Zeta Orionis

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
ζ Orionis Aa / Ab / B
Zeta Orionis (no canto inferior direito) e a Nebulosa da Chama.
Zeta Orionis (no canto inferior direito) e a Nebulosa da Chama.
Dados observacionais (J2000)
Constelação Orion
Asc. reta 05h 40m 45,5s
Declinação -01° 56′ 33,5″
Magnitude aparente 1,70 / ~4 / 4,21
Características
Tipo espectral O9 Iab / O9 / B0 III
Cor (U-B) −1,07
Cor (B-V) 0,14 / ? / −0,01
Astrometria
Velocidade radial 18 km/s
Mov. próprio (AR) 3,99 mas/a
Mov. próprio (DEC) 2,54 mas/a
Paralaxe 3,99 ± 0,79
Distância 800 anos-luz
250 pc
Magnitude absoluta −5,25 / −3 / −2,8
Detalhes
Massa 28/23/? M
Raio 20/? R
Luminosidade 100 000 / 1 300/ ? L
Temperatura 30 000 / ? / 24 000 K
Metalicidade  ?
Rotação 140 km/s / ?
Idade  ? anos
Outras denominações
Alnitak, Al Nitak, Alnitah, ζ Ori, 50 Ori, HR 1948/9, BD −02°1338, HD 37742, SAO 132444, HIP 26727, TD1 5127.
Zeta Orionis
Orion constellation map.png

Zeta Orionis (ζ Ori, ζ Orionis), conhecida tradicionalmente como Alnitak (do árabe النطاق an-niṭāq, "o cinto"),[1] é uma estrela tripla na constelação de Orion. Juntamente com Delta Orionis (Mintaka) e Epsilon Orionis (Alnilam), Zeta Orionis forma o cinturão de Orion, conhecido por diversos nomes de culturas antigas (popularmente conhecidas como "As Três Marias"). Zeta Orionis é a estrela mais à esquerda dele.

A estrela primária é uma supergigante azul de magnitude absoluta -5,25, e com magnitude aparente de 1,70, é a estrela de classe O mais brilhante do céu. Ela tem duas companheiras de magnitude 4. As estrelas são membros da associação Orion OB1.

História de observação[editar | editar código-fonte]

Comparação de tamanho entre o Sol e Zeta Orionis.

Zeta Orionis é conhecida desde a antiguidade, e como membro do cinturão de Orion, teve grande importância cultural. Em 1819, o astrônomo alemão George K. Kunowsky descobiu que ela é uma estrela dupla.[1] Mais recentemente, em 1998, uma equipe do Observatório Lowell descobriu que a estrela primária tem uma companheira, algo que já tinha sido suspeitado desde a década de 1970, a partir de observações feitas pelo Narrabri Stellar Intensity Interferometer.[2] Inicialmente pensado estar a 1 500 anos-luz, o sistema Zeta Orionis foi medido pelo satélite Hipparcos em 1996, onde descobriu-se que está, na verdade, a aproximadamente 800 anos-luz da Terra.

Sistema[editar | editar código-fonte]

Zeta Orionis é um sistema estelar triplo que está a 800 anos-luz de distância. A estrela primária, Zeta Orionis Aa, é uma supergigante azul de tipo espectral O9Iab, de magnitude absoluta -5,25. Ela é 28 vezes mais massiva que o Sol, e estima-se ter um raio 20 maior que o raio solar.[3] Zeta Orionis B é uma estrela de magnitude aparente 4 de classe B que orbita Zeta Orionis Aa a cada 1 500 anos. A terceira estrela, Zeta Orionis Ab, só foi descoberta em 1998.[2] Ela é uma estrela de magnitude aparente 4 de classe O.

O sistema Zeta Orionis está cercado pela nebulosidade de IC 434.

Referências

  1. a b Richard Hinckley Allen, Star-names and their meanings (1936), p. 314-15.
  2. a b Hummel CA, White NM, Elias NM II, Hajian AR, Nordgren TE. (2000). "ζ Orionis A Is a Double Star". The Astrophysical Journal 540 (2): L91–L93. DOI:10.1086/312882.
  3. Remie H, Lamers HJGLM. (1982). "Effective temperatures, and radii of luminous O and B stars - A test for the accuracy of the model atmospheres". Astronomy and Astrophysics 105 (1): 85–97.