Salto Veloso

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Município de Salto Veloso
"Veloso"
Bandeira de Salto Veloso
Brasão de Salto Veloso
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 15 de dezembro
Fundação 15 de dezembro de 1961 (56 anos)
Gentílico velosense[1]
Lema Pérola de Santa Catarina
Padroeiro(a) Santa Juliana
CEP 89595-000
Prefeito(a) Ana Rosa Zanela (PMDB)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Salto Veloso
Localização de Salto Veloso em Santa Catarina
Salto Veloso está localizado em: Brasil
Salto Veloso
Localização de Salto Veloso no Brasil
26° 54' 18" S 51° 24' 21" O26° 54' 18" S 51° 24' 21" O
Unidade federativa Santa Catarina
Mesorregião Oeste Catarinense IBGE/2008 [2]
Microrregião Joaçaba IBGE/2008 [2]
Municípios limítrofes Treze Tílias, Arroio Trinta, Macieira, Água Doce
Distância até a capital 434 km
Características geográficas
Área 105,069 km² [3]
População 4 616 hab. IBGE/2016[3]
Densidade 43,93 hab./km²
Altitude 820 m
Clima Mesotérmico
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,784 elevado PNUD/2010[4]
PIB R$ 138 697,202 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ R$54,040 49 IBGE/2008[5]
Página oficial
Prefeitura http://www.saltoveloso.sc.gov.br/
Câmara http://camarasaltoveloso.sc.gov.br/

Salto Veloso é um município brasileiro do estado de Santa Catarina. Localiza-se na Zona Fisiográfica do Meio Oeste de Santa Catarina - Alto Vale do Rio do Peixe[6]

Histórico[editar | editar código-fonte]

Salto Veloso é uma cidade de etnia predominantemente italiana cujas famílias colonizadoras são procedentes do sul do estado e da Serra Gaúcha. Quando aqui chegaram encontraram expressiva presença de caboclos que já haviam pré colonizado o local. A etnia cabocla, através de seus descendentes integra significativamente a população velosense. O nome da cidade está ligado ao seu primeiro morador, o caboclo Antônio José Veloso, que entre os anos de 1897 e 1900 se estabeleceu próximo às cachoeiras existentes num rio de águas abundantes e cristalinas que corriam praticamente ocultas em meio a uma densa floresta. Tendo chegado ao local, Antônio José Veloso construiu sua moradia as margens do rio próximo as quedas d"água, hoje situadas na área urbana, ao lado de uma trilha aberta em meio à mata. Local este onde passavam costumeiramente tropas de mula e gado arrebanhados nos campos de palmas e que seguiam com destino a Perdizes, hoje Videira. A amizade dos viajantes com o caboclo Veloso fez do seu rancho um ponto de referencia ao longo do trajeto, um lugar de parada e descanso durante as tropeadas. Desta maneira o local passou a ser denominado "O Salto do Veloso". Posteriormente passaram a referir-se a ele como "Salto Veloso". [7]

Economia Local[8][editar | editar código-fonte]

A economia de Salto Veloso é substancialmente vindoura das indústrias de carne, indústrias madeireiras e da agricultura familiar presente no município.

Setor Industrial[editar | editar código-fonte]

O setor industrial de Salto Veloso é basicamente alicerçado em torno de uma grande indústria multinacional de alimentos, a JBS Foods. Possui também algumas indústrias metalúrgicas que produzem principalmente equipamentos para a suinocultura, como pro exemplo o Grupo Farenzena. A indústria madeireira também se destaca enquanto fonte geradora de emprego e renda. Indústrias de vinhos, artefatos de cimento entre outras, também contribuem para com o movimento econômico de Salto Veloso.

Setor Comercial[editar | editar código-fonte]

O comércio e a prestação de serviços é amplo e diversificado. Lojas de roupas e calçados, material de construção, móveis e eletrodomésticos, papelarias, artigos de couro, supermercados, bares e restaurantes, videolocadoras, farmácias, padarias, postos de combustível, oficinas mecânicas, empreiteiras, elétricas, salões de beleza, lotérica, bancos e outros estabelecimentos compõem a rede comercial e de serviços.

Setor Rural[editar | editar código-fonte]

A principal atividade econômica é a suinocultura, com rebanho efetivo de 60 mil cabeças. O gado leiteiro é a segunda maior fonte de renda, presente em praticamente 40% das propriedades. Outras atividades como o confinamento de gado de corte, o reflorestamento, a produção de grãos, principalmente o milho para consumo nas propriedades em forma de silagem, também contribuem significativamente para a geração de renda das famílias rurais velosenses.

Turismo[editar | editar código-fonte]

O turismo em Salto Veloso é muito regimentado no religioso e nas tradições que os italianos e gaúchos enraizaram no município.

Parque do Salto[editar | editar código-fonte]

Localizado no coração do município, o Parque do Salto é o principal atrativo turístico da cidade. Com belíssimas cascatas e trilhas, exercendo com maestria o contraste das indústrias e dos prédios com a natureza.

Parque Municipal de Exposições "Agostinho Antônio de Bortoli"[editar | editar código-fonte]

Se concentrando cerca de mil metros longe do centro da cidade, o Parque Municipal de Exposições é um lugar de beleza singular e considerado um dos mais belos parques da região. Utilizado exponencialmente para eventos como rodeios e exposições tradicionais do município. Abriga ainda o Centro de Tradições Gaúchas Porteira Velosense, uma entidade tradicionalista gaúcha conhecida como CTG e visa principalmente o resgate daquela cultura, com os churrascos, danças e esportes.[9]

Centro de Eventos "Antônio Ferronato"[editar | editar código-fonte]

Inaugurado em 2008, é um espaço utilizado pelas associações e instituições do município que usufruem do local aproveitando o auditório para realizar eventos como formaturas, teatros, palestras, reuniões e discussões que fazem jus o beneficiamento da população velosense. Abriga um auditório com cerca de quatrocentas poltronas estofadas, climatizado e com sonorização profissional, sala de reuniões, banheiros adaptados e ainda uma sala utilizada pela Associação Comercial e Industrial de Salto Veloso - ACISV como escritório.[10]

Monumento "Divino Pai Eterno"[editar | editar código-fonte]

Em 2016 foi inaugurado o Monumento ao Divino Pai Eterno que é a representação da Santíssima Trindade – Pai, Filho e o Espírito Santo – coroando Maria Santíssima. Um monumento dedicado a todos os fiéis devotos. Aberto todos os dias para visitação, todo dia 23 de cada mês acontece missa em honra ao Divino Pai Eterno.[11]

Igreja Matriz e Paróquia "Santa Juliana"[editar | editar código-fonte]

A padroeira do município de Salto Veloso é a Santa Juliana, um ícone católico que segura o diabo acorrentado ao seus pés. A crença católica acreditam que a jovem mártir, que foi decapitada, é reverenciada como padroeira da castidade, da pureza e da doença. Juliana foi sepultada em sua terra natal, a Nicomédia, hoje conhecida como Izmit, na Turquia. Anos depois seus restos mortais foram transferidos para Nápoles, na Itália, motivo que a tornou conhecida entre os italianos, que séculos depois vieram para o Brasil e povoaram regiões como Flores da Cunha.

A adoração por essa santa em território municipal, começou quando famílias de Mato Perso que migraram para Salto Veloso, fundaram uma comunidade em honra a Santa Juliana, cuja imagem produzida em Caxias do Sul é idêntica àquela da terra de origem.[12]

Moinho e Usina[editar | editar código-fonte]

Fruto da pujança empreendedora liderada por Pedro Giacomini, que não queria ver seu genro Antônio Ferronato e família deixarem a então localidade do Veloso, para buscar uma vida nova no Paraná, surgiu nos idos de 1948 a sociedade “Indústrias Salto Veloso Ltda” com 14 sócios. O projeto consistiu-se na exploração do potencial da cachoeira central do Rio Veloso na geração de energia elétrica para instalação do moinho e fornecimento de energia para a pequena vila. Tanto o Moinho quanto a Usina perderam com o passar do tempo sua importância econômica, porém, agregaram inestimável valor histórico, cultural e turístico. A usina e o moinho estão desativados atualmente. Mas suas estruturas estão preservadas. [13]

Cantina e Indústria de Vinhos[editar | editar código-fonte]

História começa em 1895 com o nascimento de João De Bortoli, filho de imigrantes italianos, tornou-se um dos principais líderes e batalhadores da pequena comunidade de Salto Veloso que nesta época ainda não era município, mas fazia parte do Município de Videira. Porém a primeira cantina de vinhos de Salto Veloso se deu no início do ano 1938, quando João de Bortoli, vendo a necessidade de industrializar as uvas que os primeiros imigrantes cultivaram na região, resolveu então construir no porão da própria casa uma Cantina de Vinhos.

A indústria e marca foram registradas com o nome “Colonial”. O empreendedor João de Bortoli, via nesta iniciativa uma oportunidade de manter os costumes dos seus pais (naturais da Itália) e ainda, entendia que o vinho, além de saudável, é útil para festas e encontros com os amigos, que na época reuniam-se para um belo jogo de bocha, mora e o tradicional quatrilho, sempre acompanhados de um bom vinho.

A empresa do Sr. João de Bortoli nesta época transportava o vinho em carroça de boi, em caixas de madeira com 48 garrafas empalhadas, com palha de trigo e eram vendidas na vila de Papuan (hoje Treze Tílias), Itapuí (hoje Ibicaré), Encruzilhada (hoje Arroio Trinta), Cocho (hoje Bom Sucesso) e em mais algumas cidades e vilas da região. Em 1952, a firma Andreassa de Videira construiu uma pequena cantina de madeira aqui na vila de Salto Veloso, só para fabricação de vinho, e era transportado para Videira, onde era engarrafado e vendido com a marca “Vinhos Embaixador”. Nesta época o responsável para o recebimento e a fabricação do vinho era o Sr. Laurindo Olivo.

Em 1956, sete famílias iniciaram uma nova cantina, com razão social “Indústria e Comércio Giacomini Ltda.”

Em 1980 a empresa De Bortoli comprou a mesma, a qual passou a denominar-se “Indústria de Vinhos Salto Veloso Ltda.” Hoje a capacidade de produção é de aproximadamente 1 milhão de Litros. Vinho Tinto, Rosado, Branco, Niágara, Bordô e Cabernet Sauvignon, estão sendo comercializados nos estados de Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Mato Grosso, Amazonas e Roraima. [14]

Morro do Pau Seco[editar | editar código-fonte]

Um dos morros mais altos do meio oeste catarinense, com 1250 metros de altitude, localiza-se a noroeste de Salto Veloso, altos da Linha De Bastiani. A origem de seu nome está associado a única árvore que sobrou em seu cume após o ciclo da madeira, uma velha canela seca. Os amantes dos esportes radicais, tais como; parapente e voo livre estão explorando o morro que segundo eles é perfeito para prática destes esportes. Em seu topo pode-se avistar toda região e o espetáculo é ainda maior nas noites de Réveillon, onde pode-se ver os fogos das cidades vizinhas e ainda acampar por lá.[15]

Administração Municipal[editar | editar código-fonte]

Nas eleições municipais de 2016, Salto Veloso mudou sua história ao eleger a primeira mulher prefeita no primeiro turno, Ana Rosa Zanela (MDB), com 2.024 votos. [16]

Atualmente, o poder executivo atua com seis secretarias que fazem parte da estrutura organizacional do município. [17]

Referências

  1. de Salto Veloso no site do IBGE
  2. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008. 
  3. a b «Santa Catarina » Salto Veloso». IBGE. Consultado em 29 de dezembro de 2016. 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 15 de fevereiro de 2014. 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010. 
  6. «Aspectos Geográficos - Aspectos Geográficos - Município de Salto Veloso». www.saltoveloso.sc.gov.br. Consultado em 18 de maio de 2018. 
  7. «Histórico - Histórico - Município de Salto Veloso». www.saltoveloso.sc.gov.br. Consultado em 18 de maio de 2018. 
  8. «Aspectos Econômicos - Aspectos Econômicos - Município de Salto Veloso». www.saltoveloso.sc.gov.br. Consultado em 18 de maio de 2018. 
  9. «Portal de Turismo de Salto Veloso > Atrativos > Parque Municipal Agostinho Caetano de Bortoli». www.saltoveloso.sc.gov.br. Consultado em 18 de maio de 2018. 
  10. «Portal de Turismo de Salto Veloso > Atrativos > Centro de eventos Antonio Ferronato». www.saltoveloso.sc.gov.br. Consultado em 18 de maio de 2018. 
  11. «Portal de Turismo de Salto Veloso». www.saltoveloso.sc.gov.br. Consultado em 18 de maio de 2018. 
  12. Florense, Jornal O. «As histórias florenses que atravessam gerações». Jornal O Florense. Consultado em 18 de maio de 2018. 
  13. «Portal de Turismo de Salto Veloso > Atrativos > Moinho e Usina». www.saltoveloso.sc.gov.br. Consultado em 18 de maio de 2018. 
  14. «Portal de Turismo de Salto Veloso > Atrativos > Cantina e Indústria de Vinhos». www.saltoveloso.sc.gov.br. Consultado em 18 de maio de 2018. 
  15. «Portal de Turismo de Salto Veloso > Atrativos > Morro do Pau Seco». www.saltoveloso.sc.gov.br. Consultado em 18 de maio de 2018. 
  16. «Dos 292 prefeitos eleitos no 1º turno em SC, 23 são mulheres, aponta TRE». Eleições 2016 em Santa Catarina. 3 de outubro de 2016 
  17. «Governo - Município de Salto Veloso». www.saltoveloso.sc.gov.br. Consultado em 18 de maio de 2018. 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Santa Catarina é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.