Eddie Cheever

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Eddie Cheever
Eddie Cheever Jr 2009 Indy 500 Second Qual Day.JPG
Cheever no segundo dia de classificação para a Indy 500 de 2009.
Informações pessoais
Nome completo Edward McKay Cheever Jr.
Nacionalidade norte-americano
Nascimento 10 de janeiro de 1958 (59 anos)
Phoenix, Arizona
Registros na Fórmula 1
Temporadas 1978, 19801989
GPs disputados 143 (132 largadas)
Títulos 0 (7º em 1983)
Vitórias 0
Pódios 9
Pontos 70
Pole positions 0
Primeiro GP Argentina GP da Argentina, 1978
(não-classificado)
Último GP Austrália GP da Austrália, 1989
Registros na IndyCar Series
Temporadas 1996–2006
Equipes 2 (Menard e Cheever Racing)
Corridas 77
Títulos 0 (3º em 1996-97 e 2000)
Vitórias 5
Pódios 8
Pontos 0
Pole positions 1
Primeira corrida Estados Unidos Indy 200 at WDW, 1996
Última corrida Estados Unidos GP do Kansas, 2006
Registros na Champ Car
Temporadas 1986, 1990–1995
Equipes 8 (Arciero Racing, Ganassi, Turley, Menard,
Dick Simon, King Racing e Foyt)
Corridas 82
Títulos 0 (9º em 1990 e 1991)
Vitórias 0
Pódios 4
Pontos 0
Pole positions 0
Primeira corrida Estados Unidos GP de Miami, 1986
Última corrida Estados Unidos GP de New Hampshire, 1995
Registros nas 24 Horas de Le Mans
Edições 1980–1981, 1986–1987
Equipes 4 (Jolly Club - Lancia Corse, Martini Racing,
Silk Cut Jaguar e Tom Walkinshaw Racing)

Edward McKay Cheever Jr., conhecido por Eddie Cheever ou Eddie Cheever Jr. (Phoenix, 10 de janeiro de 1958) é um ex-automobilista norte-americano.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Cheever, que foi criado em Roma, participou de provas de automobilismo por mais de 30 anos, participando de diversas categorias como a Fórmula 1, CART e a Indy Racing League, onde chegou a ser, ao mesmo tempo, piloto e proprietário de sua equipe. Na Fórmula 1, é o americano com maior número de corridas disputadas, com 143 participações e 132 largadas.

Ele fez sua estréia na Fórmula 1 aos 20 anos, em 1978. Depois de não conseguir se classificar nos GPs da Argentina e do Brasil, participou do GP da África do Sul, no circuito de Kyalami, pela Hesketh-Ford. Um problema no motor obrigou-o a se abandonar depois de apenas oito voltas.

Duas temporadas mais tarde, tornou-se um piloto regular para a equipe Osella, mas terminou apenas uma prova (GP da Itália) em dez corridas, não se classificando em 4 oportunidades. Em 1981, Cheever assina com a Tyrrell e marca 10 pontos. No ano seguinte, vai para a Ligier e consegue 3 pódios, incluindo um segundo lugar em Detroit. Ao final do campeonato, fica em 12º lugar na classificação geral.

A temporada de 1983 foi o ponto alto da carreira de Cheever na Fórmula 1. Ele assinou com a Renault, tendo ao lado o futuro tetracampeão Alain Prost, e a dupla figurava entre os favoritos do campeonato do ano. Cheever ganhou quatro pódios e 22 pontos para o campeonato dirigindo o Renault RE30, mas a decepção do time com a derrota de Prost no mundial de pilotos e a perda do título de construtores, no final da temporada, forçou a substituição de Cheever e Prost. Seu melhor resultado para a Renault ficou em segundo lugar no Canadá, e no início da temporada, alcançou sua melhor posição de qualificação, com um segundo lugar na França, ofuscando Prost. Segundo críticos, a contratação de Cheever teria sido feita pensando no mercado da América do Norte.

Nas últimas temporadas, Cheever não voltaria a dirigir outro carro de F1 verdadeiramente competitivo. Depois de deixar a Renault, teve 2 temporadas sem êxito na Alfa Romeo, tendo como companheiro de equipe o italiano Riccardo Patrese. O ponto baixo foi a não-classificação em Mônaco, e Patrese obteve o único pódio ara a equipe nestes dois anos, quando terminou em terceiro lugar em Monza. Neste GP, Cheever ocupava o terceiro lugar quando, a 6 voltas do encerramento, seu Alfa ficou sem combustível. Em 1985, o novo carro da equipe, o 185T, provou ser extremamente competitivo, obrigando a equipe a atualizar o seu carro anterior, o 184T, para as especificações do ano e usá-lo para a última metade da temporada, embora o modelo antigo não melhorasse os resultados, apesar de provar ser um pouco mais rápido, mas a questão do combustível permaneceu. A Alfa anunciou que sairia da F1 no final do ano, deixando Cheever sem um carro de F1, enquanto Patrese voltou para a Brabham em lugar de Nelson Piquet, que estava se mudando para a Williams.

Aos 28 anos, em 1986, migrou para o World Sportscar Championship, correndo num Jaguar da Tom Walkinshaw Racing, e correu em apenas um Grande Prêmio de Fórmula 1 em 1986, pela equipe Haas Lola em Detroit, como um substituto para o lesionado Patrick Tambay. Qualificou o desconhecido Lola THL2 com motor Turbo Ford motor V6 na décima posição, enquanto que o campeão de 1980, Alan Jones, largou em 21º. Os Lola-Ford abandonaram com problemas de direção - Jones deixou o GP na volta 33, e Cheever saiu 4 voltas mais tarde. Ironicamente, Cheever foi apenas a terceira opção para substituir Tambay, uma vez que o dono da equipe, Carl Haas, tinha pedido Mario Andretti para que ele pudesse participar da etapa de Detroit. Mario, então com 46 anos, recusou a proposta, mas recomendou seu filho Michael como substituto. No entanto, o campeão da CART em 1991 foi impedido de obter uma superlicença pela FIA. Haas, então, apostou em Cheever.

Para a temporada de 1987, foi contratado pela equipe Arrows, tendo o grupo financeiro USF & G como principal patrocinador da equipe). A escolha de Derek Warwick (que tinha sido companheiro do norte-americano na TWR em 1986) o que garantiu muitas batalhas na pista ao longo de 1987 e 1988, ano em que conquistou o terceiro lugar no GP da Itália; em um estágio, quase foi desclassificado quando o tanque de combustível que tinha 150 litros do Arrows A10 foram encontrados para conter 151 litros. Entretanto, o exame revelou que o tamanho do tanque seria de 149 litros e o terceiro lugar ficou vago. O pódio custou-lhe um novo par de óculos para o mecânico-chefe. O GP da Itália foi também o último pódio para o motor turbo de BMW M12 (conhecido como "Megatron" entre 1987 e 1988). Na época, era o mais velho motor turbo em uso na Fórmula 1, tendo sido usado pela primeira vez pela equipe Brabham em 1982.

Seu último pódio veio em 1989, no Grande Prêmio dos EUA, disputado em sua cidade natal, Phoenix, após uma briga com o Williams-Renault do ex-companheiro Riccardo Patrese pelo 2º lugar, mas depois teve que dar forma em fases posteriores da corrida, quando seus freios começou a desvanecer-se (ele afirmou que um dos seus freios dianteiros tinha realmente parou de funcionar). A última corrida de Cheever na Fórmula 1 foi no chuvoso Grande Prêmio da Austrália, em Adelaide. Durante os últimos segundos da fase de qualificação, ficou de fora do grid, chegando a sair do Hairpin Fosters com seu Arrows A11- Ford, destruindo a traseira do carro. Na corrida, ele foi o último a abandonar, na volta 42, depois de conduzir durante muitas voltas com a asa dianteira de outro carro pendurado no sidepod.

Carreira nos Estados Unidos[editar | editar código-fonte]

Em 1990, Cheever voltou a competir na CART (em 1986, disputou 3 provas pela Arciero Racing), defendendo a Ganassi. Até 1995, passou ainda pelas equipes Turley, Menard, Dick Simon, King Racing e Foyt, e assim como na Fórmula 1, nunca venceu um GP e também não conquistou uma pole-position. Seu melhor resultado na categoria foi um 2º lugar no GP de Phoenix, em 1992. Envolvido no acidente que forçou a aposentadoria de Stan Fox nas 500 Milhas de Indianápolis em 1995, Cheever deixou a CART logo após a etapa de New Hampshire. Nos últimos GPs, foi substituído por Brian Till em Vancouver e Fredrik Ekblom em Laguna Seca.

Com a criação da Indy Racing League em 1996, Cheever assinou com a Team Menard para as 3 primeiras corridas da categoria, obtendo a volta mais rápida nas 500 Milhas de Indianápolis. Sua primeira vitória na IRL foi na etapa da Walt Disney em 1997, porém o destaque foi quando, aos 40 anos, venceu a tradicional corrida - ele chegou a omitir uma semana inteira de treinos e aparar a qualificação de quatro dias para dois. Para efeitos de estatística, Cheever também estabeleceu o recorde de velocidade em uma volta (2,5 milhas ou 4 quilômetros): 0:00:38.119 ou 236.103 mph (379.971 km/h). Ele foi, também, o primeiro dono de equipe/piloto a vencer a corrida desde A. J. Foyt (curiosamente, um dos antigos chefes de Cheever) em 1977.

Ainda como piloto e dono da Team Cheever, Eddie manteve-se em atividade até 2002, quando pendurou o capacete pela primeira vez para concentrar-se apenas na gestão de sua equipe, com exceção de ocasionais instâncias como as 24 horas de Daytona de 2006, onde competiu na primeira corrida com seu novo equipe da categoria Grand-Am, e na GP Masters.

Em 21 de fevereiro de 2006, aos 48 anos de idade, interrompeu a aposentadoria para disputar as quatro primeiras corridas daquele ano, incluindo as 500 Milhas de Indianápolis. Ele fechou sua equipe após a 8ª corrida, no Kansas, devido à falta de patrocínio, mas ainda correu no Grand-Am Rolex Sports Car Series e na Indy Lights.

500 Milhas de Indianápolis[editar | editar código-fonte]

Ano Chassi Motor Classificação Resultado Equipe
1990 Penske PC-18 Chevrolet 265A 14 8 Chip Ganassi Racing
1991 Lola T91/00 Chevrolet 265A 10 31 Chip Ganassi Racing
1992 Lola T92/00 Ford XB 2 4 Chip Ganassi Racing
1993 Lola T92/00 Buick V6 (t/c) 33 16 Team Menard
1994 Lola T93/00 Menard V6 (t/c) 11 8 Team Menard
1995 Lola T95/00 Ford XB 14 31 A.J. Foyt Enterprises
1996 Lola T95/00 Menard V6 (t/c) 4 11 Team Menard
1997 G-Force Oldsmobile 11 23 Team Cheever
1998 Dallara Oldsmobile 17 1 Team Cheever
1999 Dallara Infiniti 16 18 Team Cheever
2000 Dallara Infiniti 10 5 Team Cheever
2001 Dallara Infiniti 26 25 Team Cheever
2002 Dallara Infiniti 6 5 Team Cheever
2006 Dallara Honda 19 13 Cheever Racing

Todos os resultados de Eddie Cheever na Fórmula 1[editar | editar código-fonte]

(legenda) (Corrida marcada em negrito indica pole position; corrida marcada em itálico indica volta mais rápida)

Ano Equipe Chassis Motor Pneus 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 Pts Pos
1989 Arrows Grand Prix International Arrows A11 Ford Cosworth V8 G BRA
Ret
SMR
MON
MEX
EUA
CAN
Ret
FRA
GBR
NQ
ALE
12º
HUN
BEL
Ret
ITA
NQ
POR
Ret
ESP
Ret
JAP
AUS
Ret
6 11º
1988 USF&G Arrows Megatron Arrows A10B Megatron L4 Turbo G BRA
SMR
MON
Ret
MEX
CAN
Ret
EUA
Ret
FRA
11º
GBR
ALE
10º
HUN
Ret
BEL
ITA
POR
Ret
ESP
Ret
JAP
Ret
6 12º
Arrows A10 AUS
Ret
1987 USF&G Arrows Megatron Arrows A10 Megatron L4 Turbo G BRA
Ret
SMR
Ret
BEL
MON
Ret
EUA
FRA
Ret
GBR
Ret
ALE
Ret
HUN
AUT
Ret
ITA
Ret
POR
ESP
MEX
JAP
AUS
Ret
8 10º
1986 Team Haas USA Ltd Lola THL2 Ford F1 V6 Turbo G EUA
Ret
0 NC
1985 Benetton Team Alfa Romeo Alfa Romeo 185T Alfa Romeo V8 Turbo G BRA
Ret
POR
Ret
SMR
Retº
MON
Ret
CAN
17º
EUA
FRA
10º
GBR
Ret
0 NC
Alfa Romeo 184T ALE
Ret
AUT
Ret
HOL
Ret
ITA
Ret
BEL
Ret
EUR
11º
AFS
Ret
AUS
Ret
1984 Benetton Team Alfa Romeo Alfa Romeo 184T Alfa Romeo V8 Turbo G BRA
AFS
Ret
BEL
Ret
SMR
FRA
Ret
MON
NQ
CAN
11º
USE
Ret
EUA
Ret
GBR
Ret
ALE
Ret
AUT
Ret
HOL
13º
ITA
EUR
Ret
POR
17º
3 16º
1983 Equipe Renault Elf Renault RE30C Renault V6 Turbo M BRA
Ret
USW
13º
22
Renault RE40 FRA
SMR
Ret
MON
Ret
BEL
USE
Ret
CAN
GBR
Ret
ALE
Ret
AUT
HOL
Ret
ITA
EUR
10º
AFS
1982 Equipe Talbot Gitanes Ligier JS17 Matra V12 M AFS
Ret
BRA
Ret
SMR 15 12º
Ligier JS17B USW
Ret
BEL
USE
CAN
10º
Ligier JS19 MON
Ret
HOL
NQ
GBR
Ret
FRA
16º
ALE
Ret
AUT
Ret
SUI
NC
ITA
LVG
1981 Tyrrell Racing Tyrrell 010 Ford Cosworth V8 M USW
BRA
NC
ARG
Ret
SMR
Ret
BEL
MON
ESP
NC
FRA
13º
GBR
10 12º
Tyrrell 011 A ALE
AUT
NQ
HOL
Ret
ITA
Ret
CAN
12º
LVG
Ret
1980 Osella Squadra Corse Osella FA1 Ford Cosworth V8 G ARG
NQ
BRA
NQ
AFS
Ret
USW
Ret
BEL
NQ
MON
NQ
FRA
Ret
GBR
Ret
ALE
Ret
AUT
Ret
HOL
Ret
0 NC
Osella FA1B ITA
12º
CAN
Ret
USE
Ret
1978 Theodore Racing Theodore TR1 Ford Cosworth V8 G ARG
NQ
BRA
NQ
0 NC
Olympus Cameras/Hesketh Racing Hesketh 308E AFS
Ret

Outros resultados[editar | editar código-fonte]

Resultados das 24 Horas de Le Mans[editar | editar código-fonte]

Ano Equipe Co-pilotos Carro Classe Voltas Pos. Class
Pos.
1980 Itália Jolly Club - Lancia Corse Itália Carlo Facetti
Itália Martino Finotto
Lancia Beta Monte Carlo Gr.5 272 19º* *
1981 Itália Martini Racing Itália Michele Alboreto
Itália Carlo Facetti
Lancia Beta Monte Carlo Gr.5 322
1986 Reino Unido Silk Cut Jaguar
Reino Unido Tom Walkinshaw Racing
Reino Unido Derek Warwick
França Jean-Louis Schlesser
Jaguar XJR-6 C1 239 DNF DNF
1987 Reino Unido Silk Cut Jaguar
Reino Unido Tom Walkinshaw Racing
Brasil Raul Boesel
Países Baixos Jan Lammers
Jaguar XJR-8LM C1 325

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Três parentes de Eddie Cheever também seguiram carreira automobilística: o irmão, Ross, disputou a Fórmula 3000 e na CART, não tendo conseguido se classificar para a Indy 500 em 2000. Richard Antinucci, sobrinho do ex-piloto, participou da Indy Pro Series e de 5 etapas da IndyCar em 2009. Já o filho, também chamado Eddie, fez carreira na Europa, principalmente na Fórmula 3 - foi vice-campeão das divisões europeia e italiana da categoria em 2012.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Eddie Cheever
F1 chequered flag.svg Este artigo sobre um(a) automobilista, integrado ao Projeto Automobilismo, é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.