Bassam Tibi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Bassam Tibi
Nome nativo بسام طيبي
Nascimento 4 de abril de 1944 (74 anos)
Damasco
Cidadania Alemanha, Síria
Etnia Síria
Alma mater Universidade de Frankfurt
Ocupação professor universitário
Prêmios Cruz de Oficial da Ordem do Mérito da República Federal da Alemanha, Cruz de Oficial da Ordem do Mérito da República Federal da Alemanha
Empregador Universidade Harvard, Universidade de Göttingen, Universidade Cornell
Religião Islã

Bassam Tibi (بسام طيبي) (Damasco, 4 de Abril de 1944) é um cientista político sírio, naturalizado alemão. Vive na Alemanha desde 1962 e, desde 1973, é professor de Relações Internacionais da Universidade de Göttingen.

Na academia, é conhecido pela introdução do Islã no estudo dos conflitos internacionais e pela criação dos conceitos de Leitkultur europeia e de Euroislam, considerando a integração dos imigrantes muçulmanos na Europa.[1] Tibi é também o fundador da Islamologia, o estudo social do Islã, no campo das ciências sociais, e conflito na política pós-bipolar. Tibi atuou como pesquisador em países da Ásia e da África. Tem trabalhos publicados em inglês, alemão e árabe.

Bassam Tibi é co-fundador da "Organização Árabe para os Direitos Humanos (em alemão: Arabische Organisation für Menschenrechte, em árabe: المنظمة العربية لحقوق الانسان' (al-munazzama al-'arabiya li-huquq al-insan). É também um promotor do "Diálogo Islamo-Judaico" e um dos promotores do "Triálogo de Córdoba" para a comunicação judaico-islamo-cristã.

Nascido numa tradicional família de acadêmicos damascenos (Banu al-Tibi), Bassam Tibi é um muçulmano sunita. Estudou Ciências Sociais, Filosofia e História na Universidade de Frankfurt, onde ele se doutorou em 1971. Fez a habilitação (Habilitierung) em 1981 na Universidade de Hamburgo.

Para além de Professor na Universidade de Göttingen, Tibi foi professor visitante e associado de pesquisa na Universidade de Harvard (1982-1993) e Bosch Visiting Professor de 1998 até 2000. Na primavera de 2003 ele foi professor convidado de Estudos Islâmicos na Universidade de São Galo, na Suíça, e é desde Outono de 2003 Professor convidado na Universidade Islâmica de Jacarta, na Indonésia.

Entre 1986 e 1988 deteve várias posições como professor visitante em coordenação com o DAAD, várias posições em África e Ásia, entre outras em Cartum, no Sudão e em Yaoundé nos Camarões.

Teve também uma fellowship em Harvard e outras em Princeton e Ann Arbor, (Michigan) bem como no Rockefeller Center, em Bellagio (Itália). De 1989 a 1993 foi membro do "Projecto do Fundamentalismo" da "American Academy of Arts and Sciences".

Presentemente ele é membro do projecto "Culture Matters" na Harvard Academy for International Studies, e da Fletcher School na Universidade Tufts. Bassam Tibi foi professor visitante da Universidade da Califórnia na Universidade de Berkeley em 1994. Entre 1995 e 1998 professor visitante na Bilkent Universität em Ancara.

Em 1995, recebeu o prémio alemão Bundesverdienstkreuz e, em 1997, foi votado homem do ano pelo "Instituto biográfico americano". Bassam Tibi recebeu em 2003, juntamente com o professor judeu Michael Wolffsohn o prémio anual da Stiftung für Abendländische Besinnung (Fundação para a Consciência Ocidental) de Zurique).

No seu livro, "O Novo Totalitarismo - Guerra Santa e Segurança Ocidental" (Der neue Totalitarismus - Heiliger Krieg und westliche Sicherheit), editado em alemão em 2004, Bassam Tibi separa as noções de Islã e de fundamentalismo islâmico, que considera como sendo um novo totalitarismo. Hannah Arendt referiu-se a dois totalitarismos: o comunismo de carácter estalinista e o nazi-fascismo. Para Tibi, o fundamentalismo islâmico seria o terceiro totalitarismo. O autor também critica o relativismo cultural pós-moderno e defende a constituição de uma base comum de valores ocidentais e valores islâmicos. Segundo ele, apenas uma moralidade universal e compartilhada, com base nos direitos humanos, seria capaz de fazer frente à nova onda de fundamentalismos que ameaça a segurança e a estabilidade do mundo.

Em The Challenge of Fundamentalism analisa as relações entre a civilização islâmica e a civilização ocidental, as quais, segundo ele, não seriam a priori conflituosas. O conflito decorreria não do confronto de civilizações, mas do choque entre duas ideologias fundamentalistas que se sobrepõem a essas civilizações. Segundo o autor seria possível melhorar a natureza das relações entre oriente e ocidente através de uma moralidade transcultural.[2] Assim, para Bassam Tibi, o choque de civilizações entre o Ocidente e o Islã, conforme sugere Huntington, deriva do confronto entre essas duas ideologias de caráter universalizante, que se baseiam em diferentes visões acerca do homem e do mundo. Essas visões foram construídas historicamente, sendo a modernidade um conceito estritamente ocidental, cujas raízes estão no Renascimento e no Iluminismo, e cujo pressuposto é o Homem como centro do universo, e cujos corolários são a instrumentalização da natureza, o primado do indivíduo sobre o coletivo, a primazia da razão sobre a religião e secularização das instituições políticas. Em contrapartida, no Islã a coletividades é mais importante que o indivíduo, e Deus é o centro do universo, de modo que o laicismo das instituições e a preponderância dos direitos individuais sobre os coletivos carecem de sentido.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Publicações[editar | editar código-fonte]

Em inglês

  • Arab Nationalism: A Critical Enquiry. Trad. Marion Farouk-Sluglett and Peter Sluglett. New York: St. Martin's Press, 1981.
  • The Crisis of Modern Islam: A Preindustrial Culture in the Scientific-Technological Age. Trad. Judith von Sivers. Salt Lake City: University of Utah Press, 1988.
  • Arab Nationalism: A Critical Enquiry. Trad. Marion Farouk-Sluglett e Peter Sluglett. 2ª ed. New York: St. Martin's Press, 1990.
  • Islam and the Cultural Accommodation of Social Change. Boulder, CO: Westview Press, 1990.
  • "Conflict and War in the Middle East, 1967-91: Regional Dynamic and the Superpowers." Trad. Clare Krojzl. New York: St. Martin's Press, 1993.
  • Arab Nationalism: Between Islam and the Nation-State. 3ª ed. New York: St. Martin's Press, 1996.
  • The Challenge of Fundamentalism: Political Islam and the New World Disorder. Berkeley: University of California Press, 1998; versão atualizada em 2002. ISBN 0-520-23690-4 Resumo do autor
  • Islam between Culture and Politics. Houndmills, Basingstoke, Hampshire; New York Cambridge, Mass: Palgrave/ Weatherhead Center for International Affairs Harvard University, 2001.

Em alemão

  • 1969: Die arabische Linke. Frankfurt am Main: Europäische Verlagsanstalt.
  • 1971: Zum Nationalismus in der Dritten Welt - am arabischen Beispiel. Frankfurt am Main: Europäische Verlagsanstalt (dissertação apresentada à Universidade de Frankfurt). ISBN 3434400257
  • 1973: Militär und Sozialismus in der Dritten Welt. Allgemeine Theorien und Regionalstudien über arabische Länder. Frankfurt am Main: Suhrkamp (tese apresentada à Universidade de Hamburgo). ISBN 3518106317
  • 1979: Internationale Politik und Entwicklungsländer-Forschung. Materialien zu einer ideologiekritischen Entwicklungssoziologie. Frankfurt am Main: Suhrkamp. ISBN 3518109839
  • 1981: Die Krise des modernen Islam. Eine vorindustrielle Kultur im wissenschaftlich-technischen Zeitalter. München: C. H. Beck. ISBN 3518284894
  • 1985: Der Islam und das Problem der kulturellen Bewältigung sozialen Wandels. Frankfurt am Main: Suhrkamp. ISBN 3518281313
  • 1987: Vom Gottesreich zum Nationalstaat. Islam und panarabischer Nationalismus Frankfurt am Main: Suhrkamp. ISBN 3518282506
  • 1989: Konfliktregion Naher Osten. Regionale Eigendynamik und Großmachtinteressen. München: C. H. Beck. ISBN 3406353649
  • 1992: Die fundamentalistische Herausforderung. Der Islam und die Weltpolitik. München: C. H. Beck. ISBN 3406340768
  • 1992: Islamischer Fundamentalismus, moderne Wissenschaft und Technologie. Frankfurt am Main: Suhrkamp. ISBN 3518285904
  • 1993: Die Verschwörung. Das Trauma arabischer Politik. Hamburg: Hoffmann und Campe. ISBN 345508477X
  • 1994: Im Schatten Allahs. Der Islam und die Menschenrechte. München: Piper. ISBN 3492222854 (Taschenbuchausgabe bei Ullstein 2003)
  • 1995: Krieg der Zivilisationen. Politik und Religion zwischen Vernunft und Fundamentalismus. Hamburg: Hoffmann und Campe. ISBN 3455110606 (erweiterte Taschenbuchausgabe bei Heyne 1998)
  • 1995: Der religiöse Fundamentalismus im Übergang zum 21. Jahrhundert. Mannheim: BI-Taschenbuchverlag. ISBN 3411105011
  • 1996: Der wahre Imam. Der Islam von Mohammed bis zur Gegenwart. München: Piper. ISBN 3492227139
  • 1997: Pulverfaß Nahost. Eine arabische Perspektive. Stuttgart: Deutsche Verlagsanstalt. ISBN 3421050880
  • 1997: Aufbruch am Bosporus. Die Türkei zwischen Europa und dem Islamismus. München: Diana. ISBN 3828450121
  • 1998: Europa ohne Identität? Die Krise der multikulturellen Gesellschaft. München: Bertelsmann. ISBN 3570001695 (Neuausgaben 2000/2002 mit dem Untertitel: Leitkultur oder Wertebeliebigkeit)
  • 1999: Die neue Weltunordnung. Westliche Dominanz und islamischer Fundamentalismus. Berlin: Propyläen. ISBN 3549057881 (Übersetzung von: The Challenge of Fundamentalism, University of California Press, 1998)
  • 1999: Kreuzzug und Djihad. Der Islam und die westliche Welt. München: Bertelsmann. ISBN 3570003809.
  • 2000: Der Islam und Deutschland. Muslime in Deutschland. Stuttgart: Deutsche Verlagsanstalt. ISBN 3421053855
  • 2000: Fundamentalismus im Islam. Eine Gefahr für den Weltfrieden? Darmstadt: Primus. ISBN 3896781634
  • 2001: Einladung in die islamische Geschichte. Darmstadt: Wissenschaftliche Buchgesellschaft. ISBN 3896784099
  • 2002: Islamische Zuwanderung. Die gescheiterte Integration. Stuttgart: Deutsche Verlagsanstalt. ISBN 3421056331
  • 2004: Der neue Totalitarismus. Heiliger Krieg und westliche Sicherheit. Darmstadt: Primus. ISBN 3896784943
  • 2005: Mit dem Kopftuch nach Europa? Die Türkei auf dem Weg in die Europäische Union. Darmstadt: Primus. 2. Auflage 2007, ISBN 3896785370
  • 2008: Die islamische Herausforderung. Religion und Politik im Europa des 21. Jahrhunderts. Darmstadt: Primus. 3. Auflage, ISBN 3-534-22034-X

Referências

  1. Segundo Paul Berman, no livro "The Flight of the Intellectuals" (Melville House 2010, p. 150), "Para Bassam Tibi, o liberal, Euro-Islam significa um Islã ocidentalizado, enquanto que, para Tariq Ramadan, significa reformismo Salafi."
  2. J.M. Long. «The Challenge of Fundamentalism: Political Islam and the New World Disorder». findarticles.com. Journal of Church and State. 41 (4)  |editora= e |publicado= redundantes (ajuda)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]