Estação Ferroviária de Ermidas-Sado

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre a estação na Linha do Sul. Se procura a estação na Linha do Douro, veja Estação Ferroviária de Ermida.
Ermidas-Sado
Estação de Ermidas-Sado, em 2003.
Linha(s) Linha do Sul (PK 129,631)
Linha de Sines (PK 129,631)
Coordenadas 38° 0′ N 8° 24′ W
Concelho Santiago do Cacém
Serviços Ferroviários Intercidades
Serviços Acesso para pessoas de mobilidade reduzida Serviço de táxis Parque de estacionamento

A Estação Ferroviária de Ermidas - Sado, igualmente conhecida por Ermidas, é uma gare de caminhos de ferro da Linha do Sul, que funciona como ponto de entroncamento com a Linha de Sines e que serve a localidade de Ermidas-Sado, no Concelho de Santiago do Cacém, em Portugal.

Caracterização[editar | editar código-fonte]

Vias e plataformas[editar | editar código-fonte]

Em Janeiro de 2011, contava com 4 vias, uma com 679 m de comprimento, e as restantes, com 620 m; as duas plataformas tinham 40 e 70 cm de altura, e 139 e 208 m de comprimento.[1]

Estação de Ermidas - Sado, em 1990.

História[editar | editar código-fonte]

Esta interface encontra-se no troço da Linha do Sul entre Alvalade e Lousal, que abriu à exploração em 1 de Agosto de 1915, com o nome de Linha do Sado.[2] Por seu turno, a Linha de Sines começou a ser construída no dia 6 de Dezembro de 1919, quando se iniciaram as terraplanagens a partir de Ermidas.[3] O primeiro tramo da linha, entre Ermidas-Sado e São Bartolomeu da Serra, sido aberto em 9 de Abril de 1927.[2] Ambos os troços foram construídos pela divisão dos Caminhos de Ferro do Estado.[2]

Em 11 de Maio de 1927, os Caminhos de Ferro do Estado foram integrados na Companhia dos Caminhos de Ferro Portugueses, que passou a explorar as antigas linhas estatais.[4]

Em finais de 1933, a Comissão Administrativa do Fundo Especial de Caminhos de Ferro autorizou a instalação de uma báscula de 40 T na estação de Ermidas.[5] Na reunião de Janeiro de 1934 daquele organismo, foi aprovada a construção de uma plataforma na gare de Ermidas.[6] A nova plataforma foi construída ainda naquele ano pela Companhia dos Caminhos de Ferro Portugueses, que também modificou as vias no interior da estação.[7] Em 1935, a companhia construiu um reservatório de betão e uma placa de inversão de máquinas, e ampliou o edifício da estação e a plataforma em Ermidas.[8] Estas obras de ampliação inseriram-se no âmbito de um programa da companhia para a requalificação das estações e apeadeiros do Sul e Sueste.[9]

Em 1990, foi aberto o concurso para o projecto SISSUL - Sistemas integrados de sinalização do Sul, que compreendia a instalação de sinalização electrónica em todas as estações e na plena via em vários lanços, incluindo de Ermidas-Sado até ao Poceirão, estando previsto em 1996 o seu prolongamento até à Funcheira.[10]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Linhas de Circulação e Plataformas de Embarque». Directório da Rede 2012. Rede Ferroviária Nacional. 6 de Janeiro de 2011. p. 71-85 
  2. a b c TORRES, Carlos Manitto (16 de Fevereiro de 1958). «A evolução das linhas portuguesas e o seu significado ferroviário» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 70 (1684). p. 91-95. Consultado em 29 de Agosto de 2014. 
  3. SILVA, p. 152
  4. REIS et al, p. 63
  5. «Direcção Geral de Caminhos de Ferro» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 47 (1105). 1 de Janeiro de 1934. p. 29. Consultado em 27 de Março de 2017. 
  6. «Direcção-Geral dos Caminhos de Ferro» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 47 (1107). 1 de Fevereiro de 1934. p. 99. Consultado em 27 de Março de 2017. 
  7. «O que se fez nos Caminhos de Ferro Portugueses, durante o ano de 1934» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 47 (1130). 16 de Janeiro de 1935. p. 50-51. Consultado em 12 de Dezembro de 2013. 
  8. «Os nossos Caminhos de Ferro em 1935» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 48 (1154). 16 de Janeiro de 1936. p. 52-55. Consultado em 27 de Fevereiro de 2017. 
  9. «Importantes melhoramentos ferroviários em Barreiro, Lavradio e na Linha do Sado» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 47 (1144). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 16 de Agosto de 1935. p. 350. Consultado em 27 de Março de 2017. 
  10. MARTINS et al, p. 158-167
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre a Estação de Ermidas-Sado

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • MARTINS, João; BRION, Madalena; SOUSA, Miguel; et al. (1996). O Caminho de Ferro Revisitado. O Caminho de Ferro em Portugal de 1856 a 1996. Lisboa: Caminhos de Ferro Portugueses. 446 páginas 
  • REIS, Francisco; GOMES, Rosa; GOMES, Gilberto; et al. (2006). Os Caminhos de Ferro Portugueses 1856-2006. Lisboa: CP-Comboios de Portugal e Público-Comunicação Social S. A. 238 páginas. ISBN 989-619-078-X 
  • SILVA, Manuel João da (1992). Toponímia das Ruas de Santiago do Cacém. Breve História. Santiago do Cacém: Câmara Municipal. 207 páginas. ISBN 972-95159-4-8 

Leitura recomendada[editar | editar código-fonte]

  • GOMES, Paulo Alexandre P. N. (2000). Ermidas-Sado: história de uma povoação contemporânea: monografia sócio-histórica, 1915-1970. Ermidas-Sado: Junta de Freguesia de Ermidas-Sado. 242 páginas. ISBN 972-95169-9-5 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]



Ícone de esboço Este artigo sobre uma estação, apeadeiro ou paragem ferroviária é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.