É de Chuá!

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
É de Chuá!
É de Chuá! (BR)
 Brasil
1958 •  p&b •  100 min 
Direção Victor Lima
Roteiro Haroldo Barbosa
Victor Lima
Sérgio Porto
Renato Restier
J.B. Tanko
Elenco Ankito
Grande Otelo
Renata Fronzi
Gênero musical, comédia
Idioma português
Página no IMDb (em inglês)

É de Chuá! é um filme de comédia musical brasileira de 1958, dirigido por Victor Lima para a Cinedistri. Com cenas de bailes de Carnaval no Municipal no Rio de Janeiro, vários números musicais se sucedem, apresentados por conhecidos cantores e sambistas: Nelson Gonçalves, Jamelão e Agostinho dos Santos (acompanhados do Conjuto Marabá), Emilinha Borba, a dupla de palhaços Carequinha e Fred (com Altamiro Carrilho), Linda Batista, Dircinha Batista, Bill Farr (que também atua) , Neusa Maria, Ruy Rey e Orquestra, Jorge Goulart, Joel de Almeida (acompanhado de Jupira e suas cabrochas), Trio de Ouro, Carlos Augusto e Gilberto Alves.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Os vigaristas do subúrbio carioca Maria Xangai e Juca Moleza, armam um plano para se passarem por pessoas ricas, o senhor e a Madame Caxangai, e atraírem um joalheiro para uma "festa da sociedade" numa mansão que alugam. Dois investigadores da Polícia desconfiam dos novos ricaços e se infiltram entre eles para descobrirem quem são na verdade. Enquanto isso, os sambistas Peteleco e Laurindo precisam de 80 mil cruzeiros ("80 contos") para pagarem as fantasias de carnaval que devem ao dono da Gafieira, Joaquim. Ao saberem dos "ricos", a dupla vai até lá solicitar uma doação em dinheiro para a Escola de Samba. Mas depois, ao cobrarem o pagamento dos vigaristas, Peteleco acaba engolindo um valioso brilhante do joalheiro, que pensara ser uma bala. O sambista passa então a ser perseguido pelos bandidos, pelo joalheiro e o médico atrapalhado que mandara chamar, e também por Joaquim, todos querendo recuperar a joia à força.