Felipe Maia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Felipe Maia
Deputado federal pelo Rio Grande do Norte
Período 1 de fevereiro de 2007
até 1 de fevereiro de 2019
Dados pessoais
Nascimento 7 de dezembro de 1973 (48 anos)
Rio de Janeiro, RJ
Nacionalidade brasileiro
Progenitores Pai: José Agripino Maia
Parentesco Tarcísio Maia (avô)
Partido PFL (1994-2007)
DEM (2007-presente)
Profissão Político, empresário

Felipe Catalão Maia (Rio de Janeiro, 7 de dezembro de 1973) é um advogado, empresário e político brasileiro.

Filho de José Agripino Maia e de Anita Louise Catalão Maia, é primo em segundo grau de Cesar Maia. Formou-se em Direito na Faculdade Cândido Mendes, graduou-se em administração financeira na Fundação Getúlio Vargas e na mesma Fundação Getúlio Vargas cursa MBA em Gestão Empresarial.

Como empresário, fez carreira no comércio e na comunicação, sendo escolhido, em 2005, para a vice-presidência da Federação das Câmaras dos Dirigentes Lojistas do Rio Grande do Norte (CDL-RN)[carece de fontes?].

Em 2006 ingressou formalmente na política, elegendo-se deputado federal pelo Rio Grande do Norte, com 124.382 votos, para a legislatura 2007—2010.

Na Câmara, Felipe Maia é membro titular da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania. O parlamentar ainda integra a Comissão de Defesa do Consumidor, a Comissão Especial para análise de pagamento de precatórios e a Comissão criada para elaborar o Estatuto da Juventude.

Foi reeleito deputado federal em 2014, para a 55.ª legislatura (2015-2019). Como deputado federal, votou a favor da admissibilidade do processo de impeachment de Dilma Rousseff.[1] Já durante o Governo Michel Temer, votou a favor da PEC do Teto dos Gastos Públicos.[1] Em abril de 2017 foi favorável à Reforma Trabalhista.[1][2] Em agosto de 2017 votou contra o processo em que se pedia abertura de investigação do presidente Michel Temer, ajudando a arquivar a denúncia do Ministério Público Federal.[1][3]

Referências

  1. a b c d G1 (2 de agosto de 2017). «Veja como deputados votaram no impeachment de Dilma, na PEC 241, na reforma trabalhista e na denúncia contra Temer». Consultado em 11 de outubro de 2017 
  2. Redação (27 de abril de 2017). «Reforma trabalhista: como votaram os deputados». Consultado em 18 de setembro de 2017 
  3. Carta Capital (3 de agosto de 2017). «Como votou cada deputado sobre a denúncia contra Temer». Consultado em 18 de setembro de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um político é um esboço relacionado ao Projeto Biografias de Políticos. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.