Criaturas em Harry Potter

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, comprometendo a sua verificabilidade (desde fevereiro de 2013).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Nos sete livros da série, Harry Potter e seus amigos encontram muitas criaturas em suas aventuras. J. K. Rowling escreveu o livro Animais Fantásticos e Onde Habitam, um guia onde são listadas todas as criaturas e seres mágicos que apareceram no decorrer dos livros. Muitas dessas criaturas derivam de folclores diversos que incluem mitologias como grega e egípcia. Aqui serão descritos somente aqueles que tiveram uma aparição importante na série, ou que são interessantes em demasia. Após a descrição individual de cada espécie existe uma escala de periculosidade a respeito do comportamento padrão, variando de 0 (inofensivo) a 10 (extremamente perigoso). Há também a classificação feita pelo Ministério da Magia:

  • X - Tedioso
  • XX - Inofensivo/Pode ser domesticado
  • XXX - Bruxo competente pode enfrentar
  • XXXX - Perigoso/Exige conhecimento especializado/Bruxo perito pode enfrentar
  • XXXXX - Mata bruxos/impossível treinar ou domesticar.
Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Acromântula[editar | editar código-fonte]

Periculosidade: 9

Classificação do Ministério da Magia: XXXXX (mata bruxos/impossível treinar ou domesticar, apenas Rubeus Hagrid conseguiu controlar acromântulas, mais precisamente Aragogue que fora seu animal de estimação)

Acromântula é uma aranha monstruosa de oito olhos e dotada de fala humana. É originária da Ilha de Bornéu, onde habita a floresta tropical. Suas características incluem pêlos negros e grossos que lhe cobrem o corpo, pernas que têm uma envergadura que pode abranger até quatro metros e meio, pinças que produzem um estalido distinto quando ela se excita ou se irrita; e, finalmente, produz uma secreção venenosa e tece teias abobadadas no solo.

A acromântula é carnívora e prefere presas de grande porte. A fêmea é maior do que o macho e pode pôr até cem ovos de cada vez. Macios e brancos, eles têm o tamanho de uma bola inflável de piscina. Os filhotes nascem de seis a oito semanas após a postura. Os ovos de acromântula são classificados como "Artigo Não-Comerciável Classe A" pelo Departamento para Regulamentação e Controle das Criaturas Mágicas, o que significa que sua importação ou venda é punida com severidade.

Acredita-se que esse animal foi desenvolvido por bruxos, possivelmente com a finalidade de guardar suas casas ou tesouros, como acontece com a maioria dos seres criados por meio de magia. Apesar de sua inteligência quase humana, a acromântula, no entanto, não é treinável e oferece extremo perigo tanto a bruxos como trouxas.

Na história, existe uma colónia de acromântulas na Floresta Proibida. Tinha como fundador e chefe (até 1997) Aragogue, que era um animal de estimação de Hagrid em 1942, quando foi acusado por Tom Riddle de ser o monstro que habitava a Câmara dos Segredos e matara uma estudante. Aragogue tinha como esposa Mosague e milhares de filhos.

Agoureiro / Augurey[editar | editar código-fonte]

Periculosidade: 0 a 3

Classificação do Ministério da Magia: XX (inofensivo/pode ser domesticado)

O agoureiro é nativo da Grã-Bretanha e da Irlanda, embora por vezes seja encontrado em outros países do norte europeu. Pássaro magro e de aspecto tristonho, que lembra um abutre pequeno e mal-nutrido, o agoureiro é preto-esverdeado. É extremamente tímido, faz ninhos em moitas espinhosas, come grandes insetos e fadas, só voa sob chuva pesada e, no restante do tempo, fica escondido em seu ninho em feitio de lágrima.

O agoureiro tem um canto baixo e soluçante característico, que se acreditava anunciar a morte. Os bruxos evitavam os ninhos de agoureiro com medo de ouvir esse som de partir o coração, e acredita-se que mais de um bruxo sofreu um ataque cardíaco, ao passar por uma moita e ouvir o lamento de um agoureiro escondido. Com o tempo, porém, pesquisas pacientes do bruxo Gulliver Pokeby revelaram que esse pássaro simplesmente anuncia a aproximação da chuva. Desde então, ele entrou na moda como barômetro caseiro, embora haja quem ache difícil aturar o seu lamento contínuo durante os meses de inverno. As penas do agoureiro não podem ser usadas como canetas, porque repelem tinta.

Amasso[editar | editar código-fonte]

Categorias: Criaturas, XXX - Bruxo competente pode enfrentar 

(Kneazle)

Classificação M.M.: XXX

O amasso foi originalmente criado na Grã-Bretanha, embora seja atualmente exportado para todo o mundo. Um pequeno felinóide com o pêlo pintado ou malhado, grandes orelhas e o rabo igual ao do leão, o amasso é inteligente, independente e, por vezes, agressivo, embora quando se afeiçoa a um bruxo ou bruxa ele se torne um excelente bichinho de estimação. O amasso tem uma capacidade excepcional de detectar pessoas suspeitas ou indesejáveis, e seu dono pode confiar que o animal o levará a salvo até em casa se ele se perder. Tem até oito filhotes em uma ninhada e pode cruzar com gatos. É preciso tirar licença para se ter um animal desses (como no caso dos Fiuuns e dos Crupes), porque eles têm uma aparência diferente o bastante para atrair o interesse dos trouxas.

Originalmente, a criatura foi criada somente na Grã-Bretanha, embora atualmente seja exportada para todo o mundo.

Sabemos que Bichento, o gato de Hermione, é meio-amasso.

Araramboia[editar | editar código-fonte]

Categorias: Animais, Classificação Desconhecida, Criaturas, Ingredientes de Poções, 

(Boomslang)

A araramboia é uma cobra que vive na África, sua pele é um dos ingredientes usados na Poção Polissuco. Apresenta, na maioria das vezes, um tom de verde nos machos e castanho nas fêmeas, que serve para camuflagem. Seu veneno é extremamente desagradável.

Severo Snape mantém pele de araramboia em seu estoque, já tendo sido roubado por Hermione e Crouch Jr. (disfarçado de Moody).

Arpéu[editar | editar código-fonte]

Categorias: Criaturas, Letra A, XXXX – Perigoso/Exige conhecimento especializado/Bruxo perito pode enfrentar 

(Graphorn)

Classificação MM.: XXXX

O arpéu é encontrado nas regiões montanhosas da Europa. Animal de grande porte, púrpura-acinzentado e provido de corcova, o arpéu tem dois chifres muito longos e afiados, caminha sobre enormes pés de quatro dedos e tem uma natureza extremamente agressiva. Os trasgos montanheses são por vezes vistos montados em arpéus, embora estes animais pareçam não tolerar as tentativas de domá-los, pois é muito comum encontrar um trasgo coberto de cicatrizes feitas por arpéus. Seus chifres moídos são empregados em muitas poções, embora tal ingrediente seja caríssimo dada a dificuldade de obtê-lo. O couro é ainda mais grosso que o de um dragão e repele a maioria dos feitiços.

Bandinho[editar | editar código-fonte]

Classificação do Ministério da Magia: XXX (bruxo competente pode enfrentar)

O bandinho é encontrado no mundo inteiro. Ele infesta as casas, perito que é em se infiltrar sob as tábuas do soalho e rodapés. A presença do bandinho em geral é anunciada por um fedor de decomposição. Ele secreta uma substância que pode apodrece até as fundações de habitações em que se encontra. Quando em repouso, o inseto lembra uma mancha de fungo esverdeado dotada de olhos, embora quando se assuste ele fuja com suas numerosas perninhas finas. Alimenta-se de sujeira. Os Feitiços de Limpeza acabam com a infestação de bandinhos em uma casa, mas se seu dono deixou que os insetos proliferassem livremente, ele deverá entrar em contato com o Departamento para Regulamentação e Controle das Criaturas Mágicas (Subdivisão de Pragas) antes que a casa desmorone. A secreção de bandinho diluída é usada para preparar certos fluidos mágicos de limpeza.

Barretes Vermelhos[editar | editar código-fonte]

Essas criaturas anãs vivem em crateras de antigos campos de batalha ou onde quer que o sangue humano tenha sido derramado. São criaturas sem escrúpulos que se felicitam em ver morte e dor e também se alimentam desses corpos em decomposição.

Barretes Vermelhos são consideradas criaturas agourentas, cuja presença pode significar também a chegada da morte.

Periculosidade: 5

Basilisco[editar | editar código-fonte]

Periculosidade: 10

Classificação do Ministério da Magia: XXXXX (mata bruxos/impossível treinar ou domesticar, apenas Herpo, Salazar Slytherin e seu herdeiro Tom Riddle/Voldemort é capaz de mandar na criatura)

O Basilisco é também chamado King of Serpents (Rei das Cobras). O primeiro basilisco e que se tem notícia foi criado por Herpo, o Sujo, um bruxo das trevas de nacionalidade grega e ofidiglota, que descobriu, após muitas experiências, que um ovo de galinha chocado por um sapo produzia uma cobra gigantesca dotada de poderes extraordinariamente perigosos. O basilisco é uma cobra verde-vivo que pode alcançar quinze metros de comprimento. O macho tem uma pluma vermelha na cabeça. Suas presas são excepcionalmente venenosas, mas seu órgão de ataque mais poderoso são os grandes olhos amarelos. A pessoa que o encara sofre pedreficamento instantâneo. Se a fonte de alimentos é suficiente (o basilisco come mamíferos e aves e a maioria dos répteis), ele pode atingir uma idade avançada. Acredita-se que o espécime de Herpo, o Sujo, viveu quase novecentos anos. A criação foi declarada ilegal desde a época medieval, embora a prática seja facilmente dissimulável, pois basta remover o ovo de galinha do choco do sapo quando o Departamento para Regulamentação e Controle das Criaturas Mágicas aparece à porta. Contudo, uma vez que os basiliscos não são controláveis, exceto por ofidiglotas, eles oferecem tanto perigo à maioria dos bruxos das trevas quanto a qualquer outra pessoa, e não há registros de basiliscos na Grã-Bretanha nos últimos quatrocentos anos.

Besouro da Melancolia[editar | editar código-fonte]

| Categorias: Criaturas, XXX - Bruxo competente pode enfrentar |
(Glumbumble)

Classificação M.M. :XXX

O besouro-da-melancolia (glumbumble, norte da Europa) é um inseto voador, cinzento, de corpo peludo; produz uma secreção que induz a melancolia e é usado como antídoto para a histeria causada pela ingestão das folhas de aliquente. Sabe-se que esse besouro pode infestar colmeias com efeitos desastrosos para o mel. Ele faz ninho em lugares escuros e protegidos tais como o oco das árvores e grutas. Alimenta-se de urtigas.

Bezerro Apaixonado[editar | editar código-fonte]

| Categorias: Criaturas,  XX - Inofensivo/Pode ser domesticado |

(Mooncalf)

Classificação M.M.: XX

O bezerro apaixonado é um animal extremamente tímido que sai da toca apenas em noites de lua cheia. Tem o corpo liso e cinza-claro, olhos redondos e salientes no cocuruto da cabeça e quatro perninhas finas que terminam em enormes pés chatos. O bezerro apaixonado executa complicadas danças, apoiado nas patas traseiras, em áreas ermas banhadas de luar. Acredita-se que sejam um prelúdio ao acasalamento (e muitas vezes seus movimentos deixam intrincados desenhos geométricos nos campos de trigo para grande perplexidade dos trouxas). Assistir ao bezerro apaixonado dançar ao luar é uma experiência fascinante e, muitas vezes, proveitosa porque se o seu excremento prateado for recolhido antes do sol nascer e espalhado sobre canteiros de ervas mágicas e de flores, as plantas crescerão rapidamente e se tornarão muito resistentes. Os bezerros apaixonados são encontrados no mundo inteiro.

Bicórnio[editar | editar código-fonte]

| Categorias: Animais, Classificação Desconhecida, Criaturas, Ingredientes de Poções |
(Bicorn)
O chifre desta criatura é usado como ingrediente de poções. O nome Bicórnio sugere uma criatura com dois chifres. O Bicórnio é um demônio mítico que come carne humana.

Briba[editar | editar código-fonte]

''| Categorias:' Criaturas, XXX - Bruxo competente pode enfrentar |'

(Moke)

Classificação MM.: XXX

A briba é um lagarto verde-prateado que atinge até vinte e cinco centímetros de comprimento e é encontrado por toda a Grã-Bretanha e a Irlanda. Tem a capacidade de se encolher quando quer e, consequentemente, nunca é vista pelos trouxas. O couro de briba é muito valorizado pelos bruxos para a confecção de carteiras e bolsas pois a pele escamosa se contrai à aproximação de estranhos, do mesmo modo que fazia seu antigo dono; as bolsas de dinheiro feitas de couro de briba são portanto muito difíceis de serem encontradas pelos ladrões.

Bicho-Papão / Sem-Forma[editar | editar código-fonte]

Periculosidade: 9

O Bicho-Papão (Rocco), ou Sem-Forma (Presença), normalmente vive confinado dentro de armários e lugares escuros. Ao ser libertado, ataca sua vítima transformando-se na coisa que a pessoa mais teme. Ninguém sabe sua real aparência. Para evitá-lo, basta soltar o feitiço Riddikulus (este feitiço faz com que a coisa medonha torne-se extremamente ridícula ao ponto de ser pateticamente engraçada).

Em Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban, na aula de Defesa Contra as Artes das Trevas, Lupin ensina aos alunos como evitá-los.

Transformações do Bicho-Papão conhecidas:

Bufadores de Chifres Enrolados[editar | editar código-fonte]

Bufadores de Chifre Enrolados são animais muito comentados por Xenophilius Lovegood em sua revista O Pasquim, não se sabe muito sobre eles, nem se eles realmente existem. Xenophilius Lovegood, Luna Lovegood e vários leitores do Pasquim acreditam na sua existência.

Caranguejo de Fogo[editar | editar código-fonte]

''''| Categorias: Criaturas, Letra C, XXX - Bruxo competente pode enfrentar |
'

(Fire-Crab)

Classificação M.M.: XXX

Apesar do seu nome, o caranguejo-de-fogo é muito semelhante a uma grande tartaruga com uma carapaça cravejada de pedras preciosas. Em sua terra de origem, as ilhas Fiji, uma faixa do litoral foi transformada em reserva para protegê-lo não apenas dos trouxas, que poderiam ser tentados por sua carapaça valiosa, mas também dos bruxos inescrupulosos que usam as carapaças como caldeirões muito procurados. O caranguejo-de-fogo, no entanto, tem um mecanismo de defesa próprio: expele chamas pelo rabo quando atacado. Ele é exportado como animal de estimação mediante uma licença especial. Estudaram essa criatura na aula do quinto ano de Trato de Criaturas Mágicas. Havia um caranguejo de fogo à venda na loja animais mágicos no dia que Hermione adotou Bichento.

Cava-Charco[editar | editar código-fonte]

''''| Categorias: Criaturas, Letra C, XXX - Bruxo competente pode enfrentar |
'

(Dugbog)

Classificação M.M.: XXX

O cava-charco é um habitante dos brejos da Europa e das Américas do Norte e do Sul. Lembra um pedaço de madeira sem vida quando está parado, embora a um exame atento revele patas com nadadeiras e dentes muito afiados. Desloca-se pelos brejos, alimentando- se principalmente de pequenos mamíferos e produz graves ferimentos nos tornozelos das pessoas que andam por ali. A comida favorita do cava-charco, porém, é a mandrágora. Já houve gente que cultivou essa planta que, ao levantar uma folha de suas valiosas mandrágoras, encontrou restos sangrentos em consequência da visita de um cava-charco.

Cavalo-do-lago[editar | editar código-fonte]

''''| Categorias: Criaturas, XXXX – Perigoso/Exige conhecimento especializado/Bruxo perito pode enfrentar |
'

(Kelpie)

Classificação MM.: XXXX

Esse demônio aquático da Grã-Bretanha e da Irlanda pode assumir várias formas, embora na maioria das vezes apareça como um cavalo com crineira de folhas de tábua. Depois de atrair os incautos para montá-lo, ele mergulha direto ao fundo do rio ou lago e devora o cavaleiro deixando suas tripas boiando à superfície. A maneira correta de dominar um cavalo-do-lago é passar as rédeas por cima de sua cabeça com um Feitiço de Colocação que o torne obediente e manso. O maior cavalo-do-lago do mundo encontra-se no lago Ness, Escócia. Assume, de preferência, a forma de uma serpente marinha. Os observadores enviados pela Confederação Internacional dos Bruxos perceberam que não estavam lidando com uma serpente verdadeira quando a viram transformar-se em uma lontra à aproximação de uma equipe de investigadores trouxas e, em seguida, voltar à forma anterior quando eles partiram.

Cavalo Alado[editar | editar código-fonte]

''''| Categorias: Animais, Criaturas, XXXX – Perigoso/Exige conhecimento especializado/Bruxo perito pode enfrentar |'

(winged horse)

Classificação M.M.: XX-XXXX

Os cavalos alados existem no mundo inteiro. São animais de pompa, o que lhes torna um símbolo de status, não sendo para qualquer um. No epílogo de Harry Potter é citada sua função para a Academia de Magia de Beauxbatons, como encarregados de conduzir a Delegação da instituição. Eles são divididos em 4 classificações, de acordo com suas peculiaridades características e temperamento. São eles:

Abraxana: Grandes Friesians de pelagem albina. São os mais fortes e resistentes de sua espécie, fato o qual lhes proporciona percorrer longas e cansativas viagens. Tem como origem a França.

Etoniana: Palominos de coloração parda e crina um pouco mais claras. Tem as pernas muito fortes, principalmente as traseiras, o que lhes da uma enorme capacidade de saltos em altura e distância. Assim como todos seus parentes, vive em toda a Europa, mas principalmente na Escócia.

Graniana: Andaluz de prestígio, são os mais velozes e ágeis da espécie. São menores, o que acarreta menor peso e assim maior mobilidade e rapidez. Mantém uma tonalidade padrão de cinza, branco ou branco com pintinhas cinzas.

Testrálio: Aparentemente uma mistura de Cavalo com Dragão, pela pouca quantidade de carne no corpo que deixa os ossos a mostra, e ao invés de pelagem, a escama negra-reluzente que os cobre. Suas asas parecem as de morcegos, e apesar disso tudo, são seres extremamente dóceis e tímidos. Alguns bruxos dizem trazer maus presságios pelo fato de que só podem ser vistos por quem já viu e entendeu a morte.

OBS: 1 - Ao contrário de seus parentes, que se alimentam de pasto e Uísque de Malte (algo que mostra como são animais elitistas), os Testrálios além disso também vivem a base de carne de qualquer espécie, viva ou morta e água. 2 - São encontrados em geral em sextetos de um macho e 5 fêmeas.


Cavalos Alados têm ótimo olfato e também são dotados de um poderosíssimo senso de direção: basta ganhar sua confiança, montá-lo, dizer-lhe aonde se deseja ir e segurar-se nele firmemente para ser então levado sem erros ao destino exato.

Um fato fez com que os testrálios fossem (erradamente) classificados como animais extremamente perigosos pelo Ministério da Magia: somente pessoas que já presenciaram a morte de perto e entendam completamente a finalidade da morte podem vê-los. Isso criou um misticismo muito grande à sua volta, pois acredita-se que ver testrálios é um sinal de morte - mas é exatamente o contrário. Testrálios são dóceis por natureza e jamais atacam seres humanos, a não ser em caso de auto-defesa. Harry Potter, Luna Lovegood e Neville Longbottom são algumas das poucas pessoas capazes de ver testrálios.

A Varinha das Varinhas apresenta pelo de rabo de Testrálio. [1]

Periculosidade: 0 a 9.

Centauros[editar | editar código-fonte]

Periculosidade: 5 (quando está calmo) a 9 (quando está furioso)

Classificação do Ministério da Magia: XXXX (perigoso/exige conhecimento especializado/bruxo perito pode enfrentar) [2]

O centauro tem cabeça, tronco e braços humanos ligados a um corpo de cavalo cujo colorido varia. Inteligente e dotado de fala humana, a rigor, não deveria ser chamado de animal, mas a seu próprio pedido foi assim classificado pelo Ministério da Magia.. O centauro habita a floresta. Acredita-se que ele teve origem na Grécia, embora haja atualmente comunidades desses animais em várias partes da Europa. As autoridades bruxas em cada país em que há centauros destinaram a eles áreas em que não serão incomodados pelos trouxas; porém, eles não têm grande necessidade de proteção bruxa, pois contam com recursos próprios para se esconder dos humanos. O modo de vida do centauro é envolto em mistério. Geralmente, eles têm tanta desconfiança de bruxos quanto de trouxas e, na realidade, parecem não fazer grande diferença entre os dois. Vivem em rebanhos que reúnem de dez a cinquenta membros e gozam da reputação de entender de cura mágica, adivinhação, manejo do arco e astronomia.

Chizácaro[editar | editar código-fonte]

''''| Categorias: Criaturas, XX - Inofensivo/Pode ser domesticado |'

(Chizpurfle)

Classificação M.M.: XX

O chizácaro é um pequeno parasita de até um milímetro e meio de altura com a aparência de um caranguejo e dotado de grandes presas. É atraído pela magia e pode infestar o pêlo e as penas de criaturas como crupes e agoureiros. Penetra também a habitação de bruxos e ataca objetos mágicos tais como varinhas, que ele rói gradualmente até o cerne mágico, ou então se instala em caldeirões sujos, onde engole qualquer restinho de poção. Embora o chizácaro possa ser eliminado facilmente com qualquer das poções patenteadas à venda no mercado, várias infestações podem exigir uma visita da Subdivisão de Pragas do Departamento para Regulamentação e Controle das Criaturas Mágicas, pois o chizácaro quando inchado por substâncias mágicas torna-se muito difícil de combater.

Ciclope[editar | editar código-fonte]

''''''| Categorias: Classificação Desconhecida, Criaturas, Gigantes, Mundo Mágico |
(Cyclops)
É um personagem da mitologia grega que é um gigante com um só olho no meio da testa. Foi derrotado pelo herói grego, Odisseu. É citado no jogo Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban.'''

Claberto[editar | editar código-fonte]

''''''| Categorias: Criaturas, XX - Inofensivo/Pode ser domesticado |'''

(Clabbert)

Classificação M.M.: XX

O claberto é uma criatura arbórea, que lembra uma cruza de mico com sapo. Teve origem no sul dos Estados Unidos, embora há muito tempo tenha sido exportado para o mundo inteiro. Sua pele lisa e sem pêlos é malhada de verde, as mãos e os pés são palmados e os braços e pernas longos e flexíveis, o que permite ao bicho se balançar de um galho para outro com a agilidade de um orangotango. Sua cabeça tem pequenos chifres e uma boca larga, que parece estar rindo, cheia de dentes afiados como uma navalha. O animal alimenta-se principalmente de pequenos lagartos e aves. Sua característica mais marcante é uma enorme pústula no meio da testa que fica vermelha e faísca quando o bicho percebe um perigo. No passado, os bruxos americanos mantinham clabertos em seus jardins para dar sinal antecipado da aproximação de trouxas, mas a Confederação Internacional dos Bruxos criou multas que reduziram muito tal prática. A visão à noite de uma árvore cheia de pústulas brilhantes, embora decorativa, atraía muitos trouxas querendo saber por que seus vizinhos continuavam a acender os enfeites de Natal em junho.

Clauricorne[editar | editar código-fonte]

''''''| Categorias: Criaturas, Mundo Mágico, XXX - Bruxo competente pode enfrentar |
(clauricorn, cluricaun)
Classificação M.M.: XXX
Outra denominação para Leprechaun (Duende Irlandês).'''

Cocatrice[editar | editar código-fonte]

''''''| Categorias: Classificação Desconhecida, Criaturas |
(cockatrice)
Uma mistura de galo com um dragão ou cobra. Um cocatrice foi usado no Torneio Tribruxo de 1792. Os campeões deveriam capturá-lo, mas a criatura escapou e saiu destruindo tudo, e acabou ferindo os diretores das escolas.
Nota: foi traduzido erroneamente como basilisco.'''

Cinzal / Ashwinder[editar | editar código-fonte]

Periculosidade: 2 a 4

Classificação do Ministério da Magia: XXX (bruxo competente pode enfrentar)

O Cinzal (Rocco), ou Ashwinder (Presença), forma-se quando se permite que um fogo mágico (qualquer fogo a que se tenha adicionado uma substância mágica como o Pó de Flu) arda livremente durante muito tempo. Uma cobra fina, cinza-claro, de olhos rutilantes, surgirá das brasas desse fogo e rastejará para as sombras da habitação em que se encontra, deixando rastros de cinzas atrás de si.

O cinzal vive apenas uma hora, tempo usado para procurar um lugar escuro e protegido e ali depositar seus ovos, depois do que ele vira pó. Os ovos são na cor vermelho-vivo e liberam um intenso calor. Podem incendiar uma habitação em minutos se não forem encontrados e congelados a tempo com um feitiço apropriado. O bruxo que perceber que há um ou mais cinzais soltos em casa deve procurar rastreá-los imediatamente e localizar a ninhada de seus ovos. Uma vez congelados, os ovos são muito valiosos para o preparo de poções de amor ou podem ser comidos inteiros como remédio contra malária.

Cinzais são encontrados no mundo inteiro.

Crupe[editar | editar código-fonte]

''''''| Categorias: Criaturas, Letra C, XXX - Bruxo competente pode enfrentar |
'(Crup)
Classificação M.M.: XXX

O crupe é originário do sudeste da Inglaterra e é muito parecido com um terrier, exceto pelo rabo bifurcado. É quase certo que seja um cão criado por magia porque é muito leal aos bruxos e feroz com os trouxas. É um grande comedor de refugo, ingere qualquer coisa desde gnomos a pneus velhos. A licença para se ter um crupe pode ser obtida no Departamento para Regulamentação e Controle das Criaturas Mágicas após um simples exame para comprovar que o bruxo interessado é capaz de controlar o animal nas áreas habitadas por trouxas. O dono é também obrigado por lei a cortar o rabo dele, com um Feitiço de Corte indolor, entre a sexta e a oitava semanas de vida para que o crupe não chame a atenção dos trouxas.

Diabretes da Cornualha[editar | editar código-fonte]

Os Diabretes da Cornualha são criaturinhas azuis que medem cerca de 30 centímetros de altura. Têm asas pequenas em relação ao tamanho de seu corpo, mas voam perfeitamente com elas. Adoram realizar brincadeiras de mau gosto, sendo a mais comum suspender as pessoas pelas orelhas e depois enroscá-las em lugares altos.

A realização de feitiços como o Immobilus pode ser eficaz contra estes monstrinhos, mas o feitiço Peskipiksi Pesternomi convence-os a pararem com suas travessuras, enquanto o feitiço Rictusempra serve para atordoá-los temporariamente.

Periculosidade: 3.

Dilátex[editar | editar código-fonte]

Dilátex é um peixe fictício que aparece na série de livros Harry Potter. Segundo a saga, o peixe é esférico e sarapintado, e caracteriza-se por duas longas pernas que terminam em pés palmados. Habita os lagos profundos cujos leitos rondam à procura de alimento, preferindo lesmas-de-água. O dilátex não é particularmente perigoso, embora goste de roer pés e roupas de nadadores.

É considerado uma praga pelos sereianos, que se livram dele dando nós em suas pernas elásticas; o dilátex é, então, carregado embora pela correnteza e sendo incapaz de se orientar não consegue voltar até ser desamarrado, o que pode levar horas. A família Lovegood aprecia a sopa preparada a partir deste peixe.

De acordo com Luna Lovegood, raiz-de-cuia é ótima proteção contra dilátex vorazes, muito embora não se saiba se isso é verdade.

Periculosidade: 8 (4 se for enfrentado por um bruxo competente)

Dragão[editar | editar código-fonte]

Sem dúvida, o animal mitológico mais famoso. A fêmea em geral é maior e mais agressiva que o macho. Existem dez espécies distintas de dragões, embora se saiba que às vezes elas se entrecruzem e criem dragões mestiços. As seguintes espécies existentes de dragões são:

Nome original Nome Rocco Nome Presença
Ukranian Ironbelly Barriga-de-Ferro Ucraniano Barriga-de-Ferro Ucraniano
Romanian Longhorn Chifres-Longos Romeno Chifre-Longo da Roménia
Peruvian Vipertooth Dente-de-Víbora Peruano Dente-de-Víbora Peruano
Norwegian Ridgeback Dorso-Cristado Norueguês (O bebê Norberto) Dragão Norueguês (O bebé Norbert)
Chinese Fireball Meteoro-Chinês (ou Dragão Leonino) Bola-de-Fogo Chinês (ou Leão-Dragão)
Hebridean Black Negro das Ilhas Hébridas Hebridense-Negro
Antipodean Opaleye Olho-de-Opala Antípoda-Opalino
Hungarian Horntall Rabo-Córneo Húngaro Cauda-de-Chifre da Hungria
Common Welsh Green Verde-Galês Comum Verde-Comum de Gales
Swedish Short-Snout Focinho-Curto Sueco Focinho-Curto da Suécia

Barriga-de Ferro Ucraniano[editar | editar código-fonte]

A maior raça de dragões conhecida, o Barriga-de-Ferro pode atingir seis toneladas de peso. Rotundo e mais lento no vôo do que o Dente-de-Víbora e o Chifre Longo, o Barriga-de-Ferro é, ainda assim, extremamente perigoso, capaz de esmagar as habitações sobre as quais aterrissa. Suas escamas são cinza-metálico, os olhos de um vermelho forte e as garras particularmente longas e cruéis. A espécie tem sido objeto de constante observação por parte das autoridades bruxas ucranianas desde que um Barriga-de-Ferro arrebatou um barco no Mar Negro, em 1799.

Chifre Longo Romeno[editar | editar código-fonte]

Uma raça de dragão. Os Chifres-Longos Romenos são dragões com escamas verde-escuras e chifres dourados que além de serem artigos Comerciáveis Classe B, são usados como ingredientes de poções. O território nativo desse dragão foi transformado recentemente na reserva de dragões mais importante do mundo, pois esse dragão teve sua população diminuída muito nos últimos anos.

Dente-de-Víbora Peruano[editar | editar código-fonte]

É o menor dos dragões conhecidos e o mais veloz em voo. Com cerca de quatro metros e meio de comprimento apenas, o Dente-de-Víbora Peruano tem escamas lisas acobreadas e marcas negras na crista. Os chifres são curtos e as presas particularmente venenosas. O dente-de-víbora alimenta-se sem hesitar de cabras e vacas, mas gosta tanto de humanos que a Confederação Internacional dos Bruxos foi forçada a enviar exterminadores ao Peru, no fim do século XIX, para reduzir a população de dragões que estava crescendo com rapidez assustadora.

Dragão Norueguês[editar | editar código-fonte]

'''''Espécie de Dragão nativa da Noruega e também conhecida como Dorso-cristado Norueguês. Parecido com o rabo córneomas apresentando cristas negras e salientes pelo dorso, daí a origem do seu nome, esse dragão é muitíssimo agressivo e além de devorar mamíferos terrestres, eles se alimentam de animais marinhos, conforme um relato de ataque a um filhote de baleia, em 1802, na costa da Noruega. Além disso, seus ovos são negra e “cospem fogo” mais cedo que a maioria das raças conhecidas. Norberto, o bebê dragão, pertence a essa espécie.
“…durante o primeiro ano deles na escola, um agressivo dragão norueguês que recebera o nome de Norberto. Hagrid simplesmente amava monstros – quanto mais letal, melhor…”''''''' 

Dragão-leão (Meteoro chinês)[editar | editar código-fonte]

'''''Também conhecido como dragão leonino. O único dragão oriental tem uma aparência particularmente vistosa. Vermelho, com escamas lisas, ele apresenta uma franja de cristas douradas em volta do focinho arredondado e olhos muito saltados. O meteoro-chinês recebeu este nome por causa das labaredas em forma de cogumelo que saem de suas narinas quando o irritam. Pesa entre duas e quatro toneladas, sendo a fêmea maior do que o macho. Os olhos são carmim-vivo com pintas douradas, e suas cascas são muito valiosas para a magia chinesa. O meteoro-chinês é agressivo, porém mais tolerante com a própria espécie do que a maioria dos dragões, consentindo por vezes em dividir seu território com outros dois dragões. Banqueteia-se com a maioria dos mamíferos, embora prefira porcos e humanos.'''''

Periculosidade: variando de 1 a 10, dependendo da agressividade e hábitos da espécie.

Dedo-duro[editar | editar código-fonte]

''''''''| Categorias: Criaturas, Ingredientes de Poções, Letra D, XX - Inofensivo/Pode ser domesticado |
'''(Jobberknoll)

Classificação M.M.: XX

O dedo-duro (encontrável ao norte da Europa e nas Américas) é uma minúscula ave azul, toda sarapintada, que se alimenta de pequenos insetos. Não produz som algum até a hora de morrer quando deixa escapar um grito longo formado por todos os sons que ouviu durante a vida, regurgitados de trás para a frente. As penas do dedo-duro são usadas em Soros da Verdade e Poções da Memória.

Doxys[editar | editar código-fonte]

São criaturas assemelhadas aos Diabretes da Cornualha, mas em lugar das cornualhas, habitam geralmente nos porões e outras dependências do Castelo de Hogwarts. Suas formas variam como insetos, de besouros a borboletas, etc. Alguns creditam os doxys como sendo a forma adulta dos Diabretes da Cornualha.

Periculosidade: 5 a 10 (considerando a espécie) São azuis e tem quatro olhos.

Duendes/Goblins[editar | editar código-fonte]

Os duendes (Rocco), ou goblins (Presença), são seres pequenos e de pele escura com dedos finos e compridos em ambos pés e mãos. Alguns usam barba pontuda, outros são carecas, e alguns usam chapéus. Todos têm orelhas pontudas e olhos escuros.

Eles aceitam, em geral, o desprezo dos bruxos, mas controlam as finanças da comunidade mágica, de modo que toda a economia está sob sua responsabilidade. Os Duendes são ameaçadores. Por isso, ninguém se mete com eles. "Só um louco tentaria roubar Gringotes", comenta o gigante Hagrid com Harry Potter depois de ler a mensagem-ameaça na entrada de Gringotes. No quinto volume da série, a Ordem da Fênix tentou, em vão, persuadir os duendes a ajudá-los lado na batalha contra Lord Voldemort. São exímios manufaturadores de metais.

Grampo (um duende de Gringotes) faz uma breve aparição em primeiro livro como condutor do vagão que leva Hagrid e Harry aos cofres de Gringotes. No último livro, Grampo ajuda Harry a entrar no cofre dos Lestrange no banco.

Eles são alheios às mudanças humanas, e têm grande habilidade com metais.

Periculosidade: 1 a 4

Elfos-domésticos[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Elfo-doméstico

Estas criaturas são uma espécie de "escravos" dos bruxos, eles são obrigados a servir a uma família desde que nascem (eles vestem uma fronha ou pano de prato velho e desbotado como marca de sua escravidão) e a única maneira de libertá-los é se seu dono presenteá-lo (de maneira intencional ou acidental) com alguma peça de roupa. Há elfos-domésticos que trabalham para duas (ou muitas) famílias ao mesmo tempo. O mais conhecido deles no universo Harry Potter é Dobby, elfo que trabalhava para os Malfoy (apesar de odiá-los frontalmente) e acabou "libertado" quando Lucius Malfoy inadvertidamente ofereceu-lhe uma meia colocada por Harry dentro do diário de Tom Riddle. Em Hogwarts há uma grande quantidade de elfos-domésticos que fazem de tudo, inclusive limpar, cozinhar e arrumar as roupas dos alunos. Dobby e sua amiga Winky vão trabalhar em Hogwarts, mas Dobby morre devido a uma faca jogada por Bellatrix Lestrange quando ele ajuda Harry e seus amigos a fugirem da Mansão dos Malfoy. Hermione chega a fundar a F.A.L.E. (Fundação de Apoio à Libertação dos Elfos), que defende os elfos, fazendo com que Dobby e Winky recebam salários em dinheiro por seus serviços em Hogwarts. Elfos-domésticos são diferentes de bruxos: eles têm seu próprio tipo de magia e sua habilidade de desaparecer dentro do castelo é necessária para que não sejam vistos enquanto trabalham, como os elfos-domésticos normalmente fazem. Para a maioria dos elfos-domésticos a libertação é considerada uma ofensa, visto que eles em sua grande maioria adoram seu trabalho.

Apesar de parecem pequenos e inofensivos, é ressaltado pelo Ministério da Magia que estes podem ser de grande perigo se agressivos, uma vez que dominam magia de maneira muito extensa e misteriosa - e que o próprio Ministério não tem um conhecimento profundo acerca dessa habilidade mágica natural aos elfos domésticos.

Periculosidade: Geralmente de 3 a 5; 8 (quando agressivos, contrariados ou acuados)

Erklings[editar | editar código-fonte]

Seres feitos de árvores e que sempre carregam consigo sua flauta. Não cessam de rir um momento. São muito perigosos, mas podem ser domesticados. São assemelhados aos Doxys..

Periculosidade: 1 a 10 (considerando que eles atiram com suas flautas)

Erumpente[editar | editar código-fonte]

O erumpente é um animal africano, cinzento, de grande porte e força. À distância, esse bicho, que pesa até uma tonelada, pode ser confundido com um rinoceronte. Tem um couro grosso que repele a maioria dos feitiços e maldições, um chifre afiado sobre o nariz e uma grande cauda que lembra uma corda. Dá a luz a apenas um filhote de cada vez. O erumpente não ataca a não ser provocado por dor, mas se ele investir contra alguém os resultados são catastróficos. Seu chifre pode perfurar qualquer coisa, desde pele até metal, e contém uma secreção fluída que faz a pessoa ou coisa injetada explodir como uma bomba. O número de erumpentes não é grande porque os machos causam explosão uns aos outros na competição por fêmeas durante suas temporadas de acasalamento. Esses animais são tratados com grande cautela pelos bruxos africanos. O chifre, cauda e secreção explosiva do erumpente são empregados em poções, embora classificados como "Artigos Comerciáveis Classe B" (perigoso e sujeito a rigoroso controle).

Periculosidade: 9

Explosivins[editar | editar código-fonte]

Criaturas enormes que cospem fogo. A parte carnuda de seu corpo é vermelha e sua couraça é cinza. Possuem grandes pinças como patas dianteiras e suas patas de apoio são curtas e velozes. São um cruzamento de mantícora com caranguejo-de-fogo, e o rabo que seria o ferrão herdado das mantícoras é capaz de disparar jatos de fogo na idade adulta. Sua parte de cima é muito dura e nenhum feitiço parece atingi-la, apenas ricocheteiam. Somente atingindo os Explosivins por baixo é que se pode vencê-los. Nunca foi descoberto de que se alimentam, e se não forem levados para passear regularmente começam a acumular muita energia e passam a destruir tudo em sua frente.

Periculosida

Fada[editar | editar código-fonte]

Classificação M. M.: XX

A fada é um animal pequeno e decorativo mas de pouca inteligência. É usada ou conjurada com frequência pelos bruxos para servir de enfeite na decoração e, em geral, habita as matas e os alagadiços. A fada varia de dois centímetros e meio a doze centímetros e meio de altura, tem corpo, cabeça e ombros minúsculos e humanoides, mas também grandes asas como as de um inseto que podem ser transparentes ou multicoloridas conforme sua espécie. A fada é dotada de fraco poder mágico que ela usa para deter predadores tais como o agoureiro. Tem uma natureza rixenta mas, sendo excessivamente vaidosa, torna-se dócil sempre que é chamada a servir de ornamento. Apesar de sua aparência humana, a fada não fala. Usa um zumbido agudo para se comunicar com suas companheiras. A espécie põe cinquenta ovos de cada vez no verso das folhas. Deles nascem larvas vivamente coloridas. De seis a dez dias depois elas se transformam em casulos, dos quais saem, um mês mais tarde, adultos alados inteiramente formados. Asas de fada são usadas em poções como a fadicida

Fada Mordente (doxy)[editar | editar código-fonte]

Classificação M. M.: XXX

Muitas vezes a fada mordente, também chamada de doxy é confundida com uma fada verdadeira, embora seja uma espécie bem diferente. Como a fada, ela tem uma forma humana minúscula, mas é coberta de pelos espessos e dotada de dois pares de pernas e braços. As asas da fada mordente são grossas, curvas e brilhantes, muito semelhantes às de um besouro. Elas são encontradas em todo o norte da Europa e América, preferindo climas frios. Põem até quinhentos ovos de cada vez e os enterram. Os filhotes nascem entre duas e três semanas depois. As fadas mordentes possuem fileiras duplas de dentes afiados e venenosos. É preciso tomar um antídoto quando se é mordido. Os ovos de fada mordente são usados em poções como a fadicida

Fantasmas[editar | editar código-fonte]

São pessoas comuns, mas que quando morrem não vão para o mundo dos mortos, ao invés disso ficam presos entre os mundos dos vivos e dos mortos, "vivendo" como fantasmas. Pessoas que têm medo da morte viram fantasmas. Eis alguns exemplos:

Nick Quase Sem Cabeça: fantasma da casa Grifinória. Tem este nome por causa de sua cabeça, que está presa a apenas um nervo – ele morreu decapitado por várias machadadas. Tem a angústia de sempre ser recusado no clube "caça sem cabeça".

Barão Sangrento: fantasma da casa Sonserina. Suicidou-se após assassinar Helena Ravenclaw e usa correntes como penitência por este crime.

Frei Gorducho: fantasma da casa Lufa-Lufa que é um fradezinho gorducho que quer sempre dar mais uma chance ao Pirraça.

Murta Que Geme: é o fantasma de uma garota da Casa Corvinal que morreu jovem, depois de olhar nos temidos olhos do basilisco e que hoje assombra um dos banheiros femininos de Hogwarts.

Dama Cinzenta: fantasma da casa Corvinal, era em vida Helena Ravenclaw, filha de uma das fundadoras de Hogwarts. Foi assassinada em uma floresta pelo Barão Sangrento.

Periculosidade: geralmente 6

Fênix[editar | editar código-fonte]

Fawkes é a fênix de Alvo Dumbledore, que tem sua primeira aparição no Capítulo 12 ("A Poção Polissuco"), de Harry Potter e a Câmara Secreta. Dumbledore explica a Harry, depois de o mesmo se espantar ao ver o pássaro do professor pegando fogo, que as fênix eram pássaros que, quando chega a hora de morrer, pegam fogo e depois renascem das cinzas. Dumbledore lamenta que Harry só o tenha visto na hora de morrer, e diz que, na maior parte do tempo, Fawkes era muito bonita, com uma plumagem vermelha e dourada. O professor diz que são criaturas fascinantes, capazes de transportar cargas muito pesadas, extremamente fiéis e cujas lágrimas possuem poderes curativos. Duas penas de uma mesma fênix foram usadas para a fabricação das varinhas de Harry Potter e Lord Voldemort. As fênix possuem propriedades medicinais (como é demonstrado dentro da câmara secreta quando Fawkes cura Harry Potter). Quando seu dono morre, a fênix faz um canto melancólico, e depois junta-se ao dono em uma morte sem ressurreição de suas cinzas.

Fofo (Cérbero)[editar | editar código-fonte]

Fofo é um cão Cérbero que pertenceu a Rubeus Hagrid, guarda-caça de Hogwarts. Possui a missão de guardar o corredor proibido que levava à Pedra Filosofal. Fofo apresenta uma aparência assutadora: um animal gigantesco, com mau hálito (que possivelmente cheira a enxofre) e três cabeças.

Na saga, Fofo não permite que as pessoas entrem na sala onde encontra-se a Pedra Filosofal. O cão é o primeiro desafio que uma pessoa precisa enfrentar para conseguir chegar à Pedra. Todos têm seus pontos fracos e com Fofo não é diferente: o monstruoso Cérbero vira a criatura mais doce do mundo quando ouve algum tipo de música, como Harry, Rony e Hermione, que, quando chegam, avistam Fofo dormindo calmamente ao som de uma harpa encantada.

Periculosidade: 10

Gira-gira[editar | editar código-fonte]

Classificação do Ministério da Magia: XXX (bruxo competente pode enfrentar)

O billywig (gira-gira) é um inseto nativo da Austrália. Mede cerca de um centímetro e três milímetros, é azul-safira berrante. Sua velocidade é tão grande que ele raramente é percebido pelos trouxas e, muitas vezes, nem pelos bruxos até receberem sua picada. As asas do gira-gira saem do alto da cabeça e rodam a grande velocidade quando ele voa. Na extremidade oposta do corpo há um ferrão longo e fino. Quem é picado por um gira-gira sente tonteira seguida de levitação. Há gerações, jovens bruxas e bruxos australianos têm tentado apanhar gira-giras para provocá-los e serem picados por eles, produzindo assim esses efeitos colaterais mesmo que o excesso de picadas possa fazer a vítima flutuar no ar descontrolada durante dias seguidos. Nos casos em que há uma forte reação alérgica, essa flutuação pode se tornar permanente. O ferrão seco do gira-gira é usado em várias poções e acredita-se que seja um dos ingredientes do popular doce Delícias Gasosas.

Gnomos[editar | editar código-fonte]

Possuem uma pele muito dura como couro e são bem pequenos, alimentam-se de carne e infestam os jardins bruxos - por tal razão são tidos muitas vezes como pragas de jardim. Para os afugentar, deve-se fazê-los rodar até ficarem tontos e jogá-los para longe ou lançar o feitiço Flipendo em suas tocas. Também são conhecidos como Guernumblie. Algumas pessoas deixam-se morder por esses seres por acreditarem que sua mordida transfere sua sabedoria, um exemplo de pessoa que crê nisto é Luna Lovegood.

Periculosidade: 1 a 5

Grindylows[editar | editar código-fonte]

Grindylow é um demônio que habita lagos e rios. Sua aparência lembra a mistura de uma criança raquítica com um molusco. Os grindylows são representado com olhos enormes, pele verde e lisa, dentes afiados, vários chifres curtos e caninos esverdeados e bem pontiagudos, os quais ele usa para destroçar qualquer ser humano (principalmente crianças) que seja suficientemente tolo de perambular sozinho às margens de sua morada. Comum na mitologia local de Yorkshire, uma região da Inglaterra o grindylow aparece no livro Harry Potter e o Cálice de Fogo, onde o bruxo luta contra eles durante a 2ª tarefa do Torneio Tribruxo.

Periculosidade: 5

Hinkypunk[editar | editar código-fonte]

Criatura proveniente do folclore escocês, possui apenas uma perna, parece ser feita de fiapos de fumaça e carrega sempre uma tocha. Tem como aparente passatempo desorientar viajantes perdidos.

Periculosidade: 0 (3 se considerar seu costume de fazer com que as pessoas se percam)

Hipogrifo[editar | editar código-fonte]

É uma criatura metade águia e metade cavalo, nascido a partir do cruzamento entre uma égua e um grifo. São seres muito orgulhosos que atacarão caso sintam-se ofendidos ou depreciados (o que pode acontecer com muita facilidade), mas que também permitem aproximação mediante uma breve saudação curvada. Apesar de terem como refeição predileta doninhas, também podem comer quase qualquer outro animal. O mais famoso hipogrifo da série é Buckbeak (Bicuço), que foi adotado pelo padrinho de Harry, Sirius Black, quando este foi libertado da Torre de Hogwarts (Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban), e passou a viver num dos quartos da casa de Sirius, sede da Ordem da Fênix enquanto Sirius esteve refugiado (Harry Potter e a Ordem da Fênix).

Periculosidade: 7 (quando amigável) a 10 (quando agressivo)

Kappa[editar | editar código-fonte]

Ser aquático da mitologia japonesa que vive em lagos e tanques, assemelham-se a macacos escamosos do tamanho de uma criança de 10 anos com cabelo caindo entre os olhos e uma depressão em forma de pires na cabeça.

Para se tornar amigo de um kappa é bem simples, basta curvar-se na frente dele e ele será obrigado a repetir o gesto, deixando cair a água da depressão no alto de sua cabeça, o que o fará sentir-se derrotado. Outro modo de obter a amizade de um kappa é oferecer-lhe pepinos, deste modo o animal torna-se bastante amigável ao ponto de até mesmo revelar seus grandes segredos medicinais.

Periculosidade: geralmente 0

Lobisomem[editar | editar código-fonte]

Classificação do Ministério da Magia:XXXXX (mata bruxos/impossível treinar ou domesticar)

O lobisomem é encontrado no mundo inteiro, embora se acredite que tenha se originado no norte europeu.

O significado do nome seria do latim lupus (lobo) + homo (homem), lupuhomo, ou lobisomem, que significa simplesmente homem lobo. É uma criatura muito temerosa e assustadora.

Hermione Granger explica que um lobisomem, ao se transformar, perde toda a noção de certo ou errado e esquecerá todo seu passado, sendo capaz de matar a qualquer pessoa que lhe cruzar o caminho, seja amigo, inimigo ou neutro. Também é revelado durante a série que o lobisomem apenas ataca seres humanos, como que querendo passar a maldição licantropia adiante. Isso é revelado quando Sirius e Lupin contam que quando Lupin era garoto eles se transformavam em animais para ficar junto dele e assim mantê-lo bem controlado.

Em Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban, Remo Lupin transforma-se em um. Ele contou que, quando criança, foi mordido por Fenrir Greyback. Sirius, sendo um animago, transformou-se em sua forma animal (um grande cão de pelagem preta) para lutar contra Remo Lupin transformado em lobisomem. Nada conhecido pode curar essa doença, embora a evolução de poções mágicas ajude a controlar os sintomas, como a Poção de Acônito.

Periculosidade: 8 a 10

Nundu[editar | editar código-fonte]

Nundu, animal proveniente da África Oriental, é indiscutivelmente o mais perigoso do mundo. Um enorme leopardo que se desloca em silêncio, apesar de seu tamanho, que pode ser até maior que um elefante adulto, e cujo hálito causa uma doença capaz de matar um povoado inteiro, o nundu nunca foi subjugado por menos de cem bruxos qualificados, juntos. Sozinho, um desses terríveis monstros seria capaz de destruir uma cidade inteira, e matar dezenas de pessoas rapidamente.

Periculosidade: acima de 10 (nível máximo)

Olho-de-Opala / Antípoda Opalino[editar | editar código-fonte]

Olho-de-Opala (Rocco), ou Antípoda Opalino (Presença), é um dragão nativo da Nova Zelândia, embora migre para a Austrália quando há uma redução de território em sua terra natal. Ao contrário dos outros dragões, ele habita vales de difícil acesso ao invés de montanhas.

Talvez o tipo mais belo de dragão, ele tem porte médio (entre 2 e 3 toneladas), escamas vermelhas e seus olhos, sem pupilas, refletem as cores do arco-íris (daí seu nome). Produz uma chama na cor vermelho-vivo, embora pelos padrões de comportamento dos dragões ele não é muito agressivo e raramente mata, a não ser que esteja faminto. Seus ovos são na cor cinza-claro e muito comumente são confundidos com fósseis por trouxas.

Ele pode se alimentar de um tipo raríssimo de planta mágica que lhe garante vida extensa. O Olho de Opala pode ser muito dócil.

Periculosidade: 3 a 10

Quimera[editar | editar código-fonte]

Classificação do Ministério da Magia: XXXXX (mata bruxos/impossível treinar ou domesticar)

A chimera (quimera) é um monstro grego raro com cabeça de leão, corpo de bode e rabo de dragão. Feroz e sanguinária, ela é extremamente perigosa. Só se conhece um exemplo de alguém que abatido uma quimera, mas o azarado bruxo em questão caiu do seu cavalo alado e morreu pouco depois, sem forças. Os ovos da quimera são classificados como Artigos Não Comerciáveis Classe A.

Romanian Longhorn - Chifre-Longo Romeno (Rocco) / Chifre-Longo da Roménia (Presença)[editar | editar código-fonte]

O Longhorn (chifres-longos) tem escamas na cor verdes-escuro e longos chifres dourados faiscantes com os quais ele fura sua presa antes de assá-la. Quando moídos, os chifres desse dragão tornam-se ingredientes muito valiosos para poções. O território nativo do chifres-longos foi recentemente transformado na reserva de dragões mais importante do mundo, onde os bruxos de todas as nacionalidades estudam de perto as raças de dragões. Esta espécie tem sido objeto de intensos programas de reprodução porque sua população diminuiu drasticamente nos últimos anos.

Periculosidade: 6 a 10

Seminviso / Deminguise[editar | editar código-fonte]

O seminviso, ou deminguise, é um ser que aparenta-se com um grande macaco, com olhos negros e lacrimosos, em geral escondidos por uma franja. De hábitos herbívoros, tem o corpo coberto por pêlos longos, finos e sedosos que são mutáveis, ou seja, fazem com que ele fique invisível quando quiser, o que torna difícil sua captura. Esta pelagem é muito valorizada porque é usada para tecer capas da invisibilidade. Espécie abundante no Extremo Oriente.

Periculosidade: geralmente 1

Sereianos[editar | editar código-fonte]

Parecidos com sereias, mas com aparência de répteis e cabelos humanos. São seres extremamentes agressivos e que só podem falar embaixo da água; fora d'água sua voz é somente um ruído muito desagradável. Estão presentes de forma mais ativa na 4ª aventura da série, Harry Potter e o Cálice de Fogo, quando uma das provas do Torneio Tribruxo consiste em desvendar a mensagem sereiana de resgatar uma pessoa muito querida no lago infestado de criaturas perigosas. No funeral de Alvo Dumbledore, Harry assiste à saudação feita pelo rei dos sereianos e recorda-se de que certa vez, Alvo havia conversado com este rei.

Periculosidade: 9

Tolete[editar | editar código-fonte]

Classificação do Ministério da Magia: X (tedioso)

O tolete (horklump na versão original) teve origem na Escandinávia, mas hoje é encontrado em todo o norte europeu. Lembra um cogumelo carnudo e rosado coberto de pêlos ralos, negros e duros. Procriador prodigioso, ele cobre um jardim de tamanho médio em questão de dias. O tolete lança tentáculos vigorosos na terra em lugar de raízes à procura de seu alimento preferido, minhocas. Por sua vez, ele é uma iguaria apreciada pelos gnomos apesar de não haver nenhum outro uso conhecido.

Periculosidade: aparentemente 0

Tronquilho / Bodigaio[editar | editar código-fonte]

Periculosidade: 0 a 4

Classificação do Ministério da Magia: XX (inofensivo/pode ser domesticado)

O tronquilho (Rocco), ou bodigaio[3] (Presença), é uma criatura que guarda árvores próprias para a fabricação de varinhas, encontrável principalmente no oeste da Inglaterra, sul da Alemanha e certas florestas da Escandinávia. É dificílimo de localizar por ser pequeno (tendo no máximo 20 centímetros de altura) e aparentemente é formado por troncos e gravetos com dois olhinhos castanhos.

O tronquilho, que se alimenta de insetos, é uma criatura pacífica e extremamente tímida, mas se a árvore em que ele viver é ameaçada, há quem diga que ele salta sobre o lenhador ou cirurgião-florestal que está tentando danificar sua habitação e fura os olhos deles com seus dedos longos e afiados. Oferecer bichos-de-conta aos tronquilhos acalma-os por tempo suficiente para uma bruxa ou feiticeiro retirar madeira de sua árvore para a fabricação de uma varinha.

Em Hogwarts, são estudados no quinto ano letivo durante as aulas de Trato das Criaturas Mágicas.

Ukranian Ironbelly (Barriga-de-Ferro Ucraniano)[editar | editar código-fonte]

A maior raça de dragões conhecida, o Ironbelly (barriga-de-ferro) pode atingir 6 toneladas de peso. Rotundo e mais lento no vôo do que o dente-de-víbora e o chifres-longos, o barriga-de-ferro é, ainda assim, extremamente perigoso, capaz de esmagar facilmente habitações sobre as quais aterrissa. Suas escamas são na cor cinza-metálico, os olhos de um tom forte de vermelho, com garras particurlamentes longas e cruéis. A espécie tem sido objeto de constante observação por parte das autoridades bruxas ucranianas desde que um barriga-de-ferro arrebatou um barco no Mar Negro em 1799.

Periculosidade: 10

Veela[editar | editar código-fonte]

Veela é um ser de trejeitos femininos capaz de enfeitiçar os demais (especialmente os de sexo masculino) com sua beleza, possuindo dons mágicos e proféticos. As veelas nascem mulheres e apresentam pele lisa e cabelos dourados que esvoaçam atrás dela mesmo na ausência de vento. Também têm o poder de se transformar em pássaros semi-humanos - semelhantemente a harpias - que são capazes de atirar bolas de fogo. Alguns dizem que podem assumir a forma de animais (lobo, coelho, cisne, cobra ou cavalo) de acordo com sua personalidade. Têm um temperamento muito forte e por vezes esnobe. Fleur Delacour é descendente de uma veela, o que a torna, em parte, uma meia-veela, já que sua avó materna era uma veela pura.

O começo da existência das Veelas ainda é um mistério, mas sabe-se que existem até os dias de hoje.

Fleur Delacour possui uma varinha com o núcleo de um fio de cabelo de uma veela (que diz pertencer à sua avó), porém, normalmente não são encontradas varinhas com esse núcleo;

Periculosidade: 7 a 9

Venemous tentácula[editar | editar código-fonte]

A Venemous tentácula é uma espécie de planta carnívora super-desenvolvida, e pode ser uma bênção e uma maldição ao mesmo tempo. Ela tende a comer tudo que passa por perto, podendo envenenar ou engolir até um humano com seus tentáculos com terminações em bocas cheias de dentes venenosos. Por outro lado se ela tiver seu crescimento controlado ela pode livrar moradias inteiras de doxies (fadas mordentes, também venenosas), pois elas são seu prato preferido.

Vermes-cegos[editar | editar código-fonte]

Os Flobberworms, ou vermes-cegos, são criaturas extremamente apáticas que aparecem nos livros de Harry Potter. Sua aparência é bem simples, gordo, castanho, pegajoso e com até 25 cm de comprimento. Suas duas extremidades são indistinguíveis uma da outra e soltam um muco pegajoso, usado algumas vezes para engrossar poções. Seu alimento predileto é a alface, mas aparentemente eles também comem qualquer vegetação. Seu habitat são locais escuros e úmidos. Sua classificação pelo Ministério da Magia, segundo o livro Animais Fantásticos e Onde Habitam, é de somente um X, sendo classificados como “Tedioso”.

Outros seres citados[editar | editar código-fonte]

  • Briba - Não é explicado que tipo de ser é, mas no volume sétimo da série (Harry Potter e as Relíquias da Morte) Hagrid presenteia Harry com uma bolsa feita com o couro de briba. Esta bolsa tem a propriedade mágica de permitir que apenas o dono encontre os objetos ali dentro colocados.[4]
  • Dementors- criaturas que voam, trabalham como guardas de Azkaban onde sugam a alma (é o que fazem...) dos seus prisioneiros; aparecem pela primeira vez em "Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban" nos campos de Hogwarts em busca de Sirius Black.

Referências

  1. http://web.archive.org/web/20110713110722/http://www.jkrowling.com/textonly/en/extrastuff_view.cfm?id=25
  2. O centauro recebe uma classificação XXXX não porque seja excessivamente agressivo, mas porque deve ser tratado com grande respeito. O mesmo se aplica a sereianos e unicórinos.
  3. Na versão portuguesa, nos livros de «Harry Potter e o Príncipe Misterioso» e d'«Os Contos de Beedle o Bardo» regista-se o nome bodigaio, porém em «Monstros Fantásticos e Onde Encontrá-los» regista-se bowtruckle.
  4. ROWLING, J. K. Harry Potter e as Relíquias da Morte, trad. Lia Wyler, Rocco, Rio de Janeiro, 2007 - ISBN 978-85-325-2261-0