Betelgeuse

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Betelgeuse
Dados observacionais (J200)
Constelação Orion
Asc. reta 05h 55m 10,29s
Declinação +07° 24′ 25,3″
Magnitude aparente +0,45 (+0,3 a +0,6 (+1,3)
Características
Tipo espectral M1-2 Ia-Iab
Cor (U-B) +1,850
Cor (B-V) 2,32
Variabilidade SR c (semirregular)
Astrometria
Velocidade radial +21,0
Mov. próprio (AR) 27,33
Mov. próprio (DEC) 10,86
Paralaxe 7,63 ± 1,64
Distância 427 ± 92 anos-luz
131 pc
Magnitude absoluta -5,3 a -5,0
Detalhes
Massa 14 M
Raio 650 R
Luminosidade 40 000–100 000 L
Temperatura 3 600 K
Idade 6 × 106 anos
Outras denominações
Alpha Orionis, 58 Ori, HR 2061, BD+7°1055, HD 39801, SAO 113271, FK5 224, HIP 27989
Betelgeuse
Orion constellation map.png

Alpha Orionis (α Orionis) conhecida como Betelgeuse é uma estrela de brilho variável sendo a 10ª ou 12ª estrela mais brilhante no firmamento. É também a segunda estrela mais brilhante na constelação de Orion. Apesar de ter a designação α ("alpha") na Classificação de Bayer, ela não é mais brilhante que Rigel (β Orionis).

Betelgeuse é na verdade mais brilhante do que Rigel no comprimento de onda infravermelho, mas não nos comprimentos de onda visíveis.

Características[editar | editar código-fonte]

Nebulosa em torno da Betelgeuse

Betelgeuse é uma estrela supergigante vermelha, e uma das maiores estrelas conhecidas, sendo de grande interesse para a astronomia. O diâmetro angular de Betelgeuse foi medido pela primeira vez em 1920-1921 por Michelson e Pease, sendo uma das cinco primeiras a serem medidas usando um interferómetro no telescópio de 100 polegadas do Monte Wilson. O seu diâmetro varia entre 500 e 900 vezes o do Sol. No diâmetro máximo, a estrela seria maior que a órbita de Saturno se colocada no lugar do Sol. Apesar de ser apenas 14 vezes mais massiva que o Sol, é cerca de algumas centenas de milhões de vezes maior em volume, como uma bola de futebol comparada a um grande estádio de futebol. A sua proximidade à Terra e o seu enorme tamanho fazem dela a estrela com o terceiro maior diâmetro angular vista da Terra [1], menor apenas que o Sol e R Doradus. É uma das 12 estrelas em que os telescópios atuais podem visualizar o seu disco real.

Supernova[editar | editar código-fonte]

Os astrónomos prevêem que Betelgeuse pode passar por uma supernova tipo II. No entanto, as opiniões estão divididas quanto ao momento em que isto deve ocorrer. Alguns sugerem que a variabilidade actual como um sinal de que já está na fase de queima de carbono do seu ciclo de vida, e deve sofrer uma explosão supernova aproximadamente nos próximos mil anos. Cépticos discordam com esse ponto de vista e afirmam que a estrela deve sobreviver muito mais tempo.

Há consenso de que tal supernova seria um evento astronómico espectacular, mas não seria uma ameaça para a vida na Terra, dada a enorme distância a que se encontra. Mas a estrela vai tornar-se pelo menos 10000 vezes mais brilhante, o que significa um brilho equivalente ao de uma Lua crescente. Entretanto alguns crêem que ela pode chegar ao brilho de uma Lua cheia (mv = -12.5). Esse fenómeno deve durar por alguns meses, parecendo uma pequena Lua cheia com a cor de uma lâmpada incandescente à noite e facilmente visível durante o dia. Após esse período a estrela vai apagar-se gradualmente até que após alguns meses ou anos desapareça complectamente e Orion perca o ombro direito.

Etimologia de "Betelgeuse"[editar | editar código-fonte]

O nome é uma contração do árabe يد الجوزا yad al-jawzā, ou "a mão do (guerreiro, homem) do centro". Jauza, o do centro, inicialmente se referia a Gémeos entre os Árabes, mas a algum momento decidiram referir-se a Orion por este nome. Durante a Idade Média o primeiro caracter do nome , y (, com dois ponto sob ele), foi erroneamente traduzido para o Latim como um b (, com um ponto apenas), e Yad al-Jauza tornou-se Bedalgeuze. Então, durante o Renascimento, alguém tentou derivar o nome árabe deste nome corrompido, e decidiu que ele foi escrito originalmente como Bait al-Jauza. Esta pessoa imaginativa então declarou que Bait seria "braço" em Árabe, para surpresa dos árabes em todo o mundo. O linguista sem nome da Renascença então "corrigiu" a grafia para Betelgeuse, e o termo moderno nasceu. Para que Betelgeuse tivesse o sentido do "braço do centro", o original deveria ser ابط Ibţ (al-Jauza).

Outros nomes:

  • Al Dhira (o braço)
  • Al Mankib (o Ombro)
  • Al Yad al Yamma (a Mão direita)
  • Ardra (Hindi)
  • Bahu (sânscrito)
  • Bed Elgueze
  • Beit Algueze
  • Besn (Persa) (o braço)
  • Beteigeuze
  • Beteiguex
  • Betelgeuze (Bet El-geuze),
  • Betelgeza (Esloveno)
  • Betelguex
  • Ied Algeuze (A mão de Orion)
  • Yedelgeuse
  • 平家星 Heikeboshi (Japan)(Bintang klan Heike)[1] [2] ,

Referências

  1. "en:Daijirin" p.2327 ISBN:4385139024
  2. en:Hōei Nojiri"Shin seiza jyunrei"p.19 ISBN: 9784122041288

Ligações externas[editar | editar código-fonte]