Eliseu Neto

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Eliseu Neto
Eliseu Neto
Eliseu Neto
Dados pessoais
Nascimento 21 de dezembro de 1978 (45 anos)
São Paulo, SP
Morte 21 de maio de 2024 (45 anos)
Nacionalidade Brasileiro
Partido PP (1998-2011)
Cidadania (2011-2024)
Ocupação Psicólogo e ativista

Eliseu de Oliveira Neto (São Paulo, 21 de dezembro de 197821 de maio de 2024[1]) foi um psicanalista, psicólogo, ativista e psicopedagogo brasileiro, especialista em Orientação Profissional e defensor dos direitos das pessoas LGBT.[2] Atualmente, é assessor legislativo da liderança do Cidadania no Senado Federal do Brasil.[3] Liderou a Ação Direta de Inconstitucionalidade por Omissão (ADO) de seu partido no Supremo Tribunal Federal que resultou na criminalização da homofobia no Brasil, considerando-a crime de racismo (ADO 26).[4]

Histórico[editar | editar código-fonte]

Eliseu com 15 anos coordenando um evento do REMAR.

Eliseu mudou-se para Florianópolis aos 12 anos, onde morou até os 20. Estudou no Colégio Coração de Jesus, onde foi presidente do Grêmio Estudantil, do Clube de Ciências e do Centro de Estudos Vegetais, que estudava a flora como um todo e em especial a nativa da região, sendo responsável também por ações como reflorestamento ambiental.

Foi do movimento Renovação Marista[5] e um dos fundadores da Juventude da Divina Providência, ambas entidades católicas. Fez parte do Movimento Bandeirante[6] dos 14 aos 20 anos de idade e durante esse tempo (aos 15 anos) assumiu o cargo de Coordenador Regional de Bandeirante 1 (B1), até se desligar do movimento em 2000.

Começou a estudar psicologia na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), onde fez parte do Laboratório de Informação em Orientação Profissional.[7] Foi co-criador na UFSC, com a amiga e estudante de psicologia Fernanda Pereira, do projeto "Gente que entende você"[8], que durou dois anos e organizava grupos de pré-adolescentes em Florianópolis para discutir as questões dessa fase da vida.

Por seu trabalho social com jovens foi convidado a apresentar, junto com Fernanda, um programa no canal RBS chamado “Espaço Teen”, que durou cerca de um ano e meio. Ainda devido ao seu constante trabalho com jovens, foi chamado pela prefeitura de Florianópolis para ser "Assessor Especial do Estudante", cargo que ocupou por um ano, tendo como responsabilidade, por exemplo, organizar as Feiras de Ciências e Gincanas Municipais.

Mudou-se para o Rio de Janeiro em 2000 para estudar psicanálise na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Carreira[editar | editar código-fonte]

Orientador educacional e profissional, psicanalista, psicólogo, especialista em Psicologia Clínica pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro e especialista em psicopedagogia pela Universidade Cândido Mendes do Rio de Janeiro, com tese em orientação profissional.

Também é professor de pós-graduação da Universidade Cândido Mendes do Rio de Janeiro, nos cursos de terapia de família, pedagogia empresarial, gestão empresarial , docência do ensino superior e psicopedagogia, além de ministrar a disciplina "Orientação vocacional" no curso de orientação educacional e pedagógica da mesma instituição.

Ainda professor do Centro Sul-Brasileiro de Pesquisa, Extensão e Pós-graduação no curso de Neuropsicopedagogia (CENSUPEG), no qual atua na disciplina "Autoconhecimento na prática profissional". Deu palestras de Orientação Profissional, além do Rio, em São Paulo, Minas Gerais,[9] Piauí, Tocantins, Bahia, Amapá, Santa Catarina,[10] Rio Grande do Sul e foi convidado para ser professor da Universidade do Oeste de Santa Catarina (UNOESC).[11]

Organiza a cada dois anos a Jornada Fluminense de Orientação Profissional e Gestão de Carreira, na cidade do Rio de Janeiro, com ampla cobertura da imprensa.[12] Também desenvolve trabalhos com a Marinha Brasileira, abordando a preparação para a Reserva e a aposentadoria.[13]

Palestrante na Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (FIRJAN),[14] no Instituto de Recursos Humanos do Leste Fluminense (RH-LF)[15] e na Associação Brasileira de Recursos Humanos do Estado do Rio de Janeiro (ABRH-RJ),[16] sobre diversos temas, como "Geração Y".

Membro da Associação Brasileira de Orientadores Profissionais (ABOP)[17] e membro participante de Formações Clínicas do Campo Lacaniano.

Atualmente, ocupa o posto de assessor legislativo da liderança do Partido Cidadania no Senado Federal.

Linha de Trabalho[editar | editar código-fonte]

Exemplo de uma das tirinhas criadas por Eliseu e sua equipe para tornar o tema da OP mais próximo dos jovens. Os desenhos foram todos feitos por um rapaz de 34 anos com Síndrome de Asperger.

A Orientação Profissional (OP) brasileira é fortemente marcada pela “psicanálise do ego” (nome pelo qual é conhecida a teoria americana) trazida na década de 70 pelo argentino Rodolfo Bohoslavsky. Ao discordar dessa abordagem, Eliseu Neto apresenta uma visão crítica e inovadora que introduz os conceitos do psicanalista francês Jacques Lacan no trabalho que desenvolve. Se por um lado Bohoslavsky trouxe importantes modificações para a Orientação Profissional, ao levar a questão para a pessoa que escolhe, num papel ativo, em detrimento dos testes vocacionais (onde a pessoa espera para ver o resultado e somente aí escolhe), a utilização da corrente francesa na OP aprofunda essa compreensão, ao entender que não são somente determinantes psíquicos (um trauma, experiências infantis, fantasias) que influenciam essa escolha profissional, mas os sobredeterminantes, isto é, o inconsciente atua, mas também temos uma pessoa com influências sócio-históricas –suas oportunidades, sua história de vida e sua desigualdade social de fato e psíquica (como ela se percebe) – e não apenas edipianas (influência direta de pai e mãe). Para Eliseu, a escolha profissional é sempre um sintoma.

Sua abordagem acredita que escolher a profissão aos 15 ou 16 anos é uma atitude precoce e por isso, como orientador, utiliza jogos, técnicas, dinâmicas de grupo e atividades lúdicas para instigar um adolescente ainda imaturo. O objetivo é que este se torne mais reflexivo e consciente do vasto leque de possibilidades profissionais (mais de 360 cursos superiores, fora os técnicos, os profissionalizantes, o empreendedorismo e outras formas de trabalho - arte, esporte, etc.) e de fatores práticos (quanto vai ganhar, o tempo necessário para construir uma carreira, a diferença de cursos de uma universidade para outra – e entre uma pública e uma privada, dentre outros). Dessa forma, o jovem adquire um pouco mais de autonomia para a sua escolha, tornando-se, a priori, capaz de decidir seu futuro o mais distante possível de influências culturais e familiares.

A genuína paixão pelo seu trabalho surge como grande mola propulsora desse projeto decisório e, em última instância, do próprio sucesso na carreira; e isso se encaixa perfeitamente com as grandes mudanças que estamos vivendo. Eliseu aborda esse tema ao focar no que aconteceu no mundo (do trabalho e como um todo) nestes últimos vinte anos, na globalização e no surgimento deste novo aspecto colaborativo, globalizado e “open source” do planeta, evidenciado por uma geração “Y” altamente conectada que se coloca disponível continuamente para novas e excitantes perspectivas.

Segundo o orientador profissional, saímos de um mundo onde determinadas profissões eram escolhidas apenas por serem consideradas aquelas “que dão dinheiro” para um mundo de profissionais que em suas áreas serão muito bem remunerados exatamente porque são impulsionados por uma real paixão pelo que fazem. Eliseu fala de um ambiente de trabalho onde o conceito de emprego tende a desaparecer, a ideia de carreira mudou e no qual um jovem criativo e inovador é muito mais valorizado no mercado que um CV cheio de cursos e diplomas.

“Mais fácil aprender a fazer aquilo que você gosta, do que gostar daquilo que você faz bem” - Eliseu Neto

Participações na Mídia[editar | editar código-fonte]

Participante de diversos programas de TV, como:

  • "Gente que entende você" - Jornal do Almoço, SC, 1998
  • Educação e Cidadania, 1999
  • Programa "Pais, Filhos & Cia", 2002
  • Profissiogame, RBS Notícias, 2003
  • "Gente que entende você" - Bom Dia, Santa Catarina, 2003
  • Programa de Orientação Profissional Intensivo, Estúdio Santa Catarina, 2003
  • Programa de Orientação Profissional Intensivo, Rádio CBN, 2003
  • Projeto de Vida - Programa Rio Beleza, Rádio Haroldo de Andrade, 2006
  • Profissiogame, Notícias do Rio, TVE, 2006
  • Profissiogame, Edição Nacional, TVE, 2006
  • Profissiogame, Jornal Nacional da Band, Band 2006
  • Profissiogame, Jornal do Rio, Band, 2006
  • Programa Rio, a Cidade, Empresa Municipal de MultiMeios (MultiRio), Mudanças na Carreira, 2007
  • Programa Rio, a Cidade, MultiRio, Orientação Vocacional, 2007
  • Rio, Cidade de Leitores, MultiRio, Literatura de Formação, 2008
  • Rio, Cidade de Leitores, MultiRio, O Adolescente na Literatura, 2009
  • Rio, Capital do Conhecimento, MultiRio, Trabalho e Qualificação, 2009
  • Diálogos na Universidade, UTV- Canal 11 (Canal Universitário da NET-Rio), "O Jovem em Busca da Profissâo" 2010
  • Rio, Cidade de Leitores, MultiRio, Livros sobre Escolha Profissional, 2010
  • Consultor da série “Escolher dá Trabalho”[18][19]
    • Programa da Secretaria de Educação do município do Rio de Janeiro com a MultiRio, sobre profissões, construção de uma plataforma de internet do mesmo tema e kit didático-pedagógico para as escolas do município do Rio de Janeiro. 2011/ 2012
    • (Eliseu aparece num dos episódios, que trata de Orientação Profissional como carreira)[20]
  • Quebra-Cabeça (GNT)Testes e Provas[21] 2012
  • Conexâo Futura, "Professores e Deficiência", Canal Futura, 2013
  • Programa "Em Família", Canal Saúde[22] 2013

Publicações[editar | editar código-fonte]

Eliseu autografando uma de suas publicações, o livro POPI, no estado do Piauí.
  • Gênero - Poder, estereótipos, modelos, identidade[23]
In: Os Jovens na Mídia: O Desafio da AIDS.
1 ed. Brasilia: Brasil. Ministério da Saúde. Coordenação Nacional de DST e AIDS, 2000.
  • Profissiogame
Editora - Vetor 2003
  • Profissiogame - Manual do jogo e guia de profissões
São Paulo: Editora Vetor, 2003
  • POPI- Programa de orientação profissional intensivo[24][25]
São Paulo: Editora Vetor, 2005
  • Orientação Profissional: Uma experiência com jovens adolescentes institucionalizados[26]
Capítulo do livro “Intervenção e Compromisso Social. Volume 2”
São Paulo> Editora Vetor, 2005.
  • Profissiogame. Como e por que jogar
São Paulo: Editora Vetor, 2006
  • Relações Ocupacionais do Rio de Janeiro
Edição Grupo Orientando, 2009
  • Baralho de Profissões e Competências
Grupo Orientando, 2010
  • Caminhos Profissionais
Rio de Janeiro - Grupo Orientando 2011

Eliseu tem uma obra a ser editada, “A Escolha do Castor”, uma obra infantil que fala de um castor que não quer seguir o que todos esperam dele profissionalmente (construir represas) e vai se consultar com outros animais da floresta para ter ideia do que fazer, já que não quer passar a vida infeliz.

Vida Política[editar | editar código-fonte]

Devido à sua luta por Orientação Profissional, bem como por aulas de empreendedorismo, direito, noções de trabalho e projeto de vida nas escolas, Eliseu foi convidado pelo presidente da Comissão de Educação da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro, Comte Bittencourt, para entrar na vida pública como candidato a vereador pelo Cidadania, então PPS, nas eleições de 2012. Não foi eleito, apesar de ser o 4º mais votado do partido, dentre 77 candidatos. Foi também Dirigente Municipal e Estadual do Cidadania, e parte da Juventude Popular Socialista (JPS). Fundou ainda o núcleo Diversidade23[27], que luta contra qualquer tipo de preconceito. Também em 2012, foi responsável pela inclusão de uma mulher transsexual na cota partidária destinada à candidaturas femininas, pedindo, em 2018, que essas candidaturas fossem consideradas para fins de alocamento dos recursos do fundo partidário.

Por suas ideias para mudar a escola e por combater o bullying dentro e fora dela, além de outras políticas públicas, foi chamado em 2013 pela Coordenadoria Especial da Diversidade Sexual/CEDS-RIO, da Prefeitura do Rio de Janeiro, para ser membro atuante do Comitê Carioca da Cidadania LGBT.[28]

Também em 2013 conseguiu, junto com Comte Bittencourt no Cidadania, duas emendas orçamentárias,[29] no valor de R$ 1,5 milhão cada: uma para a criação de um Centro de Referência de Combate ao Preconceito no Rio de Janeiro e a outra para que seja efetivada a estrutura de Orientação Profissional nas escolas públicas do Estado. Para tais iniciativas serem realizadas na prática, uma vez que a verba já está assegurada pelas emendas, faltando apenas a assinatura do Governador Sérgio Cabral Filho. Ainda, denunciou o Governo da ex-Presidente Dilma Rousseff pelo descaso do governo com a pauta LGBT e o aparelhamento das conferências nacionais.

Durante as campanhas presidenciais de 2014 e 2018, Eliseu trabalhou como articulador da pauta LGBT para a presidenciável Marina Silva[30][31][32].

Em 2016, articulou e trabalhou na redação da Lei Estadual de Homofobia do Estado do Rio de Janeiro[33]. Posteriormente, em 2017, Eliseu articulou contra a aprovação e deliberação do projeto da suposta cura gay[34][35]. Neste contexto, Eliseu ainda entrou no Supremo Tribunal Federal contra a proibição de gays de doarem sangue, ação que foi recentemente acatada pelo Tribunal. Ainda, no mesmo ano de 2016, Eliseu foi fundamental na articulação da pauta LGBT a frente do Governo do ex-presidente Michel Elias Temer[36][37], protestando, durante este período, contra o silêncio brasileiro após a violação dos direitos humanos de LGBTs nos Jogos Olímpicos de Inverno de Sochi, na Rússia[38][39].

Eliseu Neto é um ativista extremamente envolvido com a luta pelos direitos de minorias, como é o caso do grupo LGBT. Algumas de suas outras ações em defesa desse grupo incluem o contestamento junto ao Ministério Público do cancelamento do Queer Museum[40], a articulação junto ao Ministério da Educação para permitir a possibilidade do uso do nome social no ensino básico[41][42], a reativação do comitê técnico LGBT do Ministério da Cultura [43]- sob a gestão do Ministro Roberto Freire - , a garantia da apresentação da peça Jesus Trans[44], no Rio de Janeiro, após tentativas de censura e a luta contra as mentiras propagadas por certos políticos, em especial a ideologia de gênero[45][46].

Em 2019, viu sua[47] Ação Direta de Inconstitucionalidade por Omissão nº. 26[48], impetrada por meio do Cidadania no Supremo Tribunal Federal[49], ser julgada como procedente. Como resultado, a homofobia passou a ser considerada crime no Brasil, equiparada ao racismo.

Algumas de suas outras importantes conquistas foram na área educacional, em que Eliseu se sobressai, por ser um acadêmico de carreira e um ativista pela educação. O período que Eliseu serviu como consultor da UNESCO e do Ministério da Educação para a inclusão da diversidade na Base Nacional Comum Curricular (BNCC)[50][51], bem como sua luta em parceria com o Senador Cristovam Buarque contra a aprovação do projeto "Escola Sem Partido"[52], notavelmente, destacam Eliseu.

Além de suas articulações e movimentos em busca da melhora das condições da população LGBT, Eliseu mostrou-se um político qualificado em suas negociações e intervenções junto ao Ministério Público e o Poder Judiciário. Prova disso foi o impedimento das candidaturas dos membros do Movimento Brasil Livre pelo Partido Cidadania negociado por ele[53], seu pedido para que a Procuradoria Geral da República investigasse o patrimônio do Presidente Jair Bolsonaro e o entedimento com parlamentares da base governista e da oposição para a derrubada do veto presidencial que barrava a aposentadoria decorrente do contraimento de HIV/AIDS[54].

Ações Sociais[editar | editar código-fonte]

Eliseu coordenando seu programa de Orientação Profissional gratuito num CIEP em Bom Jardim, Rio de Janeiro, com 100 jovens.

Defende, junto com o colega Silvio Bock, de São Paulo (também como Eliseu uma referência em Orientação Profissional no Brasil), que a ABOP se posicione mais firmemente por políticas públicas de O.P. no país.

Eliseu tem planos ainda de tornar a Orientação Profissional obrigatória, na forma de lei, nas escolas municipais e estaduais, para evitar os significativos números de evasão que todo ano provocam enorme desperdício de dinheiro público. Ele quer evitar ainda algo pior que isso, do ponto de vista pessoal: que profissionais se formem e passem o resto da vida deprimidos e “no piloto automático”, trabalhando numa área que odeiam, apenas porque a família esperava isso deles ou por causa única e exclusivamente de salário.

Sua empresa, o Grupo Orientando, atende anualmente com práticas de orientação profissional sem custos mais de 70 adolescentes pobres em escolas públicas. O trabalho é feito desde a fundação do Grupo, há mais de 8 anos.[55]

Desempenho eleitoral[editar | editar código-fonte]

Ano Eleição Partido Candidata a Votos % Resultado Ref
2012 Municipal do Rio de Janeiro PPS Vereador 1.432 0,05% Não eleito [56]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

Ficheiro:Eliseu revista s.jpg
Eliseu Neto na capa da Revista S, direcionada ao público LGBT.
  1. «Morre Eliseu Neto, ativista LGBTQIA+ líder de ação que criminalizou homofobia no Brasil». g1.com. 21 de maio de 2024. Consultado em 21 de maio de 2024 
  2. Rio, Do G1 (6 de fevereiro de 2014). «Gays denunciam perseguição por grupo de jovens no Flamengo, Rio». Rio de Janeiro. Consultado em 6 de agosto de 2019 
  3. «Senado Federal - Transparência». www.senado.leg.br. Consultado em 6 de agosto de 2019 
  4. «O primeiro tribunal do mundo a mostrar que LGBTfobia é racismo». Fausto Macedo. Consultado em 23 de agosto de 2019 
  5. «Grupo REMAR». Consultado em 1 de Novembro de 2013 
  6. «Movimento Bandeirante». Consultado em 1 de Novembro de 2013 
  7. «LIOP». Consultado em 1 de Novembro de 2013 
  8. Eliseu Neto - Jornal do Almoço / TV RBS/Globo - Gente que Entende Você, consultado em 23 de agosto de 2019 
  9. «Palestra BH». Consultado em 1 de Novembro de 2013 
  10. «Palestra SC». Consultado em 1 de Novembro de 2013 
  11. «UNOESC». Consultado em 1 de Novembro de 2013 
  12. «Matéria sobre a Jornada Fluminense de Orientação Profissional e Gestão de Carreira». Consultado em 1 de Novembro de 2013 
  13. «Trabalhos com a Marinha». Consultado em 1 de Novembro de 2013 
  14. «Geração Y é tema de palestra para profissionais de RH em Nova Iguaçu». Consultado em 1 de Dezembro de 2013 
  15. «Congresso de Recursos Humanos do Leste Fluminense: Palestrantes». Consultado em 1 de Dezembro de 2013 
  16. «Fórum Regional de Macaé da ABRH-RJ trouxe o tema da nova geração e destacou o case da Escola de Hotelaria Windsor». Consultado em 1 de Dezembro de 2013 
  17. «Associação Brasileira de Orientação Profissional». Consultado em 1 de Dezembro de 2013 
  18. «Escolher dá Trabalho». Consultado em 1 de Novembro de 2013 
  19. «Escolher dá Trabalho 2». Consultado em 1 de Novembro de 2013 
  20. «Escolher dá Trabalho 3, com participação do próprio Eliseu falando de sua carreira». Consultado em 1 de Dezembro de 2013 
  21. GNT. «Quebra Cabeças». Consultado em 1 de Novembro de 2013 
  22. «Em Família». Consultado em 1 de Novembro de 2013 
  23. «Gênero - Poder, estereótipos, modelos, identidade» (PDF). Consultado em 1 de Novembro de 2013 
  24. «Programa de Orientação Profissional Intensivo» (PDF). Consultado em 1 de Novembro de 2013 
  25. «Programa de Orientação Profissional Intensivo {Google Books». Consultado em 1 de Novembro de 2013 }
  26. «Orientação Profissional». Consultado em 1 de Novembro de 2013 
  27. Cidadania. «Cidadania afirma ser o Partido mais Favorável a causa LGBT» 
  28. «Comitê Carioca da Cidadania LGBT» (PDF). Consultado em 1 de Novembro de 2013 
  29. «Rio de Janeiro ganha Centro de Combate a todo tipo de preconceito». Consultado em 1 de Dezembro de 2013 
  30. «Militantes da causa homossexual comemoram propostas de Marina Silva». O Globo. 30 de agosto de 2014. Consultado em 16 de setembro de 2020 
  31. Moura, Athos. «Marina assume compromisso com LGBTIs». Lauro Jardim - O Globo. Consultado em 16 de setembro de 2020 
  32. «Coordenação do Cidadania Manifesta Posição sobre Direitos LGBT»  |nome1= sem |sobrenome1= em Authors list (ajuda)
  33. «O Trabalho de Eliseu e Comte Pelos Diretiros LGBT»  |nome1= sem |sobrenome1= em Authors list (ajuda)
  34. «Vídeo explicativo»  |nome1= sem |sobrenome1= em Authors list (ajuda)
  35. Cidadania. «Cidadania cobra o PSDB sobre a Retirada do Projeto da Cura Gay» 
  36. «Desde maio, Temer se recusa a receber comitiva LGBT». Jornal Opção. 8 de julho de 2016. Consultado em 16 de setembro de 2020 
  37. «Cidadania e aliados debatem diversidade com o Ministro da Justiça»  |nome1= sem |sobrenome1= em Authors list (ajuda)
  38. «Cidadania pede boicote aos Jogos Olímpicos de Sochi devido à homofobia»  |nome1= sem |sobrenome1= em Authors list (ajuda)
  39. «Eliseu Neto: O Silênico do Brasil sobre os Direitos dos gays»  |nome1= sem |sobrenome1= em Authors list (ajuda)
  40. «Partido político contesta cancelamento de exposição Queermuseu». Reinaldo Bessa | Gazeta do Povo. 5 de outubro de 2017. Consultado em 16 de setembro de 2020 
  41. «MEC autoriza transgêneros a usarem nome social no ensino básico». Poder360. 18 de janeiro de 2018. Consultado em 16 de setembro de 2020 
  42. «MEC permite uso de nome social de transexuais no ensino básico». Migalhas. 18 de janeiro de 2018. Consultado em 16 de setembro de 2020 
  43. «Reativação do Comitê Técnico LGBT» 
  44. «Peça com Jesus travesti será apresentada na Fundição Progresso». VEJA. Consultado em 16 de setembro de 2020 
  45. «Professor esclarece a falácia da "ideologia de gênero" e deixa bancada evangélica irada». Revista Lado A. 11 de novembro de 2017. Consultado em 16 de setembro de 2020 
  46. «Vídeo do Youtube - Ideologia de Gênero» 
  47. «Cidadania é homenageado pela ação contra a homofobia». Cidadania23. 24 de junho de 2019. Consultado em 23 de agosto de 2019 
  48. «Supremo Tribunal Federal». portal.stf.jus.br. Consultado em 23 de agosto de 2019 
  49. «Notícias STF :: STF - Supremo Tribunal Federal». www.stf.jus.br. Consultado em 23 de agosto de 2019 
  50. Falzetta, Ricardo. «É preciso explicitar o combate à discriminação contra os LGBT nos currículos escolares?». Todos Pela Educação - O Globo. Consultado em 16 de setembro de 2020 
  51. «Empregabilidade LGBT+ é tema do DIGO Festival 2018 em Goiânia». Jornal Opção. 3 de junho de 2018. Consultado em 16 de setembro de 2020 
  52. «Escola sem Partido - A luta do Cidadania»  |nome1= sem |sobrenome1= em Authors list (ajuda)
  53. «Um partido que tem história e valores»  |nome1= sem |sobrenome1= em Authors list (ajuda)
  54. «Cidadania negocia a derrubada de veto presidencial»  |nome1= sem |sobrenome1= em Authors list (ajuda)
  55. «Alunos da rede pública têm acesso à orientação profissional gratuita» 
  56. «Apuração das Eleições 2012 em Rio de Janeiro | Rio de Janeiro | G1». g1.globo.com. Consultado em 23 de maio de 2024 

Erro de citação: Elemento <ref> com nome "grupooorient" definido em <references> não é utilizado no texto da página.