Cátia de França

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde outubro de 2015)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.
Cátia de França
Informação geral
Nome completo Catarina Maria de França Carneiro
Nascimento 13 de fevereiro de 1947 (69 anos)
Origem João Pessoa
 Paraíba
País  Brasil
Gênero(s) MPB
Ocupação(ões) Cantora compositora e instrumentista
Instrumento(s) Vocal
Período em atividade Década de 60—presente

Cátia de França , cujo nome de batismo é Catarina Maria de França Carneiro (João Pessoa, 13 de fevereiro de 1947), é uma cantora e compositora brasileira. Sua música tem como fonte a literatura, fazendo referências à obra de Guimarães Rosa, José Lins do Rego, Manoel de Barros, além do citado João Cabral de Melo Neto.

Primeiros anos[editar | editar código-fonte]

Desde menina, Cátia aprendeu a dominar instrumentos como o piano, a sanfona e o violão. Mais tarde se interessou pelos estudos da flauta e pela percussão. Foi professora de música por algum tempo, até começar a compor em parceria com o poeta Diógenes Brayner.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Na década de 60, a cantora participou de festivais de música popular, época em que viajou à Europa com um grupo folclórico do qual participava. De volta ao Brasil, foi para o Rio de Janeiro, onde contatou outros músicos nordestinos, como Zé Ramalho, Elba Ramalho, Amelinha e Sivuca. Mais tarde, foi parceira de palco de Jackson do Pandeiro durante a primeira versão do Projeto Pixinguinha, em 1980.

O primeiro LP solo, 20 Palavras ao Redor do Sol, foi lançado em 1979, com músicas compostas com base em poemas de João Cabral de Melo Neto. Uma música da cantora foi trilha sonora do filme Cristais de Sangue, de 1975. Em cerca de 40 anos de carreira, Cátia gravou três LPs: Vinte Palavras ao Redor do Sol, Estilhaços e Feliz Demais, e dois CDs: Avatar (com participações de Chico César e Xangai ) e Cátia de França canta Pedro Osmar, no qual ela demonstra a força criativa da música paraibana.

Cátia também adentrou pelo mundo da literatura e das artes plásticas, com destaque para os livros Zumbi em Cordel, Falando de Natureza Naturalmente (infantil) e Manual da Sobrevivência, um resgate de sua trajetória pessoal e profissional.

Discografia[editar | editar código-fonte]

  • 197920 Palavras ao redor do Sol (Epic/CBS)
1 O bonde (Cátia de França)
2 Quem vai quem vem (Cátia de França)
3 Vinte palavras ao redor do Sol (Cátia de França)
4 Djaniras (Israel Semente/Cátia de França/Xangai)
5 Kukukaya - Jogo da asa da bruxa (Cátia de França)
6 Itabaiana (Cátia de França)
7 Porto de Cabedelo (Cátia de França)
8 Ensacado (Sergio Natureza/Cátia de França)
9 Coito das araras (Cátia de França)
10 Os galos (Cátia de França)
11 Sustenta a pisada (Cátia de França)
12 Eu vou pegar o metrô (Lourival Lemes/Cátia de França)
  • 1980Estilhaços (Epic/CBS)
1 Panorama (Cátia de França)
2 Menina passarinho (Cátia de França)
3 Porque é da natureza (Abel Silva/Cátia de França)
4 Hoje tem futebol (Cátia de França)
5 Ludovina (Cátia de França)
6 Meu boi surubim (Citações de Guimarães Rosa/Cátia de França)
7 Estilhaços (Flávio Nascimento/Cátia de França)
8 Não marque as horas (Marconi Notaro/Cátia de França)
9 Ponta dos Seixas (Cátia de França)
10 Dança das lanças (Cátia de França)
11 Poço das Pedras (Cátia de França)
12 Não há guarda-chuva (João Cabral de Melo Neto/Cátia de França)
  • 1986Feliz demais (Produção independente distribuido pela Continental)
1 Outro rosto (Cátia de França)
2 Serenas águas (Cátia de França)
3 Feliz demais (Cátia de França)
4 Minha vida é uma rede (Cátia de França)
5 Vamos dar as mãos (Cátia de França)
6 Geração (Cátia de França)
7 Do outro lado da baía (Cátia de França)
8 Meu pensamento (Cátia de França)
9 Considerando (Cátia de França)
10 Iorubá (Cátia de França/Tonho Baixinho)
  • 1996Avatar (Acacia)
1 Avatar (Cátia de França)
2 Rogacianno (Manoel de Barros/Cátia de França)
3 Dança das lanças (Cátia de França)
4 Lá vem Batista (Cátia de França)
5 Não marque as horas (Marconni Notaro/Cátia de França)
6 Panorama (Cátia de França)
7 Antoninha me leva (Manoel de Barros/Cátia de França)
8 Joana Pé de Chita (Cátia de França)
9 Kukukaya (Cátia de França)
10 Coito das Araras (Cátia de França)
11 Apuleio (Manoel de Barros/Cátia de França)
12 Coisas do campo (Cátia de França)
13 Ponta do Seixas (Cátia de França)

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

A cantora, celebrada em todo o país, reside em João Pessoa desde meados dos anos 1990.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.