Gil & Jorge: Ogum, Xangô

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Gil & Jorge - Ogum - Xangô)
Ir para: navegação, pesquisa
Gil & Jorge: Ogum, Xangô
Álbum de estúdio de Jorge Ben Jor e Gilberto Gil
Lançamento 1975
Gravação 1975
Gênero(s) Samba, Samba-Rock, MPB
Duração 78:48
Idioma(s) Português
Formato(s) LP
CD (relançamento)[1]
Gravadora(s) Philips Records
Verve Records (relançamento em CD)[1]
Produção Paulinho Tapajós e Perinho Albuquerque
Cronologia de estúdio por Jorge Ben Jor
A Tábua de Esmeralda
(1974)
Solta o Pavão
(1975)
Cronologia de Gilberto Gil
Expresso 2222
(1972)
Refazenda
(1975)

"Gil & Jorge: Ogum, Xangô" é um álbum duplo gravado e lançado em 1975 pelos músicos brasileiros Jorge Ben Jor e Gilberto Gil, através da gravadora Philips Records, sendo o sétimo álbum de estúdio de Gil e o décimo segundo de Jorge. O álbum é famoso pelo seu experimentalismo (das 9 faixas do LP, 4 têm mais de 10 minutos) e pelo improviso dos dois artistas que interagem entre si durante todo o disco. Contém apenas quatro canções inéditas ("Meu Glorioso São Cristóvão", "Jurubeba", "Filhos de Gandhi" e "Sarro"), sendo o resto composto por regravações: "Nega", que apareceu no álbum auto intitulado de 1971, e "Essa É pra Tocar no Rádio", que seria lançada dali alguns meses no disco Refazenda, pelo lado de Gil; e "Quem Mandou (Pé na Estrada)", lançada por Wilson Simonal em 1973, "Taj Mahal" e "Morre o Burro, Fica o Homem", lançadas no álbum Ben de 1972. O álbum foi relançado em CD em 1992, pela Verve Records.[1]

Faixas[editar | editar código-fonte]

Lado A
N.º Título Compositor(es) Duração
1. "Meu Glorioso São Cristóvão"   Jorge Ben Jor 8:16
2. "Nega"   Gilberto Gil 10:34
Lado B
N.º Título Compositor(es) Duração
1. "Jurubeba"   Gilberto Gil 11:37
2. "Quem Mandou (Pé na Estrada)"   Jorge Ben Jor 6:51
Lado C
N.º Título Compositor(es) Duração
1. "Taj Mahal"   Jorge Ben Jor 14:42
2. "Morre o Burro, Fica o Homem"   Jorge Ben Jor 6:03
Lado D
N.º Título Compositor(es) Duração
1. "Essa É pra Tocar no Rádio"   Gilberto Gil 6:19
2. "Filhos de Gandhi"   Gilberto Gil 13:03
3. "Sarro"   Gilberto Gil / Jorge Ben Jor 1:23

Recepção da crítica[editar | editar código-fonte]

Críticas profissionais
Avaliações da crítica
Fonte Avaliação
Allmusic 5 de 5 estrelas. [2]

O álbum é, hoje, visto como um disco contendo excelente música, contendo performances de Gil e Jorge nos seus picos de criatividade, e como sendo um álbum experimental e minimalista ao mesmo tempo (contendo performances primariamente acústicas, com exceção de baixo elétrico em algumas faixas), sendo considerado por John Bush do Allmusic como altamente ritmico e com ligações a antigas tradições populares brasileiras.[3]

Músicos[editar | editar código-fonte]

Participações retiradas das páginas Discogs,[1] Allmusic[3] e Discos do Brasil:[4]

Ficha Técnica[editar | editar código-fonte]

Ficha retirada das páginas Discogs,[1] Allmusic[3] e Discos do Brasil:[4]

  • Produção: Paulinho Tapajós e Perinho Albuquerque
  • Direção de arte: Jorge Vianna
  • Capa: Aldo Luiz e Rogério Duarte
  • Fotos: João Castrioto
  • Assistentes de gravação: Ary Cavalhães, Luís Cláudio Coutinho, João Moreira, Paulinho Chocolate, Jairo Gualberto

Remasterização:

  • Responsável: Joaquim Figueira
  • Engenheiro: Luigi Hoffer
  • Textos: Gerald Seligman

Referências

  1. a b c d e "Gilberto Gil, Jorge Ben - Gil e Jorge". Página visitada em 22 de agosto de 2012.
  2. «Gil & Jorge > Allmusic > Reviews». Allmusic 
  3. a b c BUSH, John. "Gil e Jorge". Página visitada em 21 de agosto de 2012.
  4. a b Discos do Brasil - Gil & Jorge. Discografia e fichas técnicas organizadas por Maria Luiza Kfouri. Página visitada em 21 de agosto 2012.