma grande construção foi feita em Uxmal, possivelmente relacionado com a caída da aliada de Uxmal, Chichén Itzá e a mudança do poder no Yucatán para Mayapan. Os Xiu mudaram a sua capital para Maní e a população de Uxmal caiu. A seguir à Conquista Espanhola do Yucatán (na qual os Xiu se aliaram com os espanhóis), documentos coloniais sugerem que Uxmal foi um sitio habitado com alguma importância até à volta de 1550, mas nenhuma cidade espanhola foi aqui construida e depressa Uxmal foi abandonada.

Um dos muitos desenhos de Catherwood

Desde a Indepêndencia do México que Uxmal atraiu muitos visitantes. A primeira descrição detalhada das ruínas foi publicada por Jean Frederic Waldeck em 1838. John Lloyd Stephens e Frederick Catherwood fizeram duas longas visitas a Uxmal por volta de 1840com Catherwood a fazer tantos planos e desenhos que podiam ser usados para construir um duplicado da antiga cidade (infelizmente a maior parte dos desenhos e planos está perdida). Desiré Charnay tirou uma série de fotografias de Uxmal em 1860. Alguns anos depois a Imperatriz Carlota do México visitou Uxmal. Sylvanus Griswold Morley fez um mapa do sítio em 1909 que incluia alguns edifícios antes negligenciados. O primeiro projecto do governo do México para restaurar alguns edificios em riscos de colapso ou em deterioração veio em 1927. A Rainha Isabel II do Reino Unido visitou em 27 de Fevereiro de 1975 para a inauguração do espectáculo de luz e de som do sítio. Quando estava a tocar a oração maia a Chaac (o deus da chuva) uma chuva torrencial caiu por cima dos dignitários, para além do facto que estava na estação das chuvas.

Dois hotéis e um pequeno museu foram construídos nas ruínas da antiga cidade.

Ícone de esboço Este artigo sobre arquitetura é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.