Elfo-doméstico

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados de Elfo, veja Elfo (desambiguação).

Elfos[editar | editar código-fonte]

elfo doméstico' são criaturas ficcionais na série de livros Harry Potter. Eles são pequenos humanóides – mas marcadamente diferentes de humanos – que passam suas vidas servindo uma família limpando sua casa ou instituição. A não ser que sejam libertados, seus descendentes vão continuar suas tarefas e a servir a família. Eles não apresentam uma cultura própria e existem somente para servir.

Elfos domésticos usam coisas como fronhas de travesseiro no lugar das roupas porque eles não podem ganhar roupas. Se um mestre presenteia um elfo doméstico com roupas, este estaria livre e poderia deixar a família para sempre. A maioria dos elfos domésticos ficaria ofendida em receber roupas, pois isso poderia significar que eles falharam ao servir seus mestres, mas alguns (como Dobby) gostam de ser libertados. No entanto, Dobby não faz questão de ter um salário alto por trabalhar em Hogwarts (em o Cálice de Fogo Dobby diz que ele recusou o salário de 10 galeões por semana e preferiu ganhar 1 galeão por semana).

Elfos-domésticos possuem seu próprio tipo de magia, diferente da usada por bruxos e bruxas, a qual eles geralmente usam para servir seus mestres. Dobby, no entanto, usava sua mágica para motivos próprios. Além de outras coisas, essa magia permite que os elfos viagem para outros lugares, numa maneira similar à Aparatação, mas eles conseguem fazer isso dentro de Hogwarts, mesmo quando Aparatar não é possível lá.

Como consequência de sua pequena estatura, ou talvez sua biologia única, elfos domésticos podem se embriagar tomando cerveja amanteigada, a qual bruxos humanos (inclusive crianças) bebem em grande quantidade sem nenhum efeito colateral.

A caracterização de um elfo doméstico feita por J. K. Rowling foi inspirada nos legendários elfos e duendes.

Dobby[editar | editar código-fonte]

Elfo doméstico que pertencia a Lúcio Malfoy e que ajudou Harry Potter. Posteriormente foi libertado por Harry (quando Harry escondeu uma meia dento de um diario) e foi trabalhar em Hogwarts. Diferente de Winky e da maioria dos elfos domésticos, ele queria ser libertado. Enquanto trabalhava para os Malfoy foi forçado a guardar muitos segredos das trevas.

A personagem[editar | editar código-fonte]

Dobby apareceu pela primeira vez em Harry Potter e a Câmara Secreta", quando tentou convencer Harry a ficar em casa a salvo, pois seria perigoso retornar a Hogwarts naquele ano. Ele pertencia à Família Malfoy e sabia do plano de Lúcio Malfoy de reabrir a Câmara Secreta usando o Diário de Tom Riddle, mas não poderia contar a Harry, por ser um segredo do seu mestre. No entanto, Dobby acidentalmente deixou escapar alguns detalhes e por esse motivo ficava se castigando a todo momento.

Na tentativa de desencorajar Harry Potter a retornar para Hogwarts, Dobby começou a interceptar as cartas que os amigos de Harry escreviam para ele.

Após algum tempo sem conseguir convencer Harry, ele levitou um pudim e o derrubou em cima de uma visita na tentativa de fazer com que Harry fosse expulso de Hogwarts por fazer magia fora da escola. Tio Dursley fica furioso e prende Harry em seu quarto, achando que ele era o culpado, mas ele é resgatado por Rony, Fred e Jorge Weasley num Ford Anglia voador.

Depois Dobby tentou manter Harry em casa fechando o portal de entrada para a Plataforma 9 e 3/4, mas Harry e Rony pegaram o carro voador e foram até Hogwarts. Ele também enfeitiçou um balaço (Bludger) para que a bola perseguisse Harry durante um jogo de Quadribol. Harry acabou caindo da vassoura e quebrando o braço. Na tentativa de curar o braço de Harry, Gilderoy Lockhart acabou removendo todos os ossos do braço. Então Harry teve que ir à ala hospitalar para que seus ossos crescessem de novo. Lá, Dobby o visitou mais uma vez.

Quando Harry descobriu quem era o mestre de Dobby, ele tentou enganar Lúcio Malfoy para que ele libertasse o elfo. Lúcio libertou Dobby dando para ele uma meia sem querer. Dobby ficou muito grato à Harry Potter e se tornou leal a ele para sempre.

Desde que começou a trabalhar em Hogwarts, ajudou Harry várias vezes. Por exemplo, em Harry Potter e o Cálice de Fogo, Dobby ajudou Harry com a segunda tarefa do Torneio Tribruxo, pois foi ele quem lhe deu o guelricho que Harry utilizou, na versão do livro. Acredita-se que tenha mantido um relacionamento amoroso com Winky durante esse tempo. Em Harry Potter e a Ordem da Fênix, ele mostra a Harry a Sala Precisa, a qual Harry usou para os encontros da Armada de Dumbledore. Dobby era também o único elfo doméstico a limpar a torre da Grifinória desde que Hermione Granger começou a tentar libertar elfos domésticos, porque os outros elfos achavam as roupas um insulto.

Em Harry Potter e o Enigma do Príncipe, Harry pede para Dobby e Monstro espionarem Draco Malfoy.

O fim de Dobby é trágico: no sétimo livro, ele ajuda Harry Potter, Hermione Granger, Rony Weasley e outros a fugir da mansão dos Malfoy. Quando está a desaparecer, Dobby é atingido por um punhal lançado por Bellatrix Lestrange, morrendo pouco depois.

Harry Potter fica muito chateado e enterra Dobby no quintal do Chalé das Conchas, onde Gui Weasley mora com Fleur. Harry faz questão de enterrá-lo em uma cova cavada manualmente, o que Grampo (duende que Harry salva a vida) acha muito estranho. Ele quer que Dobby tenha um velório digno para alguém como ele, que os salvou da mansão dos Malfoy, e pede para que Rony, Hermione, Fleur, Gui, Dino e Luna participem, já que estão no Chalé e agradecer por tudo que o elfo fez para eles.

Dobby foi feito através de computação gráfica e dublada por Toby Jones na versão em inglês da adaptação cinematográfica de Harry Potter e a Câmara Secreta.

De acordo com Alvo Dumbledore, a vida de Dobby no período em que ele serviu os Malfoys era tão miserável quanto a de Monstro (Kreacher), quando este serviu Sirius Black.

Vale também notar que Dobby constantemente se refere a ele mesmo na terceira pessoa, como por exemplo no sétimo filme: 'Dobby jamais quis matar. Dobby só queria mutilar ou causar um ferimento mais grave'. Isso pode ser um sinal da sua submissão enquanto servo dos Malfoy.

Monstro[editar | editar código-fonte]

Elfo doméstico pertencente à Família Black. Concorda com o ponto de vista de sua última dona de que os verdadeiros bruxos são os de Sangue-puro.

No Brasil foi traduzido como Monstro o nome do elfo doméstico da família Black. Kreacher, o nome da versão original, é uma mistura das palavras criatura e velha. Ele é muito idoso e usa um trapo amarrado na cintura como uma espécie de tanga. Tem um nariz enorme como uma tromba e orelhas pontudas.

Criatura muito mal humorada, continua completamente fiel à sua Senhora (mãe de Sírius e Regulus Black) que já faleceu. Ele vivia (até o sexto livro) em Grimmauld Place 12, casa dos Black, onde há um retrato em tamanho natural da mãe de Sírius, que grita loucamente e pragueja e ainda dá ordens à Kreacher. Depois que sua Senhora morreu, Kreacher abandonou o trabalho doméstico e a casa está imunda. Ele junta todos os pertences dos antigos proprietários pelos quais tem enorme carinho. Detesta Sírius e todos os membros da Ordem da Fênix. Por diversas vezes tentou traí-los, porque é devotado aos Malfoy. Sua grande paixão que é Bellatrix Lestrange (prima de Sírius).

Após a morte de Sírius, Harry herda todos os bens dos Black, inclusive Kreacher. Como o elfo foi um dos responsáveis pelo final de Sírius e Harry não pode libertá-lo porque ele sabe demais sobre a Ordem, Dumbledore o ajuda a decidir mandando Kreacher para Hogwarts, onde os outros elfos domésticos poderão ficar de "olho nele".

No último livro, Monstro passa a ser amigável com Harry Potter, e até o ajuda. Depois entregou um medalhão de seu antigo dono a Harry. Liderou os elfos-domésticos de Hogwarts na batalha contra Voldemort e seus Comensais da Morte.

Winky[editar | editar código-fonte]

Winky era elfo doméstico dos Crouchs que, ao contrário de Dobby, não queria ser libertada. Ela guardava vários segredos da família. Quando Bartô Crouch Jr. escapou de Azkaban, seu pai o mantinha sob controle com a maldição Imperius, e Winky era quem ajudava Bartô Crouch Jr. a se recuperar dos anos passados na prisão.

Ela insistiu que Bartô Crouch deixasse o filho ir à Copa Mundial de Quadribol. Este acabou afinal permitindo, mas o que eles não sabiam era que Crouch Jr. estava lutando para libertar-se do feitiço.

Durante as festividades da Copa, Crouch Jr. roubou a varinha de Harry Potter e usou-a para conjurar a Marca Negra, conseguindo livrar-se.

Winky foi demitida porque encontraram-na com a varinha em sua mão (embora Crouch soubesse que ela era inocente, o pai que tinha falhado em manter Crouch Jr. sob controle).

Winky agora trabalha em Hogwarts. Ela está sempre muito deprimida e bebe muito. Dobby frequentemente tem que ajudá-la, sempre que bebe demais. Um relacionamento amoroso nasce (fruto dessa amizade entre Dobby e Winky).

Hóquei[editar | editar código-fonte]

Hóquei trabalhava para Hepzibah Smith. Aparece no sexto livro Harry Potter and the Half-Blood Prince, em uma lembrança que o professor Albus Dumbledore recolheu pouco antes da elfo morrer. Tom Servolo Riddle matou a velha Hepzibah para poder roubar a taça de Helga Hufflepuff e o medalhão de Salazar Slytherin, que eram preciosidades da madame. O jovem Lord Voldemort alterou a memória de Hóquei, para que a elfo assumisse a responsabilidade pela morte de sua senhora. Ela foi condenada pelo ministério da magia por supostamente ter colocado um veneno raro ao invés de açúcar o chocolate da velha por engano. Hóquei morreu com a idade já avançada.

Elfos-domésticos em Hogwarts[editar | editar código-fonte]

Hogwarts tem mais de cem elfos-domésticos trabalhando no castelo, trabalhando nas cozinhas. Eles geralmente fornecem comida extra para Fred, Jorge, Harry, Rony e Hermione quando eles entram escondidos nas cozinhas (o pai de Harry, Tiago, e seus amigos Sirius Black, Remo Lupin e Pedro Pettigrew faziam a mesma coisa quando estudavam lá). Como a maioria dos elfos-domésticos, eles acham que é uma questão de honra servir bem e trabalhar duro sem reclamar. Eles desaprovam a atitude de Dobby de receber um salário e Winky pelo seu alcoolismo.mas havia elfos como monstro que não pertencia á escola mas sim a harry por isso Hermione não o poderia libertar

F.A.L.E. / B.A.B.E.[editar | editar código-fonte]

  • F.A.L.E. (Fundo de Apoio à Liberação dos Elfos-Domésticos)
  • B.A.B.E. (Brigada de Apoio ao Bem-estar dos Elfos)

Em Harry Potter e o Cálice de Fogo Hermione fundou o F.A.L.E.(Fundo de Apoio à Libertação os Elfos-Domésticos), ao conhecer Dobby e Winky, dois elfos que haviam sido libertados. A ideia surgiu a Hermione, quando viu a alegria de Dobby trabalhando assalariado em Hogwarts. Mas o que Hermione não percebe é que os Elfos-Domésticos (exceto Dobby) não querem ou não gostariam da liberdade. A prova disso é Winky, que foi libertada por Bartô Crouch, e também foi trabalhar em Hogwarts, recusando salário, e começou a passar o dia bêbada de cerveja amanteigada. No ano seguinte, em Harry Potter e a Ordem da Fênix, Hermione começa a tricotar gorros, meias e cachecóis de lã para os elfos. Ela os esconde entre montes de lixo, e, à noite, quandos os elfos vão limpar a sala comunal da Grifinória, deveriam pegar as peças de roupas e ser libertados. Mas Hermione não sabia que os elfos começaram a se recusar a limpar a torre. Então, Dobby ia e limpava tudo sozinho e ficava com os gorros. Participam da F.A.L.E. Harry Potter (secretário), Rony Wesley (Tesoureiro), Hermione Granger e Neville Longbottom (mas ele só entrou para Hermione parar de fazer cara feia para ele como outros alunos).