Eulogio Martínez

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Eulogio Martínez
Informações pessoais
Nome completo Eulogio Martínez Ramiro
Data de nasc. 11 de junho de 1935
Local de nasc. Assunção, Flag of Paraguay (1842-1954).svg Paraguai
Falecido em 30 de setembro de 1984 (49 anos)
Local da morte Barcelona, Flag of Spain.svg Espanha
Altura 1,78 m
Destro
Informações profissionais
Posição Atacante
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
1953-1956
1956-1962
1962-1964
1964-1965
1965-1966
Flag of Paraguay (1954-1988).svg Libertad
Flag of Spain (1945–1977).svg Barcelona
Flag of Spain (1945–1977).svg Elche
Flag of Spain (1945–1977).svg Atlético de Madrid
Flag of Spain (1945–1977).svg Europa

11100 (62)
390000 (7)
200000 (0)
Seleção nacional
1954-1955
1956
1959-1962
Flag of Paraguay (1954-1988).svg Paraguai
Flag of Catalonia.svg Catalunha
Flag of Spain (1945–1977).svg Espanha
900000 (4)
100000 (0)
800000 (6)

Eulogio Martínez Ramiro (Assunção, 11 de junho de 1935Barcelona, 30 de setembro de 1984) foi um futebolista paraguaio naturalizado espanhol.

Carreira em clubes[editar | editar código-fonte]

Libertad[editar | editar código-fonte]

Debutou em 1953, no tradicional Libertad. No ano seguinte, já estava na Seleção Paraguaia,[1] e, outro ano depois, faturou o campeonato paraguaio. Em 1956, foi jogar na Europa, contratado pelo Barcelona.[2]

Barcelona[editar | editar código-fonte]

Na Catalunha, passou a ser mais reconhecido pelo prenome e fez sucesso: jogou seis anos no Barça, marcando 62 vezes em 111 partidas, além de faturar seis torneios oficiais: foi campeão do campeonato espanhol, da Copa do Rei (então Copa do Generalíssimo) e da Copa das Feiras duas vezes em cada um, além de passar a defender a própria Seleção Espanhola no período.[1]

Elche e CE Europa[editar | editar código-fonte]

Em 1962, após ter disputado a Copa do Mundo do ano pela Espanha, Eulogio foi jogar no pequeno Elche, onde ficou dois anos. Voltou a uma equipe grande em 1964, contratado pelo Atlético de Madrid. A equipe da capital faturou a Copa do Generalíssimo, mas, fora do time titular, o paraguaio regressou à Barcelona, mas como jogador do minúsculo Europa, onde aposentou-se em 1966. E na cidade onde se consagrara ele veio a falecer, em 1984.

Seleção(ões)[editar | editar código-fonte]

Paraguai[editar | editar código-fonte]

Martínez debutou pelo Seleçao Paraguaia em 1954, estreando contra o Brasil, pelas eliminatórias para a Copa do Mundo de 1954. Ele acabou marcando o único gol paraguaio nos dois confrontos, ambos vencidos pelos brasileiros, que assim ficaram com a vaga no mundial. No ano seguinte, disputou o Sul-Americano pela Albirroja. Sua ida para a Europa significou o fim de suas convocações pelo Paraguai, pelo qual fez 4 gols em 9 partidas.[1]

Espanha[editar | editar código-fonte]

Em 1959, após três anos destacando-se no Barcelona, fez seu primeiro jogo pela Seleção Espanhola, jogando uma série de amistosos entre aquele ano e o seguinte. Em 1962, foi lembrado na convocação para a Copa do Mundo do Chile mesmo sem ter participado das eliminatórias. Jogou apenas a partida inicial, na derrota para a Tchecoslováquia, no que foi seu último jogo pela Espanha.[1] Não jogaria mais pela Furia (pelo qual marcara 6 vezes em apenas 8 partidas) por imposição da FIFA, que determinara que aquela Copa seria a última vez que permitiria a jogadores atuarem por outro país que não o primeira pelo qual já jogara.[3]

Pelo mesmo motivo, outros participantes daquele mundial também deixaram de atuar por suas segundas seleções: da Itália, o brasileiro José João Altafini e os argentinos Humberto Maschio e Omar Sívori. Da Espanha, ele, o magiar Ferenc Puskás e outros dois sul-americanos, o argentino Alfredo Di Stéfano (que, lesionado, nem sequer pôde disputar o torneio) e o uruguaio Santamaría.[3]

Títulos[editar | editar código-fonte]

Libertad
Barcelona
Atlético de Madrid

Referências

  1. a b c d MAMRUD, Roberto (20 de agosto de 2003). «The Eulogio Martínez - International Appearances». RSSSF. Consultado em 1 de agosto de 2011. 
  2. «Perfil na BDF». Consultado em 4 de março de 2016. 
  3. a b GEHRINGER, Max (março de 2006). Bolas e bolinhas. Placar: A Saga da Jules Rimet, fascículo 7 - 1962 Chile. Editora Abril, pp. 22-23

Ligações externas[editar | editar código-fonte]