Colisão (figura de linguagem)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde abril de 2017).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Colisão é o nome duma aliteração, duma assonância, dum hiato, dum parequema ou duma rima viciosos, dependendo do contexto.

Exemplos de colisões[editar | editar código-fonte]

  • A veneração venera os venerandos venerados. Do soneto Pleonasmos e Aliterações, de Leonardo Melanino[1].
  • Eram comunidades camponesas com cultivos coletivos.
  • Este senhor é sumamente sensível.
  • Mamãe me mandou marcar a manga da minha malha.
  • Nada se sabe sobre seus sonhos.
  • No mato tu matarás o tatu.
  • O aluno repetente mente alegremente.
  • O monstro medonho mede, mais ou menos, um metro e meio.
  • O papa Paulo VI pediu a paz.
  • O rato roeu a roupa do rei de Roma.
  • Petroleiro pede apoio para recuperar picape[2].
  • Tragam a água à aula.
  • Viajarei já em janeiro.

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre linguística ou um linguista é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.