Grande Prêmio de Mônaco de 1982

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Grande Prêmio de Mônaco
de Fórmula 1 de 1982
Circuit de Monaco 1976.png
Grande Prêmio de Mônaco de 1982.
Detalhes da corrida
Data 23 de maio de 1982
Local Circuito de Mônaco, Montecarlo, Mônaco
Total 76 voltas / 251.712 km
Pole
Piloto
França René Arnoux Renault
Tempo 1:23.281
Volta mais rápida
Piloto
Itália Riccardo Patrese Brabham-Ford
Tempo 1:26.354 (na volta 69)
Pódio
Primeiro
Itália Riccardo Patrese Brabham-Ford
Segundo
França Didier Pironi Ferrari
Terceiro
Itália Andrea de Cesaris Alfa Romeo
A corrida marcou a primeira vitória de Riccardo Patrese na F1

Resultados do Grande Prêmio de Mônaco de Fórmula 1 realizado em Montecarlo à 23 de maio de 1982. Foi a sexta etapa daquela temporada e também a primeira corrida após a morte de Gilles Villeneuve há duas semanas no Grande Prêmio da Bélgica. Consequentemente a Ferrari inscreveu apenas o carro de Didier Pironi. Ao final da disputa o italiano Riccardo Patrese celebrou a primeira vitória de sua carreira.[1][2]

Dia de surpresas[editar | editar código-fonte]

Traumatizada pela morte de Gilles Villeneuve, a Fórmula 1 chegou à quadragésima edição do Grande Prêmio de Mônaco sem que o vencedor de 1981 estivesse presente e sob tal realidade os pilotos alinharam no grid e quando largaram, o francês René Arnoux fez valer a pole position e manteve o primeiro lugar à frente de Bruno Giacomelli e Riccardo Patrese com Alain Prost, Didier Pironi e Andrea de Cesaris completando a relação dos ponteiros, entretanto uma ultrapassagem de Prost sobre Patrese colocou a outra Renault em excelsa posição quando Giacomelli abandonou por quebra de semieixo logo na terceira volta.[1] Após quinze giros Arnoux cometeu um erro, rodou nos "esses da Piscina", entregou a liderança a Alain Prost e obstruiu parcialmente a pista com o motor apagado até abandonar o carro.[2] Sobre o novo líder da prova, o mesmo estava a mais de cinco segundos de Patrese, diferença alterada ao sabor do tráfego nas estreitas ruas de Montecarlo. Graças a tais ingredientes eis que Prost, Patrese e Pironi lutavam pelo primeiro lugar, embora o francês tenha sido prejudicado ao perder parte do aerofólio dianteiro de sua Ferrari num toque com a Lotus do retardatário Elio de Angelis.[3]

Graças ao equilíbrio de seu carro, a potência de seu turbo e uma inesperada confiabilidade, Alain Prost desvencilhou-se de Riccardo Patrese abrindo quase nove segundos de vantagem à medida que o número de voltas diminuía. Para a sorte da Brabham o dano sofrido por Didier Pironi ao tocar o bólido de Elio de Angelis impediu o francês de ameaçar Patrese enquanto uma sucessão de quebras reduziu à metade os carros na pista. Após a sexagésima volta os corredores reduziram o ritmo por conta da chuva,[4] a qual mesmo leve exigiu prudência na ultrapassagem de retardatários. Cauteloso, Alain Prost viu sua Renault rodar e bater na mureta à saída da Chicane do Porto quando executaria mais uma ultrapassagem sobre a Arrows de Marc Surer a menos de três voltas para o fim da corrida. Ato contínuo, Patrese assumiu a liderança, no entanto o mesmo rodou na penúltima volta quando descia a curva Loews. Como estava em um declive, os fiscais liberaram a pista ao empurrarem seu carro e o mesmo pegou no tranco, mas várias posições foram perdidas. Na volta final Didier Pironi assumiu a liderança e reduziu a velocidade a fim de não sofrer um acidente, mas uma falha no sistema de ignição da Ferrari o fez parar dentro do túnel para desespero de um fiscal que levou as mãos à cabeça e como se não bastasse, outros candidatos ao primeiro lugar ficaram pelo caminho: Andrea de Cesaris estacionou sua Alfa Romeo na subida da Beau Rivage por falta de gasolina enquanto a Williams de Derek Daly parou com avarias no câmbio e também sem o aerofólio traseiro.[2]

Em meio ao espanto do público a televisão buscava desvendar os acontecimentos quando, para a surpresa geral, Riccardo Patrese surgiu em meio aos despojos e cruzou a linha de chegada. Somente ao chegar aos boxes ele foi informado que vencera pela primeira vez na Fórmula 1,[5][6] com Didier Pironi e Andrea de Cesaris ao seu lado no pódio. Foi o primeiro triunfo da Itália desde o Grande Prêmio da Áustria de 1975 com Vittorio Brambilla.[7]

Resultado da corrida[editar | editar código-fonte]

Pos. Piloto Construtor Voltas Tempo/Diferença Grid Pontos
1 2 Flag of Italy.svg Riccardo Patrese Brabham-Ford 76 1:54'11"259 2 9
2 28 Flag of France.svg Didier Pironi Ferrari 75 Pane elétrica 5 6
3 22 Flag of Italy.svg Andrea de Cesaris Alfa Romeo 75 Sem combustível 7 4
4 12 Flag of the United Kingdom.svg Nigel Mansell Lotus-Ford 75 + 1 volta 11 3
5 11 Flag of Italy.svg Elio de Angelis Lotus-Ford 75 + 1 volta 15 2
6 5 Flag of Ireland.svg Derek Daly Williams-Ford 74 Acidente 8 1
7 15 Flag of France.svg Alain Prost Renault 73 Rodou 4  
8 4 Flag of the United Kingdom.svg Brian Henton Tyrrell-Ford 72 + 4 voltas 17  
9 29 Flag of Switzerland.svg Marc Surer Arrows-Ford 70 + 6 voltas 19  
10 3 Flag of Italy.svg Michele Alboreto Tyrrell-Ford 69 Suspensão 9  
Ret 6 Flag of Finland.svg Keke Rosberg Williams-Ford 64 Colisão 6  
Ret 8 Flag of Austria.svg Niki Lauda McLaren-Ford 56 Motor 12  
Ret 1 Flag of Brazil.svg Nelson Piquet Brabham-BMW 49 Turbo 13  
Ret 7 Reino Unido John Watson McLaren-Ford 35 Pane elétrica 10  
Ret 9 Flag of Germany.svg Manfred Winkelhock ATS-Ford 31 Diferencial 14  
Ret 26 Flag of France.svg Jacques Laffite Ligier-Matra 29 Handling 18  
Ret 25 Flag of the United States.svg Eddie Cheever Ligier- Matra 27 Fuga de óleo 16  
Ret 10 Flag of Chile.svg Eliseo Salazar ATS-Ford 22 Falha mecânica 20  
Ret 16 Flag of France.svg René Arnoux Renault 14 Rodou 1  
Ret 23 Flag of Italy.svg Bruno Giacomelli Alfa Romeo 4 Semieixo 3  
DNQ 30 Flag of Italy.svg Mauro Baldi Arrows-Ford  
DNQ 33 Flag of the Netherlands.svg Jan Lammers Theodore-Ford  
DNQ 17 Flag of Germany.svg Jochen Mass March-Ford  
DNQ 35 Flag of the United Kingdom.svg Derek Warwick Toleman-Hart  
DNQ 31 Flag of France.svg Jean-Pierre Jarier Osella-Ford  
DNQ 14 Flag of Colombia.svg Roberto Guerrero Ensign-Ford  
DNPQ 36 Flag of Italy.svg Teo Fabi Toleman-Hart  
DNPQ 32 Flag of Italy.svg Riccardo Paletti Osella-Ford  
DNPQ 18 Flag of Brazil.svg Raul Boesel March-Ford  
DNPQ 20 Flag of Brazil.svg Chico Serra Fittipaldi-Ford  
DNPQ 19 Flag of Spain.svg Emilio de Villota March-Ford  

Tabela do campeonato após a corrida[editar | editar código-fonte]

  • Nota: Somente as primeiras cinco posições estão listadas. Entre 1981 e 1990 cada piloto podia computar onze resultados válidos por temporada não havendo descartes no mundial de construtores.

Referências

  1. a b «1982 Monaco Grand Prix - race result». Consultado em 17 de agosto de 2018 
  2. a b c «SABINO, Fred. Corridas malucas em Mônaco entraram para a história da Fórmula 1 (globoesporte.com)». Consultado em 17 de agosto de 2018 
  3. Baixa velocidade causou a falta de combustível (online). Jornal do Brasil, Rio de Janeiro (RJ), 24/05/1982. Esportes, pág. 03. Página visitada em 17 de agosto de 2018.
  4. Vitória no GP de Mônaco surpreende Patrese (online). Jornal do Brasil, Rio de Janeiro (RJ), 24/05/1982. Esportes, pág. 03. Página visitada em 17 de agosto de 2018.
  5. Patrese só soube da vitória nos boxes (online). Jornal do Brasil, Rio de Janeiro (RJ), 24/05/1982. Esportes, pág. 03. Página visitada em 17 de agosto de 2018.
  6. Patrese, primeira vitória na F-1 (online). Folha de S. Paulo, São Paulo (SP), 24/05/1982. Esportes, pág. 16. Página visitada em 18 de agosto de 2018.
  7. O vencedor certo em uma corrida estranha (online). O Globo, Rio de Janeiro (RJ), 18/08/1975. Matutina, Esportes, pág. 26. Página visitada em 17 de agosto de 2018.
Precedido por
Grande Prêmio da Bélgica de 1982
Campeonato mundial de Fórmula 1 da FIA
Ano de 1982
Sucedido por
Grande Prêmio de Detroit de 1982
Precedido por
Grande Prêmio de Mônaco de 1981
Grande Prêmio de Mônaco
40ª edição
Sucedido por
Grande Prêmio de Mônaco de 1983