Grande Aglomerado Globular de Hércules

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Grande Aglomerado Globular de Hércules
Grande Aglomerado Globular de Hércules pelo Telescópio Espacial Hubble
Descoberto por Edmond Halley
Data 1714
Dados observacionais (J2000)
Constelação Hércules
Tipo V
Asc. reta 16h 41m 41,44s[1]
Declinação +36° 27′ 36,9″[1]
Distância 25 100 anos-luz
Magnit. apar. 5,8[1]
Dimensões 20',0
Características físicas
Massa 6 x 105 massa solares[2]
Raio 84 anos-luz
Idade estimada 13 bilhões de anos
Outras denominações Messier 13, NGC 6205
Grande Aglomerado Globular de Hércules
Hercules constellation map.png

O Grande Aglomerado Globular de Hércules (Messier 13, NGC 6205) é um aglomerado globular de estrelas na constelação de Hércules. Foi descoberto pelo inglês Edmond Halley em 1714, e posteriormente catalogado pelo francês Charles Messier em 1 de junho de 1764.

Com magnitude aparente de 5,8, é fracamente visível a olho nu, mesmos sob condições extremamente boas de observação. Tem um diâmetro aparente na abóbada celeste de 23 minutos de arco e é facilmente visível mesmo em pequenos telescópios. Situa-se a cerca de 25 100 anos-luz em relação à Terra e sua idade foi estimada em 13 bilhões de anos.

Descoberta e visualização[editar | editar código-fonte]

Sendo um dos mais proeminentes aglomerados globulares da Via-Láctea, foi descoberto pelo astrônomo inglês Edmond Halley em 1714. De acordo com o astrônomo francês Charles Messier, que listou o aglomerado em seu catálogo em 1 de junho de 1764, John Bevis também havia mencionado o objeto em seu Celestial Atlas.[3]

Na esfera celeste, o aglomerado está próximo da galáxia NGC 6207, que está a cerca de 28 minutos de arco a nordeste do sistema. Uma pequena galáxia, IC 4617, situa-se a meio caminho entre o aglomerado e a galáxia, a norte-nordeste do amplo núcleo do aglomerado.[3]

Características[editar | editar código-fonte]

Grande Aglomerado Globular de Hércules visto de Madri

Estando a uma distância de 25 100 anos-luz da Terra, seu diâmetro aparente de 20 minutos de grau corresponde a um diâmetro real de 145 anos-luz. Contém mais de 100 000 estrelas, embora de acordo com Timothy Ferris, o aglomerado pode conter mais de um milhão de estrelas; seu centro tem uma densidade estelar 500 vezes maior do que o espaço nas vizinhanças do Sol. Historicamente, Halton Arp em 1962 estimou a idade do aglomerado em 14 bilhões de anos.[3]

Segundo Jenneth Glyn Jones, o aglomerado contém uma estrela peculiar, pertecente à classe espectral B2, ou seja, uma estrela azul, catalogada como Barnard Nº 29. Sua associação ao aglomerado foi confirmada por medidas de sua velocidade radial; não é comum para uma estrela azul pertencer a um aglomerado com mais de uma dezena de bilhões de anos. Acredita-se que o aglomerado tenha capturado esta estrela ao longo de sua história. Sua estrela mais brilhante é uma estrela variável de magnitude aparente 11,95.[3]

Mensagem de Arecibo[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Mensagem de Arecibo

Foi escolhido como alvo para uma das primeiras mensagens de rádio enviadas ao espaço, com o objetivo de transmitir a uma possível civilização extraterrestre informações sobre a Terra e a civilização humana. A mensagem foi em 1974 pelo projeto SETI com o uso do radiotelescópio porto-riquenho Arecibo.[3]

A razão principal era devido ao fato de que a região, tendo uma alta densidade de estrelas, tem uma maior chance de existência de vida inteligente habitando um planeta. Entretanto, o aglomerado já não vai mais estar em sua localização atual quando a mensagem chegar; foi mais uma demonstração tecnológica do que uma tentativa real de contactar uma civilização extraterrestre inteligente.[3]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Galeria[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c "SIMBAD Astronomical Database". Results for NGC 6205. Consult. 15/11/2006. 
  2. Leonard, Peter J. T.; Richer, Harvey B.; Fahlman, Gregory G. (1992). "The mass and stellar content of the globular cluster M13". Astronomical Journal [S.l.: s.n.] 104: 2104. Bibcode:1992AJ....104.2104L. doi:10.1086/116386. 
  3. a b c d e f Hartmut Frommert e Christine Kronberg (21 de agosto de 2007). "Messier Object 13" (em inglês). SEDS. Consult. 26 de maio de 2012. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Em inglês:

Science.jpg    NGC 6203  •  NGC 6204  •  NGC 6205  •  NGC 6206  •  NGC 6207