Este é um artigo bom. Clique aqui para mais informações.

Piratuba

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Município de Piratuba
Avenida 18 de Fevereiro

Avenida 18 de Fevereiro
Bandeira de Piratuba
Brasão de Piratuba
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 18 de fevereiro de 1949 (69 anos)
Gentílico piratubense[1]
Prefeito(a) Olmir Paulinho Benjamini (PSD)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Piratuba
Localização de Piratuba em Santa Catarina
Piratuba está localizado em: Brasil
Piratuba
Localização de Piratuba no Brasil
27° 25' 17.18" S 51° 47' 0.1" O27° 25' 17.18" S 51° 47' 0.1" O
Unidade federativa Santa Catarina
Região
intermediária

Chapecó IBGE/2017[2]

Região
imediata

Concórdia IBGE/2017[2]

Municípios limítrofes Ipira, Alto Bela Vista, Capinzal, Maximiliano de Almeida (RS), Marcelino Ramos (RS) e Machadinho (RS)
Distância até a capital 428 km[3]
Características geográficas
Área 145,976 km² [1]
População 4 102 hab. est. IBGE/2017[4]
Densidade 28,1 hab./km²
Altitude 430 m
Clima subtropical úmido Cwa
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,758 elevado PNUD/2010[5]
PIB R$ 718 057,35 mil IBGE/2015[6]
PIB per capita R$ 166 371,03 IBGE/2015[6]
Página oficial
Prefeitura www.piratuba.sc.gov.br

Piratuba é um município brasileiro do estado de Santa Catarina. Pertencente à região geográfica intermediária de Chapecó e à região geográfica imediata de Concórdia, localiza-se a oeste da capital do estado, distando desta cerca de 428 km. Ocupa uma área de 145,976 km² e a sua população estimada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) para o ano de 2017 era de 4 102 habitantes, o que lhe faz o 209º município mais populoso do estado de Santa Catarina.

O espaço onde hoje se localiza o município começou a ser povoado em 1910 por trabalhadores da empresa norte-americana Brazil Railway Company, que construíam a Estrada de Ferro São Paulo-Rio Grande. Com a conclusão do trecho ferroviário, povoados de origens italiana e alemã migraram-se para tal localidade, que foi elevada à categoria de distrito em 1923, enquanto anexada ao município de Campos Novos. Sua emancipação foi assinada em 30 de novembro de 1948 e entrou em vigor no dia 18 de fevereiro de 1949, data em que é comemorado o aniversário do município.

A história do município foi alterada no ano de 1964, quando pesquisadores da Petrobrás descobriram um lençol de águas sulfurosas com profundidade de 674 metros e temperatura aproximada de 38,6 ºC. Neste espaço, foi construído um parque termal de propriedade da sociedade mista Companhia Hidromineral de Piratuba, que impulsionou o turismo e tornou Piratuba uma das principais cidades turísticas da Região Metropolitana do Contestado. Apesar de possuir pouco mais de 4 mil habitantes, a cidade chega a receber 450 mil turistas por ano.

História[editar | editar código-fonte]

A história de Piratuba teve início com a construção da Estrada de Ferro São Paulo-Rio Grande, que tinha como objetivo ligar a Região Sul do Brasil às regiões centrais do país.[7] No ano de 1910, a empresa norte-americana Brazil Railway Company instalou os primeiros acampamentos para que seus funcionários pudessem permanecer no local para o andamento da obra.[8] O local se situava à margem esquerda do Rio do Peixe, o qual atualmente encontra-se poluído e degradado.[7] Após três anos de obras na estrada de ferro, o trecho ferroviário foi concluído em 1913.[9] A partir deste período, famílias de origem alemã e italiana, oriundas do Vale dos Sinos e de Montenegro, conhecidas em tal época como a Colônia Velha Gaúcha, migraram-se para tal localidade.[10] O núcleo de moradores que se concentraram deram o nome da localidade de Vila Rio do Peixe, a qual tinha seu território pertencente ao município de Campos Novos e assim permaneceu até o ano de 1948.[11]

Este vilarejo foi elevado à categoria de distrito em 1923, sendo que permaneceu anexado ao município de Campos Novos com o nome de Vila Rio do Peixe até o ano de 1943, quando passou-se a chamar Piratuba, ainda na categoria de distrito.[11] "Piratuba" é um vocábulo tupi que significa "ajuntamento de peixes", através da junção dos termos pirá ("peixe") e tyba ("ajuntamento").[12] O reconhecimento como município ocorreu no dia 30 de novembro de 1948, com a desmembração do município e a criação de três distritos: Piratuba, Esteves Junior e Uruguai.[11] A instalação ocorreu em 18 de fevereiro de 1949, data na qual é comemorada a emancipação do município em feriado municipal.[13]

Em 14 de junho de 1963, o distrito de Esteves Junior foi desmembrado de Piratuba, dando início ao município de Peritiba.[11] Em seus primeiros anos como município emancipado, a economia de Piratuba era baseada no transporte ferroviário de cargas, na exploração da madeira e na indústria frigorífica.[10] Estando em uma aparente estagnação no desenvolvimento, o município sofreu uma mudança drástica no ano de 1964, quando pesquisadores da Petrobras chegaram até a cidade em busca de novos poços de petróleo.[7] Uma perfuração de 2 271,30 metros em um poço do município fez com que fosse descoberto um lençol de águas sulfurosas em uma profundidade de 674 metros e com temperatura aproximada de 38,6ºC.[9] No espaço em que foi feita esta perfuração, iniciou-se o trabalho da construção de um complexto termal pela Companhia Hidromineral de Piratuba, empresa criada em março de 1975 no formato de Sociedade de Economia Mista com autorização do Governo de Santa Catarina.[9]

Os anos seguintes foram baseados na construção do Parque Termal do município, que apoiado por uma rede hoteleira fez com que o turismo fosse não somente o principal atrativo da cidade, mas também que esta fosse incluída entre as mais visitadas de toda a Região Metropolitana do Contestado.[7] Ao final da década de 1990, houve a construção do complexo energético da Usina Hidrelétrica Machadinho, inaugurada em fevereiro de 2002 e localizada entre os municípios de Piratuba e Maximiliano de Almeida, no Rio Grande do Sul.[14] A crescente elevação do turismo fez com que o município, que possui pouco mais de quatro mil habitantes, investisse em uma rede hoteleira, que atualmente conta com dezesseis hotéis.[10] Em 2010, foi inaugurada a Casa da Memória de Piratuba, acervo no qual são disponibilizados materiais e registros históricos desde a década de 1940 com informações sobre o município.[15]

Geografia e biologia[editar | editar código-fonte]

Piratuba está localizada no oeste do estado de Santa Catarina, estando distante a 428 quilômetros da capital estadual Florianópolis, e a 1 703 quilômetros da capital federal Brasília.[3][16] Situa-se a 27º25'11" de latitude sul e a 51º46'19" de longitude oeste.[17] Com uma área de 145.976 km², limita-se com os municípios de Ipira a norte, Capinzal a leste, Maximiliano de Almeida, Marcelino Ramos e Machadinho a sul, e Alto Bela Vista a oeste.[18]

De acordo com a divisão do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística vigente desde 2017,[19] o município pertence às Regiões Geográficas Intermediária de Chapecó e Imediata de Concórdia.[2] Até então, com a vigência das divisões em microrregiões e mesorregiões, o município fazia parte da microrregião de Concórdia, que por sua vez estava incluída na mesorregião do Oeste Catarinense.[20]

Piratuba é constituída por dois distritos, sendo Piratuba e Uruguai, este último localizado no interior do município.[21] A altitude média do município é de 430 metros.[22] Situada às margens do Rio do Peixe, no meio-oeste catarinense, seu relevo é predominantemente montanhoso e acidentado.[23]

Em relação à sua fauna, no município de Piratuba há o registro de 18 espécies de mamíferos,[24] oito espécies de anfíbios,[25] nove espécies de répteis,[26] 32 espécies de peixes[27] e 59 espécies de aves.[28] Em relação à flora há no município o registro de 18 espécies de orquídeas e bromélias.[29][30]

Clima[editar | editar código-fonte]

De acordo com a Classificação climática de Köppen-Geiger, o clima é caracterizado como subtropical úmido, com as quatro estações distinguindo-se claramente e tendo temperatura média anual de 19ºC.[31][32] O mês mais quente, janeiro, tem temperatura média de 23.6ºC, sendo a média máxima de 29.3ºC e a mínima de 18ºC.[31] Os meses mais frios, junho e julho, possuem a média de 14.5ºC, e respectivamente, as médias máximas 20.1ºC e 20.3ºC, e as médias mínimas 9ºC e 8.7ºC.[31] A precipitação média anual é de 1697, sendo julho o mês mais seco, quando ocorrem 109.[31] Em setembro, o mês mais chuvoso, a média fica em 197.[31] Não há registros de precipitação de neve no município.

Demografia[editar | editar código-fonte]

Crescimento populacional
Censo Pop.
19804 803
19914 9092,2%
20005 81218,4%
20104 786-17,7%
Est. 20174 102-14,3%
Fonte: SEBRAE e Instituto Brasileiro de
Geografia e Estatística
(IBGE)[1][33][4][34]

Em 2010, a população do município foi contada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 4 786 habitantes, sendo que 2 373 habitantes eram do sexo masculino, correspondendo a 49.58%, enquanto 2 413 habitantes eram do sexo feminino, totalizando a 50.42% da população.[35] Ainda segundo o censo brasileiro daquele ano, 2 855 pessoas viviam na zona urbana (59.65%), e 1 931 em zona rural (40.35%).[35] De acordo com a estimativa para o ano de 2017, a população reduziu-se a 4 102 habitantes, correspondendo a 0,06% da população do estado de Santa Catarina, fazendo deste o 209º município mais populoso entre os 295 do estado.[1][36] Esta queda de população fez com que Piratuba fosse o município com a maior queda de população no ano de 2017 em todo o estado de Santa Catarina, totalizando uma diminuição de 2,54% no número de habitantes.[37]

Conforme a pesquisa de autodeclaração do censo do IBGE de 2010, a população piratubense era composta por 4 085 brancos (85,35%), 59 negros (1,23%), 32 amarelos (0,66%), 605 pardos (12,64%) e cinco indígenas (0,1%).[38] Considerando-se a região de nascimento, 43 eram nascidos no Sudeste (0,23%), 18 193 no Sul (99,15%) e 41 no Centro-Oeste (0,22%);[39] 4 111 habitantes eram naturais de estado de Santa Catarina (85,89%) e, desse total, 2 769 (57,85%) eram naturais de Piratuba.[40]

O Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDH-M) de Piratuba, de 0,758, é considerado alto pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), sendo o 400º maior do Brasil e o 76º maior do estado.[41] Considerando-se apenas o índice de educação o valor é de 0,714, o valor do índice de longevidade é de 0,829 e o de renda é de 0,736.[42] O coeficiente de Gini, que mede a desigualdade social, era de 0,43, sendo que 1,00 é o pior número e 0,00 é o melhor.[42] A expectativa de vida era de 74,72 anos, superior às expectativas de vida de Santa Catarina e do Brasil.[42] A taxa de mortalidade infantil era de 14,0 (16,4 até os cinco anos de idade) e a taxa de fecundidade era de 1,7.[42]

Em relação à pirâmide etária referente ao ano 2010, 3 335 (69,68%) pessoas tinham entre 15 a 64 anos da idade, 934 (19,52%) menos de 15 anos e 517 (10,80%) mais de 65 anos.[42] Doze pessoas tinham mais de noventa anos; porém nenhuma destas estava acima dos cem anos, idade que se considera centenário.[43]

A cidade possui os mais diversos credos protestantes ou reformados.[44] De acordo com dados do censo de 2010 realizado pelo IBGE, a população de Piratuba está composta por 3 680 católicos (76,89%), 944 evangélicos (16,72%), 86 pessoas sem religião (1,79%), 33 Testemunhas de Jeová (0,68%), 29 espíritas (0,6%) e 0,31% estão divididas entre outras religiões.[44] Os grupos de evangélicos em maior número são os luteranos (com 602 pessoas, ou 12,57%) e os pentecostais (com 289 pessoas, ou 6,03%).[44]

Política e administração[editar | editar código-fonte]

A prefeitura de Piratuba.

O Poder Executivo do município é representado pelo prefeito, auxiliado por sete secretários municipais.[45] Atualmente, o prefeito é Olmir Paulinho Benjamini, do Partido Social Democrático (PSD), e o vice-prefeito é Evando Antonio de Azeredo, do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB).[46] Benjamini e Azeredo foram eleitos na eleição municipal de 2016 com 2 250 votos (50,74% dos votos válidos), superando o candidato da oposição Mauri Lenhardt, do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), que recebeu 2 184 votos (40,26% dos votos válidos).[47]

O Poder Legislativo é representado pela Câmara Municipal de Vereadores, formada por nove vereadores eleitos para mandatos de quatro anos. Cabe à casa elaborar e votar leis fundamentais à administração e ao Executivo, além de fiscalizá-lo.[48] Como resultado da eleição de 2016, a Câmara Municipal ficou composta por sete homens e duas mulheres, sendo quatro vereadores do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), dois do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), um do Partido dos Trabalhadores (PT), um do Partido Social Democrático (PSD), e um do Partido Socialista Brasileiro (PSB).[47]

O Poder Judiciário é representado pela Casa da Cidadania de Piratuba, pertencente à Comarca de Capinzal e englobando também aos municípios de Ipira e Peritiba.[49] A casa foi inaugurada em 15 de novembro de 2001, porém recebeu uma reforma e foi reinaugurada em 6 de fevereiro de 2009.[50] A cidade também se rege por uma lei orgânica, que foi promulgada em 5 de abril de 1990 e entrou em vigor na mesma data.[51]

De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Piratuba possuía, em dezembro de 2017, 4 773 eleitores, sendo 2 393 do sexo masculino e 2 380 do sexo feminino.[52] Destes, 1 476 (30,92%) eram filiados a algum partido político: 799 ao PMDB, 159 ao PT, 144 ao PSDB, 77 ao Partido Progressista (PP), 75 ao PSD, 58 ao Democratas (DEM), e outros 164 distribuídos em sete outros partidos.[53] No segundo turno das eleições gerais de 2014, em Piratuba, Aécio Neves (PSDB) obteve 2 119 votos (59,12%) na eleição presidencial, enquanto Raimundo Colombo (PSD) conseguiu 1 672 votos (51,64%) no primeiro turno na disputa pelo governo estadual.[54] No primeiro turno, nas eleições para o legislativo, Dário Berger (PMDB) venceu na cidade com 1 549 votos (52,53%),[54] Valdir Colatto (PMDB) foi o candidato mais votado a deputado federal (772 votos, ou 25,53%),[55] e Romildo Titon (PMDB) a deputado estadual (1 006 votos, ou 30,63%).[56]

Economia[editar | editar código-fonte]

O Produto Interno Bruto (PIB) nominal a preços correntes de Piratuba, de acordo com dados do IBGE referentes ao ano de 2014, era de R$ 513.355,[57] enquanto o PIB per capita era, no período compreendido do ano de 2015, de R$ 116 371,03, o que fazia com que o município fosse o 2223º maior do Brasil e o 81º maior de Santa Catarina.[1] Segundo o Atlas do Desenvolvimento Humano, 74,5% da população acima de dezoito anos de idade era economicamente ativa ocupada, enquanto 23,8% era economicamente ativa desocupada e a taxa de desocupação se mantinha em cerca de 1,8%.[42] Em 2010, compreendendo os indivíduos ocupados na faixa etária de dezoito anos ou superior na cidade, 30,29% trabalhavam no setor agropecuário, 0,09% na indústria extrativa, 8,38% na indústria de transformação, 5,35% no setor de construção, 1,04% nos setores de utilidade pública, 13,89% no comércio e 38,56% no setor de serviços, o qual engloba principalmente o turismo.[42]

Segundo dados do Ministério da Fazenda do ano de 2014, a receita tributária total era de R$ 2 824 350,33, resultando em uma receita tributária per capita de R$ 638,42 por habitante, valor aproximadamente cento e oitenta reais superior à média nacional.[58] Suas principais fontes de arrecadação eram o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (R$ 13.6 milhões), o Imposto sobre a propriedade predial e territorial urbana (R$ 371 mil), o Imposto sobre serviços de qualquer natureza (R$ 1.8 milhões), e o Imposto sobre a propriedade de veículos automotores (R$ 588 mil).[59]

Segundo dados do SEBRAE, entre os anos de 2004 e 2008 houve um acréscimo de 35,8% no número de empresas do município, enquanto houve um decréscimo de 53,7% no número de empregos, com uma redução de 1 334 oportunidades de trabalho.[34] O setor primário e o setor secundário representam uma parcela pequena na economia do município, sendo que ambos somados produzem o montante de 17,4% dos empregos da cidade.[34] Os outros 82,6% se dividem entre o comércio e o serviço, que são impulsionados pelo turismo na região.[34]

Turismo[editar | editar código-fonte]

Estação Ferroviária de Piratuba, uma das atrações turísticas do município.

O turismo em Piratuba é impulsionado principalmente pelo Parque Termal de Piratuba, de propriedade da Companhia Hidromineral de Piratuba. O Parque disponibiliza de dois ambientes, com grande variedade de piscinas e tobogãs.[60] A água termal a aproximadamente 38ºC é um dos principais atrativos do local, que é recomendado por médicos pelas propriedades terapêuticas na recuperação de artrite, reumatismo e artrose.[61] Também há a possibilidade do camping dentro do espaço, que é utilizado para a realização dos eventos municipais como a Abertura da Temporada de Verão e o Réveillon.[62]

A Estação Ferroviária de Piratuba apresenta características dos primórdios da colonização da cidade, como instrumentos utilizados no passado, bem como duas locomotivas a vapor que são utilizadas nos sábados para passeios até a cidade gaúcha de Marcelino Ramos.[63] A Associação Brasileira de Preservação Ferroviária (ABPF) foi a responsável pela organização de tal linha, com a finalidade da manutenção da história e das linhas ferroviárias da região.[64]

Outra atração do turismo do município é o Parque Três Pinheiros, localizado a 8 km do centro da cidade e que apresenta um zoológico com cerca de 120 espécies de animais exóticos, bem como degustação de cachaças e produtos típicos da região.[62][65] Outro ambiente que expõe a cultura tradicional, principalmente da etniã alemã é a Casa Colonial, onde localiza-se o letreiro da cidade.[66]

A prefeitura, como uma alternativa de impulsionar o acesso à estes e demais pontos turísticos do município, criou passeios em ônibus abertos conhecidos como "jardineiras".[62] Um passeio especial, com duração de duas horas e que envolve tanto a zona urbana quanto a zona rural, é conhecido como Rota do Engenho.[67] A rede hoteleira do município possui mais de dois mil leitos, os quais estão distribuídos em dezesseis hotéis, que recebem a maior movimentação no período do verão.[62][68]

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Mapa interativo de Piratuba e região.

No ano de 2010, a cidade tinha 1 726 domicílios particulares permanentes.[69] Desse total, 1 564 residiam em uma casa, enquanto 162 moravam em apartamentos.[69] Do total de domicílios, 1 199 são imóveis próprios (1 087 já quitados e 112 em aquisição), 377 foram alugados e 150 foram cedidos (38 cedidos por empregador e 112 cedidos de outra forma).[69] 1 180 domicílios eram atendidos pela rede geral de abastecimento de água (68,36%), enquanto 544 (31,51%) tinham como fonte de abastecimento de água um poço ou nascente.[69] 1 690 (97,91%) possuíam banheiros para uso exclusivo das residências; 1 264 (73,23% deles) eram atendidos por algum tipo de serviço de coleta de lixo; e 1 722 (99,76%) possuíam abastecimento de energia elétrica.[69]

O serviço de abastecimento de energia elétrica é feito pela Centrais Elétricas de Santa Catarina (CELESC).[70] O serviço de coleta do lixo é feito pela empresa Líder, de Capinzal, sendo que é realizada coleta seletiva de lixo.[71] Em 2010, 67,6% dos domicílios possuíam saneamento semi-adequado, 28,4% inadequado e 4% adequado.[72]

A frota municipal no ano de 2016 era de 3 698 veículos, sendo 2 181 automóveis, 124 caminhões, 8 caminhões-trator, 335 caminhonetes, 69 camionetas, 11 micro-ônibus, 570 motocicletas, 255 motonetas, 34 ônibus, 39 utilitários e 72 classificados como outros tipos de veículos.[73] A cidade conta com uma estação rodoviária, o Terminal Rodoviário de Piratuba, que é atendido pela empresa de ônibus Reunidas.[74] Em seu território, passa a rodovia SC-390.[75]

Educação[editar | editar código-fonte]

O município contava, em 2015, com 968 matrículas nas instituições de ensino da cidade: 126 na pré-escola, 662 no fundamental, 180 no médio e nenhuma no superior. Trabalhavam 85 docentes: 22 na pré-escola, 54 no fundamental e 9 no médio.[76]

Das cinco escolas de ensino fundamental e médio da cidade, três delas são municipais e duas estaduais. As três escolas municipais se localizam na zona rural, enquanto as duas municipais estão nos bairros Centro e dos Estudantes. Ainda há duas escolas de educação infantil de controle municipal.[77] Piratuba não possui nenhuma instituição de ensino superior; entretanto, o município fornece transporte gratuito para os que estudam nas cidades próximas de Capinzal, Joaçaba e Concórdia.[78]

No Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) de 2015, a nota obtida pelos alunos do 1º ao 5º ano foi de 7,3 e o de 6º ao 9º ano foi de 6,4.[79][80] A cidade foi alvo de uma matéria no programa Jornal Nacional, da Rede Globo, que mostrou tanto a cidade de Piratuba quanto a de Itanhaém, do estado de São Paulo, como referências da educação básica no país.[81][82] A média dos anos iniciais do ensino fundamental foi a quarta maior do estado de Santa Catarina, enquanto a dos anos finais foi a maior entre todos os municípios catarinenses.[83]

Saúde[editar | editar código-fonte]

Segundo dados de 2009, Piratuba possuía quatro estabelecimentos de saúde, entre postos de saúde e serviços odontológicos, sendo dois deles pertencentes à rede municipal e os outros dois privados.[84] Do total de estabelecimentos, três eram integrantes do Sistema Único de Saúde (SUS), porém não havia nenhum leito para internação nestes estabelecimentos.[84]

Piratuba não possui hospital localizado no município, porém faz parte de um convênio com a cidade vizinha de Ipira para a manutenção do hospital da Associação Beneficente Piratuba/Ipira, que tem a sede em Ipira.[85][86] Segundo dados de agosto de 2017, o município conta com cinco médicos em exercício na Unidade Básica de Saúde.[87]

Comunicação[editar | editar código-fonte]

O código de área (DDD) de Piratuba é 049 e o Código de Endereçamento Postal (CEP) é 89667-000.[88][89] Piratuba sedia uma emissora de rádio, chamada Rádio Piratuba FM 104.9, uma rádio comunitária que faz parte da Associação Catarinense de Rádios Comunitárias (ACRACOM).[90][91] Também há dois jornais em circulação na cidade, ambos afiliados da Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina (ADJORI-SC).[92] Concebido em março de 1999, o Jornal Comunidade é o mais antigo e tem sua circulação semanal na quarta-feira;[93] já o Jornal Cidades foi criado em 2012 e tem sua circulação na sexta-feira.[94] Ambos os jornais também têm a tiragem de 1 500 exemplares e circulação nas cidades vizinhas de Peritiba, Ipira e Alto Bela Vista.[92]

Esporte, cultura e lazer[editar | editar código-fonte]

Piscina localizada nas Termas de Piratuba.

A Fundação de Cultura e Eventos é o órgão do Poder Executivo responsável pela área cultural e organização de eventos na cidade de Piratuba, cabendo à esta o planejamento de atividades de cunho cultural.[95] No âmbito esportivo, a responsabilidade é da Secretaria Municipal de Educação e Esporte, onde um de seus encargos é a responsabilidade pela elaboração de projetos referentes ao esporte.[96] Entre os campeonatos municipais organizados pela secretaria, estão o campeonato municipal de futebol de campo e o campeonato municipal de bolão.[97][98] Além disto, esporadicamente são realizadas corridas de rua e passeios ciclísticos.[99] No âmbito esportivo profissional, a Associação Piratuba de Futsal representou a cidade no ano de 2017 no Campeonato Catarinense de Futsal.[100]

Por ser uma cidade turística, vários eventos são realizados ao decorrer do ano. Entre estes, destacam-se o Kerbfest, evento da cultura alemã realizado tradicionalmente em janeiro;[101] a festa do aniversário de emancipação da cidade, com programação atrativa em todo o mês de fevereiro;[102] em março, ocorre o Festival da Canção de Piratuba (FECAPI) com artistas locais e convidados;[103] a Festa do Agricultor, em julho, que é organizada pelos moradores da zona rural do município;[104] e em dezembro, os três maiores eventos culturais da cidade: no início do mês, a Abertura da Temporada de Verão de Piratuba,[105] a qual recebe um público de aproximadamente 10 mil pessoas e apresenta atrações musicais nacionais e de renome;[106] na véspera de Natal ocorre a encenação do nascimento de Jesus Cristo;[107] e no Réveillon há uma queima de fogos, que segundo a Polícia Militar reuniu 30 mil pessoas em 2011, número quase oito vezes superior ao de habitantes do município.[108]

Entre outros eventos culturais promovidos pela Fundação de Cultura e Eventos, encontram-se o Encontro de Veículos Antigos, a Noite no Hawaii, a Festa Cabocla, o Festival de Dança da Terceira Idade, a Corrida de Garçons e a Noite Alemã.[109] Aos domingos e feriados, em horário aproximado das onze horas da manhã, é feita uma demonstração do jato d'água na Estância Hidromineral de Piratuba, que atinge uma altura de 30m, com pressão natural, e pode ser observado em toda a cidade.[110]

Além dos oito feriados nacionais, há três feriados municipais: o dia de aniversário da emancipação do município, celebrado em 18 de fevereiro; a Sexta-Feira Santa, que não possui data fixa; e o Corpus Christi, sem data fixa.[111] De acordo com a lei federal nº 9.093, aprovada em 12 de setembro de 1995, os municípios podem ter no máximo quatro feriados municipais com âmbito religioso, já incluída a Sexta-Feira Santa.[112][113]

Referências

  1. a b c d e «Cidade de Piratuba». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 18 de dezembro de 2017 
  2. a b c Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Base de dados por municípios das Regiões Geográficas Imediatas e Intermediárias do Brasil». Consultado em 18 de dezembro de 2017 
  3. a b «Distância entre Florianópolis e Piratuba». Google Maps. Consultado em 18 de dezembro de 2017 
  4. a b «Santa Catarina » Piratuba » estimativa da população 2017». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 18 de dezembro de 2017 
  5. Atlas do Desenvolvimento Humano (29 de julho de 2013). «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil» (PDF). Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Consultado em 15 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada (PDF) em 8 de julho de 2014 
  6. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2015). «Produto Interno Bruto dos Municípios - 2015». Consultado em 9 de janeiro de 2018. Cópia arquivada em 9 de Janeiro de 2018 
  7. a b c d «História de Piratuba». Piratuba.sc.gov.br. Consultado em 19 de dezembro de 2017 
  8. «História de Piratuba». Vila Germânica. Consultado em 19 de dezembro de 2017 
  9. a b c «Conheça a história de Piratuba». Termas Piratuba. Consultado em 19 de dezembro de 2017 
  10. a b c «Piratuba > História». Brasil Channel. Consultado em 19 de dezembro de 2017 
  11. a b c d «Informações históricas de Piratuba». IBGE. Consultado em 19 de dezembro de 2017 
  12. «Busca > Dicionário de Tupi». Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP. Consultado em 19 de dezembro de 2017. Arquivado do original em 7 de Junho de 2012 
  13. «História de Piratuba - SC». Estações Ferroviárias. Consultado em 19 de dezembro de 2017 
  14. «Usina Hidrelétrica Machadinho». Complexo Machadinho. Consultado em 19 de dezembro de 2017 
  15. «Casa da Memória de Piratuba completa cinco anos». Diário Rio do Peixe. Consultado em 19 de dezembro de 2017 
  16. «Distância entre Piratuba e Brasília». Google Maps. Consultado em 18 de dezembro de 2017 
  17. «Latitude e longitude de Piratuba». Apolo 11. Consultado em 18 de dezembro de 2017 
  18. «Localização». Prefeitura de Piratuba. Consultado em 18 de dezembro de 2017 
  19. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Divisão Regional do Brasil». Consultado em 18 de dezembro de 2017. Cópia arquivada em 12 de dezembro de 2017 
  20. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1990). «Divisão regional do Brasil em mesorregiões e microrregiões geográficas» (PDF). Biblioteca IBGE. 1: 117. Consultado em 18 de dezembro de 2017. Cópia arquivada (PDF) em 12 de dezembro de 2017 
  21. «Histórico do município: Piratuba». IBGE. Consultado em 18 de dezembro de 2017 
  22. «Informações». Piratuba.sc.gov.br. Consultado em 18 de dezembro de 2017 
  23. «Destino: Piratuba - SC Nostalgia». Turismo Daqui Para o Mundo. Consultado em 18 de dezembro de 2017 
  24. Guzzi, Anderson (2008). «Onghero-Jr., Osvaldo. Mastofauna». Vertebrados do Baixo Rio do Peixe. Chapecó: Editora UNOESC. p. 107-148. ISBN 978-85-87089-60-1 
  25. Guzzi, Anderson (2008). «Zago, Tiago; Guzzi, Anderson. Herpetofauna - Anuros». Vertebrados do Baixo Rio do Peixe. Chapecó: Editora UNOESC. p. 55-64. ISBN 978-85-87089-60-1 
  26. Guzzi, Anderson (2008). «Spier, Edson; Guzzi, Anderson. Herpetofauna - Répteis». Vertebrados do Baixo Rio do Peixe. Chapecó: Editora UNOESC. p. 65-76. ISBN 978-85-87089-60-1 
  27. Guzzi, Anderson (2008). «Segalin, Clovis A. Ictiofauna». Vertebrados do Baixo Rio do Peixe. Chapecó: Editora UNOESC. p. 25-54. ISBN 978-85-87089-60-1 
  28. Guzzi, Anderson (2008). «Favretto, Mario Arthur; Guzzi, Anderson. Avifauna». Vertebrados do Baixo Rio do Peixe. Chapecó: Editora UNOESC. p. 77-106. ISBN 978-85-87089-60-1 
  29. Favretto, Mario Arthur; Geuster, Cleiton José (2011). Orquídeas e bromélias do Vale do Rio do Peixe, Santa Catarina, Brasil. Chapecó: Editora UNOESC. ISBN 978-85-915509-2-0 
  30. Geuster, Cleiton José (2014). Distribuição de orquídeas e bromélias no oeste de Santa Catarina, sul do Brasil. 4. Chapecó: Editora UNOESC. pp. 52–59 
  31. a b c d e f «Climatologia para Piratuba-SC». Jornal do Tempo. Consultado em 18 de dezembro de 2017 
  32. «World Map of the Köppen-Geiger climate classification». Institute for Veterinary Public Health. Consultado em 25 de dezembro de 2013 
  33. «Tabela 200 - População residente por sexo, situação e grupos de idade - Amostra - Características Gerais da População». Sistema IBGE de Recuperação de Dados Automática (Sidra). Consultado em 23 de janeiro de 2014 
  34. a b c d «Piratuba» (PDF). Sebrae. Consultado em 18 de dezembro de 2017 
  35. a b «População residente de Piratuba por sexo». IBGE. Consultado em 18 de dezembro de 2017 
  36. «Estimativa da população 2017 » população estimada » comparação entre os municípios: santa catarina». IBGE. Consultado em 18 de dezembro de 2017 
  37. «Piratuba é o município que mais perdeu habitantes em SC». Rádio Aliança. Consultado em 18 de dezembro de 2017 
  38. «População residente por sexo, cor da pele ou raça». IBGE. Consultado em 18 de dezembro de 2017 
  39. «Santa Catarina » Piratuba » censo demográfico 2010: resultados da amostra - migração». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 24 de janeiro de 2014 
  40. «Tabela 1505 - População residente, por naturalidade em relação ao município e à unidade da federação - Resultados Gerais da Amostra». Sistema IBGE de Recuperação de Dados Automática (Sidra). Consultado em 23 de janeiro de 2014 
  41. «Piratuba - SC». Deepask. 2010. Consultado em 18 de dezembro de 2017 
  42. a b c d e f g «Piratuba no Atlas do Desenvolvimento Humano». Atlas do Desenvolvimento Humano. Consultado em 18 de dezembro de 2017 
  43. «Santa Catarina » Piratuba » infográficos: evolução populacional e pirâmide etária». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2010. Consultado em 18 de dezembro de 2017 
  44. a b c «Tabela 2094 - População residente por cor ou raça e religião». Sistema IBGE de Recuperação Automática (Sidra). Consultado em 23 de janeiro de 2014 
  45. «Definidos os primeiros nomes para o secretariado em Piratuba». Michel Teixeira. Consultado em 18 de dezembro de 2017 
  46. «Olmir Benjamini e Evando de Azeredo assumem prefeitura de Piratuba». Michel Teixeira. Consultado em 18 de dezembro de 2017 
  47. a b «Eleições em Piratuba». G1. Consultado em 18 de dezembro de 2017 
  48. «O papel dos vereadores». Veja. Consultado em 23 de janeiro de 2014 
  49. «Inaugurada casa da Cidadania». Piratuba.sc.gov.br. Consultado em 18 de dezembro de 2017 
  50. «Casa da Cidadania de Piratuba ganha novas instalações». Tribunal de Justiça de Santa Catarina. Consultado em 18 de dezembro de 2017 
  51. «Leis municipais - Lei Orgânica de Piratuba». Leis Municipais. Consultado em 18 de dezembro de 2017 
  52. «TSE divulga números de eleitores dos municípios brasileiros». Rádio Piratuba. Consultado em 18 de dezembro de 2017 
  53. «Listas de filiação partidária em Piratuba». Filiaweb. Consultado em 18 de dezembro de 2017 
  54. a b «Eleições de 2014 em Piratuba». Eleições Brasil. Consultado em 18 de dezembro de 2017 
  55. «Resultado para Deputados Federais em Piratuba». Eleições Brasil. Consultado em 18 de dezembro de 2017 
  56. «Resultados das Eleições 2014 em Piratuba - SC para Deputado Estadual». Eleições Brasil. Consultado em 18 de dezembro de 2017 
  57. «Santa Catarina » Piratuba » produto interno bruto dos municípios - 2014». IBGE. Consultado em 21 de dezembro de 2017 
  58. «Receita tributária: Veja arrecadação total de impostos e taxas por cidade do Brasil - PIRATUBA, SC». Deepask. Consultado em 21 de dezembro de 2017 
  59. «Piratuba». Meu Município. Consultado em 21 de dezembro de 2017 
  60. «Parque de Águas Termais». Piratuba. Consultado em 21 de dezembro de 2017 
  61. «Saiba quais são os benefícios das águas termais de Piratuba». Notícia Hoje. Consultado em 21 de dezembro de 2017 
  62. a b c d «Viagem e Caminhos: Piratuba». Viagens e Caminhos. Consultado em 21 de dezembro de 2017 
  63. «Passeio de Maria Fumaça». Piratuba. Consultado em 21 de dezembro de 2017 
  64. «Atrações de Marcelino Ramos». Termas de Marcelino Ramos. Consultado em 21 de dezembro de 2017 
  65. «Parque Três Pinheiro». Piratuba. Consultado em 21 de dezembro de 2017 
  66. «Casa do Colono». Piratuba. Consultado em 21 de dezembro de 2017 
  67. «Rota do Engenho». Piratuba. Consultado em 21 de dezembro de 2017 
  68. «Hotéis em Piratuba». Booking. Consultado em 21 de dezembro de 2017 
  69. a b c d e «Santa Catarina » Piratuba » censo demográfico 2010: resultados do universo - características da população e dos domicílios». IBGE. Consultado em 4 de janeiro de 2018 
  70. «Empresa de Piratuba cobra na justiça prejuízo pela falta de energia elétrica». Atual FM. Consultado em 4 de janeiro de 2018 
  71. «Horários da coleta de lixo em Piratuba e Ipira». Rádio Piratuba. Consultado em 4 de janeiro de 2018 
  72. «Santa Catarina » Piratuba » censo demográfico 2010: resultados do universo - indicadores sociais municipais». IBGE. Consultado em 4 de janeiro de 2018 
  73. «Santa Catarina » Piratuba » frota - 2016». IBGE. Consultado em 4 de janeiro de 2018 
  74. «Rodoviária de Piratuba». Piratuba. Consultado em 4 de janeiro de 2018 
  75. «Rodovia em Piratuba vira estrada de chão por falta de verba para reforma». G1. Consultado em 4 de janeiro de 2018 
  76. «Santa Catarina » Piratuba » ensino - matrículas, docentes e rede escolar - 2015». IBGE. Consultado em 4 de janeiro de 2018 
  77. «Escolas públicas e particulares de Piratuba». Escolas. Consultado em 4 de janeiro de 2018 
  78. «Transporte para os acadêmicos de Piratuba é gratuito». Piratuba. Consultado em 4 de janeiro de 2018 
  79. «IDEB Ensino Fundamental Anos Iniciais». Qedu. Consultado em 4 de janeiro de 2018 
  80. «IDEB Ensino Fundamental Anos Finais». Qedu. Consultado em 4 de janeiro de 2018 
  81. «IDEB 2015 de Piratuba é exemplo para o Brasil segundo o Jornal Nacional». Adjori SC. Consultado em 4 de janeiro de 2018 
  82. «Série do JN mostra retrato da educação básica na rede pública». Globo. Consultado em 4 de janeiro de 2018 
  83. «Piratuba aumenta notas e fica entre os melhores no IDEB de SC». Adjori SC. Consultado em 4 de janeiro de 2018 
  84. a b «Santa Catarina » Piratuba » serviços de saúde - 2009». IBGE. Consultado em 4 de janeiro de 2018 
  85. «Hospital de Piratuba e Ipira comemora recursos recebidos de Piratuba». Rádio Piratuba. Consultado em 4 de janeiro de 2018 
  86. «Localização do hospital». Piratuba. Consultado em 4 de janeiro de 2018 
  87. «Município de Piratuba conta com mais um médico agora são cinco na UBS». Michel Teixeira. Consultado em 4 de janeiro de 2018 
  88. «DDD Piratuba - SC - Código DDD da cidade». DDD Cidades e Estados do Brasil. Consultado em 24 de janeiro de 2017 
  89. «CEP de cidades brasileiras». Correios. Consultado em 24 de janeiro de 2017 
  90. «Rádio Piratuba FM é palco de estágio para aluno de Universidade Paulista». Abraco SC. Consultado em 21 de dezembro de 2017 
  91. «Prefeito de Piratuba denuncia Rádio Comunitária por direcionamento político». Oeste Mais. Consultado em 21 de dezembro de 2017 
  92. a b «Jornais associados». Adjori. Consultado em 21 de dezembro de 2017 
  93. «Jornal Comunidade». Adjori. Consultado em 21 de dezembro de 2017 
  94. «Jornal Cidades». Adjori. Consultado em 21 de dezembro de 2017 
  95. «Fundação de Cultura e Esportes». Piratuba. Consultado em 19 de dezembro de 2017 
  96. «Secretaria Municipal de Educação e Esporte». Piratuba.sc.gov.br. Consultado em 19 de dezembro de 2017 
  97. «5ª Rodada do Campeonato Municipal de Futebol de Campo de Piratuba». Adjori. Consultado em 19 de dezembro de 2017 
  98. «Campeonato Municipal de Bolão entre empresas de Piratuba inicia». Adjori. Consultado em 19 de dezembro de 2017 
  99. «Esporte realiza Corrida Rústica e Passeio Ciclístico neste sábado em Piratuba». Rádio Piratuba. Consultado em 19 de dezembro de 2017 
  100. «Associação Piratuba de Futsal divulga os contratados. Técnico campeão deve dirigir a equipe». Rádio Piratuba. Consultado em 19 de dezembro de 2017 
  101. «Kerbfest de Piratuba». Piratuba. Consultado em 19 de dezembro de 2017 
  102. «Aniversário de Piratuba». Piratuba. Consultado em 19 de dezembro de 2017 
  103. «FECAPI». Piratuba. Consultado em 19 de dezembro de 2017 
  104. «Festa do Agricultor». Piratuba. Consultado em 19 de dezembro de 2017 
  105. «Abertura da Temporada de Verão». Piratuba. Consultado em 19 de dezembro de 2017 
  106. «Balneário Termas de Piratuba se prepara para receber turistas na Abertura da Temporada de Verão». Da Hora Online. Consultado em 19 de dezembro de 2017 
  107. «Natal de Piratuba». Piratuba. Consultado em 19 de dezembro de 2017 
  108. «Revéillon de Piratuba». Piratuba. Consultado em 19 de dezembro de 2017 
  109. «Eventos tradicionais». Piratuba. Consultado em 19 de dezembro de 2017 
  110. «Piratuba». Ecoviagem. Consultado em 19 de dezembro de 2017 
  111. «Piratuba terá três feriados municipais em 2017». Adjori. Consultado em 19 de dezembro de 2017 
  112. Sérgio Ferreira Pantaleão (8 de fevereiro de 2012). «Carnaval - é ou não feriado? folga automática pode gerar alteração contratual». Guia Trabalhista. Consultado em 30 de janeiro de 2014 
  113. «Lei Nº 9.093, de 12 de setembro de 1995». Presidência da República. Consultado em 30 de janeiro de 2014 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Commons Categoria no Commons
Wikivoyage Guia turístico no Wikivoyage

Ligações externas[editar | editar código-fonte]