Henri Couri Aidar

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde outubro de 2017). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Henri Couri Aidar (Olímpia, 16 de junho de 1921 - São Paulo, 6 de novembro de 1998[1]), ou simplesmente Henri Aidar foi um advogado, formado pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, e dirigente esportivo.

Foi Presidente da Companhia Energética de São Paulo de 1966 a 1967, durante o governo de Laudo Natel.

Henri foi presidente do São Paulo Futebol Clube no período de 1972 a 1978. Quando assumiu a presidência, mandou queimar todas as fotos em que o ex-goleiro Bonelli aparecesse com a camisa do clube. Para Aidar, o goleiro estaria subornado na final do Campeonato Paulista de 1956, perdida para o Santos.[2] Foi durante sua gestão, que o São Paulo conquistou seu primeiro título nacional, o Brasileiro de 1977. O clube conquistou ainda o Campeonato Paulista de 1975 nesse período.

Também foi chefe da Casa Civil do estado de São Paulo durante a segunda gestão de Laudo Natel.

Seu filho Carlos Miguel Aidar também chegou à presidência do São Paulo, tendo sido mandatário do clube entre 1984 e 1988 e voltado ao posto em 2014.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Fábio Matos, Dias: A Vida do Maior Jogador do São Paulo nos Anos 1960, Pontes, 2007, pág. 155
  2. "Vitórias com a marca da competência", Placar número 1.077, novembro de 1992, Editora Abril, pág. 25
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.