Grande Prêmio da Bélgica de 1981

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Grande Prêmio da Bélgica
de Fórmula 1 de 1981
Circuit Zolder-1975-1985.svg
Oitavo GP da Bélgica realizado em Zolder
Detalhes da corrida
Data 17 de maio de 1981
Nome oficial Grote Prijs van Belgie
Local Zolder, Heusden-Zolder, Limburgo, Bélgica
Total 54 voltas / 230.148 km
Condições do tempo Molhado, depois seco
Pole
Piloto
Argentina Carlos Reutemann Williams-Ford
Tempo 1:22.28
Volta mais rápida
Piloto
Argentina Carlos Reutemann Williams-Ford
Tempo 1:23.30 (na volta 37)
Pódio
Primeiro
Argentina Carlos Reutemann Williams-Ford
Segundo
França Jacques Laffite Ligier-Matra
Terceiro
Reino Unido Nigel Mansell Lotus-Ford

Resultados do Grande Prêmio da Bélgica de Fórmula 1 realizado em Zolder à 17 de maio de 1981. Quinta etapa da temporada, nele aconteceu a última vitória do argentino Carlos Reutemann.[1][2][nota 1]

Caos, insegurança e morte[editar | editar código-fonte]

O Grande Prêmio da Bélgica foi marcado por dois incidentes graves, um deles fatal: na sexta-feira o mecânico Giovanni Amadeo (Osella) foi atropelado pela Williams de Carlos Reutemann que não pôde evitar o acidente devido ao espaço exíguo existente na área dos boxes e assim atingiu o desafortunado profissional a uma velocidade de 70km/h. Mesmo transferido para hospitais em Louvain e Bruxelas ele faleceu vítima de múltiplas fraturas no crânio. Além da inevitável comoção, mecânicos e pilotos de várias equipes protestaram contra a insuficiência das medidas de segurança que deveriam protegê-los, sendo que os primeiros recusaram-se a preparar os carros antes da largada no domingo. A confusão aumentou quando Nelson Piquet errou seu lugar no grid e com isso executou duas voltas de apresentação enquanto os demais pilotos esperavam na pista. Por conta da demora o motor da Arrows de Riccardo Patrese superaqueceu e este sinalizou, em vão, que não poderia largar. Mesmo assim a largada foi dada e houve o choque entre Patrese e seu companheiro de equipe, Siegfried Stohr; como resultado o mecânico Dave Luckett (que saíra em auxílio a Patrese) sofreu uma fratura na perna e lacerações, mas sobreviveu.[3]

Mesmo após este incidente a corrida continuou embora os fiscais teimassem em sinalizar em razão dos destroços na pista. Como o espaço para guiar era exíguo uma nova largada foi feita e de resto foi proibida, a partir de então, a presença de mecânicos no grid nos momentos imediatamente anteriores ao início da corrida.[4]

Resumo da prova[editar | editar código-fonte]

Após quarenta minutos houve a relargada e nisso Didier Pironi assumiu a liderança enquanto uma disputa entre Jones e Piquet resultou num toque que lançou o brasileiro para fora da pista e ele, furioso, foi ao box da Williams para tirar satisfações enquanto algumas voltas depois o australiano abandonou por sair da pista e acertar o muro sozinho, na saída da curva quatro, quando vinha virando voltas rápidas. A essa altura Carlos Reutemann manteve a liderança até o momento em que a prova foi encerrada na quinquagésima quinta de setenta voltas previstas em razão da forte chuva, sem dúvida um desfecho inesperado para fim de semana onde frustração, política e tragédia estavam de mãos dadas. Conforme disposição do regulamento foram consideradas as posições ocupadas na volta 54 e assim os três melhores colocados foram Carlos Reutemann, Jacques Laffite e Nigel Mansell, este último feliz por conquistar seu primeiro pódio. A zona de pontuação foi completada por Gilles Villeneuve, Elio de Angelis e Eddie Cheever e como a prova terminou após atingir três quartos do percurso a pontuação foi atribuída integralmente e assim Carlos Reutemann foi ao topo da tabela com 34 pontos ante 22 pontos de Nelson Piquet.

Carlos Reutemann estabeleceu o recorde de quinze provas consecutivas na zona de pontuação, contagem iniciada no Grande Prêmio da Bélgica de 1980. Entretanto, foi a última vitória argentina na Fórmula 1 até os dias atuais.

Classificação da prova[editar | editar código-fonte]

Pos. Piloto Construtor Voltas Tempo/Diferença Grid Pontos
1 2 Argentina Carlos Reutemann Williams-Ford 54 1:16:31.61 1 9
2 26 França Jacques Laffite Ligier-Matra 54 + 36.06 9 6
3 12 Reino Unido Nigel Mansell Lotus-Ford 54 + 43.69 10 4
4 27 Canadá Gilles Villeneuve Ferrari 54 + 47.64 7 3
5 11 Itália Elio de Angelis Lotus-Ford 54 + 49.20 14 2
6 3 Estados Unidos Eddie Cheever Tyrrell-Ford 54 + 52.51 8 1
7 7 Reino Unido John Watson McLaren-Ford 54 + 1:01.66 5
8 28 França Didier Pironi Ferrari 54 + 1:32.04 3
9 23 Itália Bruno Giacomelli Alfa Romeo 54 + 1:35.58 17
10 22 Estados Unidos Mario Andretti Alfa Romeo 53 + 1 volta 18
11 14 Suíça Marc Surer Ensign-Ford 52 + 2 voltas 15
12 4 Itália Michele Alboreto Tyrrell-Ford 52 + 2 voltas 19
13 31 Itália Piercarlo Ghinzani Osella-Ford 50 + 4 voltas 24
Ret 6 México Hector Rebaque Brabham-Ford 39 Acidente 21
Ret 25 França Jean-Pierre Jabouille Ligier-Matra 35 Transmissão 16
Ret 21 Brasil Chico Serra Fittipaldi-Ford 29 Motor 20
Ret 32 Itália Beppe Gabbiani Osella-Ford 22 Motor 22
Ret 1 Austrália Alan Jones Williams-Ford 19 Acidente 6
Ret 8 Itália Andrea de Cesaris McLaren-Ford 11 Câmbio 23
Ret 5 Brasil Nelson Piquet Brabham-Ford 10 Acidente 2
Ret 20 Finlândia Keke Rosberg Fittipaldi-Ford 10 Câmbio 11
Ret 15 França Alain Prost Renault 2 Embreagem 12
Ret 29 Itália Riccardo Patrese Arrows-Ford 0 Colisão 4
Ret 30 Itália Siegfried Stohr Arrows-Ford 0 Colisão 13
DNQ 18 República da Irlanda Derek Daly March-Ford
DNQ 16 França René Arnoux Renault
DNQ 17 Chile Eliseo Salazar March-Ford
DNQ 9 Suécia Slim Borgudd ATS-Ford
DNQ 33 França Patrick Tambay Theodore-Ford
DNQ 36 Reino Unido Derek Warwick Toleman-Hart
DNQ 35 Reino Unido Brian Henton Toleman-Hart

Tabela do campeonato após a corrida[editar | editar código-fonte]

  • Nota: Somente as primeiras cinco posições estão listadas. Entre 1981 e 1990 cada piloto podia computar onze resultados válidos por temporada não havendo descartes no mundial de construtores.

Notas

  1. Voltas na liderança: Didier Pironi 12 voltas (1-12), Alan Jones 7 voltas (13-19), Carlos Reutemann 35 voltas (20-54).

Referências

  1. «1981 Belgian Grand Prix - race result». Consultado em 7 de fevereiro de 2019 
  2. Pironi vence o GP da Bélgica, Piquet cai para 3º no mundial (online). O Globo, Rio de Janeiro (RJ), 05/05/1980. Matutina, Esportes, pág. 09. Página visitada em 29 de setembro de 2018.
  3. «SABINO, Fred. Marcado por incidente assustador, Siegfried Stohr hoje é instrutor de direção na Itália (globoesporte.com)». Consultado em 7 de fevereiro de 2019 
  4. «Blighted by restart chaos». forix.com. Consultado em 31 de março de 2008 
Precedido por
Grande Prêmio de San Marino de 1981
Campeonato mundial de Fórmula 1 da FIA
Ano de 1981
Sucedido por
Grande Prêmio de Mônaco de 1981
Precedido por
Grande Prêmio da Bélgica de 1980
Grande Prêmio da Bélgica
39ª edição
Sucedido por
Grande Prêmio da Bélgica de 1982