Orion (constelação)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Orion

Orion constellation map.png
Nome latino
Genitivo

Orion
Orionis

Abreviatura Ori
 • Coordenadas
Ascensão reta
Declinação
5 h
Área total 594° quadrados
 • Dados observacionais
Visibilidade
- Latitude mínima
- Latitude máxima
- Meridiano
 
-75°
+85°
25 de Janeiro, às 21h
Estrela principal
- Magn. apar.
Rigel (β Orionis)
0,12
Outras estrelas
- Magn. apar. < 3
- Magn. apar. < 6
 
6
-
 • Chuva de meteoros
 • Constelações limítrofes
Em sentido horário:
A movimentação da constelação no céu.

Orion, Oríon, Órion ou Orionte, o caçador Órion, é uma constelação do equador celeste. As estrelas que compõem esta constelação podem ter como elemento do seu nome o genitivo "Orionis".

Órion é uma constelação reconhecida em todo o mundo, por incluir estrelas brilhantes e visíveis de ambos os hemisférios.

A constelação tem a forma de um trapézio formado por quatro estrelas: Betelgeuse (Alpha Orionis) de magnitude aparente 0,50, Rigel (Beta Orionis) de magnitude aparente 0,12, Bellatrix (Gamma Orionis) de magnitude aparente 1,64 e Saiph (Kappa Orionis) de magnitude aparente 2.06.[1] [2]

É uma constelação fácil de ser enxergada pois, dentre as estrelas que a compõem, destaca-se a presença de três, Mintaka (Delta Orionis) de magnitude aparente 2,23, Alnilam (Epsilon Orionis) de magnitude aparente 1,70 e Alnitak (Zeta Orionis) de magnitude aparente 2,03, popularmente conhecidas como "As Três Marias", que formam o cinturão de Órion e estão localizadas no centro da constelação.[1] [2]

Nesta constelação também encontra-se uma das raras nebulosas que podem ser vistas a olho nu, a Nebulosa de Órion que é uma região de intensa formação de estrelas.[2]

As constelações vizinhas são Gemini (Gêmeos), Taurus (Touro), Eridanus, Lepus (Lebre) e Monoceros (Unicórnio).[3]

Mitologia[editar | editar código-fonte]

Na Mitologia grega representa o herói Órion, grande caçador e amado por Ártemis. Apolo, irmão de Ártemis, por não aprovar o romance entre os dois envia um escorpião para matá-lo. Apolo, então, desafia a pontaria de Ártemis, outra grande caçadora, que atinge em cheio seu amado que fugia do escorpião. Percebendo o engano que havia cometido, Ártemis, em meio às lágrimas, pediu para Zeus colocar Órion e o Escorpião entre as estrelas.[4]

Na Mitologia nórdica, a constelação é denominada "Frigga Distaff" (Fuso de Frigga). Como a constelação está no equador celestial, vários intérpretes sugerem que as estrelas que giram no céu da noite podem ter sido associadas com a roda girando da deusa Frigga.[carece de fontes?]

Imagens[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b The Astronomical Almanac. Washington: U.S. Gov Printing Office, 2007. ISBN 0-11-887337-7
  2. a b c Mourão, Ronaldo Rogério de Freitas. Atlas Celeste. 3ª ed. Petrópolis: Vozes, 1981. p. 37.
  3. Mourão, Ronaldo Rogério de Freitas. Uranografia. 3ª ed. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1989. p. 230. ISBN 85-265-0174-7
  4. Robert Graves, O Grande Livro Dos Mitos Gregos, São Paulo, Ediouro, 2008 p. 182
Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Orion (constelação)
Planetas extra-solares da constelação de Orion
Sistema solar.png
Gliese 179 b · HD 34445 b · HD 37605 b · HD 38529 b · HD 290327 b
lista de sistemas planetários · sistema solar
Ícone de esboço Este artigo sobre astronomia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.