Catedral Basílica de Nossa Senhora Aparecida

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Santuário Nacional de Nossa Senhora da Conceição Aparecida
Vista da Basílica
Estilo dominante Neorromânico
Arquiteto Benedito Calixto Neto
Início da construção 10 de setembro de 1946[1]
Religião Católica
Diocese Arquidiocese de Aparecida
Ano de consagração 4 de julho de 1980 (36 anos)
Arcebispo Orlando Brandes
Padre João Batista de Almeida, C.Ss.R
Website www.a12.com/santuario-nacional
Geografia
País  Brasil
Cidade Aparecida
Endereço Avenida Dr. Júlio Prestes, s/n - Ponte Alta
Coordenadas 22° 51' 02.13" S 45° 14' 01.81" O

A Catedral Basílica de Nossa Senhora da Conceição Aparecida, também conhecida como Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida, é um templo religioso católico localizado no município brasileiro de Aparecida, no interior do estado de São Paulo. É o maior templo católico do Brasil e o segundo maior do mundo, menor apenas que a Basílica de São Pedro no Vaticano.[2][3]

A estrutura foi solenemente sagrada em 4 de julho de 1980, pelo Papa João Paulo II,[4] quando ele visitou o Brasil pela primeira vez. Em 1984, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) elevou a nova basílica a Santuário Nacional. Localiza-se no centro da cidade, tendo como acesso a "Passarela da Fé", que liga a basílica atual com a antiga, ambas visitadas pelos romeiros.[3] Já recebeu a visita de três papas: João Paulo II, Bento XVI e Francisco.

Em novembro de 2016, por decreto do Papa Francisco, a basílica foi elevada a dignidade de igreja-catedral da Arquidiocese de Aparecida, título transferido da igreja de Santo Antônio, em Guaratinguetá.[5] O santuário é visitado anualmente por aproximadamente 12 milhões de romeiros de todas as partes do Brasil.[6]

História[editar | editar código-fonte]

Projeto[editar | editar código-fonte]

Fachada da Basílica velha.

A Basílica Nova é a terceira igreja que foi construída para a Nossa Senhora da Conceição Aparecida. A primeira foi iniciada em 1741 e inaugurada a 26 de julho de 1745; a segunda foi iniciada em 1844 e inaugurada em 24 de junho de 1888.[4] O Santuário Nacional de Nossa Senhora é dirigido e administrado pelos Missionários Redentoristas da Congregação do Santíssimo Redentor, desde 1894.[4]

Em meados da década de 1940, os missionários da Congregação do Santíssimo Redentor, conhecidos por redentoristas, perceberam a necessidade de se erigir um novo templo para devoção do povo para com Nossa Senhora da Conceição Aparecida: era preciso um espaço mais amplo, que comportasse mais pessoas. Dessa necessidade, surgiu a ideia de se construir não uma qualquer igreja maior, mas uma basílica.

Benedito Calixto Neto foi o arquiteto contratado para a elaboração do projeto, que foi pedido em forma de cruz grega.[4] Em 1945, o então cardeal de São Paulo, Dom Carlos Carmelo de Vasconcelos Motta levou ao Vaticano o projeto da, então, futura basílica, que foi julgado como brilhante pela comissão examinadora.

Obras, arquitetura e geometria[editar | editar código-fonte]

Fachada Norte da Basílica
Torre da Basílica
Altar principal.
Interior da Basílica

Também conhecida por "Basílica Nova", está construída sobre o Morro das Pitas, teve sua terraplanagem iniciada em 1952 e terminada em 1954. Começou a ser construída em 11 de novembro de 1955,[4] pela Nave Norte, e seguiu para a construção da Torre Brasília que teve sua estrutura metálica doada pelo então presidente, Juscelino Kubitschek.

Terminada a torre, as obras seguiram para a cúpula central, depois, já em meados de 1972, para a Capela das Velas e para a Nave Sul, passando depois para as Naves Oeste e Leste, e as alas intermediárias, finalmente. A torre da Benedito Calixto de Jesus Neto.[4]

Há uma passarela, denominada "Passarela da Fé", que faz ligação entre a igreja velha e a basílica ao qual possui 392 m de extensão, onde há fiéis que esse trecho percorrem de joelhos.[3]

Honrarias[editar | editar código-fonte]

Rosa de Ouro[editar | editar código-fonte]

A Basílica de Aparecida, por duas vezes, recebeu a Rosa de Ouro, uma das mais antigas e nobres condecorações papais.

  • A primeira, pelo Papa Paulo VI, em 1967, por ocasião do jubileu de 250 anos do aparecimento da imagem da Nossa Senhora da Conceição Aparecida, sendo a entrega feita a 15 de agosto daquele ano.
  • A segunda, foi abençoada pelo Papa Bento XVI, em 18 de março de 2007, Domingo Lætare, e entregue a 12 de maio do mesmo ano, por ocasião de sua visita ao Brasil.

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

O Santuário Nacional possui uma ampla e completa rede de infraestrutura para receber tantas pessoas no decorrer dos dias e festas.

Achados e perdidos[editar | editar código-fonte]

Os objetos perdidos são encaminhados para a Secretaria Pastoral ou para a Central de Informações, onde poderão ser retiradas com prévia consulta. Quanto às pessoas que se perdem de seus acompanhantes ou grupos, existe o Ponto de Encontro, que dispõe de funcionários treinados e de um sistema de som. Entretanto, o Santuário orienta as pessoas no sentido de se organizarem a nível de família ou romaria e adotarem o Ponto de Encontro como referência comum; orienta também no sentido de visitas com crianças e idosos: identificá-los com um cartão contendo telefone de contato e informações que possam ser relevantes[7].

Acessibilidade[editar | editar código-fonte]

O Santuário Nacional dispõe de rampas de acesso ao templo e ao subsolo, elevadores para a visita do Mirante da Torre Brasília, pisos e rampas emborrachados e antiderrapantes, 58 vagas de estacionamento para idosos e pessoas com deficiência, os banheiros possuem entrada independente para acompanhantes de pessoas com deficiência, 45 cadeiras especiais, corrimões em duas alturas[8].

Ambulatório médico[editar | editar código-fonte]

Ao lado leste da Basílica, próximo à Passarela, existe um ambulatório para assistência de emergência ou de urgência, é um serviço gratuito e conta com médicos, enfermeiras e atendentes[9].

Centro de apoio ao Romeiro[editar | editar código-fonte]

Popularmente conhecido como Shoppinho, foi planejado para proporcionar comodidade, lazer e acolhimento. Possui uma grande praça de alimentação com vários tipos de restaurantes, 380 lojas em 36.000 , quiosques, fraldário, caixas bancários, bebedouros, aquário, ponto de encontro e parque de diversões[10].

Estacionamento[editar | editar código-fonte]

O Santuário possui um pátio de estacionamento com capacidade para 2000 ônibus e 3000 automóveis particulares, e dispõe de socorro mecânico e seguro contra furto ou roubo de veículos, mas não se responsabiliza por pertences deixados no veículo[11].

Fraldário[editar | editar código-fonte]

Para favorecer as mães com crianças pequenas, a Basílica oferece dois fraldários. Um deles se encontra no subsolo e contém 10 berços e 16 trocadores e atende cerca de 300 crianças por dia. O outro está localizado no Centro de Apoio, na asa sul, e possui micro-ondas, duchas higiênicas, trocadores, aquecedores de mamadeiras entre outros serviços gratuitos[12].

Segurança patrimonial[editar | editar código-fonte]

A fim de proporcionar uma visita tranquila e segura, o Santuário conta com cerca de 200 agentes de segurança. 400 policiais militares, em média, reforçam em épocas especiais. Com um moderno sistema de câmeras, 48 equipamentos fixos e oito móveis, com monitoramento 24 horas/dia, interno e externo, observam a Basílica. Também viaturas e motocicletas que fazem rondas diuturnas, dentro dos muros do Santuário Nacional, colaboram com a vigilância[13].

Utilidades[editar | editar código-fonte]

No subsolo da Basílica, encontra-se a Sala das Promessas, o fraldário, banheiros, água potável, Capela dos Batizados, Salão dos Romeiros (espaço para refeições) e marcação de missas. Na Torre Brasília, o mirante (100m de altura), o Museu Nossa Senhora Aparecida e a central de informações. No Centro de Apoio, o ponto de encontro e central de informações. No setor externo, a Sala de Imprensa, a sala dos motoristas, a segurança patrimonial e o ambulatório[14].

Visão panorâmica do exterior da basílica de Nossa Senhora Aparecida

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Apostolado dos Sagrados Corações. «Basílica Nova». Consultado em 5 de novembro de 2015. 
  2. G1 (12 de outubro de 2015). «Católicos celebram Dia da Padroeira na Basílica em Aparecida, SP». Consultado em 5 de novembro de 2015. 
  3. a b c Terra (12 de outubro de 2007). «Basílica de Aparecida aguarda 160 mil pessoas». Arquivado desde o original em 23 de fevereiro de 2012. Consultado em 24 de fevereiro de 2013. 
  4. a b c d e f «Revista Turismo - BASÍLICA NACIONAL DE APARECIDA DO NORTE - SP». Revista Turismo. Arquivado desde o original em 21 de novembro de 2008. Consultado em 24 de fevereiro de 2013. 
  5. «Papa concede ao Santuário Nacional título de Igreja-Catedral». Portal A12. 10 de novembro de 2016. Consultado em 11 de novembro de 2016. 
  6. Valeparaibano. «A Padroeira». Consultado em 2 de abril de 2010. 
  7. A12. «Santuário Nacional - Achados e Perdidos». Consultado em 23 de janeiro de 2014. 
  8. A12. «Santuário Nacional - Acolhimento». Consultado em 23 de janeiro de 2014. 
  9. A12. «Santuário Nacional - Ambulatório médico». Consultado em 23 de janeiro de 2014. 
  10. A12. «Santuário Nacional - Centro de Apoio ao Romeiro». Consultado em 23 de janeiro de 2014. 
  11. A12. «Santuário Nacional - Estacionamento». Consultado em 23 de janeiro de 2014. 
  12. A12. «Santuário Nacional - Fraldário». Consultado em 23 de janeiro de 2014. 
  13. A12. «Santuário Nacional - Segurança». Consultado em 23 de janeiro de 2014. 
  14. A12. «Santuário Nacional - Utilidades». Consultado em 23 de janeiro de 2014. 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Catedral Basílica de Nossa Senhora Aparecida