Ana Luísa Amaral

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Caca Luísa Amaral
Data de nascimento 1956 (60 anos)
Local de nascimento Lisboa,  Portugal
Género(s) Romance, poesia, teatro, literatura infantil
Prémios Prémio Literário Casino da Póvoa (2007)

Grande Prémio de Poesia APE/CTT (2007)
Prémio P.E.N. Clube Português de Novelística (2014)

Ana Luísa Amaral (1956-) é uma poetisa portuguesa, tradutora e professora de Literatura e Cultura Inglesa e Americana na Faculdade de Letras da Universidade do Porto.

Ana Luísa Amaral nasceu em Lisboa e vive, desde os nove anos, em Leça da Palmeira. Tem um doutoramento sobre a poesia de Emily Dickinson e as suas áreas de investigação são Poéticas Comparadas, Estudos Feministas e Estudos Queer. É Professora Associada da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, onde integra também a direção do Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa. Tem publicações académicas várias em Portugal e no estrangeiro. É autora, com Ana Gabriela Macedo, do Dicionário de Crítica Feminista (Porto: Afrontamento, 2005) e preparou a edição anotada de Novas Cartas Portuguesas (1972), de Maria Isabel Barreno, Maria Teresa Horta e Maria Velho da Costa (Lisboa: Dom Quixote, 2010). Organizou, com Marinela Freitas, os livros Novas Cartas Portuguesas 40 Anos Depois (Dom Quixote, 2014) e New Portuguese Letters to the World (Peter Lang, 2015). Coordenou o projecto internacional financiado pela FCT Novas Cartas Portuguesas 40 anos depois, que envolveu 13 equipas internacionais e mais de 15 países. Tem em preparação dois livros de ensaios.

Está representada em inúmeras antologias portuguesas e estrangeiras e tem feito leituras dos seus poemas em vários países, como Brasil, França, Estados Unidos da América, Alemanha, Irlanda, Espanha, Rússia, Roménia, Polónia, Suécia, Holanda, China, México, Itália, Colômbia e Argentina.

Em torno dos seus livros de poesia e infantis foram levados à cena espectáculos de teatro e leituras encenadas (como O olhar diagonal das coisas, A história da Aranha Leopoldina, Próspero morreu ou Amor aos Pedaços). 

Em 2007, venceu o Prémio Literário Casino da Póvoa, atribuído no âmbito do encontro de escritores de expressão ibérica Correntes d'Escritas na Póvoa de Varzim, com a obra A Génese do Amor. No mesmo ano, foi galardoada em Itália com o Prémio de Poesia Giuseppe Acerbi. O seu livro Entre Dois Rios e Outras Noites obteve, em 2008, o Grande Prémio de Poesia da APE (Associação Portuguesa de Escritores).

Os seus livros de poesia estão editados em vários países como França, Brasil, Suécia, Holanda, Venezuela, Itália, Colômbia e brevemente no México e na Alemanha. Os seus livros infantis vão ser em breve editados em França e na Colômbia.

Em 2016, sairá no Reino Unido, uma antologia de poemas seus, bem como um livro de ensaios sobre a sua obra, pela Peter Lang, com o título Resistance and Beauty in Ana Luísa Amaral.  

Obras[editar | editar código-fonte]

Livros de poesia[editar | editar código-fonte]

  • Minha senhora de quê, Fora do Texto, 1990; reed., Quetzal, 1999
  • Coisas de partir, Fora do Texto, 1993; reed., Gótica, 2001
  • Epopeias, Fora do Texto, 1994
  • E muitos os caminhos, Poetas de Letras, 1995
  • Às vezes o paraíso, Quetzal, 1998; reed. 2000.
  • Imagens, Campo das Letras, 2000
  • Imagias, Gótica, 2002
  • A arte de ser tigre, Gótica, 2003
  • Poesia Reunida 1990-2005, Quasi, 2005
  • A génese do amor, Campo das Letras, 2005; 2ª edição, 2006
  • Entre dois rios e outras noites, Campo das Letras, 2008
  • Se fosse um intervalo, Dom Quixote, 2009
  • Inversos, Poesia 1990-2010, Dom Quixote, 2010
  • Vozes, Dom Quixote, 2011; 2ª edição, 2012; 3ª edição, 2015
  • Escuro, Assírio & Alvim, 2014
  • E Todavia, Assírio & Alvim, 2015

Teatro[editar | editar código-fonte]

  • Próspero Morreu, Caminho, 2011

Ficção[editar | editar código-fonte]

  • Ara, Sextante, 2013; 2ª edição, 2014

Literatura Infantil[editar | editar código-fonte]

  • Gaspar, o Dedo Diferente e Outras Histórias, (ilust. Elsa Navarro), Campo das Letras, 1999
  • A História da Aranha Leopoldina, (ilust. Elsa Navarro), Campo das Letras, 2000
  • A Relíquia, a partir do romance de Eça de Queirós, Quasi, 2008
  • Auto de Mofina Mendes, a partir da peça de Gil Vicente, (ilust.Helena Simas), Quasi, 2008
  • A História da Aranha Leopoldina, (ilust. Raquel Pinheiro), Civilização, Porto, 2010 (ed. revista e aumentada, com CD. Música de Clara Ghimel, arranjos de Nuno Aragão, Cantado por Rosa Quiroga, Nuno Aragão e Sissa Afonso)
  • Gaspar, o Dedo Diferente, (ilust. Abigail Ascenso), Civilização, 2011 (ed. revista)
  • A Tempestade, (ilust. Marta Madureira), Quidnovi 2011 - Plano Nacional de Leitura
  • Como Tu, (ilust. Elsa Navarro), Quidnovi, 2012 (música de Antonio Pinho Vargas, piano por Álvaro Teixeira Lopes, vozes de Pedro Lamares, Rute Pimenta e Ana Luísa Amaral - Plano Nacional de Leitura
  • Lenga-lenga de Lena, a Hiena (no prelo)

Traduções[editar | editar código-fonte]

  • Xanana Gusmão, Mar Meu/My Sea of Timor, co-trad. Kristy Sword (Granito, 1998)
  • Eunice de Souza, Poemas Escolhidos (Cotovia, 2001)
  • John Updike, Ponto Último e Outros Poemas (Civilização, 2009)
  • Emily Dickinson, Cem Poemas (Relógio D'Água, 2010)
  • Emily Dickinson, Duzentos Poemas, Relógio d’Água, 2015
  • Patricia Highsmith, Carol, Relógio d'Água, 2015
  • William Shakespeare, 30 Sonetos, Relógio d'Água, 2015 (no prelo)

Livros de Ana Luísa Amaral traduzidos no estrangeiro[editar | editar código-fonte]

ALEMANHA

  • Stimmen, trad. Susanne Munz, 2015 (no prelo)

BRASIL[editar | editar código-fonte]

  • A gênese do amor, Gryphus, Rio de Janeiro, 2008
  • Vozes, Iluminuras, São Paulo, 2013
  • Escuro, Iluminuras, São Paulo, 2015
  • Ara, Iluminuras, São Paulo, 2016 (no prelo)

COLÔMBIA[editar | editar código-fonte]

  • Entre otras noches, Antologia Poética, trad. Lauren Mendinueta, Taller de Edición-Rocca, Bogotá, 2013
  • Como Tu, trad. Lauren Mendinueta,Taller de Edición-Rocca, Bogotá,  2014

ESPANHA[editar | editar código-fonte]

  • Escuro, trad. Luis Maria Marino, Olifante, Espanha, 2016 (no prelo)

FRANÇA[editar | editar código-fonte]

  • Images, trad. Catherine Dumas, Vallongues Éditions, 2000
  • Comme Toi, trad. Catherine Dumas, Editions Theatrales, Paris, 2013
  • L’Art d’être tigre, trad. Catherine Dumas, Phare du Cousseixo, 2015

HOLANDA[editar | editar código-fonte]

  • Wachten op Odysseus: Gedichten 1990-2011, trad. Arie Pos, uitgeverij IJZER, 2011

ITÁLIA[editar | editar código-fonte]

  • Poesie, trad. Livia Apa, Poesie, XVª Edizione – Portogallo, Lisbona, Instituto Camões, 2008
  • La Genesi dell’Amore, trad. Piero Ceccucci, Fiorenza mia…!:, Florença, Firenze University Press, 2009
  • La Scala di Giacobbe: Poesia di Ana Luísa Amaral, trad. Livia Apa, Manni Editori, Milão, 2010
  • Voce, trad. Chiara DiLucca & Livia Apa, Kolibris, 2015 (no prelo)

MEXICO[editar | editar código-fonte]

  • Escuro, Yerbasanta, trad. Blanca Luz Pulido, 2015 (no prelo)

SUÉCIA[editar | editar código-fonte]

  • Mellan tva floder och andra natter, trad. Ulla Gabrielson, Diadorim, Gotemburgo, 2009

VENEZUELA[editar | editar código-fonte]

  • Ana Luisa Amaral, Antología Poética, trad. Nidia Hernandez, Monte Ávila Editores, Caracas, 2012

Prémios[editar | editar código-fonte]

  • Prémio Literário Casino da Póvoa/Correntes d’Escritas, com o livro A génese do amor, (2007)
  • Prémio de Poesia Giuseppe Acerbi, Mantua, Itália, com o livro A génese do amor,(2008)
  • Grande Prémio de Poesia da Associação Portuguesa de Escritores, com o livro Entre Dois Rios e Outras Noites, (2008)
  • Prémio Rómulo de Carvalho/António Gedeão, 1ª edição, com o livro Vozes, (2012)
  • Prémio PEN de Narrativa da Associação Portuguesa de Escritores, com o romance Ara (2014)
  • Medalha de Ouro de Mérito da Câmara Municipal de Matosinhos (2015)

Nomeações[editar | editar código-fonte]

  • Finalista do Prémio Portugal Telecom, com o livro A génese do amor (2009)
  • Proposta para o Prémio Reina Sofia (2013)
  • Finalista do Prémio Portugal Telecom, com o livro Vozes (2014)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]