Água Doce

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para a designação para a água dos rios e lagos, veja Água doce.
Município de Água Doce
Igreja de Água Doce.jpg

Bandeira de Água Doce
Brasão de Água Doce
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 25 de julho
Fundação 21 de junho de 1958 (59 anos)
Gentílico água-docense
Prefeito(a) Bissani (PP)
(2017–2020)
Localização
Localização de Água Doce
Localização de Água Doce em Santa Catarina
Água Doce está localizado em: Brasil
Água Doce
Localização de Água Doce no Brasil
26° 59' 52" S 51° 33' 21" O26° 59' 52" S 51° 33' 21" O
Unidade federativa  Santa Catarina
Mesorregião Oeste Catarinense IBGE/2008[1]
Microrregião Joaçaba IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Palmas, General Carneiro, Ibicaré, Luzerna, Joaçaba, Caçador, Salto Veloso, Treze Tílias, Macieira, Catanduvas, Ponte Serrada, Passos Maia e Vargem Bonita
Distância até a capital 400 km
Características geográficas
Área 1 313,014 km² [2]
População 6 960 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade 5,3 hab./km²
Altitude 847 m
Clima Mesotérmico, com temperatura média de 16,6°C.
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,809 muito alto PNUD/2000[4]
PIB R$ 196 109,472 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 28 200,96 IBGE/2008[5]
Página oficial
Prefeitura www.aguadoce.sc.gov.br

Água Doce é um município brasileiro do estado de Santa Catarina. Localiza-se a uma latitude 26°59'52" sul e a uma longitude 51°33'22" oeste, estando a uma altitude de 969 metros. Sua população é de 6960 habitantes, segundo dados do IBGE 2010.

Possui uma área de 1311 km² e é o quinto município em extensão territorial do Estado de Santa Catarina.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

Tem este nome por causa de um pequeno incidente com um tropeiro chamado João Líbia, que viajava até Marcelino Ramos para buscar mantimentos. Em meio a essas viagens, um rio tinha que ser atravessado, e uma mula que estava transportando açúcar, desequilibrou-se e caiu sobre o rio, perdendo toda a carga. Assim nomeando o rio e a cidade.[6]

História[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: História de Água Doce

Origens e povoamento[editar | editar código-fonte]

Água Doce é um município caracterizado por sua vastidão e beleza. Suas terras pertencem à região que chama-se "Campos de Palmas" (porção catarinense) os quais os sertanistas descobriram e colonizaram desde 1839. Com o Acordo de Limites entre o Paraná e Santa Catarina, começaram a serem pertencentes ao estado catarinense. Os Campos de Palmas, propriamente ditos, integraram-se no então município de Cruzeiro, atual Joaçaba.[7]

Inicialmente, o povoamento foi processado com lentidão, quase sendo absolutamente predominante o tipo humano que ocupava a região de Palmas (Paraná). Foi intensificada desde 1919, a existência atual de migrantes gaúchos descendentes de imigrantes que vieram da Itália.[7]

Formação administrativa[editar | editar código-fonte]

Distrito em 1943, Água Doce elevou-se à categoria de município em 21 de junho de 1958, por meio da Lei nº 348. Foi instalado em 25 de julho de 1958. É importante lembrar do senhor Jesuíno Mendes que, com os demais idealistas, foi o símbolo da intensa luta pela emancipação municipal.[7]

O primeiro prefeito escolhido sob nomeação do governo estadual foi o senhor Ângelo José Bruno. Vitório Amadio Macagnann foi o primeiro prefeito que o povo de Água Doce elegeu. Água Doce é o município de maior área territorial do Meio-Oeste de Santa Catarina. Sua economia se baseia na pecuária, no extrativismo vegetal e na agricultura.[7]

Geografia[editar | editar código-fonte]

O município de Água Doce ocupa o quinto lugar em extensão territorial no Estado de Santa Catarina. Compreende uma área de 1.311 km² e está situado no meio oeste catarinense. Apresenta um relevo muito acidentado com montanhas, vales e planícies.

O clima é classificado como mesotérmico úmido, sem estação seca, com verões frescos e invernos rigorosos com ocorrência de geadas e neve, principalmente na região dos campos. A temperatura média é de 16,6 °C e a precipitação pluviométrica anual gira em torno de 1.000 a 1.900 mm.

A vegetação ou mata é densa na zona colonial, formada por árvores de grande porte como: pinheiro, imbuia, cedro, angico, louro, canela, branquilho, bracatinga e outras plantas menores como: guamirim, erveira, guabirobeira, pitangueira, etc. A região é apropriada para o cultivo de árvores frutíferas.

Na região dos campos a mata é menos densa e as árvores são mais baixas. Os campos são cobertos pelo capim mimoso e geralmente aproveitados para a criação de gado.

Fauna e flora[editar | editar código-fonte]

No município de Água Doce há o registro de mais de 85 espécies de aves[8][9][10]. Há também o registro de 15 espécies de mamíferos[11]. Em relação a espécies da flora, há no município o registro de 55 espécies de orquídeas e bromélias[12][13].

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  2. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  3. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  6. http://www.aguadoce.sc.gov.br/conteudo/?item=19159&fa=78&PHPSESSID=gcvf2q3vgbl7gsu65ra2g3iql5
  7. a b c d El-Khatib, Faissal (1970). História de Santa Catarina. 4. Curitiba: Grafipar. p. 10-11 
  8. Favretto, Mario Arthur; Geuster, Cleiton José (2008). «Observações ornitológicas no oeste de Santa Catarina - parte I». Atualidades Ornitológicas (143): 49-54 
  9. Favretto, Mario Arthur; Geuster, Cleiton José (2008). «Observações ornitológicas no oeste de Santa Catarina - parte II». Atualidades Ornitológicas (144) 
  10. Favretto, Mario Arthur; Geuster, Cleiton José; Spier, Edson Fernando; Lingnau, Rodrigo (2009). «Observações ornitológicas no oeste de Santa Catarina - parte III». Atualidades Ornitológicas (148): 50-51 
  11. Onghero Junior, Osvaldo; Favretto, Mario Arthur; Piovezan, Jean Carlos; Spier, Edson Fernando; Guzzi, Anderson; Dalavéquia, Máira Aparecida (2012). «Mamíferos em remanescentes florestais de uma fazenda de plantação de Pinus sp., Água Doce, Santa Catarina, Brasil». Unoesc & Ciência - ACBS. 3 (1): 57-64 
  12. Geuster, Cleiton José; Favretto, Mario Arthur (2014). «Distribuição de orquídeas e bromélias no oeste de Santa Catarina, sul do Brasil». Biota Amazônia. 4 (4): 52-59 
  13. Favretto, Mario Arthur; Geuster, Cleiton José (2011). Orquídeas e bromélias do Vale do Rio do Peixe, Santa Catarina, Brasil. [S.l.: s.n.] p. 146. ISBN 978-85-915509-2-0 

Ver também[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Santa Catarina é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.