Batalha das Pirâmides

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Batalha das Pirâmides
Guerras Revolucionárias Francesas
Francois-Louis-Joseph Watteau 001.jpg
Batalha das Pirâmides, óleo sobre tela de François-Louis-Joseph Watteau, 1798-1799.
Data 21 de Julho 1798
Local Proximidades de Cairo, Egito
Desfecho Vitória das tropas francesas
Beligerantes
Flag of France (1794–1815, 1830–1958).svg França Império Otomano Império Otomano
Comandantes
Napoleão Bonaparte Murade Bei
Ibraim Bei
Forças
20.000 homens
3.000 cavalaria
17.000 infantaria
42 canhões[1][2]
25.000[3]
Baixas
29 mortos, 260 feridos[4] 20.000 mortos ou feridos (segundo Napoleão)

Real número desconhecido (presumido em milhares)

A Batalha das Pirâmides teve lugar a 21 de Julho de 1798 entre o exército francês no Egito comandado por Napoleão Bonaparte e as forças locais mamelucas e foi a batalha onde Napoleão usou a formação em quadrados.

Em Julho de 1798, Napoleão ia na direcção do Cairo, depois de invadir e capturar Alexandria. Pelo caminho encontrou as forças dos mamelucos a 15 km das pirâmides, e a apenas 6 do Cairo. Os mamelucos eram comandados por Murade Bei e Ibraim Bei e tinham uma poderosa cavalaria.[4] Os mamelucos, apesar de serem superiores em número, estavam equipados com uma tecnologia antiga, possuíam espadas, arcos e flechas; ainda por cima, as suas forças ficaram divididas pelo Nilo, com Murade entrincheirado em Embabeh e Ibrahim em campo aberto.

Napoleão deu conta de que a única tropa egípcia de grande valor era a cavalaria. Ele possuía pouca cavalaria a seu mando e era superado em número pelos mamelucos. Viu-se pois forçado a ir na defensiva, e formou o seu exército em quadrados com o suporte da artilharia, cavalaria e equipas no centro de cada uma, dispersando assim o ataque da cavalaria mameluca com fogo de artilharia de apoio. Então atacou o acampamento egípcio de Embebeh, provocando a fuga do exército egípcio.

Antes da batalha, Napoleão exortou seus soldados com a célebre frase: "Soldados! Do alto destes monumentos, quarenta séculos de história nos contemplam!".[4][5]

Referências

  1. Smith The Greenhill Napoleonic Wars Data Book. Greenhill Books, 1998. p. 140
  2. Connelly. Blundering to Glory: Napoleon’s Military Campaigns. Rowman & Littlefield Pub., 2006. 3rd ed. p.50.
  3. NAKOULA EL-TURK. Histoire de l'expédition des français en Égypte par Nakoula El-Turk. Publiée et traduite par M. Desgrandes Aîné.
  4. a b c Cole, Juan (2007). Napoleon's Egypt: Invading the Middle East (em inglês). [S.l.]: Palgrave Macmillan. pp. 63, 65, 68. 279 páginas. ISBN 9781403964311 
  5. Chandler, David G. The Campaigns of Napoleon (em inglês). 1. [S.l.]: Scribner Book Company. p. 224. ISBN 9780025236608 

Ver também[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Batalha das Pirâmides
Ícone de esboço Este artigo sobre Guerras Napoleónicas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.